31 de janeiro de 2011

Mais uma...

... sessão de ginástica respiratória que é o nome pomposo de porrada, pancadaria ou coisa que o valha! Coitadinho! O que aquilo me dói. É verdade. Ele é que apanha e a mim é que me dói. Ele muito magrinho, só de fraldas, a ser apertado até ficar roxo enquanto chora como um cabritinho! A certa altura comecei a fazer  estalidos com a língua e a cantarolar para o acalmar e ele parou de chorar. O médico lá disse que era importante ele chorar porque isso fazia com que ele apertasse na altura certa, ou coisa que o valha. E eu, ok... A mãe fica caladinha. No fim o médico disse que ela já não precisava de mais sessões e que era pouco provável que ele repetisse uma bronquiolite. Mal saiu de lá adormeceu num sono profundo, tomou banhoca no meio de vapores, jantou como um leão - a sopa e a fruta dele e a lasanha dos pais - e foi dormir. Que Deus lhe conserve um bom soninho descansado....

O pai

Não sei se aconteceu o mesmo nas vossas famílias, mas o meu A. está com uma mãezite aguda! Não quer ir ao pai por nada do mundo e sempre que o meu marido lhe pega, ele chora. Só me quer a mim, não me pode ver nem ouvir a minha voz que quer vir logo para mim. O meu marido está desconsolado. Não lhe bastava a tromboflebite e ter de estar deitado, tem o filho que não quer nada com ele. Parte-me o coração. O meu marido sempre foi um pai maravilhoso, fantástico, super interessado, brincalhão, disponível e está a sofrer horrores. Eu já lhe disse que estas coisas acontecem, que são fases, mas ele está mesmo triste.

30 de janeiro de 2011

Adoro o Sol!

A noite foi terrível e foi muito bom encontrar um dia lindo, cheio de sol e céu azul quando acordámos. Não sei se foram os dentes, ciúmes por ontem ter estado cá outro bebé com quem dividir as atenções ou o que foi, mas a verdade é que a cama "tinha picos". O A. não dormiu 1 hora seguida, só queria colo e quando o colocava na cama gritava. Valeu-nos a manhã de sol no jardim na companhia da avó Ana. Depois tivemos a visita surpresa da maravilhosa cunhada S. e do meu sobrinho, que é como quem diz o meu "Exército de Salvação Familiar", que nos trouxe um belo almoço. O resto do sol foi aproveitado com a tia I., com a avó e com os bivós e só agora o A. adormeceu...

Dentes

O desgraçado do A. está aflitinho dos dentes. São 4 a romper em cima ao mesmo tempo. Está irritado, chorão e incomodado com as dores. Coitadinho. Foi um martírio para o conseguir deitar, já passava das 23h, e só com a ajuda de um supositório conseguiu acalmar. Vamos ver como corre a noite. Ultimamente, já não bebia o leite da meia noite e aguentava-se até de manhã. A noite passada reclamou o leite às 3 da matinha... Vamos ver

29 de janeiro de 2011

O dia começou mal...

Mas tem vindo a melhorar. Dormi bastante, até, mas acordei atravessada. Para melhorar, o meu filho deu uma sapatada no prato da sopa e foi toda para o chão e para cima dele e de mim! Fúria! Disse um palavrão que deixou o meu sobrinho de 10 anos de olhos em bico! Depois fiz o almoço e fechei-me na casa de banho. Saí de lá bem melhor. Ando cansada de ser eu a fazer tudo. Sei que o meu maridão não tem culpa de estar assim e também se sente mal por não poder ajudar em casa nem com o miúdo, mas tem-me saído tudo do pêlo e às vezes só me apetece gritar ou fugir!

28 de janeiro de 2011

Sossego...

Depois de uma semana alucinante estou sozinha em casa. Não tenho nada a fazer barulho. Não se ouve futebol, nem os comentários do Freitas Lobo, não se ouvem as músicas do baby TV nem os carrinhos estridentes do meu filho. Há um silêncio e um sossego que até são estranhos (o meu filho dorme e o meu marido está de perna para cima em casa de uma irmã, com outra irmã a tomar conta dos filhos da primeira irmã:-), mas que sabem bem... É de aproveitar os momentos que tenho só para mim...

Gerir o orçamento do casamento

A propósito de uma visita a um blogue surgiu a questão de como gerir e gastar pouco com a boda. Todas sabemos que casar significa gastar dinheiro, mas, acima de tudo, significa reunir os amigos e a família numa festa em que celebramos o que sentimos um pelo outro. Eu tive um casamento de sonho, e não foi por gastar muito, mas sim por ter sido tudo tratado e organizado por mim e pelo meu marido. Tínhamos o espaço, lindo por sinal, mas tivemos de tratar de tudo desde a tenda, a casas de banho portáteis, catering, cozinha no local, flores... Tudo. Não comprámos nenhum pacote, mas fizemos uma festa à nossa medida e com a nossa cara. O resultado foi fantástico e foi muito bom ver a diversão das pessoas que ainda hoje nos dizem que foi o casamento mais maravilhoso a que já foram. 

Aqui ficam algumas dicas:
  • Não tivemos fotógrafo e pelas mesas espalhámos máquinas descartáveis. Claro que só se aproveitaram algumas fotos, mas eram todas genuínas, sem pose e originais. Todos sabiam que não íamos ter fotógrafo oficial e pedimos a todos os amigos que levaram máquina digital para tirar fotos e quando viemos de lua de mel, recolhemos as fotos. Conseguimos mais de 3000 e o difícil foi seleccionar. Depois, na net, fiz um álbum digital. Os meus pais ao início eram um pouco contra esta ideia, tão pouco convencional, mas adoraram o resultado que foi fantástico. Ao todo, não gastámos 100 euros e ficou fabuloso.
  • Fizemos os convites, bastante simples, a preto e branco, mas com um bom papel numa instituição de solidariedade social e não custaram 50 euros (150 convites e envelopes).
  • Arranjámos um animador fabuloso, muito boa onda, que animou a festa das 14h às 2 da manhã e os seus preços são muito abaixo do mercado.
  • Escolhemos flores simples, mas muito bonitas.
  • Não demos presentinhos. O presente que demos foi a festa em si e depois agradecemos a toda a gente enviando duas fotos do casamento. Uma minha e do meu marido e outra com a pessoa em questão. Aos jovens mandámos por e-mail e aos mais velhos por carta
  • Usámos um catering de fora de Lisboa - zona de Viseu - que era maravilhoso, muito bem servido e com um preço muito justo.
  • Mandámos vir as casas de banho de Espanha, que eram muito mais baratas e melhores.
  • Convidámos um rancho local. Ao início eu era um pouco contra, mas o meu estava tão entusiasmado, que concordámos. Foi uma animação com toda a gente dos 2 aos 80 a dançar. Não cobraram nada e no fim lá passaram o chapelito e ainda devem ter feito uns bons trocos, pois as pessoas aderem muito bem a estas coisas. Foi diferente, a maioria das pessoas eram de Lisboa, e acharam muita graça ao típico da coisa
Se me lembrar de mais coisas, digo. Qualquer contacto ou dúvida, perguntem que tenho muito gosto em responder. E, acima de tudo, aproveitem o dia e recordem-no para toda a vida!






Este e o dia do nascimento do meu filho foram, até agora, os mais importantes da minha vida. E, nos dois, ainda tinha toda a minha família para celebrar comigo. Fico feliz por estes dois grandes dias terem acontecido ainda com o meu pai vivo. Sei que também foram dos dias mais importantes para ele.

O que eu gosto da Sexta-Feira!

Mary Poppins

É assim que me sinto quando abro um chapéu de chuva por cima de mim e do A., especialmente quando é o transparente, e o meu filho fica deslumbrado a ver a chuva bater no plástico. Eu nem preciso de voar para lhe parecer mágica. Basta abrir o chapéu de chuva para o A. começar a rir e ficar maravilhado com o efeito das gotas a cairem sem nos molharem! Uma das magias de ser criança é exactamente esta. Tudo é novo, fantástico, deslumbrante e mágico.

27 de janeiro de 2011

Vergonha

O meu amorzão viu-me tão nervosa e trémula - confesso que odeio agulhas - que preferiu dar a injecção nele próprio... Amanhã tento novamente.

Nervos

Vou agora dar a minha primeira injecção ao meu marido. Não sei quem está mais nervoso, se ele se eu.

Bolha

Hoje tenho de me imaginar dentro de uma bolha assim... Eu e os meus A.

E o meu marido

Confirmou-se que tem uma tromboflebite na perna. Não se sabe bem o que terá causado isto, mas deve ter sido por ter tido a perna imobilizada com uma tala durante 10 dias. Agora, repouso absoluto de perna para cima durante umas 3 semanas e injecções 2 vezes ao dias para evitar embolia. Ainda não me aventurei a dar-lhe as injecções e tem-me valido a minha querida e fabulosa cunhada S., que tem sido incansável a ajudar-me com o A., a levar-nos o jantar, a arrumar-me a casa. Tudo! Obrigada. E as melhoras, maridão. Fica bom depressa.

E foi assim

A noite depois da massagem respiratória correu muito bem. O A. esteve sempre com o nariz desentupido, ia tossindo de quando em vez, mas nunca acordou. Dormiu das 21h às 07h30. Bebeu o seu leitinho e ainda dormiu mais um pouco.

26 de janeiro de 2011

Massagem respiratória

Hoje levei o A. à ginástica respiratória. Foi assustador o que o médico lhe fez, mas ele avisou antes de começar e disse que podíamos chegar às lágrimas. Eu aguentei-me, ao mesmo tempo que pensava que os 3 filhos da minha prima que andaram lá em bebés estão vivos e cheios de saúde e nunca recorreram nem a corticóides nem a ventilans para tratarem da parte respiratória. Assim que começavam com tosse iam lá e ao fim de 2 sessões estavam bons. Ele apertou-o, torceu-o, fez-lhe pressão no diafragma e nas costas. Ele chorou, sem lágrimas, mas do incómodo, e no final adormeceu no meu colo e ferrou mal chegámos ao carro. Quando entrou tinha o nariz entupido e quando saímos já respirava pelas duas narinas. A ver vamos como ele fica, se bem que o normal é ter mais tosse hoje e amanhã pois consegue libertar toda a porcaria que lá tem dentro. Na segunda, voltamos lá. Vamos ver os resultados. Estou confiante!

Estou na dúvida

Se gostava de ser como o polvo e ter vários braços para fazer tudo o que preciso ou se era mesmo melhor fazer um clone de mim própria para conseguir acudir em várias frentes. Eu bem me vou desmultiplicando, mas sinto que não consigo fazer tudo o que preciso com a atenção e carinho devidos. Eu esforço-me, mas as minhas costas já se começam a ressentir. Aliás, penso que todo o meu corpo sofre, pois estou sempre em stress a fazer uma coisa e a pensar nas outras que ainda tenho para fazer. O que eu precisava mesmo era de me enfiar num spa onde tratassem de mim. Mas o meu maridão é um querido e investiu em várias massagens para me oferecer. Obrigada, amor. Resta saber quando vou arranjar tempo para lá ir. Mas há que ter fé. Melhores dias virão.

25 de janeiro de 2011

Más notícias

Hoje era o dia em que o meu marido ia à consulta para, finalmente, retirar a tala da perna. Infelizmente, as coisas não correram como planeávamos e a dor que ele sentia não era devido à tala, mas sim a ter feito uma trombose na perna. É grave, mas já está a ser medicado e amanhã vai a um cirurgião cardiovascular para ver o que tem de fazer. Para já, medicação e descanso com a perna para cima. Só peço para eu não me ir abaixo nas canetas. É que os meus dois A. precisam muito de mim e eu tenho de estar fina para eles. Entre os aerossóis do A. mais novo e as injecções do A. mais velho preparo o meu novo projecto de trabalho. Que não me falhem as forças e que os meus Amores fiquem bem depressa.

E para o meu filho...

Amor da mãe, O que me apetecia era ter ficado contigo em casa. Depois da noite difícil que tiveste custou-me horrores deixar-te na creche, mesmo sabendo que te tratam muito bem e que se piorares me ligam e eu me ponho lá em meia hora.

Depois de 2 semanas de tréguas o A. voltou a ter tosse e a ficar com o nariz entupido. Ainda não percebi se é uma constipação que aí vem, se é dos dentes ou se é uma mistura bombástica. É que o A. tem 4 dentes a romper em cima e isto, mais a tosse, está a incomodá-lo muito. A tosse e o nariz entupido não o deixam dormir, os dentes tiram-lhe a fome e dão-lhe febre e nós só queremos embalá-lo e dizer que estamos ali, para o que der e vier, e que o vamos ajudar a ficar bom. Amanhã vamos experimentar ginástica respiratória que o ajude a libertar as secreções e a respirar melhor.

Para o meu maridão

Uma boa notícia

Hoje fiquei feliz por saber que os meus queridos amigos S. e C. estão finalmente à espera de um filho. Depois de um aborto espontâneo e de uma gravidez ectópica que deixou a minha amiga quase às portas da morte, soube hoje que finalmente vão ser papás. Nunca desistiram, sempre encararam tudo de forma positiva e nunca criaram anti-corpos aos bebés dos outros. Ela está grávida de 11 semanas e está a ser vigiada de perto, estando tudo a correr muito bem. Desejo-lhes o melhor do mundo, aos 3! Que a gravidez continue a correr bem e que em Agosto possam receber este bebé nos braços.

Recomendo

A manta polar com mangas. Comprei na loja "casa" e é uma maravilha. Não sei se pareço uma juiza, se um monje ou uma colega de turma do Harry Potter, mas não interessa. É quente que se farta e estou muito mais confortável a trabalhar. Recomendo. São 5 euros muito bem empregues.

23 de janeiro de 2011

O que apetece...

É aquecer as mãos numa chávena de chá fumegante.

Cozinha

O frio teima em não se ir embora e parece que está para ficar. Hoje estou a aproveitar para cozinhar para toda a semana. Sopa de lentilhas, estrogonofe de frango, febras de fricassé e massada de garoupa com gambas são alguns dos pratos. Bom domingo a todos.

22 de janeiro de 2011

Os primeiros passinhos

A meio da tarde fomos buscar o A. a casa da avó. Recebeu-nos com muita alegria e com aquele sorriso que tanto amamos e, a certa altura, deu cinco passinhos sem ajuda. Se medo, sem pressas lá foi ele a andar em direcção à televisão. Está mesmo quase, quase a decidir-se a andar. As pessoas dizem-nos que  assim que ele começar a andar nunca mais vamos ter sossego, mas a verdade é que ele já não pára. Põe-se de gatas e lá vai ele...

Neve


Está um frio de rachar. Daqueles que quando a pessoa sai da cama faz doer. A casa está fria e lá fora ainda está mais. E se está assim em Lisboa, imagem ao pé da Serra da Estrela? Deve estar a nevar... Pensei no meu pai, que sempre que nevava lá na quinta nos ligava e, nos últimos anos, mandava fotos pelo telemóvel sempre a perguntar quando lá íamos. Fomos menos do que eu agora gostaria, gostava de lá ter levado o A., mas achamos sempre que temos mais tempo. Ele ainda era tão pequenino, a viagem era grande, íamos depois. Ninguém imagina, nem está preparado, para do nada, receber um telefonema a dizer que o pai morreu, foi encontrado morto. Como diria o meu compadre P., a respeito da morte do pai dele, "o meu pai não me fez falta no dia que morreu, tinha estado com ele na véspera, faz-me falta todos os outros dias". E é verdade. Agora, que passaram 5 meses lembro-me mais dele, tenho mais saudades, faz-me mais falta... Estou a chorar, agora, e já não o fazia há tanto tempo, pois nunca tenho tempo. E agora, estou sozinha, não tenho de estar com atenção e a brincar com o A. e posso chorar, posso pensar no meu pai e sentir a falta dele... 

Sabe bem!

A noite do A. e da avó correu muito bem. Dormiram bem, não houve birras nem estranhou nada. A nossa também foi boa... 10 horas a dormir. Que bom! Soube bem. E o sossego matinal... Foi a primeira vez que nos demos a este luxo e está a saber bem. Claro que ele é a alegria desta casa, claro que sinto falta das suas gargalhadas, das suas palavritas, do ouvir a gantinhar pela casa sempre com uma peça (lego ou outra) em cada mão, mas nós precisávamos mesmo de descansar e quando o formos buscar mais tarde vai ser muito, mas muito bom! 

21 de janeiro de 2011

E esta noite...

 
... Somos só dois. O A. está em casa da avó e vai lá ficar a dormir. Eu e o maridão já fomos ao cinema e jantámos fora. Hoje a noite é só nossa e que bom vai ser poder dormir até não querer mais. Até amanhã. Bons sonhos.

O fim de uma relação!!!

Yupi! Yes!! Acabou! Não passo mais recibos verdes, pelo menos nos próximos tempos, que isto na vida não se deve dizer nunca! Foram mais de 10 anos e já estava farta, fartinha, fartíssima de estar a recibos verdes! Que esta nova era, a contrato, seja feliz e marcada por muitos e bons projectos! Bye, bye!!!

É tão bom...

... Quando as ideias surgem e começam a ganhar vida própria!

Dá que pensar

Estava a ler um texto que me deu que pensar. Quantos de nós já perdemos pessoas que considerávamos amigas, pessoas que faziam mesmo parte da nossa vida, por coisas sem importância, por desentendimentos ridículos ou por mal entendidos que ficaram por esclarecer. É sempre triste quando isso acontece, pois a amizade é algo sem a qual ninguém deve viver.

E o que me apetecia mesmo era...




Mas não dá. Tenho muito trabalho para fazer o que, nos dias que correm, é um privilégio. Principalmente porque ADORO o que faço.

Depois do jantar de ontem... Aqui fica!!


Tristão e Susana em Espírito Indomável!! Inesquecíveis!!

Bom dia...

20 de janeiro de 2011

Vai saber bem...

Estar com pessoas de quem gosto a comemorar o fim de um projecto. Que venham muitos mais com tanto sucesso e alegria como este.


Apetecia-me

Ir até à beira-mar e sentir o sol na cara. Apetecia-me descalçar as botas e sentir a areia molhada nos pés. Apetecia-me sentir a brisa do mar na cara. Apetecia-me sentar numa esplanada e ficar ali enquanto o A. brincava na areia e nós bebíamos sangria branca e comíamos um peixe fresco acabadinho de pescar. Apetecia-me...

A organizar o dia

Tenho tanta coisa para fazer. Há que recorrer a lista de tarefas para ver se nada fica esquecido. Era bom que o dia esticasse para fazer tudo o que preciso e ainda conseguir dormir um bocadinho.

19 de janeiro de 2011

Estou cansada...

... E o que me apetecia mesmo era agarrar no meu marido e fugir...

SEMPRE. MUITO. PARA SEMPRE

Hoje é o nosso dia! Fazemos 3 anos e 8 meses de casados. O meu coração já é teu há mais tempo, mas foi naquele belo dia de Maio, que no meio da família e amigos, dissemos que sim. AMO-TE cada dia mais. SEMPRE. MUITO. PARA SEMPRE. Como te escrevi no outro dia...

A MINHA VIDA SEM TI NÃO FAZ SENTIDO. ÉS O MEU AMOR. O MEU PORTO DE ABRIGO. O QUE EU SEMPRE QUIS. MESMO QUE NÃO TE DIGA AS VEZES QUE O SINTO, AMO-TE PARA LÁ DE TUDO… AMO-TE SEMPRE, POR SERES QUEM ÉS E POR ME AMARES E ME TORNARES COMPLETA. AMO O TEU CORPO, O TEU CORAÇÃO, O TEU SORRISO, O TEU CHEIRO, O TEU OLHAR, AS TUAS PALAVRAS, O TEU ACONCHEGO. AMO O QUE TEMOS CONSTRUÍDO E O FILHO QUE FIZEMOS… AMO O QUE JÁ VIVEMOS E O QUE AINDA TEMOS PARA VIVER.

Hoje consigo ir buscar o meu filho à creche!!!

E vou enche-lo de beijos! Muitos beijos. Principalmente porque ele hoje não queria ficar na creche. Chorou e olhou para mim, tentou vir para os meus braços, mas eu dei-lhe um beijo, disse que o amava e vim-me embora. A educadora disse que já lhe passava, que ele ficava bem, mas a mim, partiu-me o coração... A mamã já vai, filho.

Hoje estou assim... A começar....

"Não há famílias perfeitas"

O livro da psicóloga clínica Marta Gautier não é nenhuma obra prima, mas lê-se bem. É uma boa leitura para antes de dormir. Tem histórias interessantes outras que nem por isso, mas gostei de ler os testemunhos que ela narra no livro. Todos sabemos que não é fácil conciliar o trabalho fora e dentro de casa com a função de mãe, mulher e esposa, mas acredito que todas nós tentamos, todos os dias, dar o nosso melhor e isso é o mais importante.

O acordar do meu filho...

... É a coisa mais maravilhosa do mundo. Meio trôpego, ainda ensonado, põe-se de gatas e depois de pé a sorrir para nós e com os bracinhos no ar, a pedir colo. Depois, como-o com muitos beijos, mesmo muitos, naquela cara fofinha que eu amo! É tão bom poder começar o dia assim.

18 de janeiro de 2011

Massagens nos pés!

Trabalho numa equipa só de gajas! É verdade! Somos 5 mulheres na casa dos trinta numa sala a escrever e a dar à língua. Escrevemos ficção, mas falamos de tudo um pouco e há bocado a conversa era sobre sexo. É sempre um bom tema, ao qual recorremos amiúde, mas o melhor foi quando se falou de massagens e eu acrescentei logo que não havia nada melhor que massagens aos pés. A L. concordou logo e chegou a dizer que era melhor que sexo. Não vou tão longe, mas é tão bom.... Fiquei aqui a imaginar que me estavam a massajar os pés enquanto faço o meu trabalho ou escrevo neste blogue... Posso recomendar o Medithai, no Parque das Nações, em Lisboa, e também abriu no Porto, mas não sei onde. Estou à vontade para os elogiar porque eles nem sabem que eu existo e que ando a falar deles. Não vão vocês pensar que à pala deste post recebia uma massagem grátis. Não sou a floribela que dá uma entrevista depois de ter a sua cria escarrapachada em frente a um letreiro do Hospital dos Lusíadas.

A importância do pediatra

QUEM MUITO ESCOLHE, POUCO ACERTA. Quando estava a meio da gravidez comecei a pesquisar o futuro pediatra do nosso bebé. Queria escolher com calma e ter um médico que alguém nos aconselhasse. Mandei mails, falei com amigas e familiares e lá optámos por uma médica que apesar de não ter acordo com o seguro de saúde, era perto do trabalho do meu marido, o que facilitaria a presença dele nas consultas. Além de exercer no privado, esta médica pertencia à MAC e parecia-nos a escolha certa. Na recta final da gravidez marcámos uma consulta pré-natal para a conhecermos e para ela nos conhecer. Eu andava a ler o livro do Brazelton e estava encantada com o mundo maravilhoso da pediatria. A consulta pré-natal até correu bem, mas o pior foi a seguir. A cada consulta que íamos, vínhamos de lá mais desanimados. O A., desde que deixou de mamar em exclusivo, perdia peso e bolsava sem parar. Nós perguntávamos se estava tudo bem e ela ia dizendo que sim, que estava tudo muito bem. Até que o A. deixou de ter percentil de peso e já tinha a alcunha de "gormiti" porque andava sempre, como dizia o meu sobrinho, a "gormitar". O A. tinha nascido no percentil 50 com 50cm e 3,050Kg e aos 6 meses vestia roupa de 3. Lá fizemos umas análises, com ele a ser um corajoso e a não chorar na hora de tirar sangue, e a médica disse que estava tudo bem. Lá fomos de férias, tentando não pensar muito no assunto porque o A, tirando o baixo peso, era um miúdo super vivo, desenvolvido e risonho. Regressados de férias ligámos para marcar a consulta dos 9 meses. Era uma consulta importante, pois era preciso estudar as análises e ver porque é que o A. continuava a não ganhar peso. Liguei para o consultório e disseram-me que a doutora andava muito ocupada e que me ligariam depois. Era tudo o que eu precisava de ouvir para tomar uma decisão. Uma prima já me tinha falado de um pediatra fantástico e depois de uma nova conversa com ela decidi ligar e marcar consulta. Que maravilha! A maneira como falou e interagiu com o miúdo, a forma como nos explicou tudo! Quando saímos de lá eu e o meu marido olhámos um para outro e perguntámos o que é que tínhamos andado a fazer aquele tempo todo. Desde então, o A. está a ganhar peso e a desenvolver-se ainda melhor. Nunca será um bebé gordo, é assim miudinho, mas já tem percentil e veste roupa para a idade dele. O nosso filho que é um pirata muito mexido andava a comer pouco para as energias que despendia. Além disso, precisava de um leite Anti-regurgitante que se aguentasse melhor no estômago. É bom ter um médico que está lá para nós, que sabe avaliar os miúdos e em quem podemos confiar. Se preciso de alguma coisa, sei que tenho alguém que me pode ajudar e não uma médica que mais parece uma mensagem de um gravador de chamadas.

A era dos bebés blogados...

Antigamente, existiam os álbuns e os livros do bebé onde os pais tomavam notas das primeiras características, graças, fotos e outros momentos importantes da vida dos seus filhos. Geralmente, os primeiros filhos tinham álbuns mais completos que os restantes, mas isso fazia parte da vida e acho que nenhuma criança ficou traumatizada por causa disso. Hoje em dia, muitos bebés do século XXI além dos tradicionais álbuns do bebé, que podem ter ou não, têm também um blogue onde são retratados. Desde os dois tracinhos do teste positivo à emoção da chegada à casa, à frequência dos arrotos e dos bolsados, às primeiras palavras e passinhos tudo está escrito e partilhado na blogosfera. O que será que os nossos filhos vão pensar destes blogues? Que somos malucas? Que lhes invadimos a intimidade? Que não tínhamos mais nada de interessante para fazer? Não sei… Logo se verá. O que eu sei é que estes blogue são muito interessantes. Por um lado, servem para limpar a alma e partilhar emoções e receios e por outro ajudam-nos a conhecer outras histórias, outras realidades e outras famílias que, em alguns casos, podem ser inspiradoras.

Uma vergonha!!!! Que raio de país é este???

Que raio de país é este em que há cidadãos de primeira e de segunda? Que raio de transportes públicos são estes que obrigam pessoas com mobilidade reduzida, idosos e pessoas que trasnportam carrinhos de bebé a descer centenas de degraus a pé?! Como é que estações de metro recentes não têm elevador de superfície? Estou-me a referir concretamente à estação de METRO DA BAIXA CHIADO. Quem conhece a estação sabe bem as escadas que são precisas descer até chegar ao cais e é inadmissível que as escadas rolantes estejam sempre avariadas. Desde Junho, aproximadamente, que as escadas estão avariadas. Ora um lado, ora outro, ora os dois! Não pode ser. Ainda há bocado a subir o último lanço a pé cruzei-me com um senhor que ia descer aquilo tudo a pé e de MOLETAS. Senti vergonha por isto acontecer! Já preenchi reclamações na net, mas não dá em nada. Cai tudo em saco roto! É uma VERGONHA e revolta-me.

17 de janeiro de 2011

E o fim de tarde...

Correu muito bem com pouco trânsito e muita animação e música à mistura! Espero que o resto da semana nos continue a correr bem e que o sol, esse grande aliado da boa vida, continue a espreitar para nos alegrar e secar a roupa!

SOL

Já tinha saudades do Sol! Este inverno tem sido um inferno com dias de chuva e céu cinzento! Felizmente, hoje fomos abençoados com sol! Não há nada como o calor do sol para me aquecer por dentro e por fora.

Ano Europeu do Voluntariado

2011 é o Ano Europeu do Voluntariado. Esteja atento e dê um pouquinho de si a quem mais precisa. Se não sabe como ajudar vá à Bolsa do Voluntariado e descubra como pode ser útil.

Outra vez os signos

Parece que não há razões para alarme, os signos não mudaram, e todos vamos continuar a ser o que éramos! Não é que ligue muito aos signos, mas gostei da notícia!

A nossa manhã...

... Não foi tão difícil como parecia e o meu maridão deu uma grande ajuda a preparar o A. Conseguimos sair de casa mais ou menos a horas e fiz todas as "entregas" a tempo. Espero que o fim da tarde seja igualmente pacífico.

16 de janeiro de 2011

A semana que aí vem...

... Não vai ser fácil, mas havemos de conseguir. Ou melhor, hei-de conseguir saltar da cama a tempo de descer as escadas para vir fazer o biberão, voltar para cima e dar o leite ao A., vesti-lo para a creche e deixá-lo com o pai enquanto eu tomo um duche supersónico e me visto. Depois, aos saltinhos, é a vez do pai se arranjar, enquanto eu vou tratar do pequeno-almoço. Depois, tenho de ir buscar o carro para a porta de casa, subir 3 andares a pé e vir buscar o A., enquanto, lentamente o maridão desce as escadas. Enfiar os dois no carro e rumar até à creche. Como não faço batota ali na cril em Pina Manique vamos demorar um pouquinho mais do que é habitual. Saltar do carro e ir a correr deixar o A. na creche. Beijos e mais beijos e volto a correr para o carro. Nova viagem desta feita até ao centro de Lisboa. Deixar o maridão no trabalho e apanhar o metro para ir trabalhar. Assim, nem parece complicado, mas prevejo que vai ser uma manhã muito atribulada... Desejem-me sorte para esta semana!

Não quero dormir!

Ontem o dia cá em casa foi de rebuliço. O pai de perna estendida e a companhia de quase todos os cunhados e sobrinhos. Foi uma festa e o A. esteve delirante. Jogou à bola, empilhou peças, gatinhou pela casa toda, atormentou as gatas, apanhou comida do chão, viu jogar playstation e ping-pong. O pai esqueceu-se de o pôr a dormir a sesta da tarde e ele não se queixou. O pior foi na hora de ir para cama. Não queria largar as raquetes de ping-pong nem dormir. Várias tentativas falhadas, porque o miúdo estava com mais energia que nós todos juntos e já passava da meia noite quando o meti na cama com duas raquetes de ping-pong! Esta é que eu nunca tinha visto. E vocês??

15 de janeiro de 2011

Querida avó!

Eu sou uma daquelas pessoas que tem a sorte de ter uma avó maravilhosa. A melhor que poderia ter. Tem 88 anos e uma vida, uma energia e uma lucidez invejável. É optimista, sempre deu a volta por cima e sempre esteve muito presente na nossa vida. Quem a conhece, diz que é uma força da natureza que há poucas pessoas como ela. E é mesmo verdade. Durante este verão a minha avó ficou com um grande inchaço na cara. Depois de muitos médicos, lá detectaram um dente do ciso incluso! Aos 88 anos! O inchaço começou a aumentar com uma infecção e o que parecia simples tornou-se mais complicado. Era preciso retirar o dentro incluso, que já tinha um abcesso, mas os dentistas recusavam-se, pois era uma operação delicada devido à idade e à debilidade óssea do maxilar. Felizmente, foi a uma das mais conceituadas clínicas de Lisboa, a Malo, e hoje realizou uma pequena cirurgia que correu muito bem! O médico conseguiu retirar o dente, o abcesso e tudo o que queria. Esperemos que a recuperação seja também um sucesso. Agora, só me resta ir visita-la e dar-lhe um grande beijinho. E ao meu querido avô também.

Mudança do Zodíaco

Ontem não se falava de outra coisa. Parece que os astrónomos do Minnesota chegaram à conclusão que o calendário do Zodíaco que conhecíamos está desfasado da realidade cerca de um mês. Chegou um novo signo, o Serprentário, e quase todos deixamos de pertencer ao signo que julgávamos.

Eu não gosto disto! Sou gémeos e gosto! Não quero ser touro!! E o meu querido marido sagitário, considerado um dos grandes signos, passa a ser um temível escorpião!! Que horror! Nem pensar. Cá em casa, vamos deixar tudo na mesma! Não é que sejamos seguidores do zodíaco, mas também não nos podem trocar as voltas sem mais nem menos.

Fica o calendário segundo a nova teoria:

Capricórnio: De 20 Janeiro a 16 Fevereiro
Aquário: De 16 Fevereiro a 11 Março
Peixes: De 11 Março a 18 Abril
Carneiro: De 18 Abril a 13 Maio
Touro: De 13 Maio a 21 Junho
Gémeos: De 21 Junho a 20 Julho
Caranguejo: De 20 Julho a 10 Agosto
Leão: De 10 Agosto a 16 Setembro
Virgem: De 16 Setembro a 30 Outubro
Balança: De 30 de Outubro a 23 Novembro
Escorpião: De 23 a 29 Novembro
Serpentário (Ophiuchus): De 29 Novembro a 17 Dezembro
Sagitário: De 17 Dezembro a 20 Janeiro


14 de janeiro de 2011

Maldita entorse!

Um entorse no pé é sempre chato, mas pode ser ainda pior se vivermos num duplex num 3º andar sem elevador e se ainda tivermos um filho que só gatinha. O meu marido, grande amante do futebol, lesionou-se ontem e agora está de canadianas e de pé estendido. Eu ainda me estava a recuperar das gripes, broquiolites, ventilans e atrovents da época natalícia e agora tenho outra vez um doentinho em casa. Ontem quando o vi a gantinhar pelas escadas acima para ir para o quarto nem queria acreditar e só consegui rir. Esperemos que ele cure rapidamente o entorse para poder voltar a andar, conduzir, dar banho e pegar ao colo ao A., é que eu sou só uma e lá vou ter de me desdobrar em várias para conseguir atender às necessidades dos meus homens. As melhoras, meu AMOR!

Parabéns Pai, que estás no céu...

Hoje é um dia triste. Hoje era o dia de aniversário do meu pai, mas, infelizmente, ele não está connosco para festejar. É o primeiro aniversário que não está presente e isso deixa-nos tristes. Há um ano, jantámos todos juntos tinha o A. apenas 10 dias. Ele estava doido com o neto, era a sua maior alegria e razão de viver. Foi pena que o tenha gozado pouco, uma vez que morreu poucos dias depois do A. ter feito 7 meses. Espero que onde está agora tenha encontrado a paz que nem sempre conseguiu em vida e que olhe por nós e que veja como nos faz falta. Um grande beijo, pai.

13 de janeiro de 2011

"O Concerto"

"O Concerto" é dos filmes mais maravilhosos que tenho visto. Não sei se ainda está nas salas de cinema, não teve grande destaque, mas foi dos filmes mais fantásticos que já vi. Uma pessoa ri, chora, diverte-se, emociona-se. É uma história muito bem conseguida que tem tudo o que um grande filme precisa de ter. Se ainda estiver em alguma sala, não percam!

Os sobrinhos!

Ao entrar para a família do meu marido ganhei 3 sobrinhos. Neste momento já são 5, esperemos que venham mais, e é sempre muito bom poder estar com eles, vê-los crescer e sentir que fazemos parte da vida deles. É bom não ser apenas mais uns tios que se dão presentes no natal e no dia de anos, mas que somos pessoas que os acompanham, que sabem do que eles gostam, que os levamos a passear, ao Mc'Donalds e de férias. Eles sabem que são sempre bem vindos em nossa casa e que os adoramos. Somos os tios mais novos e, também por isso, uns tios com quem eles se sentem à vontade e com quem gostam de estar. Depois do A. nascer ainda houve em quem falasse em ciúmes por parte dos miúdos, especialmente de um deles que tem uma adoração pelo meu marido, mas as coisas não se passaram assim e ele adora o nosso filho que, por sinal, é louco por ele! Mal entra em nossa salta para o colo do primo a rir à gargalhada e é vê-los a brincar apesar dos 10 anos que os separam. É bom ter uma família grande e uma casa cheia de risos de crianças.

Coisas de gatas!

Cá em casa vivo eu, o meu marido, o nosso filho e as nossas 2 gatinhas. Quando o A. chegou tínhamos algum receio de como é que elas o iriam receber, mas tudo foi mais do que pacífico e, neste momento, o A. adora as gatas. Desde que começou a gatinhar anda sempre atrás delas e as desgraçadas só têm sossego quando ele está na creche ou a dormir. Fogem dele como o diabo da cruz porque ele é um bruto e sempre que lhes quer dar uma festinha, agarra-as, puxa-as e acaba sempre por lhe tirar uma mão cheia de pêlos. Além de as adorar, o A. adora enfiar-se na cabaninha que elas têm, e onde por sinal nunca se deitam. O mais engraçado é que uma das nossas gatas, a Pulga, sempre que pode instala-se confortavelmente na cadeira da papa do A. e ali fica a dormir uma sesta ou a apanhar banhos de sol.

Dicas e mais dicas!!!

Estava a ler um blog que costumo acompanhar e lembrei-me de que há um ano a esta parte, tinha o A. 9 dias de vida, e toda a gente que vinha cá a casa ajudar tinha uma ideia, uma opinião, uma dica, uma sugestão. Se é bem verdade que algumas foram fundamentais, houve outras que só serviram para nos deixar ainda mais confusos, assustados e sem sabermos o que fazer. Se ele chora é porque tem fome; o teu leite pode ser fraco; achas que ele está a mamar o suficiente? A vossa casa é fria; olha que ele tem muita roupa; acorda-o para mamar; deixa-o dormir porque está a crescer; usa uma cinta para a barriga; as cintas já não se usam; não ponhas gel de banho porque passa para o leite; não te esqueças do creme para as estrias e um sem fim de opiniões, muitas delas contraditórias que nos deixam de cabeça à roda sem saber o que fazer. Felizmente, o tempo vai passando, as pessoas deixam de ter tanta necessidade em opinar e nós lá vamos fazendo o que achamos que é o mais certo. Nunca me vou esquecer da enfermeira C. do maravilhoso curso pré-parto que eu e o meu marido fizemos, em que ela nos disse: "Ninguém conhece melhor o vosso bebé do que vocês, que são os pais". E acho que é verdade. Com o tempo vamos acabando por nos conhecer e amar cada vez mais.

12 de janeiro de 2011

biberão da noite

O meu piolho já tem um ano, feitos há uma semana, mas continua a não dispensar o biberão da meia-noite. Parece que tem um relógio e às 12 badaladas lá dá sinal que quer leitinho, mimo e alguma conversa. É assim que dou os meus dias por terminados e é isso que vou agora fazer.

É triste

Trabalho no Chiado e adoro! É uma das zonas mais bonitas da Cidade de Lisboa, mas, infelizmente, também é um dos locais onde se vê mais pessoas a pedir. Já os conheço, pois são quase sempre os mesmos, e faz-me impressão a forma distante com que eu e as outras pessoas que ali circulamos diariamente conseguimos passar por eles. Não é que não me custe, não me impressione, não me entristeça e não me faça pensar na sorte que tenho, mas não posso estar sempre a dar esmolas. É horrível, eu sei. Quando a minha mãe, que tem um coração de ouro, vai ter comigo para darmos uma volta já sei que vai distribuir algumas moedas, mas eu que trabalho ali e que passo por elas diariamente não posso fazer o mesmo e custa-me pensar que a miséria à nossa volta é tanta que nós, mesmo sem o querermos, acabamos por nos tornar mais indiferentes... Tento colmatar isto contribuindo frequentemente com as acções que as instituições de solidariedade social fazem, pois assim sei que a minha ajuda está a ir mesmo para os que mais precisam.

11 de janeiro de 2011

Mimo de mãe

Hoje de manhã e pela primeira vez desde que anda na creche (desde Setembro) o A. fez uma pequenina birra e queria era vir para o meu colo. A auxiliar que o recebeu disse logo que era o resultado de ter estado 15 dias inteirinhos de molho com a mãe em casa... Pois é! Mimo de mãe dá nestas coisas.

10 de janeiro de 2011

Recomendo

A série "Modern Family". Simplesmente maravilhosa. Os diálogos são fantásticos. Recomendo vivamente. Muito bem escrita e super divertida!

Regresso à normalidade

Depois das férias, das muitas festas com a casa a rebentar pelas costuras que a família é grande e das doenças (nada de grave e típicas da época) que assolaram esta família, parece que a vida regressou à normalidade. O A. voltou à creche, duas semanas depois e já com 1 ano completo, e eu regressei em força ao trabalho e ao novo projecto que tenho para este ano. Só podia era parar de chover para ver se eu dou algum descanso à maquina de secar.

Piscar os olhos!!

O meu filho está de se comer com beijinhos e mais beijinhos. Está tão engraçado que não se aguenta e ainda por cima já percebeu que tem graça e tenta dar-nos a volta com os sorrisos e o charme. Agora, o pai ensinou-o a piscar os olhos e é vê-lo a piscar os seus olhos para nos encantar. Quando quer atenção grita, nós olhamos e ele pisca aqueles olhinhos e depois sorri. Sou ou não sou um espanto? És filho!! A melhor coisa que me aconteceu na vida!

4 de janeiro de 2011

Parabéns, meu AMOR

Faz hoje um ano que a nossa vida ficou mais rica, mais completa e com mais sentido. És o AMOR dos pais, das avós - e dos avôs também, apesar de já não estarem connosco - dos bisavós, tios, primos, amigos... O teu sorriso é contagiante e só desejamos que tenhas muita saúde, e nós também para te ver crescer com amor, paz e felicidade. Que a vida te sorria, filho. Tudo de bom destes pais que te amam mais do que tudo. Ser a tua mãe é a melhor coisa do mundo!!!

3 de janeiro de 2011

O meu amor

Há um ano por esta hora estava a rever a mala que ia levar para a maternidade com as minhas coisas, as coisas do A., muita emoção, expectativas, sonhos e um sem número de sensações que são difíceis de descrever. Tinham chegado as 40 semanas e no dia seguinte o parto ia ser induzido, pois não havia necessidade de adiar mais o momento em que eu e o meu maridão íamos finalmente conhecer o nosso maior AMOR... É incrível como o tempo passa depressa. Toda a gente me dizia isso, mas eu não podia imaginar que fosse mesmo tão rápido... De um recém-nascido dorminhoco de olhos fechadinhos a um rapagão enérgico, falad0r, sorridente e muito divertido foi um ápice! É maravilhoso vê-los crescer e tornarem-se gente que já refila, já tem manhas, já sabe o que quer e o que não quer e que olha para mim, de olhos muito abertos, diz mamã e dá-me uns beijos de bocarra aberta cheia de baba... Uma bênção! A melhor coisa do mundo, apesar de às vezes me deixar sem energia, de língua de fora e a desesperar porque sinto-me a ficar sem forças. Mas no final, lá vamos arranjando maneira de nos superar e de os fazer felizes!

2 de janeiro de 2011

A lata das pessoas!!!

Sou fã de alguns blogues, leio-os regularmente e fico chocada quando vejo comentários horríveis que pessoas que os lêem fazem. Um dos meus preferidos é o Cocó Na fralda e fico irritada porque há pessoas que se dão a trabalho de irem lá para insultar. Também já apanhei alguns casos destes no blogue da Pipoca em que os leitores ficam muito ofendidos por elas serem felizes, estarem bem na vida e não andarem deprimidas com esta crise de que todos falam. As pessoas querem mesmo o discurso da desgraçadinha e ofendem-se se alguém diz que é feliz e ainda por cima usufrui do melhor que a vida tem. Claro que os tempos são difíceis, claro que há desemprego e milhares de famílias com dificuldades em pagar a renda da casa e a alimentação dos filhos, mas duvido que sejam essas que se dão ao trabalho de ir a estes e outros blogues insultar a felicidade alheia.

Espirros, constipações e tosse!

Isto aqui por casa mais tem parecido o Natal, a passagem de Ano e o que quer que seja dos Hospitais. Começou pelo pai, passou para o filho, fez uma paragem em mim, continuou no filho, regressou ao pai e não sei quando é que acaba. O que eu sei é que as minhas férias estão a acabar e estou há uma semana metida em casa ora a tratar da bronquiolite do A. (que felizmente melhorou bastante) ora a fazer chás de limão para o maridão. Não é que eu não os ame e não adore tratar deles, mas estou mais cansada do que quando acabei de trabalhar.... Mas hoje de manhã vinguei-me e fui atacar os saldos do Corte Inglês e gostei muito do que trouxe!

Odeio futebol!

Na altura do Euro cá em Portugal quase me convenci que gostava de futebol. Aquilo foi uma festa pegada, de bar em bar a ver os jogos, a sair até às tantas numa Lisboa super divertida e animada, cheia de gente bem disposta. Mas depois casei-me com um amante de futebol, que gosta tanto de ver como de jogar. Que adora o Benfica, mas também a liga Espanhola ou Inglesa e com o passar dos anos e o acumular de horas de jogo e de comentários percebi que não gosto de futebol! O pior é que o meu filho, que só faz um ano esta semana, também delira com bolas e até já dá uns chutos. O que é que uma mulher pode fazer???

Xixi por fora da fralda

Penso que muitas mães, especialmente as que têm filhos rapazes, se deparam com o problema do xixi fora da fralda a meio da noite. Cá em casa, a partir dos 10 meses do A. era um martírio, mesmo mudando a fralda à meia noite. Experimentámos números maiores, fraldas diferentes, tudo, mas o resultado era sempre o mesmo e o A. acordava sempre todo molhado. Até que o meu marido teve a ideia de colocarmos umas compressas (daquelas de tecido não tecido da farmácia) por cima da pilocas. O resultado foi fantástico. Pomos 2 ou 3 compressas em cima da pilinha e depois colocamos a fralda e de manhã a fralda está muito cheia, mas ele continua sequinho. Espero ajudar outras mãe com o mesmo problema, pois é uma situação muito desagradável e incómoda para eles.

Livros

Adoro ler! Claro que nos meses depois do A. nascer lia menos, muito menos, para não dizer que não lia mesmo nada. Mas à medida que a rotina (a boa rotina) se foi instalado consegui recuperar o meu velho hábito de ler antes de dormir. Quando descubro um escritor de que gosto devoro todos os livros por ele publicados. Neste momento, estou a ler o mais recente livro do Paul Auster que, vim a ver, não foi escrito por ele. Fiquei um pouco receosa, mas estou a gostar. É uma colecção de contos escritos por americanos comuns que, tal como todos nós, têm histórias que merecem ser contadas. Estou a gostar. Aqui fica a sugestão. E agora, vou dar o antibiótico ao meu filho, que tal como muitas outras crianças, está com uma bronquiolite tramada e depois vou para "o meu momento".

1 de janeiro de 2011

Ano novo, escrita nova!

Com a chegada do novo ano decidi criar mais um espaço de escrita, de partilha e de desabafos. Adoro a blogoesfera. Já aprendi muito, já me ri, já me surpreendi e já descobri muitas coisas giras ao ler alguns blogues que andam por aí...

Ainda bem que 2010 já acabou porque apesar de ter recebido a maior riqueza da minha vida - o nascimento do meu filho - vi partir algumas pessoas muito especiais e importantes, incluindo o meu pai. Foi um ano de muitos enterros, velórios e missas de 7º dia e só espero que este ano não tenha de ser obrigada a "despedir-me" de mais ninguém. Para este ano peço muita saúde para toda a minha família, que as feridas deixadas por 2010 sarem e que eu continue a ser muito feliz com o meu marido e o meu filho que eu amo. Espero que o trabalho continue a correr bem e que o novo desafio que me surgiu me traga uma nova aprendizagem, mas que me continue a dar o mesmo prazer que tinha até aqui. Sou guionista e adoro o meu trabalho! Adoro mesmo e acho que mesmo que me saísse o Euromilhões, não conseguia deixar de criar personagens, enredos e histórias que acabam por fazer parte da minha vida.