30 de novembro de 2011

Que correria...

Os meus dias são alucinantes. Eu sou pessoa bastante despachada e enérgica, mas só peço para ter um coração forte, pois eu ando sempre no limite das minhas forças. Não descanso enquanto não faço tudo o que tenho para fazer e sou incapaz de estar quieta. O meu trabalho está a loucura e depois de dias alucinantes de trabalho passo para o melhor turno do mundo, o de ser mãe do meu filho, tratar da casa, do marido e de tudo (como quase todas as mulheres), mas sempre a pensar no que ainda tenho que fazer antes de cair na cama. Não quero ser super mulher, mas gostava e precisava que o meu dia tivesse mais horas. Hoje, por exemplo, para poder conseguir dar uma escapadela até Madrid nos próximos dias tenho que deixar trabalho feito (trabalho para televisão e não tenho feriados) e mesmo assim tenho que trabalhar enquanto estiver por lá, preparar as malas, meter umas broas no forno, pois não quero chegar a casa dos nossos amigos de mãos a abanar, deixar recado à mulher a dias que cá vem e é nova e anda aí um bocado às aranhas e eu preciso que, pelo menos, não se esqueça de alimentar as gatas... Estou cansada e vou andando, que ainda tenho muito que fazer. Mas, se tudo correr bem, de manhã enfiamos a tralha toda na carrinha e... Olé! Madrid!

Crónica: Um segredo de um casamento feliz

Por Miguel Esteves Cardoso:
Desde que a Maria João e eu fizemos dez anos de casados que estou para escrever sobre o casamento. Depois caí na asneira de ler uns livros profissionais sobre o casamento e percebi que eu não percebo nada sobre o casamento.
Confesso que a minha ambição era a mais louca de todas: revelar os segredos de um casamento feliz. Tendo descoberto que são desaconselháveis os conselhos que ia dar, sou forçado a avisar que, quase de certeza, só funcionam no nosso casamento.
Mas vou dá-los à mesma, porque nunca se sabe e porque todos nós somos muito mais parecidos do que gostamos de pensar.
O casamento feliz não é nem um contrato nem uma relação. Relações temos nós com toda a gente. É uma criação. É criado por duas pessoas que se amam.
O nosso casamento é um filho. É um filho inteiramente dependente de nós. Se nós nos separarmos, ele morre. Mas não deixa de ser uma terceira entidade.
Quando esse filho é amado por ambos os casados - que cuidam dele como se cuida de um filho que vai crescendo -, o casamento é feliz. Não basta que os casados se amem um ao outro. Têm também de amar o casamento que criaram.
O nosso casamento é uma cultura secreta de hábitos, métodos e sistemas de comunicação. Todos foram criados do zero, a partir do material do eu e do tu originais.
Foram concordados, são desenvolvidos, são revistos, são alterados, esquecidos e discutidos. Mas um casamento feliz com dez anos, tal como um filho de dez anos, tem uma personalidade mais rica e mais bem sustentada, expressa e divertida do que um bebé com um ano de idade.
Eu só vivo desta maneira - que é o nosso casamento - vivendo com a Maria João, da maneira como estamos um com o outro, casados. Nada é exportável. Não há bocados do nosso casamento que eu possa levar comigo, caso ele acabe.
O casamento é um filho carente que dá mais prazer do que trabalho. Dá-se de comer ao bebé mas, felizmente, o organismo do bebé é que faz o trabalho dificílimo, embora automático, de converter essa comida em saúde e crescimento.
Também o casamento precisa de ser alimentado mas faz sozinho o aproveitamento do que lhe damos. Às vezes adoece e tem de ser tratado com cuidados especiais. Às vezes os casamentos têm de ir às urgências. Mas quanto mais crescem, menos emergências há e melhor sabemos lidar com elas.
Se calhar, os casais apaixonados que têm filhos também ganhariam em pensar no primeiro filho que têm como sendo o segundo. O filho mais velho é o casamento deles. É irmão mais velho do que nasce e ajuda a tratar dele. O bebé idealmente é amado e cuidado pela mãe, pelo pai e pelo casamento feliz dos pais.
Se o primeiro filho que nasce é considerado o primeiro, pode apagar o casamento ou substitui-lo. Os pais jovens - os homens e as mulheres - têm de tomar conta de ambos os filhos. Se a mãe está a tratar do filho em carne e osso, o pai, em vez de queixar-se da falta de atenção, deve tratar do mais velho: do casamento deles, mantendo-o romântico e atencioso.
Ao contrário dos outros filhos, o primeiro nunca sai de casa, está sempre lá. Vale a pena tratar dele. Em contrapartida, ao contrário dos outros filhos, desaparece para sempre com a maior das facilidades e as mais pequenas desatenções. O casamento feliz faz parte da família e faz bem a todos os que também fazem parte dela.
Os livros que li dão a ideia de que os casamentos felizes dão muito trabalho. Mas se dão muito trabalho como é que podem ser felizes? Os livros que li vêem o casamento como uma relação entre duas pessoas em que ambas transigem e transaccionam para continuarem juntas sem serem infelizes. Que grande chatice!
Quando vemos o trabalho que os filhos pequenos dão aos pais, parece-nos muito e mal pago, porque não estamos a receber nada em troca. Só vemos a despesa: o miúdo aos berros e a mãe aflita, a desfazer-se em mimos.
É a mesma coisa com os casamentos felizes. Os pais felizes reconhecem o trabalho que os filhos dão mas, regra geral, acham que vale a pena. Isto é, que ficaram a ganhar, por muito que tenham perdido. O que recebem do filho compensa o que lhe deram. E mais: também pensam que fizeram bem ao filho. Sacrificam-se mas sentem-se recompensados.Num casamento feliz, cada um pensa que tem mais a perder do que o outro, caso o casamento desapareça. Sente que, se isso acontecer, fica sem nada. É do amor. Só perdeu o casamento deles, que eles criaram, mas sente que perdeu tudo: ela, o casamento deles e ele próprio, por já não se reconhecer sozinho, por já não saber quem é - ou querer estar com essa pessoa que ele é.
Se o casamento for pensado e vivido como uma troca vantajosa - tu dás-me isto e eu dou-te aquilo e ambos ficamos melhores do que se estivéssemos sozinhos -, até pode ser feliz, mas não é um casamento de amor.
Quando se ama, não se consegue pensar assim. E agora vem a parte em que se percebe que estes conselhos de nada valem - porque quando se ama e se é amado, é fácil ser-se feliz. É uma sorte estar-se casado com a pessoa que se ama, mesmo que ela não nos ame.
Ouvir um casado feliz a falar dos segredos de um casamento feliz é como ouvir um bilionário a explicar como é que se deve tomar conta de uma frota de aviões particulares - quantos e quais se devem comprar e quais as garrafas que se deve ter no bar, para agradar aos convidados.
Dirijo-me então às únicas pessoas que poderão aproveitar os meus conselhos: homens apaixonados pelas mulheres com quem estão casados.
E às mulheres apaixonadas pelos homens com quem estão casadas? Não tenho nada a dizer. Até porque a minha mulher continua a ser um mistério para mim. É um mistério que adoro, mas constitui uma ignorância especulativa quase total.
Assim chego ao primeiro conselho: os homens são homens e as mulheres são mulheres. A mulher pode ser muito amiga, mas não é um gajo. O marido pode ser muito amigo, mas não é uma amiga.
Nos livros profissionais, dizem que a única grande diferença entre homens e mulheres é a maneira como "lidam com o conflito": os homens evitam mais do que as mulheres. Fogem. Recolhem-se, preferem ficar calados.
Por acaso é verdade. Os livros podem ser da treta mas os homens são mais fugidios.
Em vez de lutar contra isso, o marido deve ceder a essa cobardia e recolher-se sempre que a discussão der para o torto. Não pode ser é de repente. Tem de discutir (dizê-las e ouvi-las) um bocadinho antes de fugir.
Não pode é sair de casa ou ir ter com outra pessoa. Deve ficar sozinho, calado, a fumegar e a sofrer. Ele prende-se ali para não dizer coisas más.
As más coisas ditas não se podem desdizer. Ficam ditas. São inesquecíveis. Ou, pior ainda, de se repetirem tanto, banalizam-se. Perdem força e, com essa força, perde-se muito mais.
As zangas passam porque são substituídas pela saudade. No momento da zanga, a solidão protege-nos de nós mesmos e das nossas mulheres. Mas pouco - ou muito - depois, a saudade e a solidão tornam-se insuportáveis e zangamo-nos com a própria zanga. Dantes estávamos apenas magoados. Agora continuamos magoados mas também estamos um bocadinho arrependidos e esperamos que ela também esteja um bocadinho.
Nunca podemos esconder os nossos sentimentos mas podemos esconder-nos até poder mostrá-los com gentileza e mágoa que queira mimo e não proclamação.
Consiste este segredo em esperar que o nosso amor por ela nos puxe e nos conduza. A tempestade passa, fica o orgulho mas, mesmo com o orgulho, lá aparece a saudade e a vontade de estar com ela e, sobretudo, empurrador, o tamanho do amor que lhe temos comparado com as dimensões tacanhas daquela raivinha ou mágoa. Ou comparando o que ganhamos em permanecer ali sozinhos com o que perdemos por não estar com ela.
Mas não se pode condescender ou disfarçar. Para haver respeito, temos de nos fazer respeitar. Tem de ficar tudo dito, exprimido com o devido amuo de parte a parte, até se tornar na conversa abençoada acerca de quem é que gosta menos do outro.Há conflitos irresolúveis que chegam para ginasticar qualquer casal apaixonado sem ter de inventar outros. Assim como o primeiro dever do médico é não fazer mal ao doente, o primeiro cuidado de um casamento feliz é não inventar e acrescentar conflitos desnecessários.
No dia-a-dia, é preciso haver arenas designadas onde possamos marrar uns com os outros à vontade. No nosso caso, é a cozinha. Discutimos cada garfo, cada pitada de sal, cada lugar no frigorífico com desabrida selvajaria.
Carregamos a cozinha de significados substituídos - violentos mas saudáveis e, com um bocadinho de boa vontade, irreconhecíveis. Não sabemos o que representam as cores dos pratos nas discussões que desencadeiam. Alguma coisa má - competitiva, agressiva - há-de ser. Poderíamos saber, se nos déssemos ao trabalho, mas preferimos assim.
A cozinha está encarregada de representar os nossos conflitos profundos, permanentes e, se calhar, irresolúveis. Não interessa. Ela fornece-nos uma solução superficial e temporária - mas altamente satisfatória e renovável. Passando a porta da cozinha para irmos jantar, é como se o diabo tivesse ficado lá dentro.
Outro coliseu de carnificina autorizada, que mesmo os casais que não podem um com o outro têm prazer em frequentar, é o automóvel. Aí representamos, através da comodidade dos mapas e das estradas mesmo ali aos nossos pés, as nossas brigas primais acerca das nossas autonomias, direcções e autoridades para tomar decisões que nos afectam aos dois, blá blá blá.

Vendo bem, os casamentos felizes são muito mais dramáticos, violentos, divertidos e surpreendentes do que os infelizes. Nos casamentos infelizes é que pode haver, mantidas inteligentemente as distâncias, paz e sossego no lar.

A Clara precisa de amigos

Vão até aqui, onde podem saber mais sobre a mãe da Clara pede ajuda para arranjar amigos para a sua filha. Muito comovente.

E o dia começou bem...

Com o meu filho a acenar-me da porta de casa da avó e a dizer, pela primeira vez, "até logo"! Quando é que deixaste de ser bebé para te tornares um rapazinho que fala tudo, que compreende tudo, que a caminho de casa quando eu digo que vamos jantar me pedes pizza com todas as letras...

29 de novembro de 2011

Bolachas bimby

Alguém tem sugestões de bolachas para a Bimby? Queria levar a uns amigos umas bolachinhas feitas por mim e gostava de ter a vossa ajuda para não experimentar uma receita pela primeira vez. Obrigada! A noite das bolachas será amanhã.

Natal

Ando a mil à hora e sem tempo para preparar o Natal. Por esta altura, já costumo ter a árvore montada e os presentes quase todos comprados para evitar correrias de última hora, mas este ano está tudo muito atrasado por estas bandas. Devia ir trabalhar agora, para não ter tanto trabalho na 5ª e 6ª feira, mas estou é com vontade de ir enfeitar a casa e deixar o espírito de Natal invadir a minha casa.

Descubra as diferenças...

No início a Leopoldina era ingénua e cantava para as crianças...

Agora, como diria um amigo meu muito brincalhão, se lhe aparecesse uma avestruz destas à frente já podia equacionar em trocar a mulher. Devem pagar bem à leopoldina, pois ela fez plásticas, pôs maminhas... Isto é que é um antes e um depois!


Downton Abbey

Acabei de constatar que a terceira temporada da série que me está a deixar completamente apanhada, que tem dos melhores diálogos e enredos de sempre, personagens super bem construída, uma história muito diferente das séries que costumo ver, mas que é absolutamente maravilhosa, só estreia em Setembro de 2012!!! Só me falta ver o último episódio da segunda série e agora vou ter que esperar 9 meses! Nãoooooo! É muito tempo. Se tudo correr bem é o tempo que vou ter que esperar para ser mãe outra vez!

Apetecia-me...

...Ter ficado em casa com o meu filho. Mimá-lo, tratar dele, ajudá-lo a passar melhor este dia, dar-lhe os remédios e limpar-lhe os olhos. Ele também me abraçou, de manhã, quando lhe disse que ia trabalhar mas que depois ia ter com ele mais tarde. Disse que trabalho não. Claro que depois ficou bem em casa da avó, todo divertido, e bem disposto, mas sinto que era eu que devia estar com ele... Felizmente, tenho uma mãe disponível para ficar com o meu piolho, mas era eu que gostava de ficar. E hoje estava um dia mesmo bom para nos aninharmos um no outro...

28 de novembro de 2011

Até faz impressão

A carrada de medicamentos que o meu filho está a tomar. Tem uma faringe conjuntivite e é por isso que tem tantas ramelas a sair pelos olhos. Até faz impressão. Continua com uma tosse de cão e também tem pontos brancos na garganta. Desde antibiótico, gostas, pomadas, Actifed, aerosol com atrovent... Tenho uma lista no frigorífico para não me desorientar. O miúdo está  farto de tanto soro, limpeza de olhos e assoadelas. Coitado! Apanha tudo e mais alguma coisa lá na creche. O pediatra - onde ele já se sente em casa e a quem abraça - diz que ele tem que mudar de namorada, mas é preocupante a quantidade de antibióticos e cortisonas a que o meu filho tem sido sujeito. Amanhã lá vai mais uns dias para casa da avó e eu só espero que ele fique bom, pois tínhamos planos de ir até Madrid visitar uns amigos no próximo fim de semana que para o meu marido é prolongado. A ver vamos. As melhoras, filho lindo!

Vidas de filhote...

O meu filho agora imita tudo o que lhe digo. Quando se porta mal e eu digo Mau ele diz logo, espetando o dedo, mau, mau, mau, mau, mau é preciso um grande esforço para uma pessoa se controlar e não rir. Quando eu lhe digo que leva tau tau, ele dá uma palmadinha no rabo dele, ri, e diz tau tau, tau tau... Está muito cómico, o meu piolho!

Boa semana



Só espero que o meu filho melhore. Parecia conjuntivite na sexta - e assim achou uma médica amiga que o viu - mas já não me parece. Ele está super constipado, muito entupido e com muita tosse. Parece que hoje vamos visitar o pediatra. Ainda bem que o trabalho do meu marido nos dá (pelo menos, por enquanto) seguro de saúde.

Este blogue aconselha vivamente

A Herdade de cadouços. Fomos muito felizes lá neste fim de semana de festa. Depois ponhos aqui umas fotos, lindas lindas. O site não faz juz à beleza do sítio. Maravilhoso. A repetir.

26 de novembro de 2011

PARABÉNS, MEU AMOR

Parabéns, meu AMOR, homem que eu amo e que me faz feliz. A ti, tu sabes bem, desejo tudo de bom o que há no mundo. Que eu, o nosso filho (e os que hão-de vir), a tua mãe, irmãos, irmãs, sobrinhos, amigos (e todos os que gostam de ti ) possamos estar contigo, neste dia, e em todos os outros para te dar Parabéns e te encher de mimos! Que a vida te retribua tudo de bom que dás a todos os que têm a sorte de te ter na sua vida. És um Homem maravilhoso e eu sou MUITO mais feliz por fazeres parte da minha vida, por seres o meu marido, o companheiro de viagem e por seres o pai do nosso filho. Parabéns, maridão! Tenho tantas mais coisas para te dizer, mas essas serão ditas só a ti...

25 de novembro de 2011

o gato e o rato


Tenho o gato e o rato na minha equipa. Uma diz mata a outra diz esfola, uma diz que personagem X vai por um percurso a outra diz logo que não, uma diz que é melhor preto a outra diz que tem que ser branco, uma diz que a ideia é aquela a outra diz que não faz sentido! Socorro! Já não aguento mais. Isto de gerir pessoas, ainda por cima envolvidas em trabalho criativo, é de loucos! Não há o certo ou o errado, há caminhos que temos que escolher e, acima de tudo, é um trabalho de equipa pois estamos todos a escrever uma mesma história, mas como duas pessoas assim é tão mais difícil. Este nosso trabalho requer sintonia, envolve sempre grandes discussões criativas, mas é um trabalho de equipa e com dois elementos assim (gajas, claro) não está a ser fácil.

Sexta Feira!

Depois do dia louco de trabalho que tive ontem e que se prolongou até de madrugada ainda bem que hoje é Sexta Feira!

Já encomendei...

Duas lindas destas agendas. Uma para mim e outra para a minha mãe.



Adoro agendas, em papel, e esta vai fazer as minhas delícias. Foi só escolher umas fotografias lindas e esperar que fique pronta. Mais coisas giras, aqui.

24 de novembro de 2011

Loucura

Reparei agora que estava a tremer... Achei estranho, mas lembrei-me que não tinha almoçado. O dia, ao contrário da calmaria que era suposto, foi a loucura, pois a minha equipa não pode escrever o guião que era suposto, pois houve um erro na premissa do mesmo e não estava correcto para ser escrito. Foi preciso gerir tudo via email... Ai! Que loucura. Tive que parar a equipa e dar-lhes folga hoje, mas vão ter que compensar mais tarde... Os nossos prazos não nos permitem estar um dia parados. E agora vou ali comer qualquer coisinha antes que desmaie...

Por aqui, em dia de greve...

Como não tenho metro para ir trabalhar e a nossa empresa é verde, ou seja, vamos todos trabalhar utilizando transportes públicos, uma vez que estamos no coração do Chiado onde o acesso de carro é só para os mais ousados (e ricos!), quando não há transportes ficamos a trabalhar em casa. Por isso, hoje consigo gerir bem o meu dia e trabalhar, tratar da casa (estender roupa, cozinhar) e ainda consegui marcar para ir à depilação. Estou muito habituada a trabalhar em casa, por isso consigo organizar muito bem o meu dia para render mais do que parece possível.

Bom dia

23 de novembro de 2011

Dia positivo!

Um dia em cheio, cheio de coisas boas. 

Fui dar sangue para me oferecer como dadora de medula óssea, coisa que andava a adiar feita parva porque não arranjava uma hora para ir tratar disso;

Fui fazer uma ecografia e tive a confirmação que já não tenho sequelas do aborto que sofri em Agosto e que podemos voltar a engravidar... Yeeeeeeesssss!!!!

Fui buscar o meu filho à creche, fomos lanchar aos bisavós e depois invadimos o trabalho do maridão. Não sei qual dos meus homens estava mais feliz. Se o filho a dizer shiu, pois ia entrar de surpresa no gabinete do pai se o pai ao ver o filho correr para ele! 

O fim da noite foi reservado a dois, a ver mais um episódio da série que estou a adorar e que se chama Downton Abbey! Recomendo vivamente. É do melhor que tenho visto. Está a repetir a primeira série no Fox Life.

Até amanhã...

Bom dia

A manhã foi perfeita! Boa dispoisção e a família reunida à mesa a tomar o pequeno-almoço iluminada por um lindo sol de inverno.

22 de novembro de 2011

Abraços grátis...



Até me emocionei... e a música é linda!

No outro dia no metro da Baixa Chiado apanhei a mesma iniciativa porque era o dia do abraço e também tive direito a um abraço. É um gesto tão bonito. E que bom é receber um abraço. E agora vou ali abraçar o meu marido, que eu amo...

A mim não me afecta esta subida do IVA

Para Assunção Cristas: "É altura de voltar a dar fruta natural às crianças" e parece que o IVA vai aumentar na alimentação para bebés. 

Eu acho que cada um sabe de si e faz o que quer na sua casa e com os seus filhos, mas de facto, é preferível aumentar o preço deste tipo de alimentos do que outros. A minha mãe que não gosta nada dela disse logo que parece que estamos numa ditadura em que nos dizem o que comemos ou não, mas a verdade é que a ministra tem razão e é mais saudável e mais barato dar comida feita em casa aos nossos filhos. Os boiões podem ser práticos, mas não são tão saudáveis e estão cheios de conservantes e, cá para mim, devem saber todos ao mesmo. Cá em casa nunca se usou (tal como nunca compramos comida pré feita para nós). Uma vez ofereceram-me no Alegro, por esta altura, num presente do pai da Natal da Nestlé várias embalagens e experimentei dar ao meu filho que cuspiu tudo. Nada como as sopinhas verdadeiras, que em abono da verdade ele também não gosta, e a frutinha fresca ou cozida. Para simplificar a vida e fazer as papinhas dos bebés recomendo a máquina de vapor da Avent. 

 Na altura eu não tinha Bimby e esta máquina era uma maravilha tanto para as sopas como para os purés de fruta.


Amanhã é o dia!

Amanhã é o dia de fazer a diferença;


Amanhã é o dia em que vou perder um pouco do meu tempo, pois andamos sempre sem tempo para nada, mas quando depois acontece alguma coisa paramos nem que seja à força;

Amanhã vou fazer uma coisa que ando à meses para fazer, mas que nunca me dá jeito fazer porque fica fora de mão;

Amanhã é o dia...
E vou aqui:
Centro de Histocompatibilidade do Sul
Hospital Pulido Valente
Alameda das Linhas de Torres, nº 117
1769 – 001 Lisboa, Portugal
Tel: 21 750 41 00

 
Amanhã é o dia em que vou fazer algo que já devia ter feito há muito tempo. Amanhã vou-me inscrever como dadora de medula óssea. 

A minha salvação

Quando caiu uma tromba de água no Chiado o que me valeram foram as minhas galochas. Abençoadas ou tinha que ter ido para casa alagada.

21 de novembro de 2011

Sugestões " A Vida é bela"

Vou marcar uma escapadela este fim de semana para comemorarmos o aniversário do meu maridão e queria saber se alguém tem sugestões. Vou usar o pacote "A vida é bela  - refugios a dois". Gostava que fosse perto de Lisboa, pois vamos só uma noite, e que seja giro para toda a família, pois vamos os três. Deve parecer em cima da hora, mas eu já tinha uma reserva, mas agora fui ao booking e as informações sobre o Hotel Golf Mar do Vimeiro não são as melhores e estou a pensar mudar a reserva. Obrigada pela ajuda!


Quem meus filhos ama...

O meu filho regressou hoje à creche depois de ter estado uma semana de molho em casa da avó. Quando passou à porta de casa da avó apontou e disse que queria a avó, mas quando chegou à porta da salinha dele na creche, quando viu os coleguinhas todos dentro da sala, quando viu a educadora, quando viu a auxiliar a dar bolachas ficou num frenesim e a querer vestir o bibe a correr. Tinha mesmo que entrar para dentro da sala. Assim que vestiu o bibe entrou a correr, pediu bolacha, deu beijinho (não a nós) e foi a correr para o meio dos amigos. Gosto tanto da creche e da educadora dele. É tão bom senti-lo bem. Enquanto o meu filho esteve doente ela teve a delicadeza de enviar as lengalengas e as músicas que eles estavam a dar na creche para ele não ficar de fora...

O fim do dia...

Já tinho lido aqui, mas hoje voltei a ler aqui um texto em que o pediatra Mário Cordeiro fala da importância do fim do dia e é absolutamente verdade. A mim o fim de tarde angustia-me. Custa-me estar tão pouco tempo com o meu filho. Custa-me saber que grande parte desse tempo vai ser passado em frente do prato de sopa que o meu filho não gosta de comer. Custa-me saber que o tempo é curto para estar com quem mais amo. Desde que li pela primeira vez que Ao fim do dia os filhos têm tantas saudades dos pais e têm uma expectativa tão grande em relação ao momento da sua chegada a casa que bastava chegar, largar a pasta e o telemóvel e ficar exclusivamente disponível para eles, para os saciar. Passados dez minutos eles próprios deixam os pais naturalmente e voltam para as suas brincadeiras. Estes dez minutos de atenção exclusiva servem para os tranquilizar, para eles sentirem que os pais também morrem de saudades deles e que são uma prioridade absoluta na sua vida. (...) Por outras palavras, uma criança que espera pelos pais o dia inteiro e, quando os vê chegar, não os sente disponíveis para ela, acaba fatalmente por chamar a sua atenção da pior forma*. Tenho tido mais consciência do assunto e tenho tentado não correr para a cozinha assim que chegamos a casa para conseguir estar um bocadinho a brincar e a conversar com o piolho, mas nem sempre é fácil. As pessoas dizem que o que é importante é a qualidade do tempo que temos para os nossos filhos e não a quantidade, mas eu acho que nos falta tempo (em quantidade) para estar com os nossos pequeninos. Por muito boas que sejam as duas horas (nem sempre chegam a ser duas) que estamos com os nossos filhos ao fim do dia são pouco tempo para disfrutarmos da companhia uns dos outros. Gostava de  ter mais tempo para os que mais amo. Gostava mesmo muito.
*in Boletim de Julho da Acreditar

Coisas bonitas

Não sou muito habilidosa para os trabalhos manuais, mas adoro coisas bonitas e dou os parabéns a quem consegue fazer coisas lindas. À partida parecem simples, mas depois vai-se a ver e não é assim tão simples, pelo menos para quem tem pouco jeitinho. Adoro e recomendo o blogue Pais Criativos filhos felizes.

Noutro âmbito muito diferente, aqui fica um blogue também criativo e com boas ideias.

Bom dia!


Adoro começar um dia com um café com leite. Bom dia e boa semana!

20 de novembro de 2011

Fraldas Cuecas

Alguém conhece e usa as Fraldas Cuecas Pingo Doce? Comprei para experimentar e usar à noite, até porque visto o miúdo na casa de banho e colocar as outras com ele a correr (não temos nem bancada nem muda fraldas) é uma aventura, mas o resultado da primeira experiência foi desastroso com pijama, roupa interior, lençol, capa de edredão e resguardo a ir para a máquina da roupa cheios de xixi. Não sei se terá sido azar ou se não funcionam mesmo.

Boa semana!

Espero que tenham tido um bom fim de semana. O nosso foi óptimo. Esta semana como o meu marido não podia ir fui eu com o meu filho à ginástica de Sábado e foi fantástico. Adorei ver o desenvolvimento e o à vontade dele na aula. A tarde foi criativa, em casa de uma querida amiga, com o filho dela e o meu envolvidos em trabalhos manuais dos quais vão sair lembranças de Natal. Hoje fomos até à exposição dos Dinaussauros. Foi giro. Gostei, apesar de achar que as filas loucas que tinha visto nas últimas semanas à porta auspiciavam algo mais espectacular. Antes do dia acabar o meu filho ainda dançou em frente das mil televisões do Media Mark indo depois buscar os comandos para pormos o Mickey. Foi um belo fim de semana!

E agora mais uns episódios da série Downton Abbey, que estamos a adorar!

17 de novembro de 2011

Apanhei a maldita gastroentrite...

... que já tinha apanhado o meu filhote. Agora que ele começa a ficar bom fui eu apanhada. Chegou ontem ao fim do dia e arrasou comigo. Estou de rastos. Passei a noite a ir à casa de banho, não consigo comer quase nada, tenho cólicas, vomito, estou enjoada, tenho dores de cabeça de fraqueza... O meu filho portou-se como um herói porque isto é mesmo muito mau. Deita-nos completamente abaixo. Que dia miserável que eu estou a ter. Fiquei em casa a trabalhar, mas o meu filho seguiu para a minha mãe porque não estava em condições de ficar com ele e, além disso, tenho medo de lhe pegar o bicho outra vez. Para melhorar, apareceu-me o período e acreditem que é uma mistura explosiva.

16 de novembro de 2011

Hoje é o dia!

Vou sair já e vou a casa dos meus bisavós onde a minha mãe levou o meu filhote para passar a tarde. Várias gerações juntas ao final da tarde. hoje é o dia.

Fim de semana...

Não é para o próximo, mas no outro fim de semana vamos passear e comemorar o aniversário do meu marido! Vou fazer como ele costuma fazer e não vou dizer para onde vamos. Estou numa de surpresas. Amo-o tanto, é o meu maridão, companheiro, amigo, o pai do meu filho, o homem com quem eu quero ficar para sempre, com quem quero namorar, com quem gostava de voltar a casar (pela Igreja, que um contratempo com um padre não o permitiu, mas isso fica para outro post), com quem quero envelhecer, com quem gosto de ver filmes e séries aninhada no sofá, com quem quero ter mais filhos, com quem sonho com uma casa com jardim para a criançada correr à vontade, o homem que tem estado sempre para mim quando eu preciso... e é tão ingrata a vida do dia a dia, que nos dá tão pouco tempo e tantas tarefas para executar, que faz com que lhe peça para dobrar as camisolas quando devia era pedir para irmos ver a lua cheia que brilha sobre o rio... Amo-te, muito e cada dia que passa mais, apesar de nem sempre pararmos para o dizer as vezes que devíamos...








Bom dia

Adoro sair de casa de manhã e ser recebida pelo Sol! Isto, depois, de beijocar os homens da minha vida que eu amo mais que tudo. Bom dia!




15 de novembro de 2011

As Serviçais

Estou a adorar, a adorar o livro As Serviçais que deu origem ao filme traduzido para português com o mesmo nome. Não vi ainda o filme, mas estou mesmo a gostar do livro e de conhecer melhor aquela época que chega a arrepiar, tal é a ignorância e a força do racismo.


Vou aproveitar para ir para a cama acabar de o ler, enquanto o meu marido fica na sala a festejar os golos de Portugal. Parece que já são três...

pus-me para aqui a blogar...

E consegui fazer caramelo! Mas a intenção não era essa. Era apenas fazer maçã cozida para o meu filho que continua com diarreia. Maldita gastroentrite que nunca mais passa. E recebemos hoje um mail da educadora e há cada vez mais meninos infectados, da creche já passou para o jardim de infância (contágio por irmãos) e a coisa está a ficar complicada. Parece que até à outra semana o meu piolho fica de molho na avó...

Se calhar devia ter usado a bimby, mas nunca a usei para cozer fruta

Lindo!



Apesar de eu gostar de ter mais um rapaz...

Birra a dobrar

Ontem o fim do dia foi complicado com o meu filho só a querer colo e sem me deixar nem um segundo que começava aos gritos. Ao pai, nem vê-lo o que partia  o coração do meu maridão. Como tinha dormido uma sesta pequena na avó calculei que fosse sono e depois de um jantar difícil foi para a cama. Acordou duas vezes a chorar, o que é estranho, e parecia agitado. Só queria colo. Eu sei que ele ainda está adoentado e acho que deve ser disso. Toda a gente sabe que os homens quando estão doentes são mais complicados... A manhã não correu melhor e, pela primeira vez em quase 2 anos, saiu de casa de pijama para ir para a avó. Não se queria vestir, não queria ver a febre, não queria comer... Eu e o meu marido vínhamos no carro a conversar e ele ia metendo-se na conversa e dizendo que não! Está mesmo do contra o meu filho. Espero que tenha um dia bom para o fim de tarde ser melhor. Isto tudo com o meu marido com a cara à banda, sem conseguir falar e aflito de dores porque tinha ido arrancar um dente que ficou com um buracão e uma membrana para que o osso cresça de modo a colocar pivot!

14 de novembro de 2011

"Uma Receita para a Maria"

Esta é a minha participação no desafio de aniversário do "Tertúlia de Sabores". Espero conseguir dar algumas ideias para tornar as refeições da Maria mais variadas. Ela bem merece! Boa sorte, Maria. Continuação de bom trabalho e bons cozinhados.

Entrada
Ovos com tomate

Cortam-se os tomates em fatias finas, quase ralado, e deitam-se na frigideira com azeite para os fritar. Mexem-se os tomates com a colher de pau, esborrachando-os, de modo a que fiquem em uma espécie de molho de tomate. Tempera-se com sal e pimenta. Depois, juntam-se os ovos previamente batidos e mexem-se até terem a concistência desejada. Se quiser uma refeição mais completa pode começar por fritar batatas em azeite que depois mistura com este preparado de ovos e tomate.
Ambas as receitas são de origem Espanhola, mas são bastante agradáveis.
Prato principal
1- Pudim de ovos e atum

Faz-se arroz branco. Eu gosto de arroz branco frito primeiro em azeite, pois acho que fica mais saboroso. Para isso, basta aquecer o azeite e juntar o arroz. Mexer bem, deixando frita, depois juntar o dobro da água a ferver, o sal e deixar cozer. Coloca-se o arroz numa forma de pudim ou em algo parecido. Depois fazem-se ovos mexidos. Colocam-se os ovos em cima do arroz.  Depois, junta-se mais uma camada de arroz e por fim o atum. Este pode ser simples ou pode ser refogado com azeite, cebola e tomate.

2 - Galinha com abóbora

Cortam-se os pedaços de galinha e faz-se refogado com cebola. À parte, cozem-se umas porções de abóbora. Quando a galinha estiver refogada junta-se a abóbora bem cozida e envolve-se tudo até a abóbora formar uma espécie de molho. No fim, retificam-se os temperos - sal e pimenta - e deita-se um pouco de natas para envolver tudo. Deixar cozinhar mais um pouco e está pronto a servir. Pode acompanhar com arroz branco.

Sobremesa 
Banana com açúcar e canela

Numa frigideira coloque um pouco de azeite (preferencialmente é com manteiga, mas com azeite também há-de funcionar bem) e deixa-se aquecer. Colocam-se as bananas muito maduras abertas ao meio e deixam-se fritar um pouco. Depois polvilham-se com açúcar e canela. Espera-se um pouco para o açúcar e para a canela se envolverem na banana e está pronto a comer. É guloso e sabe muito bem.

Filho report

O meu filho está a ter um bom dia. Está com apetite, almoçou bem e dormiu a sesta. Não vomitou e tem bebido chá para se manter hidratado. O cócózito está melhor e já não tem diarreia. As melhoras, filho bom. Mãe: Obrigada pelo Cucas report, que tanto me tranquiliza. Apesar de não ter ficado com ele em casa sei que está em muito boas mãos.

Eco

Já está marcada a eco para a semana. Mais uma eco e a ver se é desta que temos luz verde para voltar a encomendar um mano para o meu Cucas. Já foi em Agosto que perdi aquele bebé, mas ainda penso nele... Veio e foi-se embora muito depressa (às 8 semanas), mas deixou marcas. Dou por mim muitas vezes a pensar de quanto tempo estaria, quanto tempo faltava para a chegada do novo elemento da família, que eles iam ficar próximos, como eu sempre desejei... Eu sei que se ele não veio é porque não tinha que vir, mas foi um processo complicado e doloroso que deixou marcas. O importante agora é voltar a encomendar um mano lindo para o meu filho, que já está a precisar de um irmão.

A mudança da hora

Tenho sono. No fim de semana não acordei nenhum dia depois das 8 e meia da manhã. Antes da mudança da hora o meu filho acordava às 9 e meia, mas agora acorda às 8 e meia. Eu sei que se pensar no tempo em que ele era recém nascido e não dormia mais de 2 horas seguidas não me posso queixar com as horas de sono de agora, mas não me importava de um dia destes dormir assim até às 11...

Ajuda criativa precisa-se

Para a sala do meu filho na creche vamos fazer todos um presépio com a ajuda dos nossos filhotes. Como o meu filho é um apaixonado por ovelhas, apesar de as ter trocado um pouco pelo rato "Mica", voluntariei-me para fazermos uma ovelha para o presépio. parece que a dita tem que ter uns 10 cêntimentros e é para ser feita a várias mãos, incluindo a dos nossos petizes. Alguém tem uma ideia gira para fazer uma ovelha? Alguma sugestão de material que seja fácil de trabalhar? Eu tenho muito boa vontade e estou disposta a fazer a melhor ovelha do mundo, mas sempre fui uma nódoa a trabalhos manuais. Espero que a experiência da maternidade me ajude a desenvolver esta área, pois não quero que o meu filho leve sempre para a creche o trabalho mais desajeitado...

Bom dia

O meu filhote está mais bem disposto e continua sem febre. Não houve diarreias nocturnas e acordou com apetite, apesar de eu não o ter deixado comer muito para ele não vomitar como ontem. Lá foi ele todo contente para casa da Avó. Quando lhe perguntei se ele queria ir para a avó anui com a cabeça e disse colo... Faço ideia do mimo que para ali vai:-)


Eu espero que esta semana seja melhor que a anterior, apesar do execesso de trabalho, que se vai prolongar até ao final de Abril, por causa de um erro alheio à minha equipa e que nos arrasou completamente. Isto de coordenar um projecto criativo não é fácil, principalmente gerir pessoas, as suas emoções, as suas expectativas, as suas frustrações... E é ainda mais complicado quando estamos a trabalhar no limite. Espero conseguir levar este projecto a bom porto e que a equipa se una e não se divida ao enfrentar cada crise que nos surge.

13 de novembro de 2011

Eu e a Bimby

Já aqui disse que desde que recebi a Bimby ela trabalha à séria. Este fim de semana fechada em casa com o meu filho doente fez-me agarrar à bimby e dela já saiu um belo arroz doce (que o meu marido levou à bocado para o almoço de família, onde devíamos estar todos), massa tenra e uns deliciosos pastéis da mesma massa, puré de batata, canja, sopa de cenoura e uns bifinhos rápidos. Hoje vou experimentar rolo de carne recheado e acho que me vou tentar com uns scones.
O meu único problema com a Bimby é o excesso de peso. É tudo tão simples, principalmente ao nível dos doces e bolos que eu nunca fazia, que tenho medo de engordar.

Gastroentrite viral

O médico confirmou o diagnóstico de gastroentriste e o meu filho ficou de molho o fim de semana todo e só deve voltar à creche a meio da semana que vem. Está tão murchinho, mal come e, muitas vezes, depois de comer vomita tudo e fica muito aflito. Por acaso, hoje almoçou o peixe cozido e o pure e a maçã cozida e agora dorme a sesta. EStá um pouco agitado, acabei de vir de lá, mas é fundamental que descanse e absorva o que comeu. Ele é tão magrinho e já se nota que já perdeu peso nestes dias. Para compensar a perda de líquidos o pediatra mandou dar chá preto (fraquinho) com açúcar e ele bebe muito bem, em pequenos goles de cada vez. O pior é quando apanha o copo de água, bebe tudo de seguida e depois vomita.

11 de novembro de 2011

Feliz Dia de São Martinho

Lenda se São Martinho:
Martinho era um valente soldado romano que estava a regressar de Itália para a sua terra, algures em França.
Montado no seu cavalo estava a passar num caminho para atravessar uma serra muito alta, chamada Alpes, e, lá no alto, fazia muito, muito frio, vento e mau tempo.
Martinho estava agasalhado normalmente para a época: tinha uma capa vermelha, que os soldados romanos normalmente usavam.
De repente, aparece-lhe um homem muito pobre, vestido de roupas já velhas e rotas, cheio de frio que lhe pediu esmola.
Infelizmente, Martinho não tinha nada para lhe dar. Então, pegou na espada, levantou-a e deu um golpe na sua capa. Cortou-a ao meio e deu metade ao pobre.
Nesse momento, de repente, as nuvens e o mau tempo desapareceram. Parecia que era Verão!
Foi como uma recompensa de Deus a Martinho por ele ter sido bom.
É por isso que todos os anos, nesta altura do ano, mesmo sendo Outono, durante cerca de três dias o tempo fica melhor e mais quente: é o Verão de São Martinho. 


Hoje não está bom tempo, mas esteve ontem e parece que o sol volta a brilhar amanhã. Manda a tradição que se comam castanhas e era esse o lanche do meu filho na creche se eu não o tivesse ido buscar por sintomas de gastroentrite. O pediatra logo dirá o que ele tem ao certo, mas os vómitos, a diarreia e a febre indicam gastroentrite.

Zon kids festival

Eu sei que o meu Cucas ainda é pequeno, vai fazer 2 anos, mas também sei do amor dele pelo Mickey e decidimos levá-lo ao festival de cinema da Zon, que vai decorrer este fim de semana nos cinemas Alvaláxia. Há imensos filmes à disposição, a 3€ cada bilhete, muitas brincadeiras, jogos e insufláveis para os mais pequenos. Mesmo que ele não se aguente a ver o filme todo, trailer aqui, tem a experiência de ver o seu querido "Mica" e todos os amigos em formato gigante! É um programa diferente para um Domingo que anuncia ser chuvoso. Mais informações em Destak e para compras de bilhetes vão ao site da Lusomundo. (Não tenho comissão nenhuma, mas acho que é um evento giro para toda a família).

10 de novembro de 2011

O "Capuchinho Vermelho"

Corri, corri e corri, mas encontrei a história do "Capuchinho Vermelho". O meu filho despertou para os livros e para a leitura, por motivação da educadora, apesar de eu tentar há vários meses que ele gostasse de livros, e está encantado com a história do "Capuchinho Vermelho" e quando lha conto ele já vai dando pistas. Por isso, resolvi comprar-lhe o livro para juntos, vermos os bonecos e descobrirmos as palavras.

9 de novembro de 2011

Jantar em família ajuda a formar adolescentes e crianças felizes

Adoro as maravilhosas ideias do blogue "Pais criativos filhos felizes" e hoje foi com alegria que li um artigo interessante sobre a importância dos jantares em família e de como estes podem ser determinantes para o futuro das crianças e jovens. Tenho muitos amigos que jantam a ver televisão, até porque as crianças comem melhor, mas para mim o jantar é o momento durante a semana em que estamos ali os três, sentados, sem distrações a não ser as asneiras do meu filho à mesa. Penso que é a altura ideal para falarmos do dia que tivemos e para fazermos planos para o dia seguinte. Fui educada assim e se há coisas da minha educação que não replico na minha casa e nova família, mas esta é uma das que faço questão de manter a tradição.


Mulheres de Armas

A minha mulher a dias, a minha queria G. que está comigo há uns 7 ou 8 anos é uma mulher de armas. Muito jovem, mais nova que eu, Angolana, trabalhadora e perfeccionista exemplar. Quando veio para a minha casa estava no liceu, já fez a licenciatura em Direito e está a fazer o mestrado, sempre com vários trabalhos à mistura e sem vergonha de ser mulher a dias para conseguir pagar propinas e ter uma vida melhor. Nunca faltou sem avisar e de uma honestidade que eu admiro muito e é cada vez mais raro encontrar. Ontem quando me ligou atendi logo sabendo que algo se passava. Tinha caído e partido o pulso. Eu cheia de pena dela e a olhar para a pilha de roupa - dois sacos azuis do Ikea cheios- para passar e ela a dizer-me que ia estar um mês sem puder vir trabalhar. Quando lhe perguntei se me arranjava alguém, deu-me logo um contacto de uma amiga, também Angolana e já a fazer o estágio para a Ordem dos Advogados, de confiança e que poderia vir já hoje. Às 8 da manhã estava a tocar-me à porta. A simpatia encantou-me logo e, mais uma vez, uma mulher  de armas que tem de gerir aulas na faculdade com o estágio num escritório de advogados, mulher a dias quando é preciso e um marido e um filho. Tenho muito boa impressão das mulheres angolanas, da solidariedade delas, da entre-ajuda, da simpatia, da força do trabalho. São uma comunidade muito unida e estão sempre prontas a ajudar as amigas/família. E se eu me queixo que ando cansada, que o tempo não chega o que diriam estas mulheres que acordam ainda é de noite e só regressam à cama, muito tarde e, de certeza, muito cansadas, mas no dia seguinte recomeçam tudo com um sorriso nos lábios.

8 de novembro de 2011

Presentes solidários

Adoro esta ideia dos presentes solidários. Tenho aderido nos últimos anos e acho que é importante divulgar. É uma excelente ideia para um presente de Natal diferente. 

Porque não oferecer um livro para uma biblioteca em Moçambique?


Ou enviar uma caixa de costura para a Timor Leste?


Ou ajudar para as refeições de um infantário em Minas Gerais, no Brasil?
Ou levar um pouco de música aos filhos da rua do Mindelo, em Cabo Verde?

E há muitos outros presentes que pode dar, a um custo baixo, e que podem fazer a diferença.

Tosse e mais tosse

Depois de eu ter andado duas semanas a tossir que nem uma perdida chegou a vez do meu filho estar cheio de tosse. Coitadinho, que aflição. Preferia ter continuado eu a tossir do que o ver tão aflito. É uma tosse seca, irritativa e decidi ligar ao pediatra. Pensei que ele o queria ver - como é costume - mas como é só tosse, não tem febre, não está constipado, mandou-me apenas dar-lhe um Xarope Levotuss, que é um antitússicos durante 2 dias e se não passar para ir lá com ele. Eu confio imenso no pediatra, mas a ideia de um antitússico não me agrada muito. Vou também, por ordem médica, fazer o aerosol para ajudar a limpar e vou dar banho com muito vapor na casa de banho. Espero que o meu pequenote fique bom depressa. Parte-me o coração ouvi-lo a tossir.

A trabalhar em casa

Uma das vantagens do meu trabalho é que o posso fazer em regime de home office, ou seja, através de casa. Assim, neste dia chuvoso, eu e minha equipa estamos a trabalhar em casa, utilizando o telemóvel ou gmail talk sempre que precisamos de tirar alguma questão entre nós. É mais simples, não perdemos um dia de trabalho - até porque o nosso trabalho não o permite -, não perdemos horas e horas em filas de trânsito e transportes alternativos e estamos tranquilamente a trabalhar em casa, enquanto a chuva cai lá fora, a beber um chá bem quente e a ouvir música.

Já chegou!

Directamente da amazon, o cordeirinho Timmy - da família da ovelha choné - para oferecermos no Natal ao nosso filho, mas o mais engraçado, nestas coisas de crianças, é que a febre dos mémés passou para o "Mica", ou seja, o Mickey. Só espero que o Timmy não seja uma desilusão. Eu, particularmente, adoro-o! Assim como aos desenhos animados.

7 de novembro de 2011

Obrigada, mãe

Por teres dado banhoca e jantar ao meu filho, pois tanto eu como o meu marido íamos trabalhar até tarde. Quando o meu lindo chegou já vinha de banhoca tomada e quando lhe perguntei se tinha jantado bem com a avó disse logo "puré e pêixe". Que coisa mais rica! Estivemos tão pouco tempo juntos, mas foi tudo dedicado à brincadeira. Como ele fica feliz por chegar a casa, mais feliz só eu que já estava a morrer de saudades dele... Tantas horas por dia afastados. Não é justo. Gostava de poder continuar a fazer o meu trabalho, mas poder sair às 4 ou às 5 para depois me dedicar ao meu filho, o grande amor da minha vida e a minha prioridade, e esperarmos juntos, o meu marido, o melhor pai do mundo.

6 de novembro de 2011

Há anos...

Que não forrava um livro ou um caderno. Hoje foi a noite de o fazer e devo dizer que o papel autocolante de hoje é mais simples de usar do que no meu tempo em que aquilo agarrava tudo. Nunca fui muito habilidosa a trabalhos manuais, mas consegui personalizar o caderno "Vai e vem" do meu filho com recortes de imagens dos desenhos animados preferidos do momento... Mickey! Também conhecido cá em casa como Mica.
Soube bem e gosto muito de participar de forma activa nas coisas da creche dele.

A primeira viagem de eléctrico

Hoje aproveitámos a manhã de sol e o facto de estarmos só os dois (o meu marido joga futebol ao Domingo de manhã) para fazermos um passeio diferente. Como ficamos sem carro costumamos ir ao parque infantil aqui do bairro, mas hoje decidi apanhar o eléctrico com o meu filho e ir ao parque infantil do restelo e aproveitar para comprar os melhores palmiers do mundo (os do careca) e os croissants preferidos do meu marido (os do careca).

O meu filho adorou o passeio, principalmente da fase em que pode inserir 3 moedas de 1 euro para comprar o bilhete. Achou fantástico, principalmente porque para o comboio do Nody andar ele só tem de inserir uma moeda. Eu é que fiquei um MUITO chocada com o preço do bilhete de eléctrico: 2.85€! Um escândalo, não acham? Tínha-me saído mais barato ir de táxi, foram apenas 3 paragens, mas não tinha tido a mesma graça e o meu filho não tinha vivido a experiência de um novo meio de transporte.


5 de novembro de 2011

Caderninho "Vai e vem"

A educadora do meu filho pediu-nos um caderninho, a que vamos chamar "Vai e vem" que tem como objectivo aproximar a casa da creche e vice-versa. No caderninho a educadora escreve algo importante que tenha acontecido nesse dia - uma palavra nova, uma brincadeira que ele gostou muito, uma letra de uma canção, a primeira ida à retrete, etc. - e nós partilhamos com a educadora algo que tenha acontecido em casa. Como eles, apesar de já falarem, ainda não conseguem contar que foram ao zoo, ou que a prima fez anos, ou que aprenderam uma canção nova, cabe-nos a nós passar essa informação para a educadora falar com ele e partilhar com os outros meninos. Gostei muito da ideia e segunda feira já vai o caderninho para a creche.

A importância de uma boa Educadora

Sempre ouvi elogios à educadora que vai acompanhar o meu filho até aos 5 anos, se bem que o maior elogio de todos é o meu filho bater palmas e dizer o nome da educadora quando estamos a chegar à porta da escola. Ele adora ir para a creche, adora a educadora e as auxiliares e é um descanso saber que ele está em boas mãos. A reunião de pais que tivemos ontem ao fim do dia só veio confirmar a excelente opinião que já tínhamos da educadora. A maneira calma com que falou e apresentou o projecto do ano lectivo, como nos explicou as metodologias utilizadas e os vários modelos pedagógicos em que se baseia, a forma explicou o dia a dia e as rotinas dos meninos da sala dela, a forma como falou de cada um dos nossos filhos quando usou fotografias deles para exemplificar as várias actividades que fazem ao longo do dia deu-nos ainda mais confiança nela e no trabalho que está a desenvolver com eles. A frase "Um pequeno passo hoje... Uma grande descoberta amanhã" foi o ponto de partida para este ano lectivo e a utilização dos pés para pintarem (e também descobrirem sensações novas) fez a delícia dos pequeninos e dos pais, quando recebemos a pintura dos pézinhos dos nossos filhos num paninho. Das várias coisas que gostei, gostei muito deste pensamento que quero partilhar convosco:

"Com as mãos sujas de experimentar o mundo
um coração repleto de sensações positivas
um espírito curioso que se admira com tudo
uns olhos cheios de espanto,
a criança ri..
Porque acredita no caminho, ao sabor do desejo
sem medo de errar, ou de conhecer perigos,
pelo simples prazer de sorrir.
Dentro de si a criança guarda um segredo...
a capacidade de ser feliz"

Bimby a todo o gás!

Por cá, a Bimby continua a bombar. Hoje fiz um pesto delicioso e um bolo mármore que está lindo, mas que espero que arrefeça para o poder provar. Estamos muito contentes com a nova aquisição. Ontem a pizza fez a delícia das crianças (e não só) e estou completamente rendida às maravilhosas sopas que ela faz. Para hoje, creme de ervilhas. Bom fim de semana!

2 de novembro de 2011

Parabéns (ainda reservados)

Para a minha querida amiga A. pela notícia que ela tanto aguardava. O segundo filho vem a caminho. Vivemos juntas a angústia de não conseguirmos engravidar, depois engravidámos e os nossos filhos nasceram com dois meses de diferença e agora ela vai ter o segundo bebé e se tudo correr bem, e a ecografia mostrar que já estou ok, a partir de Dezembro posso voltar a tentar engravidar. É muito bom podermos partilhar estes momentos com amigas especiais. Já vivemos tanta coisa juntas, a nossa amizade tem mais de 20 anos, e é tão giro estarmos agora juntas enquanto os nossos rapazinhos brincam. Felicidades, querida amiga. É sempre com muita alegria e entusiasmo que acompanho as gravidezes das minhas amigas e é tão bom saber que vem mais um bebé a caminho.


A educação de um filho

Quero o melhor para o meu filho e o meu marido também, como é óbvio, o que não é tão óbvio é a maneira de o fazer. Eu e o meu marido somos muito diferentes, e ainda bem, e crescemos em famílias diferentes começando logo pelo facto de nós sermos apenas duas filhas e o meu marido ser o benjamim de 7 filhos. Tenho a certeza que as nossas diferenças são um ponto a favor do nosso filho, pois acredito que lhe vamos dar o melhor das nossas vivências, mas a verdade é que nem sempre é fácil e nem sempre estamos de acordo. Hoje de manhã eu disse que gostava de dar ao Cucas no Natal um computador para crianças e o meu marido disse que o que oferecemos à sobrinha T. já está a um canto e que lhe podíamos dar esse. Eu discordei. Não quero dar um presente em segunda mão ao meu filho - atenção que quase todos os brinquedos dele eram dos primos ou de filhos de amigos nossos - mas, no Natal, acho que temos que lhe dar um presente novo - até porque, felizmente, temos possibilidades para isso. Não me importo nada que o irmão dele, pai da T., dê ao nosso filho o computador, mas eu queria dar-lhe um presente novo... Foi uma discussão grande, mas que acabou com um beijo e um sorriso como que a dizer: "havemos de chegar a um acordo".

Vidas de bimby

Só temos a bimby desde domingo, mas ela já faz parte da "família". Tem cozinhado muito e bem (mas vou ter de adaptar algumas das receitas às minhas que gosto mais) e o mais engraçado é quando ela apita o meu filho grita: mãe, pai: Bimby!

Estou um pinto!

Apanhei uma valente molha até ao trabalho. Só espero não piorar. É que já estou desde 2ª feira a antibiótico por causa da minha tosse e da renite que está a dar cabo de mim.