31 de outubro de 2011

Sempre a andar até ao trabalho

Hoje estava uma maravilha para entrar em Lisboa. Parecia Sábado. Não havia trânsito nenhum e foi sempre a andar. Junto ao metro, dezenas de lugares de estacionamento à minha espera e ainda tive direito a lugar sentada no metro. Parece que muitas pessoas fizeram ponte ou meteram um dia de férias. A trabalhar ou a descansar, tenham um bom dia!

Desorientada com as horas

Acho que estou desorientada com o novo horário. Acho que nunca me tinha acontecido, mas é a única explicação para etr acordado às 6 e meia quando devia ter acordado às 7 e meia. É que às 6 e meia de hoje correspondem as antigas 7 e meia. A valente constipação com que estou também pode ter alguma coisa a ver, pois acordei super entupida e cheia de tosse. Vou aproveitar para adiantar trabalho. É que eu trabalho hoje a amanhã (amanhã a partir de casa, mas tenho sempre trabalho para entregar) e se adiantar agora posso aproveitar mais tempo para a família e para a bimby!

Já sou uma Bimba

O meu marido adora fazer surpresas e tratou de tudo para eu receber ontem a bimby sem saber de nada. No entanto, as coincidências e as tecnologias fizeram que eu fosse a passar pelo Iphone dele quando apareceu em pop up mensagem, eu pensasse que eram os colegas dele do futebol matinal, espreitasse e lesse uma mensagam da prima R. a dizer que a bimby chegava naquela tarde. O meu marido ficou super triste por ter-se estragado a surpresa, mas eu adorei quando ao fim do dia recebo a minha bimby e como brinde uma bimby em miniatura que funciona a pilhas além da visita de cunhadas envolvidas na surpresa e sobrinhos. Foi fantástico. Depois da bela sopa que a R. fez - e que o meu filho odiou ainda mais. Parece que quanto melhor a sopa, pior para ele comer - eu aventurei-me sozinha a fazer puré, mas a coisa não correu bem pois usei batata branca e aquilo não cozeu bem nem fez um bom puré, mas depois eu e o meu marido aventurámo-nos numa trança que ficou linda, maravilhosa, grande e deliciosa... A bimby vai ser a minha perdição para os doces, os bolos para os pequenos-almoços, os pãezinhos, o arroz doce... E espero sinceramente que me facilite a vida. Eu adoro cozinhar e acho que a bimby vai ser uma aliada. Só espero que a minha balança não dê sinais.

30 de outubro de 2011

Manhã em festa

Todos ao parque para aproveitar o maravilhoso sol deste domigo. Levei o meu filho, enquanto o meu marido foi ao futebol, e recebemos a visita de duas das minhas sobrinhas mais a minha querida amiga A. com o seu filho Zé. Foi fantástico. Os miúdos adoraram e nós pusémos a converseta em dia.

Uma bela sugestão para os dias bons

E que tal um passeio de bicicleta em família junto ao Rio Tejo? Entre o Museu da Electricidade e a Piazza di Mar alugam bicicletas, algumas com cadeirinhas de bebé, ideiais para um passeio em família. O meu filho achou um máximo. Para quem não quer pedalar há a esplanada da Piazza di Mar ou o Amo-te do Museu da Electricidade. 

28 de outubro de 2011

Bom fim de semana

Que, para alguns (que não eu), será prolongado...

Cebola à cabeceira

Resolvi experimentar a teoria da Cebola que li no Quem sai aos seus. Para a tosse não funcionou - nem sei se era suposto funcionar - mas ele respirou muito bem. Quanto ao mau cheiro que ficou no quarto não me posso pronunciar, pois estou tão constipada e com o nariz entupido que logo sou eu que durmo com cebola picada à cabeceira.

Vidas de correria

Hoje de manhã quando me sentei ao computador para mais um dia de trabalho - e eu adoro o que faço - tive a sensação de que tinha acabado de sair daqui... A verdade é que até saí cedo ontem, pois tinha de ir buscar o meu filho à creche que fecha às 18h00, mas mesmo assim continuo com a sensação de que estou sempre aqui a trabalhar. Nem me tinha apercebido que hoje já era sexta feira. Um bom dia para todos e as melhoras para mim, que continuo super constipada.

27 de outubro de 2011

Vidas de Inverno

Estou com uma valente constipação. Já gastei vários pacotes de lenços e tenho o nariz a pingar. O meu filho está com uma tosse de cão. Já tentei marcar ginástica respiratória - que no ano passado foi uma benção contra as bronquiolites - mas só consegui para segunda feira. O meu marido também está um pouco apanhado da garganta. É assim, coisas do Inverno e deste tempo chovoso.

Em homenagem ao meu Pai



Que era um super, super fã do Tintin desde pequenino, quando aprendeu francês para perceber os livros, até ao último dia.

Badoca Safari Park

Ontem o dia foi de visita técnica - por causa de umas filmagens - ao Badoca Safari Park. Nunca tinha ido lá e gostei bastante, até porque tivemos a sorte de ter uma visita super guiada. O tempo estava mau, mas mesmo assim conseguimos aproveitar a manhã sem chuva para fazer um safari e ver todos os animais. Este parque, a pouco mais de hora e meia de Lisboa, é muito interessante, não só pela sua beleza natural, mas acima de tudo porque os animais andam à solta - no Safari- e há um grande cuidado com o seu bem estar e preservação das espécies. Prova disso, foram as várias crias que vimos e que já nasceram no parque. Penso que vale bem uma visita em família, pois irá agradar aos miúdos e graúdos. O parque fecha de Novembro a Janeiro, mas ainda vai estar aberto no próximo fim de semana que se prevê se de sol.







Não tenho nada a ganhar com esta publicidade,
mas de facto penso que vale bem a viagem e um dia diferente em família.

25 de outubro de 2011

Recomendo

A série Downton Abbey que está a dar na Fox Life às segundas feiras. Excelente realização e um grande história construída com diálogos muito bons.


Mãe babada logo pela manhã

Família pipoca no carro. O meu marido olha para trás para o meu filho, com aqueles olhos cheios de amor.
Pai: Quem é o melhor pai do mundo?
Filho: A mãe!!
Risos e uma mãe babada.

O meu filho, quando não tem a certeza de uma resposta ou não percebe a pergunta tem sempre a mesma resposta: a mãe! (como quem diz: a mãe sabe)

Vidas que inspiram: Steve Jobs

Olá frio!

A chegada do frio e da chuva obrigou-me a dar uma volta ao roupeiro e às gavetas. Arrumei grande parte da roupa de verão, deixando de fora um bikini e uns tops que uso todo o ano, e tirei das caixas a roupa de inverno. Ali estava ela, arrumadinha, passada a ferro e pronta a servir mais uma estação. Ao arrumar a roupa de verão pensava: como estará a minha vida no Verão? Será que estarei grávida, como tanto desejo? Nesse caso, muita da roupa não me servirá...





É o ciclo das estações, que apesar de estarem cada vez mais misturadas, continua a existir quando os vestidos de praia dão lugar aos casacões e as havaianas são trocadas pelas botas altas.

24 de outubro de 2011

Tributo às avós

Não sei como seria a minha vida e a do meu filho sem a ajuda preciosa da minha mãe. É ela que vai todas as tardes buscar o meu filho à creche, que fecha às 6 quando eu e o meu marido ainda estamos a trabalhar, é ela que lhe dá o lanche, é ela que lhe dá o banho quando nós nos atrasamos para ele já ir para casa mais despachado, é ela que brinca ao fim de tarde com ele, é ela que nos manda tantas vezes o jantar feito para eu não ter trabalho, é ela que nos leva a casa (nós só temos um carro) quando o meu marido sai mais tarde, é ela que fica com o meu filho quando ele está doente e não pode ir à creche, é ela que vai lá para casa quando nós queremos ir jantar fora, é ela que está sempre disponível e que é um braço direito no nosso dia-a-dia. Como nós, sei que outros casais jovens encontram nos pais um grande apoio que ajuda a simplificar as nossas vidas. Obrigada, mãe por estares sempre disponível com o teu tempo e com o teu amor.

Infelizmente, o meu pai só viveu o seu amor de avô durante seis meses,
mas mesmo por pouco tempo foi muito feliz na sua condição de avô
 e foi tudo o que um neto precisa.

Dicas para poupar

Como a poupança está na ordem do dia, no site da Visão têm 52 dicas que podem ser úteis. Se calhar, já fazem algumas delas, mas é sempre bom ver no que é que podemos poupar sem estar a piorar a nossa qualidade de vida.

Gostei desta frase...

... que vi ontem numa parede do IKEA. Era qualquer coisa como:


"Não precisa de desistir dos seus sonhos, basta encolhê-los"

Acho que é bem verdade. Não devemos desistir dos nossos sonhos nem do que nos faz sonhar, mas devemos fazê-lo à medida das nossas possibilidades. Isto entra na lógica de aproveitamento de espaço do IKEA, mas também pode entar na lógica da nossa vida. Adaptar os nossos sonhos à nossa realidade. Afinal, o importante é não deixar de sonhar.

Come a sopa, meu filho come a sopa

Já devem estar cansados de ler as histórias da sopa do meu filho, mas ontem experimentámos uma técnica que funcionou. Mais uma vez, sua excelência, sentou-se à mesa, olhou para a sopa e disse que não queria. Insitimos um pouco, mas ele dizia que não queria. O pai explicou que ele e eu já tínhamos comido a sopa e que ele tinha de comer. Ele pedia carne, mas o meu marido dizia que só depois da sopa. O pai, tirou-lhe o babete, tirou-o da cadeira, e disse que ele podia ir à vida dele. Se vissem a cara do meu filho. Disse que não e voltou a sentar-se (já o faz sozinho) na sua cadeira TripTrap. O meu marido disse que se ele se sentava à mesa era para comer a sopa e ele disse que não. Calmamente, o meu marido voltou a colocá-lo no chão e a dizer que se ele não queria jantar, não jantava, era opção dele. Eu estava exausta emocionalmente. Tive de me manter afastada, arrumando coisas na cozinha, para não me meter e deixá-los resolver as coisas. O meu filho tinha de perceber que estávamos a falar a sério. Mais uma vez o meu filho subiu para a sua cadeira e, finalmente, disse que comia a sopa, ou melhor, disse que eu lhe dava a sopa.  Um sofrimento: Parecia que estava a comer uma porcaria, mas eu garanto que a sopa estava deliciosa (já tive vários elogios). Ao som do Cucas come a sopa lá despachámos o prato todo. Ufa!

Bom dia!

23 de outubro de 2011

Vidas de casa cheia

Ontem tivemos a casa cheia e soube tão bem. Adoro receber a família os amigos. Adoro que os meus amigos tragam os seus filhos para brincarem com o meu, gosto de pôr a conversa em dia com as minhas amigas enquanto acabo o jantar, gosto de ver o meu filho andar de mãos em mãos a dar beijos de boa noite e abraços e senti-lo adormecer embalado pelas nossas conversas e pelos nossos risos. É uma das coisas mesmo boas do fim de semana.

Vida de mãe

Apesar do meu filho ser ainda pequenote (faz 2 anos dia 4 de Janeiro) gosto de lhe explicar as coisas todas. Já faço isso há muito tempo e acho que é fundamental para ele perceber porque é que digo que sim ou que não, para ele entender como funcionam as coisas, para ele raciocionar e perceber que há uma lógica em tudo (ou quase tudo).

Desde o Verão ele começou a lidar com moedas (ver este post). Na praia, onde estávamos, descobriu que para jogar matraquilhos tinha de introduzir uma moeda, e só depois saiam as bolas, para subir no balancé tinha de colocar uma moeda para aquilo trabalhar e que para comer bolas de berlim ou gelados tinha de dar uma moeda ao vendedor. Desde então, as moedas passaram a ser importantes para ele, pois percebeu que funcionavam como uma troca. No outro dia queria que eu ficasse com ele na creche e a educadora disse-lhe que eu tinha de ir trabalhar e eu expliquei que ia trabalhar para me darem moedas para depois eu poder comprar comidinha, roupa, brinquedos e tudo o que precisamos. Ele assentiu com a cabeça, deu-me um beijo e ficou tranquilo. No outro dia, na caixa de um supermercado estavam balões à venda e ele apontou e disse que queria e eu disse que ia usar as moedas que tinha para comprar o pão e não os balões porque não se pode comprar tudo e ele não fez birra e fez ar de ter entendido.

O que de facto ele entende destas conversa não sei, mas para mim é importante explicar-lhe as coisas todas. Desde sempre falei com ele como deve ser, nunca usámos linguagem de bebés nem pó-pós nem piu-pius e a verdade é que ele começou a falar cedo e a exprimir-se muito bem. Se calhar é dele e o meu próximo filho, com a mesma educação, é diferente e trapalhão na linguagem, mas eu estou convencida que quanto mais os estimularmos mais ferramentas lhes damos para nos entenderem e para se exprimirem.

Cinema em casa

Invictus. Um bom filme para sexta feira à noite - ou para outra hora qualquer, pois é mesmo um grande filme.


E um bom filme para um sábado à tarde. Crazy, Stupid, Love

21 de outubro de 2011

Hoje é o dia

De ir buscar o meu filho à escola. Gosto tanto e já não falta muito.

Almoço a dois

Fui almoçar com o meu marido à beira-rio. Estava delicioso, o sol estava muito bom e soube bem um tempinho a dois para namorarmos. Almoçámos sem grandes pressas, mas em menos de uma hora estavamos despachados, e prontos para regressar ao trabalho, que por acaso hoje é feito a partir de casa. Eu bem sei que esta nossa cidade, com esplanadas à beira-tejo e temperaturas destas no Outono convidam a uma vida de lazer e a ficar ali a tare toda a conversar e a ver o rio, mas não dá e é preciso trabalhar para atingir os objectivos do dia. O mais curioso é que o resto das pessoas que ali almoçava já lá estava quando nós chegámos e por lá ficaram a beber conhaques e outros digestivos, depois de um almoço bem regado com vinho. Como é que estas almas conseguem trabalhar depois? Não conseguem! É impossível!. Nós somos o único animal que não dorme depois de comer - vão ao zoo à hora de almoço e comprovem - e é impossível conseguir trabalhar quando o sangue está todo a ir para o estômago, para a digestão, e não para o cérebro. Por sorte, trabalho com o objectivos diários o que me permite gerir melhor o meu tempo, pois sei sempre o que tenho para fazer, quando tenho de entregar e, desta forma, posso organizar o meu trabalho e o da minha equipa de forma eficaz e eficiente, dando até tempo para escapadelas à beira Tejo.

20 de outubro de 2011

Vidas de filhote

Ontem, pouco tempo depois de ter deixado o meu piolho na creche toca o meu telemóvel. Vejo que é da crecehe e fico logo com o coração nas mãos. O que se passará com o meu amorzinho? Era a educadora a dizer que ele tinha a pele coberta de manchas. Corri para lá e depois consegui marcar consulta com o pediatra que nos tranquilizou, dizendo que era um vírus que dava febre muito alta (como a que ele teve no fim de semana) e que quando baixa a febre surgem as manchas. Não se faz nada e espera-se três dias que passem as manchas na pele. É inócuo e não dá dores. Hoje já foi à creche, pois o período de contágio dá-se antes de aparecer a febre.

Aproveitámos a ida ao pediatra para ver como está o desenvolvimento global do A. Continua magro, ainda só pesa 9.700 kg, mas já tem 81 cm e a nível cognitivo está super desenvolvido. Como disse o médico: "corpo franzino com uma boa cabeça". Falámos ainda da questão das birras e desta fase que ele nos disse que vai dos 18 meses aos 3 anos e meio e que se caracteriza por medir forças com os pais e questionar a autoridade. O médico aconselhou firmeza. Esta fase é decisiva para o desenvolvimento do nosso filho, é agora que se está a formar o carácter dele e é fundamental que lhe ensinemos as regras, que ele aprenda o que pode ou não pode fazer. Se, por exemplo, ele atirar com o prato de sopa para o chão vai para a cama sem jantar. É preferível que não coma uma refeição, mas que aprenda que há coisas que não pode fazer e que os pais não vão tolerar certo tipo de comportamentos. De acordo com o médico, e que vai ao encontro de outras opiniões que já tinha lido, é a fase mais difícil da educação de um filho e que é fundamental que os pais estejam de acordo nas decisões e castigos a aplicar.

18 de outubro de 2011

Devo ser masoquista!

Num dia louco de trabalho, que acaba com uma reunião fora de Lisboa, decidi convidar amigos para irem lá jantarem a casa e verem o Benfica. O mais engraçado é que eu sou do Sporting, mas antes de chegar a casa para fazer o jantar tenho de ir buscar o meu filho à minha mãe, tenho de lhe dar banho, tratar do nosso jantar a tempo do miúdo conseguir comer antes de ir para a cama. No meio disto tudo tenho um marido de baixa com o dedo médio da mão direita lesionado, mas mesmo assim já lhe pedi para temperar a perna de perú que tem de ir para o forno. Ufa! Já estou cansada.

Quino, desiludido com a educação do século...

O cartoonista argentino autor da genial Mafalda, desiludido com o rumo deste século no que diz respeito a valores e educação, deixou impresso no cartoon o seu sentimento:

Cabe-nos a nós, pais, fazer com que as coisas seja diferentes e transmitir os valores correctos aos nossos filhos.

Pesadelos

Esta noite o meu filho acordou a chorar, muito assustado, com pesadelos. O pai foi ter com ele, apesar dele chamar "minha mãe", e tranquilizou-o, adormecendo-o junto ao peito. Tenho de ir às minhas leituras pediátricas, sou fã do pediatra Brazelton, pois tenho ideia que é por volta dos 2 anos que começa a fase dos pesadelos... Resta-nos ir ter com ele e reconfortá-lo com um abraço forte, muito mimo e beijinhos.

Já cheira a castanhas

A temperatura baixou um pouco e o Chiado foi invadido por um cheiro delicioso a castanhas assadas. Bom dia!

17 de outubro de 2011

Estou muito contente!

A minha mãe decidiu ir com umas amigas para a universidade da terceira idade. No ano passado, depois do meu pai morrer, aconselhei a minha mãe a ir para esta universidade para ocupar mais o tempo, se distrair, conhecer pessoas e aprender, mas ela nunca se mostrou interessada. Pelo contrário, achava que aquilo era para velhos e que ela não precisava de ocupar o tempo. A minha mãe  tem 61 anos e está fantástica e achava que a universidade sénior era para velhinhas. Felizmente, mudar de opinião é saudável e ontem disse-me que ia hoje inscrever-se e estava toda entusiasmada. Assim, algumas manhãs vai à universidade e continua a ter as tardes livres para ir buscar o meu filho à escola e ficar com ele até nós o irmos buscar. Força, mãe!

Prime Foods

Recomendo vivamente esta empresa. Os produtos são deliciosos, nacionais e com uma excelente relação qualidade/ preço.

Midnight in Paris

Adorei o último filme do Woody Allen. Ele é maravilhoso. Adoro. Recomendo o filme.
E que vontade me deu de ir outra vez a Paris! Adoro aquela cidade.

Trazer almoço para o trabalho

Desde que a minha empresa se mudou para o Chiado que eu decidi começar a trazer almoço para o trabalho. Reservo geralmente um dia da semana para ir almoçar fora com uma amiga e ver as montras, mas nos outros dias trago almoço de casa. Poupo dinheiro, como menos - nada de entradinhas, sumos e afins - e poupo tempo, pois despacho-me mais depressa e consigo acabar o meu trabalho mais cedo. Em Portugal nunca houve hábito e era (ou é) até um bocadinho mal visto, tipo pelintra, mas a verdade é que é uma excelente opção para o dia a dia, principalmente quando se trabalha numa zona como o Chiado, onde é muito caro almoçar fora. E no dia em que vou almoçar fora posso desfrutar de um bom almoço, sem pressas, sem tanto rigor financeiro e de uma boa companhia.

Leitoras bimby's

Partilhem comigo a vossa experiência com a bimby. Parece que vou mesmo ter uma - belo presente familiar com o alto patrocínio do senhor meu marido - e queria mesmo que partilhassem comigo as vossas opiniões, dicas? É verdade que os iogurtes de lá são bons? Poupa-se mesmo dinheiro com a bimby ao fim do mês? Poupa-se tempo diariamente? A comida é mais saudável? Eu tive ontem a demonstração para comprar e gostei bastante. Até porque fiquei com massa de pizza (que eu amo) para fazer hoje para o jantar, mas queria ouvir o que têm a dizer sobre o assunto. Obrigada.

P.S: Se alguém estiver interessado numa demonstração Bimby, sem compromisso, digam que uma prima do meu marido vende Bimby's e percebe mesmo daquilo. Além de que é super simpática e muito disponível para ajudar no pós-venda.

Febrões

O meu filho teve uns febrões este fim de semana. Sábado fui buscá-lo à caminha depois da sesta e pum: 39.4º, depois pus-lhe um ben-u-ron e baixou logo a febre. Às 4 da manhã chamou por nós e fervia por todos os lados. Pus novo ben-u-ron  e foi ver a febre a baixar. Ontem, novamente depois da sesta voltámos aos 39.2º. Vamos a ver como corre o dia de hoje, de manhã não tinha febre, mas vou marcar para o pediatra. Fazemos consulta de desenvolvimento e ele vê-lhe a garganta e os ouvidos. Sempre que o meu piolho tem estes febrões é qualquer coisa dessas e é bom que seja já visto.

15 de outubro de 2011

Adorei!

Ter ido buscar o meu filho à escola. Surpreedê-lo no recreio e ver a alegria dele por ser eu a estar ali. Ainda fomos à sala dele para o meu piolho me mostrar as pinturas que tinham feito nesse dia, a propósito do tema Outuno, e fiquei a saber que tinham também estado a brincar com folhas secas. Foi delicioso puder estar mais horas com ele do que é habitual durante os dias da semana.

14 de outubro de 2011

Hoje é o dia!

De ir buscar o meu filho mais cedo, beijocá-lo todo, e depois agarrar nele e ir fazer uma surpresa ao meu maridão!

Parece impossível, mas é verdade

No centro de Lisboa, num prédio de habitação, existe um lar privado de idosos a funcionar e, há vários anos, que os idosos que lá estão sofrem de maus tratos. Já foram feitas diversas queixas à Segurança Social, mas como eles funcionam legalmente, como os idosos não se queixam com medo das represálias e como o estado não tem capacidade para acolher estes idosos, caso fechasse o lar, este continua em pleno funcionamento. O lar continua aberto, os donos do lar continuam a enriquecer, os idosos continuam a acabar os seus dias sem dignidade nenhuma e os demais habitantes do prédio continuam a viver ali ouvindo os gritos dos idosos que, diariamente, são maltratados. É triste, não é?

Novas medidas drásticas

Acredito que se não fosse mesmo necessário, ninguém se atrevia a tomar medidas destas, que são o mais anti popular que existe. São tempos mais difíceis que se aproximam em que temos de pensar bem no futuro, fazer poupança, ensinar aos nossos filhos o que é um mealheiro, que não se pode nem deve ter tudo e pensar que há pessoas que estão em situações bem complicadas e darmos graça por tudo de bom que temos. É preciso repensar a loucura de consumismo em que temos vivido e reaprender com pequenos gestos: fechar as luzes que não usamos, poupar água, fazer ementas semanais e evitar idas diárias ao supermercado, levar almoço para o trabalho, andar a pé e de transportes públicos, cozinhar em casa, herdar brinquedos e roupa e emprestar o que não usamos. No natal, fazer um sorteio entre a família (crianças à parte) e só dar uma prenda. É preciso olharmos para os exemplos de pessoas mais antigas. Eu vejo a minha avó de 89 anos que não sabe o que é a palavra desperdício, e não é por necessidade, mas porque foi educada a não esbanjar, a aproveitar tudo e a transformar. É preciso repensar o nosso estilo de vida. 

13 de outubro de 2011

O drama da sopa

Depois de várias semanas a recusar a sopa ao jantar, depois o termos sobornado com gelados caseiros para a sobremesa a paciência atingiu o limite. O meu filho, que faz 2 anos em Janeiro, está na fase de medir forças e testar os nossos limites e é agora que temos que o fazer ver que quem manda é o pai e a mãe. Ele tem de perceber que a sopa é para comer, toda, todos os dias, e a situação chegou a um ponto em que de forma bastante medieval lhe enfiamos a sopa pela boca abaixo. Aconteceu ontem e antes de ontem e vai continuar até o meu pequenino se decidir a voltar a comer a sopa sozinha. É uma tortura, principalmente para nós, fazer aquela cena, mas a única coisa que queremos é que ele perceba que tem de comer a sopa, quer seja a bem ou a mal. Alguma de vocês passou por isto?

GUARDIÃO DOS SONHOS

Levem a criançada a ver esta peça de teatro escrita pelo meu amigo Pedro Cavaleiro e encenada pela actriz Isabel Medina. Em cena no Clube Estefânia em Lisboa. Um espetáculo musical, alegre e divertido, em que todos vivem as aventuras do Guardião! Vale sempre a pena sonhar.

Royal Café

Um almoço delicioso no Royal café com a minha querida mãe. O único problema foi o calor. Estava uma brasa naquele fantástico terraço... Nem a groselha, bem fresquinha, me arrefeceu. Serei a única que já está um bocadinho farta deste calor de verão? Eu adoro bom tempo e calor, mas 33º em meados de Outubro parece-me um pouco excessivo.

O dia começou bem...

Com panquecas de maçã. A receita, daqui, é muito boa, mas sugiro que para poucas pessoas se faça apenas meia dose de todos os ingredientes, à excepção das maçãs.



11 de outubro de 2011

Mildred Pierce

Esta é a nova série do Fox Life que estreou ontem e que nos agradou muito.  Vencedora de 2 Emmys, "Mildred Pierce é mais uma série que mostra o poder feminino ao contar a história de uma mulher independente que luta para ser algo na vida. Dona de casa na época da depressão americana, Mildred Pierce é uma mulher determinada e cheia de ambição que não vai descansar até encontrar um trabalho que faça jus à sua condição. Esta série é uma adaptação do romance de James M. Cain de 1941 que, resumindo, conta a história de uma dona de casa Mildred Pierce (Kate Winslet) que procura trabalho, durante os anos da Grande Depressão, para tentar manter o seu estilo de vida da classe média depois de o seu marido a deixar com duas filhas".

A vida Louca dos reis e raínhas de Portugal

Foi um presente do maridão que sabe que eu adoro ler, diariamente. "A vida Louca dos reis e raínhas de Portugal" é a minha nova leitura de mesa de cabeceira. Ainda só li os primeiros reis da Primeira Dinastia, mas estou a gostar. Lê-se bem, tem episódios curiosos e é uma boa leitura para depois dormir tranquilamente, sonhando com reis, raínhas, príncipes e outros tempos. É engraçado que apesar do meu marido não ser um grande leitor de livros, oferece-mos constantemente, compra-me livros que eu não compraria e que acabam por se revelar boas experiências. Conheci novos autores graças ao meu maridão. Obrigada, AMOR.

A importância da Educadora

Estou rendida à educadora do meu filho que o vai acompanhar desde este ano até aos 5 anos. Já me tinham falado muito bem dela e no outro dia até aconteceu uma coisa curiosa: Cruzei-me com uma mãe no recreio da creche onde deixo o piolho, cumprimentámo-nos e minutos depois encontrei-a quando estava a apanhar o metro. Ela veio ter comigo e disse que tínhamos muita sorte, pois aquela era a melhor educadora do mundo. Foi educadora de um dos filhos dela, que saiu este ano ao completar 5 anos, e ela disse que ela era fantástica com os miúdos. De facto, gostei dela logo pelo e-mail de apresentação que mandou em finais de Agosto, depois gostei muito quando me mandou um e-mail a saber notícias do A. quando ele esteve doente poucos dias depois de ter começado a escola. Depois, sabendo que eu andava preocupada com a falta de apetite dele mandou-me umas fotos dele a comer muito sentadinho e dele a dormir, tranquilamente, na sua nova caminha... Gosto da serenidade dela, da maneira como pede beijos ao meu filho de manhã e gosto muito de ver que o meu filho sabe coisas novas. Antes de ontem, estava eu com uma peça na mão e perguntei qual era a cor e ele disse amarela e hoje pegou numa mola da roupa e disse vermelha... Ela está a ensinar-lhes as cores. Além disso, o meu filho está com mais vocabulário, já sabe uns números e está cada vez mais explicado. É bom saber que os deixamos em boas mãos, que ficam com pessoas competentes e que fazem o seu trabalho - Tão importante - com sabedoria e amor. É uma fase tão rica e tão importante no desenvolvimento dos nossos filhos, são umas esponjas a absorver o mundo que os rodeia e a querer aprender e imitar tudo. É fundamental que esse espírito curioso seja alimentado e bem orientado por todos os que com eles convivem.

Para começar bem o dia



Não conheço a Cidade Maravilhosa, mas tenho a certeza que ia ser muito feliz por lá.

10 de outubro de 2011

Congelar alho

Da quinta vieram várias cabeças de alho, grandes, carnudas e cheirosas. Como a quantidade era muito e para evitar que se estragassem - se bem que os produtos rurais duram muito mais tempo que os que compramos no supermercado - descasquei todos os dentes de alho, coloquei-os num saco próprio para congelação e congelei-os. Nos próximos tempos é só ir ao congelador e ali está o alho, pronto a dar sabor e cheiro aos meus cozinhados. O único senão desta operação é que tresando a alho, já lavei as mãos mil vezes, incluindo na faca onde os cortei, mas o cheiro está entranhado...


Gelinho III

Mais um relato da minha experiência com o gelinho. Durou 2 semanas até as unhas começarem a crescer e ficar feio e o pior é que começaram a lascar e não posso ser eu a remover o verniz. Conclusão: Estou desde ontem, depois de ter estado a descascar quilos de amêndoas com as mãos num estado miserável e tenho de marcar na manicura para retirar o gelinho, pois não o posso fazer em casa. Resumindo: é bom sair do cabeleireiro com as unhas impecáveis e poder mexer em tudo sem ter medo de estragar o verniz, mas não compensa os 15 euros que paguei porque arranjar as unhas no meu cabeleireiro custa 6 euros. Logo, em 2 semanas gastaria 12 e não 15 euros, mas valeu pela experiência.

Que bem que se esteve no campo...

Foram dois dias de ar livre, ar puro e de contacto com a natureza. Foi um fim de semana muito bem passado com o meu filho a correr em liberdade, a fazer as refeições debaixo do alpendre ao ar livre, a apanhar fruta da árvore, a ajudar a apanhar amêndoas e avelãs, a ver o céu mais estrelado que conheço, a ouvir os pássaros e os galos. Só foi pena saber a pouco, pois a viagem são mais de três horas, mas valeu a pena... E agora é saborear tudo o que trouxemos de lá, desde frutos secos, a maçãs, marmelos, diópiros, cebolas, alhos, couve, azeite e só não veio mais nada porque a nossa carrinha já transbordava. Ainda pensámos trazer as abóboras no tejadilho, mas tivemos medo que uma operação stop nos confudisse com a charrete da Cinderela...













7 de outubro de 2011

Descobri mais ovelhas!

O meu filho continua doido por tudo o que é ovelhas e eu descobri mais uns desenhos animados com este querido animal.  Esta série que é “filha“ da ovelha Choné e parece-me muito boa, divertida e escrita com bastante humor e qualidade. Além disso, rendo-me por completo a uma ovelha de chucha!
E parece que há o peluche... Parece que vou ter de o comprar!

As minhas leituras

 Depois de "Os olhos amarelos dos crocordilos" de Katherine Pancol estou a ler "A Valsa lenta das tartarugas". 
 Confesso que o início do primeiro livro foi um pouco lento, mas depois ganhei simpatia pela protagonista e pela sua história e gostei de poder ler o segundo livro. É uma escrita simples, mas cativante e que prende. Não é nenhuma obra prima da literatura, mas a história está muito bem contada e aborda temas como a amizade, a família, o amor, a maternidade... Uma boa leitira.

Bimby ou não bimby, eis a questão?

Parece que estou quase a render-me à famosa Bimby. Tenho cada vez menos tempo para cozinhar, apesar da ajuda que é ter as ementas semanais pré-difinidas, e acho que está na altura de entrar cá em casa uma bimby para poder pôr o jantar a fazer enquanto brinco com o meu filho. Temos estado hesitantes devido ao preço elevado, mas acho que descobri uma maneira do preço da dita custar menos... A minha família com o alto patrocínio do meu marido vão-se juntar no Natal para me comprarem a máquina. Só espero que o investimento valha cada cêntimo e que eu consiga rentabilizar ao máximo o meu tempo. Partilhem a vossa experiência, pois já percebi que muitas das minhas queridas leitoras são utilizadoras da bimby.

O fim de semana está a chegar...

E vamos para o campo! 

Apreoveitar o ar da serra e este sol quente de Outubro, tentar apanhar alguns figos que tenham ficado esquecidos na árvore, trazer marmelos para fazer marmelada, ouvir o chilrear dos pássaros e os chocalhos das ovelhas (que loucura que vai ser para o meu filho) e descansar...  A parte de descansar com um piolho eléctrico como o meu filho não é fácil, mas vamos aproveitamos as horas da sesta para relaxar um pouco debaixo da tilieira.

6 de outubro de 2011

Steve Jobs

O mundo perdeu um génio, um homem brilhante, visionário e com um sentido de estética ímpar. Um homem que ultrapassou muitas barreiras, desafiou todas as tecnologias, deu ao mundo o mundo Apple mas que, infelizmente, como tantos outros grandes Homens, não conseguiu vencer a luta contra o cancro do pâncreas. É muito bonito o texto que a apple lhe dedica, neste dia em que Steve Jobs morreu.

Anatomia de Grey...

Não é para fazer inveja, mas ontem depois do jantar o meu marido disse que tinha uma surpresa para o nosso serão. Mandou-me sentar no sofá e... Os primeiros 2 episódios da série 8 da Anatomia de Grey! Yupi! Obrigada, amorzão!

5 de outubro de 2011

Yoco geladinho...

A paixão do meu filho por gelados começa a ficar conhecida. Hoje, experimentámos um novo gelado que ele adorou, que é muito simples e nutritivo... Basta um pau de gelado que espetamos num Yoco e congelador. 
 
Depois, basta tirar a tampa, colocar a embalagem debaixo de um pouco de água quente e sai um Yoco gelado que faz as delícias do meu filho. Isto tudo porque ele adora os Yoco de palhinha, mas não gosta dos yoco de colher e como eu tinha comprado 12 tive de arranjar uma maneira dele os comer antes de ir para o lixo. Um verdadeiro sucesso!


Feriado, praia e beijos salgados

Foi assim a nossa bela manhã na praia do Bicho D'água. Estava delicioso. O meu filho estava tão feliz por ir para a praia que assim que pôs os seus pezinhos na areia pousou logo o balde e as pás para começar a brincar, mas lá o conseguimos levar até à beira-mar e que alegria quando viu aquele mar azul. Soube muito bem esta pausa a meio da semana e é pena que amanhã não seja outra vez feriado para repetirmos.


Lisboa Restaurant Week III

À terceira é de vez e hoje encerrámos esta edição do Lisboa Restaurant Week no restaurante Cantina da Estrela, no Hotel da Estrela, em Lisboa.


Um espaço óptimo, um bom jantar, dois copos de vinho na melhor companhia de sempre. Tem-nos feito bem estes jantares a dois para pormos  a conversa em dia (passámos meses sem dates) e jantarmos sem estarmos sempre a dizer come a sopa, não deites comida para o chão, olha que te molhas, mais uma colher e por aí... É certo que o nosso Cucas vem sempre parar às conversas, mas também há espaços para outros temas, outros ritmos e muitos beijos. A minha mãe, mais uma vez, foi uma super querida e ficou cá em casa enquanto o piolho dormia e o bom é que ele nem se apercebeu da nossa ausência, pois fomos nós que o metemos na cama com muitos beijos, mimos e desejos de boa noite.