31 de janeiro de 2012

De saída...

para ir buscar o meu filho. Ontem quando lá chegámos já estava noutra sala, que não a dele, sem meninos da sala dele, pois já se tinham ido todos embora. Disseram que ele estava bem, que não estranhou nem os meninos (de 3 anos) nem as auxiliares, mas quando nos viu fez um ar triste... Ele está habituado a que a avó o vá buscar às 17h e estranhou ficar lá até passar das 18, quando todos já se tinham ido embora. É que a creche fecha às 18 e, depois disto, vão juntando os poucos que lá ficam noutra sala enquanto os pais mais atrasados não chegam.

Uma música para a tarde

Gosto muito. Primavera dos The Gift. Aqui.

Emancipação de filho de 2 anos

Anda tão despachado e a querer fazer tudo sozinho que esta noite sonhei que era ele que ia a conduzir o carro. E no viaduto que vai da infante santo para a zona das docas eu estava cheio de medo que ele não fizesse bem a curva... Oh, meu Deus! Estou mesmo a alucinar.

Boas práticas para começar o dia

Será que a Xerox me quer lá a trabalhar? Parece que foi eleita a melhor empresa para trabalhar em Portugal. A mim davas-me jeito estes pontos: segundo a Exame "Este ano, o mês extra de licença de parentalidade a juntar aos previstos por lei, um salário adicional ao pai ou à mãe, um subsídio de estudos de 630 por filho até aos 24 anos e também aulas de ginástica ou natação gratuitas. Segundo o director-geral , Pedro Quintela, “Uma empresa é aquilo que partilha com os colaboradores”. Era tão bom que quem manda na empresa onde trabalho pensasse assim e não nos estivessem sempre a dizer que somos "descartáveis", apesar de sermos altamente qualificados e muito pouca gente fazer o nosso trabalho. Parece que "A Xerox tem a preocupação constante com parâmetros tão importantes como o bem-estar, satisfação e motivação, com o objectivo de reconhecer cada indivíduo como pessoa e como profissional.". Ainda bem que ainda há empresas assim. Empresas que dão valor aos funcionários. Empresas que não se desculpam com a crise para cortar a torto e a direito, apesar dos lucros brutais que obtém.

30 de janeiro de 2012

E agora...

Eu e o meu marido no sofá para mais um episódio de Parenthood! Adoro esta série e recomendo.

Hoje é o dia!

Eu e o meu marido vamos juntos buscar o nosso filho à escola! É tão, mas tão raro! Vai ser tão bom. Um momento especial para o pai (que lamenta não conseguir sair a horas mais vezes), para a mãe (que adora os fins de tarde a três) e para o filho (que ama o pai).

Boa semana... com menos stress

Aqui fica uma sugestão que vi hoje de manhã no blogue As Maravilhas da Maternidade, que eu gosto bastante e que sigo, e que me parece interessante partilhar aqui. Acho que não há ninguém que não gostasse de reduzir o stress. Boa semana... com menos stress!

Se o podia vestir mais depressa

Podia, mas era preciso que ele não quissesse vestir-se sozinho!

Graças dos 2 anos

Estava eu a arrumar a cozinha depois do jantar enquanto o meu marido fazia as últimas brincadeiras do dia com o meu filho.

Eu: O A. tem que ir lavar os dentes.
Uns segundos depois entra o meu filho na cozinha muito determinado.
Filho: Não! ÓÓ não, mãe!
Olhava para mim muito sério (como se mandasse alguma coisa ) e ia embora a rir dando o assunto por terminado.

Fim de semana maravilhoso

O fim de semana foi maravilhoso. E foi tão simples, tão tranquilo, tão caseiro. Andámos no laréu, mas também estivemos em casa. Durante a semana o meu filho está pouco tempo em casa e, este domingo, reservámos a tarde para estarmos a brincar em casa. Além disso, tínhamos trabalhos da creche para fazer sobre a cor amarela e com cartão e plasticina fizemos um lindo ovo estrelado! Estivemos com a família, mas também estivemos só os três. Adoro ter a casa cheia de família e amigos, o meu filho adora ter os primos a brincar lá em casa, mas também gosto quando estamos só os três. E o domingo à tarde foi só nosso. E amo tanto os meus dois Às. Amo tanto esta família que tenho. É tão bom, mas tão bom ser mulher de um e mãe do outro!

27 de janeiro de 2012

Iguana / Dinaussauro

No livro sobre animais há uma imagem de uma iguana e, para o meu filho, aquilo começou um dinaussauro. Depois, eu expliquei-lhe que é uma iguana e agora passou a ser uma iuana dinossauro.

e o meu filho esteve há pouco tempo na exposição dos dinaussauros e, bem vistas as coisas, não são muito diferentes.

Não percebo!


Os telemóveis são cada vez mais pequenos, mas parece que há saudades dos nossos antigos telefones. Adoro as cores, mas acho que as pessoas vão parecer maluquinhas, principalmente se forem com isto a falar pela rua. Será que vai virar moda? Acredito que sim.

26 de janeiro de 2012

Boneco de neve

A educadora do meu filho está sempre a pôr-nos ao corrente de tudo o que faz com os miúdos e além do painel onde afixa as actividades da semana, ilustrada com fotos dos piolhos, manda também para casa a música, a história ou a lenga lenga que estão a trabalhar na sala. Esta semana, dedicada ao inverno, recebemos esta música e eu dou por mim o dia todo a trautear...  "redondo redondinho com cenoura no nariz..." Claro que quando o faço ao pé do meu filho ele adora! Gostava de colocar aqui a música, mas sou um bocado artolas.


"Espera mãe!"

É a frase que o meu filho mais repete agora quando não quer fazer alguma coisa. "Espera, mãe" que é como quem diz: não me chateies. Muitas vezes, faz o gesto com a mãe, que aprendeu comigo. Que idade mais boa, esta dos dois anos! às vezes é um desespero, mas quase sempre tenho que me controlar para não rebentar a rir com as saídas dele.

Fala tudo, tudo, tudo...

Com dois anos feitos no início do ano o meu filho fala quase tudo e explica-se muito bem. Usa as palavras todas, sabe bem o que quer e até já constrói frases do género: Pai longe emiio trabalho... que é como quem diz: O pai está longe a trabalhar com o Emídio. Não me parece mal.

Não há direito

O meu marido veio de Aveiro, onde esteve 2 dias, e regressa sem ovos moles para a sua super mulher, que sou eu... Ainda pensei que vinham escondidos na mala ou que os ia encontrar escondidos numa gaveta em versão surpresa, mas não. Muito atrapalhado lá disse que eu escusava de procurar, pois ele não teve tempo para me comprar... Pronto. Está bem. São menos uns quilos no meu corpo.

Gosto muito

do novo Nokia Lumi...

e o meu telemóvel está mesmo a precisar de reforma. Como diz o meu filho quando olha para o meu telemóvel todo escangalhado: partiu! Faz um ar muito admirado, mas foi ele que o deixou cair e a parte de trás enfiou-se debaixo de um móvel soldado na parede e nunca mais de lá sai. O mais engraçado é quando estou a falar e cai a bateria... Ups.

Bom dia, nevoeiro

Hoje acordei com a buzina dos barcos a tentarem entrar no Porto de Lisboa... Aquele "huuuuuuuu" fazia eco e perdia-se no nevoeiro. É bom estar no quentinho da cama e ouvir as sonoras buzinas dos barcos... Como já não conseguir dormir mais fui fazer scones quentinhos para o pequeno almoço dos meus amores.

24 de janeiro de 2012

"Ruca Diz Não"

Desde o Natal, há já um mês, que este é o livro de deitar do meu filho. Adora. Já sabe a história e quer todas as noites a mesma.


Ao Ruca juntou-se também um livro de imagens de animais selvagens que ele também gosta muito. E o que eu gosto muito são dos nossos momentos a dois, antes dele dormir, enquanto lhe conto as histórias com ele enroscado ao meu colo. É tão bom. Dorme bem, filho mais querido do mundo.

Bom dia, AMOR!

O meu amor está longe, mas ontem quando cheguei a casa tinha lá uma surpresa que ele me tinha deixado. Obrigada, as botas são mesmo lindas. São só dias separados, mas eu já tenho saudades. A cama fica muito vazia e o nosso filho estranha não ter o pai em casa. Bom trabalho, amor da minha vida, e volta depressa para junto de nós.

23 de janeiro de 2012

Obrigada, meteo

O sol voltou a brilhar!!! Não é muito melhor assim? Boa tarde de sol a todos!

Sinto-me enganada pelo meteo...

... davam sol e está uma manhã de nevoeiro tenebrosa! Estou gelada! Que dia horrível! Volta, sol! Há quem esteja farto de ti, mas eu não.

22 de janeiro de 2012

Boa semana...

Parece que o sol está para ficar. Este inverno ainda não tive de usar a máquina de secar roupa e ainda bem, pois não há nada melhor que roupa seca ao sol!

A alegria de ter primos

O meu filho é um miúdo com sorte, pois só primos direitos tem 6 e ele adora brincar com eles. Hoje, em dia de inauguração da casa de uns cunhados aqui no bairro, foi mais um momento de grande brincadeira com direito a banhos de imersão colectivos e tudo. Hoje não estavam os primos todos, mas estava a prima de 5 anos que o meu filho adora e que a imita em tudo o que ela faz. Ela acha que ele é um boneco, mas delira com ele e andaram a correr e a brincar horas sem fim. O momento do banho do fim do dia em conjunto foi o delírio total. 
Só tenho duas primas direitas, muito mais velhas, e com quem nunca tive muita ligação e sinto-me feliz por o meu filho ter imensos primos com quem brincar. As idades vão dos 4 meses aos 15 anos, mas é  muito engraçado vê-los brincar e estabelecer ligações. Quando nos juntamos todos, e porque somos muito, é sempre uma festa e o que começa por ser um almoço de família pega sempre com lanche e alguns ainda ficam para jantar. É bom, muito bom. Eu sempre sonhei com uma família grande, muita gente à mesa, muita conversa e confusão adoro esta família que me calhou e que é já também muito minha... Foi um belo domingo. Boa sorte, cunhados! Que sejam muito felizes na vossa nova (e linda) casa, que ainda por cima tem um jardim  maravilhoso para a criançada brincar.

21 de janeiro de 2012

Bom fim de semana

Toca a aproveitar o bom tempo e sair para a rua com as crianças. Os parques e jardins são gratuitos e são bons para eles que correm e libertam energia e para nós, que podemos partilhar e disfrutar esses momentos com eles. Para mim a magia do fim de semana é poder usufruir, beijar, mimar e estar com o meu filho muitas horas, não ter de me separar dele, e poder acompanhá-los nos diferentes momentos do dia. Agora, foi à ginástica com o pai, momento a dois, coisa de homens, mas depois regressam, quando eu já tenho o almoço pronto e o resto do tempo é nosso, de família, de aconchego e de maluquices... como andarmos todos pela casa a jogar às escondidas!

O avô é uma estrela

O meu filho adivinhou a surpresa do pai e fomos mesmo jantar a uma pizzaria nova. 

Antes de virem as pizzas, e antes do meu filho sem querer atirar com um jarro de sangria de champanhe ao chão, dei-lhe um caderno para ele pintar. Um dos desenhos era uma nuvém e eu disse: olha a núvem. As nuvéns estão no céu. O meu filho respondeu: céu, avô tónio, estrela. Eu fiquei admirada e disse que ele estava a falar do avô (meu pai que morreu quando ele fez 6 meses), mas o meu marido disse que não era isso. Que ele não estava a falar do avô, mas o meu filho olha para o pai e diz: avô tónio Luís! O meu marido ficou de boca aberta e a mim correram-me lágrimas pelos olhos.

Que conversas terá ele com a minha mãe? Nunca eu tinha dito o nome completo do meu pai, mas ele sabia muito bem que o avô António Luís é uma estrela que está no céu.

20 de janeiro de 2012

É mesmo meu filho...

Pai: Logo à noite vamos jantar fora.
Mãe: Boa. (Para o filho) Queres ir jantar fora ao restaurante?
Filho: Pizza!! Pizza!!!!

Se restassem dúvidas, desapareciam, o miúdo é louco por pizzas como eu. Além disso, costumamos ir a um italiano perto de nós que é uma maravilha e ele adora porque as empregadas são super queridos com ele, levam-no à cozinha e dão-lhe bolinhas de massa para ele brincar.

Os terríveis 2 anos - parte 3

A manha do meu filho, com apenas 2 anos, chega a ser assustadora, tal é a perspicácia dele. Já aqui disse que o meu marido é benfiquista e que os seus olhos se iluminam quando o piolho grita pelo clube do pai, também já aqui contei que os primos o ensinaram a gritar sporting, coisa que ele faz pois já percebeu que deixa o pai nervoso. Ele já percebeu que ao gritar Benfica o pai fica feliz e, vai daí, no outro dia à mesa estava a portar-se mal e o meu marido disse que quando ele fazia asneiras o pai ficava triste ao que o pequenote olha para o pai e começa a exclamar: benfica, benfica, benfica! E uma pessoa tem de se aguentar para não se desmanchar a rir.

Os terríveis 2 anos - parte 2

Já aqui escrevi sobre a loucura que os 2 anos dos filhos podem significar na vida dos pais e dos filhos e confirma-se que lá em casa as coisas não vão ser fáceis. Está mandão e não só se porta mal em casa como na escola. Ontem, na conversa de fim de dia, perguntei se ele se tinha portado bem na

Mãe: Portaste-te bem?
Filho: Sim.

Mãe: A Cátia ralhou-te?
Filho: Não.

Mãe: Bateste em alguém?
Filho: Iago (Tiago)

Hoje chegámos à escola e eu perguntei à educadora Cátia se ele tinha batido no Tiago - acho importante validar as informações - e ela ia responder que não, quando o Tiago se aproxima com um balão e o meu filho lhe dá um encontrão e lhe tira o balão.

Cátia: Não bateu ontem, mas bateu agora...

Fiz um ar triste e disse ao meu filho para ir pedir desculpa e abraçar o Tiago, o que ele fez recebendo em troca um grande abraço do Tiago.

Espero que se porte bem o resto do dia e que perceba que as desculpas não se pedem, evitam-se, mas ele desde que descobriu a palavra desculpa acha que pode fazer tudo e depois piscar os olhos e pedir desculpa...

19 de janeiro de 2012

Uma sugestão de decoração com a ajuda das crianças


Yayoi Kusama construiu um ambiente totalmente branco e depois convidou várias crianças para contribuírem para o projecto colando no espaço milhares de adesivos coloridos. A instalação chama-se “The obliteration room” e está inserida na exposição “Look Now, See Forever" na Galeria de Arte Moderna de Queensland na Austrália.

Querem experimentar isto em casa com as vossas crianças?

Amor

Um bom almoço com o meu marido, o amor da minha vida, o homem com quem quero partilhar todos os meus dias, o pai do meu(s) filho(s), o homem que me completa e que me faz feliz… o homem com quem não consigo estar zangada nem triste, porque o amo demais e porque sei que ele também me ama, mas na loucura do dia a dia às vezes temos que fazer uma pausa e olhar um para o outro e declarar o nosso amor. Eu, pelo menos, preciso disso… É  que é tão fácil perdermo-nos e eu, que demorei tanto a encontrar o amor da minha vida, não quero perde-lo... Nunca.

19

É um número especial para nós... E eu quero que continue a ser por muitos, muitos, muitos e bons anos... A maioria dos dia 19 são solarengos e quentes, mas haverá sempre dias 19 cinzentos, outros chuvosos e outros de tempestade, mas no final, o importante é que regressemos a casa, um para o outro...

Mais e mais futebol... Menos e menos namoro

Sinto ciúmes do futebol. Pode parecer ridículo, mas a verdade é que o futebol rouba-me muito, mas muito tempo de marido e, enquanto aqueles homens correm atrás da bola, o meu marido fica vidrado a olhar para a televisão... Ainda consegue maior proeza que é estar a ver dois ou mais jogos (graças às sport tv's da vida) em simultâneo, num zapping maluco em que ora marca o Barcelona ao Real Madrid como marca o Benfica ao Setúbal. E assim foi mais um serão em que nem lhe pus a vista em cima... Eu sei que ele adora ver e jogar futebol, que o seu sonho era ter sido futebolista e que tem muito jeito para a coisa (sempre a ser convidado para jogos e torneios e afins), mas sinto-me sempre irritada quando estava a contar com uma noite romântica a dois e sou trocada por 22 homens peludos...

Desculpem o desabafo da vida privada...
De certo, não serei a única a sofrer deste mal

18 de janeiro de 2012

O meu marido anda muito engraçado!

Acabou de colocar isto no facebook e mandou-me ir ver que era muito engraçado...

Mudei o lettering...

Não sei o que acham, mas a mim parece-me menos institucional e menos formal...

Este blogue recomenda mesmo!

"Diz-me quem sou" de Julia Navarro. Sei que está sugerido na barra lateral, mas como podia escapar ao mais distraídos aqui fica novamente a sugestão. Não se assustem com o número de páginas (1088), pois a história é mesmo cativante e acho que quando chegar ao fim vou ter pena que tenha acabado. Boas leituras!

Adoro o sol...

... Que invade a minha cozinha a esta hora. Estou de molho a trabalhar em casa e sou abençoada pelo sol que bate no rio e reflecte esta luz magnífica. Bom fim de tarde, vida!

Teste de ovulação

Alguém já usou os testes de ovulação da clearblue? Gostava de saber quando se dá a minha ovulação... E, acima de tudo, gostava de voltar a engravidar. Queria tanto que os meus filhos tivessem idades próximas. Não consigo deixar de pensar que se a minha última gravidez tivesse seguido em frente estava a um mês e meio de ser mãe outra vez...

Yoga

Ontem, a meio do jantar, quando o meu filho estava prestes a mais um ataque para atirar o prato de esparguete para o chão eu, não sei como e de onde me veio a ideia, disse para fazemos yoga. Ele olhou-me e eu expliquei-lhe que quando ele estivesse nervoso e com fúrias o melhor seria fazer yoga. 

Exemplifiquei que fechávamos os olhos, juntávamos os dedos e dizíamos o mantra Om e no fim expirávamos o ar. Ele, todo dado às teatralidades, adorou, até porque achou que no fim, expirar, significava soprar. O meu marido ria e o meu filho estava feliz, de olhos fechados, a dizer Om... Mais tarde, quando lhe estava a mudar a fralda, e ele não queria, e esperneava eu disse para ele se acalmar e ele fechou os olhos, juntou os dedinhos e começou Ommmmm. 

Esta idade dos dois anos é mesmo engraçada!

17 de janeiro de 2012

Mudanças

Bem sei que a vida é feita de mudanças, muitas das quais não pedimos nem queremos, mas é assim. O que não estava à espera é que mudassem a empresa onde trabalho, no coração de Lisboa, para junto dos outros departamentos do grupo... Do Chiado para lá de Bucelas e de Vila Franca de Xira! Um edifício no meio do nada numa zona industrial.

As ordens superiores são para cortar e a nossa empresa, que sempre funcionou como um núcleo à parte, tem de deixar as instalações onde está e integrar o andar vago nas ditas instalações. Como não há transportes públicos para lá, e não nos podem exigir que vamos de carro próprio, arranjam-nos um transporte para ir e outro para vir. Está o caos tentar conciliar a vida de todos, até porque trabalhamos em projectos diferentes e sempre tivemos isenção de horário. As creches dos filhos de uns fecham à 18h, outros têm cursos ao final do dia, outros gostam de trabalhar pela noite dentro, outros começam o dia de manhã bem cedo.

Somos criativos da escrita e sempre gerimos o nosso trabalho com isenção de horário e foi com base nisto que organizámos as nossas vidas pessoais e familiares e, de repente, conciliar a vida de 20 pessoas está a revelar-se o caos. 

Não sei como vai ser a minha vida apartir de Março, mas vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para que esta mudança não roube (ainda mais) tempo ao meu filho e ao meu marido, que são quem mais sofre com o meu cansaço e falta de disponibilidade.


Depois de nos terem comunicado a mudança ainda disseram que com a crise que está é óptimo termos trabalho
e que não devíamos ficar chateados com esta situação, 
bem pior era se nos mandassem para o Porto... 
A crise serve para tudo neste momento.

Para me animar...

O meu marido deu-me estas botas lindas...


Agora é esperar que cheguem, pois as lindonas vêm de Inglaterra... Boa viagem! Cá vos espero!

16 de janeiro de 2012

12 de janeiro de 2012

Pode ser sempre pior

Pior do que começar o dia na segurança social é começar o dia a discutir a regulação do poder paternal.

Enquanto esperava a minha vez na segurança social fui beber um cafezinho à Mexicana, pastelaria que me recorda a infância e adolescência e, além de mim, nesta manhã gelada de Janeiro só um casal a discutir o destino dos filhos pequenos. O ambiente era tenso, a discussão acesa e não se entendiam e eu dei por mim a pensar que há piores maneiras de começar o dia do que com 50 pessoas à frente na segurança social.

Não sei se este casal chegou a algum entendimento em relação à guarda partilhada, mas eu tive de me vir embora sem ser atendida ou ao jantar ainda lá estava. Em duas horas atenderam 9 pessoas e como a minha senha tinha o número 50, limitei-me a entregar uma reclamação contra a dívida que me cobram e não consegui mais nenhum esclarecimento.

Venham as senhas da segurança social e outras chatices do dia a dia, mas espero que nunca me tenha de sentar a decidir o destino do meu filho porque eu e o meu marido já não nos amamos e vamos seguir cada um com a nossa vida.

11 de janeiro de 2012

Podia ter sido mau, mas foi bom, muito bom

O dia de hoje começou da pior maneira ao perceber que ainda não tinha conseguido engravidar. Recordei o mesmo dia dos meses anteriores e lembrei-me da neura e da vontade de chorar, mas hoje o dia foi diferente. Ia ficar em casa a trabalhar para poder receber uma empregada nova (que tem mãos de fada e cozinha como os deuses) e quando fui tirar o meu filho da cama ele estava em modo dorminhoco. Hesitei, tinha muito trabalho para fazer, mas decidimos que ele ficava, pois assim conhecia a Maria. Que boa decisão eu tomei. Ele adorou a Maria, que o adorou a ele, trabalhei enquanto ele dormiu a sua sesta, orientei a Maria pela casa e, quando ele acordou, lanchámos, rimos, brincámos e ainda fomos até ao parque. Até fui ver uma academia de dança ao fundo da rua para ver se faço pilates para relaxar... O meu maridão chegou cedo e eu tinha um jantar delicioso à nossa espera. O dia estava lindo e mostrei ao meu filho o pôr do sol antes de virmos para casa. Tinha tudo para ser um dia mau, mas foi um dia muito, muito bom! Obrigada, vida.

Desespero de um pai Benfiquista

Hoje, depois do jantar, o meu marido fez o que costuma fazer e, em brincadeira, levantou os braços e gritou benfica esperando que o nosso filho fizesse o mesmo, mas o piolho levantou os braços e disse: spótin! e riu. O meu marido ficou verde, olhou para mim, enquanto o minorca gritava spótin!, spótin! Não tenho nada a ver com isto, apesar de lhe ter explicado que a mãe era do Sporting e que ele (feito sócio pelo padrinho) e o pai eram do Benfica.

Momentos mais tarde...

O nosso filho pede para ser o pai a ler a história do Ruca e do Pai. O meu marido pega no livro e começa a ler e quando chega à parte em que o Ruca pede umas botas vermelhas ao pai, o meu marido lê: botas vermelhas do Benfica e, a partir daqui, as botas do Ruca deixaram de ser umas simples botas vermelhas, mas umas botas vermelhas do Benfica!

10 de janeiro de 2012

Beijinho de mãe

Já não é a primeira vez que o meu filho diz que lhe dói alguma parte do corpo. A primeira vez que isto aconteceu assustei-me muito, mas depois dei um beijinho na perna e perguntei se a dor tinha passado e ele disse que sim. Fiquei mais tranquila… Hoje voltou a dizer que doía, desta vez, o joelho. Voltei a dar beijinho e passou… Será que é para pedir mimo extra? Não me recordo do último contexto em que isto aconteceu, mas ontem quase não o vi, pois trabalhei até às 21h, apesar de ter conseguido voar para casa a tempo de lhe contar a história da noite.

Será que ele queria ficar em casa comigo hoje? Será que ele já percebe que se tiver doente fica em casa com a mãe? Não sei, mas sei que enquanto os meus beijinhos de mãe curarem os dói-dóis do meu filho acho que está tudo bem…

9 de janeiro de 2012

Bom dia

E boa semana!
Devia aplicar, e quero muito aplicar mais este lema na minha vida...

A festa foi um sucesso!

O horário (de manhã) foi perfeito, o local (Alvito) fez a delícia de miúdos e graúdos e foi tudo perfeito! O pequeno almoço / lanche que levei fez muito sucesso e o bolo de anos que encomendámos no Jumbo era bonito e bom e saiu bastante em conta. Éramos cerca de 35 adultos e 25 crianças e correu tudo muito bem. O sol esteve do nosso lado e estava uma manhã linda. O meu filho estava feliz, como é costume, pois tenho a sorte de ter um miúdo feliz e bem disposto, que corre, salta, brinca, pula e ri!

7 de janeiro de 2012

E amanhã... Mais festa!

A grande festa dos 2 anos do meu filho. Vai ser de manhã cedo, num parque, e o sol vai fazer-nos companhia. De manhã (ainda mais cedo) preparo as sanduíches e tudo o que é preciso levar. Temos muitas confirmações e tenho a certeza que o meu filho vai adorar a surpresa de, no parque do costume, encontrar os primos, os amiguinhos (filhos dos nossos amigos) e alguns coleguinhas da escola! Que brincadeira que vai ser com direito a bolo de anos do Mickey e C&a e tudo! Só espero que ele não fique baralhado... Cantou os parabéns na escola e em casa no dia em que fez anos e amanhã vai soprar outra vez as velas.

6 de janeiro de 2012

E o meu filho...

Hoje veio para casa todo orgulhoso trazendo uma linda coroa (a educadora C. é mesmo uma artista) na cabeça e a dizer rei, apontado para a coroa. Vinha mesmo feliz e eu comi-o com beijos, que ontem ficou na avó para os pais irem ao cinema, coisa que não faziam nem sei há quanto tempo, e eu estava a morrer de saudades dele.

Os terríveis dois anos!

A expressão "Terrible Twos" é muito verdadeira e é uma fase muito complicada para filhos e pais.

À medida que os dias passam o meu filho está cada vez mais difícil. Faz birras e quer levar a dele sempre avante. Não quer ser contrariado e quer que seja sempre tudo como ele quer ou... birra, grito e choro. Dizia-me ontem a educadora, o que eu já sabia, que é nesta fase que o temos de contrariar ou depois não fazemos nada deles.

Gosto muito da maneira como o famoso pediatra Brazelton aborda esta questão (e todas as outras). É uma altura em que temos que nos manter firme e mostrar os limites "imposição de limites à criança é necessária para um desenvolvimento harmonioso e saudável".

Para Brazelton "A intensidade e a paixão que uma criança sente a cada decisão reflectem-se na intensidade das suas birras. Com as birras, a criança testa os limites da tolerância dos pais. Porém, a criança tem de aprender a controlar-se sozinha. Se os pais interferirem é muito provável que a birra se prolongue por mais tempo. As birras não podem ser evitadas, elas fazem parte do processo de desenvolvimento da autonomia. Frequentemente uma actuação firme e distante por parte dos pais ajuda muito a criança a ultrapassar as birras. Enquanto os pais estiverem por perto é pouco provável que a criança pare com a birra porque a mensagem que transmitem é "não conseguescontrolar-te". Pelo contrário, quando os pais se afastam estão a querer dizer "tu és capaz de te controlar sozinho".

De acordo com Brazelton, se a birra acontece num local onde não a podemos deixar deixar sozinha a aclamar-se é aconselhável pegar-lhe ao colo, olhando-a nos olhos e imobilizando-a com firmeza utilizando o abraço de cesto (prender os braços da criança junto ao corpo) ou o abraço de tesoura (colocar uma perna do adulto por cima das pernas da criança se esta estiver a dar pontapés). Sussurrar-lhe algumas palavras meigas ao ouvido ou cantar-lhe a canção preferida, talvez ajude a criança a se auto controlar. Todavia importa realçar que imobilizar uma criança com o objectivo de parar uma birra deverá ser sempre o último recurso a ser utilizado".

Hoje, quando  à hora de ir para a cama o meu filho não queria vestir o pijama, comecei a falar-lhe muito baixinho e a pedir que fizesse o que eu estava a pedir, pois ele era um menino lindo e tinha de fazer o que a mãe estava a pedir e a coisa funcionou muito bem.



5 de janeiro de 2012

Os parabéns!

A festa para a família foi um sucesso, apesar da prima de 5 anos quase ter partido a cabeça ao meu filho, no meio da loucura de brincadeiras. Mas, o grande momento, foi quando se apagaram as luzes todas, ficando apenas as velas do bolo e dos castiçais da mesa, e mais de 20 pessoas cantaram a viva voz os parabéns ao A. Ele olhou-me tão feliz e emocionado. Vou guardar o rosto dele, inundado de alegria, na minha memória. Foi um momento de grande emoção para ele, para mim, e para todos os que partilharam a nossa felicidade.

4 de janeiro de 2012

Parabéns, meu filho!

Há 2 anos nasceu uma estrela. 

A estrela que mais ilumina a minha vida. Podia ficar aqui o dia todo a escrever o bom e gratificante que é ser mãe do meu filho, mas basta dizer que o amo e que, desde que ele nasceu, que a minha vida ficou mais completa e mais feliz. Claro que nesta maravilha da maternidade nem tudo são rosas e o meu piolho está numa idade em que nos desafia constantemente e em que quase nos leva à loucura, mas posso garantir que, para mim, ser mãe do A. é a melhor coisa do mundo. 

Há 2 anos a esta hora ainda não o conhecia. Ainda não sabia o quão lindo, perfeito e simpático ele era. Tinha entrado às 10h da manhã na Cuf Descobertas para a minha médica me induzir o parto, naquele dia em que completava 40 semanas. Foi um dia comprido, mas sereno. Não tive dores - abençoada epidural, que eu por momentos (loucos) ainda pensei recusar - e tive o meu maridão sempre ao meu lado. A minha médica foi incansável e o meu pai estava numa pilha de nervos. O que ele queria ver o neto e saber como é que eu estava... Um grande beijinho para si, Pai, que está no céu a olhar por nós...

Às 20h58 nasceu a minha estrela e tive o meu filho nos braços. O meu marido estava doido de loucura e mais louco ficou quando começou a vestir os coeiros que eu tinha comprado, a touquinha, o casaquinho... A enfermeira chamou logo o meu filho de principezinho e, passado uns minutos, o meu marido foi dar a conhecer o nosso filho aos meus pais - a minha mãe diz que nunca viu ninguém tão feliz como o meu marido naquela altura -  à minha irmã e ao meu cunhado (que infelizmente, também partiu cedo e pouco depois do meu filho ter nascido)... 

A vida é mesmo assim. Uns nascem e outros partem, mas hoje o dia é de Alegria e de festa e eu dou Graças pelo filho maravilhoso que tenho e só peço a Deus que lhe dê muita saúde, sorte e sabedoria para viver Feliz com aqueles que o amam e que lhe desejam tudo de bom!

Parabéns, meu filho!

3 de janeiro de 2012

Convites para festas de crianças

Uma regra muito importante: Colocar a hora a que acaba. 

A festa do meu filho vai ser num parque infantil às 10h30 da manhã e já me perguntaram se damos o almoço... Pensei que se percebia que era festa matinal com direito a pequeno-almoço tardio, mas como há dúvidas, nos mails de confirmação já estou a dizer a hora que termina a festa, pois o meu filho depois tem que ir almoçar e dormir a sesta.

Aproxima-se o dia mais especial da minha vida...

O dia do aniversário do meu filho! Eu é que nunca pensei que organizar uma festa para um filho de dois anos implicasse uma logística tão grande... É que bem vistas as coisas, são quase metade das pessoas que foram ao meu casamento. Isto, claro, falando da mega festa que vamos organizar no fim de semana. Amanhã é só para a família mais chegada, mas mesmo assim somos quase 20... Vou ter de me organizar muito bem e gerir bem a minha cozinha. Bimby, trabalha aí com força!

2 de janeiro de 2012

A publicidade e as crianças

Íamos nós na Cril no sentido Algés quando o meu filho aponta pela janela e grita "Coca-Cola" quando passamos por uma publicidade gigante que está afixada num prédio. É incrível como já reconhece o letring da Coca-Cola! É mesmo de pequenino que estas mensagens começam a entrar naquelas cabecinhas. Claro que isto só aconteceu porque o meu marido adora Coca-Cola e é frequente haver cá em casa.

O ano mudou...

... Mas o meu filho continua o mesmo inferno para comer. Deus me dê paciência. É um desespero ter um filho que nunca quer comer. Parece que nunca tem fome. Demora horas. Faz fitas. As nossas refeições são um autêntico inferno. Valha-nos a creche. Pelo menos, lá ele come sem cenas e porta-se bem. Hoje, o dia todo em casa comigo, foi um carnaval completo com eu a desesperar e a ir contra os meus pensamentos para 2012: ter mais calma e não me enervar.

1 de janeiro de 2012

Ano novo guloso

Adoro o arroz doce da Bimby e já fiz um para começar o ano com muito açúcar. Para aproveitar as claras vou usar esta receita, do blogue Me Francesca. É uma estreia. Nunca fiz molotof. Depois digo como correu.

Comecei o ano...

Abraçada ao meu filho e a beijocá-lo, enquanto da janelas víamos os fogos de artifício desde Alcântara até à Expo e com direito aos da margem sul e tudo. É o que dá estar em andares muito altos, quase panorâmicos numa colina de Lisboa. Foi o primeiro ano que o meu filho passou acordado, tal foi a brincadeira com a prima M. Foi um serão tranquilo, mas com um filho de quase 2 anos não dá para grandes aventuras. Comi as passas e pedi desejos. Beijei os meus amores e falei com as outras pessoas mais importantes da minha vida.