31 de outubro de 2013

Estreias do mais novo


  • Comeu o primeiro boião de fruta artificial porque a brincadeira no parque atrasou-se e ele já trepava pelo carrinho a salivar enquanto o mano e o amigo engoliam as gomas. Estava de tal forma nervoso, e em cima das 18h a que costuma jantar, que a madrinha sacou de um boião de fruta batida. Comeu-o todo!! E refilou quando acabou. Um comilão, este mais novo. Até nisso sai à mãezinha dele!
  • Primeira papa com glúten! Papa de multi cereais e mel. Gostou. Apesar dele ser mais sopas!
  • Está a dormir no quarto dos manos. Mas tive de o deitar no seu berço, que ele não quis a cama de grades para nada. É um miúdo de bom gosto, que não troca um berço de design por uma simples cama do Ikea. É que o berço da bloombaby é muito mais aconchegante e também não precisamos de mudar tudo no mesmo dia, não é? Agora é ver como corre o resto da noite. A dele e a minha!

O Pão por Deus do meu filho mais velho!

Oh, mãe, hoje na escola fizemos bolinhas de bolachas (eu vi passar vários tabuleiros com areias), mas a C. chamou-lhe Pão por Deus!!! E riu, riu!! Pão por Deus, que engraçado!

A frase do halloween do meu filho mais velho

A madrinha do mais novo foi ter connosco ao parque e, para o meu e dela mais velho, levou um carregamento de gomas o mais halloweenescas possíveis! Tanta goma tinha de dar vontade de ir à casa de banho e a frase do ano foi: acho que vou fazer cócó de gomas, mãe!! (Além do carregamento de gomas, que lhe estão quase sempre vedadas, já tinha comido uma bolacha fantasma que uma mãe prendada levou para todos os meninos da sala).

As fotografias levam-me de volta ao passado...

Ainda tinha uns álbums de fotografias em casa da minha mãe (de onde eu saí há mais de 10 anos, mas enfim...) e hoje estive a folheá-los antes de os trazer para casa. E vi os meus e os da minha irmã. A minha irmã mais nova e única irmã, que depois da morte do meu pai se virou contra mim e nunca mais a nossa relação foi a mesma. Ela sofreu horrores naquele ano de 2010 (3 meses antes do nosso pai morrer tinha-lhe morrido o marido vítima de câncro) e, desde então, nunca mais foi a mesma. E 2010 apesar da enorme tristeza da morte do meu pai foi um ano de alegria e ficará sempre marcado pelo nascimento do meu primeiro filho. E se ela já era uma pessoa calada, calou-se e fechou-se completamente. Hoje ao ver as fotografias daquela menina linda, lorinha e sorridente não consigo encontrar lá a minha irmã envelhecida, magra e cinzenta em que se transformou. Culpa-me por ter sido a menina do papá e de não o ter chorado como devia e culpa-me por não a ter apoiado como ela merecia quando o marido morreu. Já lhe expliquei que tinha o meu primeiro filho com 3 meses e que fiz o melhor que sabia e que conseguia. Não lhe chegou e isso afastou-a. Não gosta de estar comigo, com o meu marido e com os miúdos, incomodamo-la. Adora o meu filho mais velho, mas vai vê-lo à minha mãe e nunca a nossa casa. Ela teve uma grande depressão (e legítima, é óbvio, porque foi uma machadada muito dura), tem tido altos e baixos, mas nunca mais fomos irmãs, manas... Quando estamos juntas há uma barreira. Tudo muito cordial (agora, que houve alturas já negras), mas nada mais do que isso... Quando o nosso avô morreu em Janeiro deste ano o fosso ficou ainda maior, porque também eu era, segundo ela, a preferida do meu avô. E eu fico triste, muito triste, ao ver as nossas fotos de miúdas, aos ver os meus pais jovens e felizes e a pensar que já nada daquilo existe. O meu pai morreu sem avisar, a minha mãe foi-se muito abaixa e foi como se lhe tivessem tirado o chão, porque sempre foi só mãe e esposa e nunca tinha tomado decisões na vida e a minha irmã perdeu a vontade de ser feliz... E eu fico triste com o que aconteceu àquelas quatro personagens. Se o guião fosse meu, tinha-lhes dado um rumo diferente... Em relação ao meu pai não há nada a fazer, mas ainda tenho esperanças que a minha irmã volte a sorrir e a ser a loira gira que era em miúda... E que volte a gostar de mim e de estar com a família que construí...

Ursinho Gummy - Chucha Chucha



Digam lá se esta música não é um horror? Pois é, mas faz as delícias do mais velho. E eu, pobre mãe, depois fico com ela no ouvido e vou-me deitar a cantarolar chucha, chucha, chucha!

Comemorar ou não o halloween?

Portugal nunca teve a tradição do halloween, mas o meu pai sempre adorou esta festa e fazia-nos sempre as abóboras recortadas em forma de bruxa. Eu e a minha irmã morríamos de medo - ir ver as abóboras a brilhar na noite escura do pátio da quinta - mas adorávamos. Depois disso, nunca mais comemorei o halloween até este ano. A maternidade traz muitas coisas novas à nossa vida e esta é uma delas. O meu piolho mais velho está numa excitação por causa do dia das bruxas. E porquê? Porque no Canal Panda é bombardeado com anúncios e bonecos alusivos a esta data. Vai daí, cá em casa, passamos a fazer parte dos que comemoram o "ailôin", como lhe chama o meu filho. Como aqui já disse não vamos comemorar hoje (talvez só uma ronda pelo prédio a pedir doces), mas no sábado a festa está garantida. Não faz parte da nossa tradição, mas se calhar vai passar a fazer, uma vez que eu vejo que os mais pequenos estão delirantes com este dia.

30 de outubro de 2013

Os manos a dormir no mesmo quarto

Costumo ter o Baby a dormir às 19h e o mais velho às 21h30, mas hoje, primeira noite em que partilham o mesmo quarto, são 23h e o mais velho ainda não adormeceu e já conseguiu acordar três vezes o mais novo, que só ri e palra como se fosse de manhã. Já lhe dei leite quentinho para ver se ele ficava, mas ele quer mesmo é conversa... E o mais velho está a delirar!! "Oh, mãe! O mano não me deixa dormir!"...

Por cá, antecipámos o "ailôin"

Frases (maravilhosas) do dia de hoje...


  • (Quando cheguei à escola) Cortaste o cabelo, mãe? Estás giraça!
  • (Em frente de um menino Jesus que a minha avó tem em casa) obrigada, Jesus, por este dia bom! 
  • Eu adoro-te, mãe! És a melhor mãe de sempre!!
  • (Como foi a ginástica? Portaste-te melhor hoje) hoje já obedeci a algumas coisas. Não consigo obedecer a tudo! É muito difícil!!

29 de outubro de 2013

Horários à inglesa

Desde que eles são dois e eu continuo a ser só uma que os fins de tarde têm de ser melhor geridos. Agora é chegar a casa e dar banho ao mais velho, que depois segue para ver um bocadinho de televisão (desde domingo que está fascinado com o filme dos Simpson que estava a dar na TVI e que em visto vezes sem conta graças às gravações automáticas), depois sigo para a cozinha e preparo a papa e a fruta do Afonso e dou também o jantar ao mais velho sempre que há alguma coisa já feita e ele não faz questão de jantar com os pais. Depois sigo para o banho do Afonso e deito-o. Depois brinco um bocadinho com o mais velho e faço o jantar. E quando assim e tudo corre bem, a esta hora, às 20h, já só falta esperar o Maridão chegar e depois deitarmos o mais velho. Gosto quando consigo que tudo seja feito cedo. E como tenho o privilégio de estar a trabalhar a partir de casa posso gerir os meus horários. E nem quero imaginar um projecto que me obrigue a estar de novo o dia inteiro fora...

Hoje foi dia de vacinas!!!

Eu e o baby fomos à vacina. Eu levei a do tétano e quando a enfermeira disse que a próxima dose é só daqui a 10 anos imaginei como será a minha vida nessa altura com 45 anos!!! Parece que é daqui a uma eternidade, mas isto do tempo corre mesmo depressa. Parece que foi ontem que nasceu o meu filho mais velho e está quase a fazer 4 anos.... Odeio vacinas e agulhas, mas nem senti nada. Acho que foi outra das coisas que mudou com a maternidade. Deixei de ser piegas, mariquinhas. Acho que depois de dois partos uma vacina é para meninos. O Afonso também foi super corajoso. Tomou a Rotateq, que é um liquido, e depois tomou as duas do plano nacional de vacinação. Uma em cada perna. Estava a dormi quando chegámos, acordou já no gabinete de vacinação, choramingou meio segundo e mal entrou no carro adormeceu novamente. Um anjinho doce.

28 de outubro de 2013

Educar com o coração

Hoje tivemos reunião de pais com a educadora do nosso filho mais velho. Já aqui disse muitas vezes o quanto gosto dela e da maneira como trabalha. Este é o terceiro ano que está com ele e cada vez me identifico mais com o projecto educativo que ela tem para aquela turma que agora chegou ao Jardim de Infância. Para mim, o trabalho de uma educadora de infância é essencial e elas têm um papel fundamental na vida dos nossos filhos. Deixo-vos um poema que ela nos apresentou na reunião e do qual gostei muito.
    «Responda-lhe, não o instrua.
    Proteja-o, não o cubra.
    Ajude-o, não o substitua.
    Abrigue-o, não o esconda.
    Ame-o, não o idolatre.
    Acompanhe-o, não o leve.
    Mostre-lhe o perigo, não o atemorize.
    Inclua-o, não o isole.
    Alimente as suas esperanças, não as descarte.
    Não exija que seja o melhor, peça para ser bom e dê o exemplo.
    Não o mime em demasia, rodeie-o de amor.
    Não o mande estudar, prepare-lhe um clima de estudo.
    Não construa um castelo para ele, vivam todos com naturalidade.
    Não o ensine a ser, seja você como quer que ele seja.
    Não lhe dedique a vida, vivam todos cada um a sua.
    Lembre-se de que seu filho não o escuta, ele OLHA para si.
    E, finalmente, quando a gaiola do canário se quebrar, não compre outra...
    Ensine-o a viver sem portas!»
                                        in Educar com o coração de Eugénia Puebla

Perguntas cada vez mais difíceis

No seguimento do como é que eles fazem as portas, as garagens, as estradas, os botões e afins veio uma pergunta ainda mais difícil: como é que eles fazem o cabelo? O teu cabelo é tão macio... Como é que eles fazem? Quem é que fez os cabelos?? E esta, hein?? Se tivesse perguntado à minha mãe ela, provavelmente, teria dito que foi Deus que fez o homem e criou tudo na terra, mas apesar de acreditar em Deus essa não parece a resposta certa. Os vossos filhos também vos fazem perguntas difíceis?

27 de outubro de 2013

Domingo de filho único

Isto de ter mais do que um filho exige uma grande ciência na gestão do nosso tempo enquanto mães. Cada um dos meus filhos precisa de mim, à sua maneira, e nem sempre consigo ser a mãe que gostaria para os dois. Com um bebé de seis meses, que exige muita dedicação, às vezes falta-me tempo (em quantidade e qualidade) para o meu filhote mais velho. Na última semana ele teve dias muito difíceis no jardim de infância com um comportamento que parece ser uma chamada de atenção. A educadora falou connosco e eu perguntei-lhe se ele andava triste e se era por isso que se andava a portar mal na escola. Ele disse que andava triste porque nunca mais tinha ido ao cinema com o o pai e com a mãe. Falei com o meu marido e decidimos que o Domingo seria dele. Cinema e depois almoçar ao MacDonald's, o que para ele é um mega programa. Quando percebeu que o mano não ia, disse logo que o mano também tinha de ir conhecer o MacDonlad's, mas eu expliquei que o mano era bebé e que ficava a almoçar e a dormir com a avó. Não ficou lá muito convencido, mas depois de irmos adorou! Adorou ter os pais só para ele. Até lhe comprámos duas gomas para ele levar para o cinema. Houve muitos beijos e muita atenção em exclusivo, mas quando regressámos correu a acordar o mano que já estava acordado. Foi um bom programa, mas confesso que ao almoço senti que me faltava ali qualquer coisa, faltava ali o pequeno Afonso... Afinal, a família só está completa quando estamos os 4. E é bom que todos sentimos isso!!

Nota: eu dormi o filme todo, claro, mas o meu filho adorou os Cães Astronautas. O meu marido, que esteve acordado, disse que o argumento era fraco. Mas foi o que havia para ver. Haviam de ter visto a nossa cara quando ontem estávamos a planear o programa e reparámos que o meu filho já tinha visto os filmes todos. Ao contrário dos pais, ele está sempre muito actualizado em questões cinéfilas.

26 de outubro de 2013

Vamos fazer o enxoval do Francisco!!

Preciso da vossa ajuda! A auxiliar do berçário do meu Afonsinho pediu-me ajuda, a mim e a outras mães, para, em conjunto ajudarmos uma amiga dela. Então é assim... Era uma vez uma mãe de dois filhos, um na primária e outro no liceu, que aos 45 anos descobriu que, afinal, ainda não tinha fechado a loja e que tem um Francisco a caminho. Esta mãe, cujos recursos financeiros não são muitos, que já tinha dado tudo o que tinha de bebé e que não tem amigas com filhos pequenos tem um problema: precisa de um enxoval para o Francisco, mas não tem dinheiro para o comprar. E nós? Vamos ajudar o pequeno Francisco a ter roupa quentinha, mantinhas, botinhas e tudo de mais lindo e fofo como, felizmente, tiveram nossos bebés? O Francisco vai ter uma família linda que o deseja muito, mas precisa da nossa ajuda. O que é que têm que já não precisem? Roupinhas? Ninguém tem um ovo para o carro? E roupinha de cama? E brinquedos com que os vossos filhos já não brinquem? O Francisco vai nascer em Fevereiro. Quem quiser ajudar envie-me um email. Gostava muito de ajudar esta mãe e, com a vossa ajuda, o pequeno Francisco podia ter um enxoval completo. Alinham?

Constatações de mãe

Faço tantas coisas à noite, às escuras no quarto, que tenho a sensação que adquiri visão nocturna. E refiro-me a dar biberons, mudar fraldas, embalar, por a chucha...

25 de outubro de 2013

Depois do stress o relaxamento

O stress foi logo de manhã quando a dermatologista me disse que tenho um sinal muito feio, com características que não são as que devia ter, e que vai ter de ser retirado e analisado. O meu coração disparou de medo, apesar da médica dizer para ter calma e que o importante é tirar e depois logo se vê, mas para não stressar. Claro que stressei! E muito. Dia 19 de Novembro faço a intervenção, mas só vou descansar quando vier o resultado e dizer que está tudo bem. Depois desta camada de nervos matinal fui ao Medithai para uma massagem de reflexologia e de corpo inteiro com óleos quentes. Já aqui disse que para mim é o melhor local de massagens que eu conheço ( e conheço alguns, que era bastante assídua antes das crias nascerem). O sítio é fantástico, super relaxante e harmonioso, os massagistas, todos tailandeses, têm mãos de ouro, e toda a gente é muito simpática e atenciosa. Por isso, depois de um stress monumental nada como uma hora e meia de relaxamento...

24 de outubro de 2013

Amor da mãe!

Hoje, quando chegámos à escola, vi o desenho que o meu filho mais velho tinha feito...




Ia chorando de emoção quando li o texto... Há coisa melhor na vida que sermos mães dos nossos filhos maravilhosos? Nota: de manhã, zangado por não o deixar abrir o portão da garagem com o comando disse que não gostava de mim e que já não queria ser mais meu filho, mas depois é isto... E o coração da mãe derrete.

Hoje é o dia!!

De brincar mais com o meu filho mais velho. Vou-lhe propôr mil brincadeiras quando ele chegar a casa. Vou tentar arranjar um tempinho só para ele, para nós, antes de ir tratar do mano. Quero que ele se ria e se diverta comigo. Hoje é o dia!!!

Halloween

E, de repente, estou a organizar uma festinha de Halloween para a criançada. Não vamos seguir a tradição à risca e não vamos comemorar na 5ª feira que é dia de escola. Mas no sábado, a animação vai estar garantida! Agora é tratar dos pormenores! O meu filho vai delirar! Eu adorava quando o meu pai fazia caraças com as abóboras e lhes colocava velas lá dentro. Colocava-as no pátio e apagava as luzes e chamava-nos... Eu tinha medo, mas adorava. E recordo esta memória do meu pai com grande ternura... O meu pai era um grande brincalhão e adorava mascarar-nos no Carnaval e brincar ao halloween connosco.

23 de outubro de 2013

Chamar a atenção

As coisas na creche não estão fáceis para o meu mais velho. Anda mesmo a portar-se mal e a testar os limites e a paciência da educadora e da auxiliar. Nas aulas de ginástica, que começaram a semana passada, as coisas estão mesmo feias. Não respeita o professor, acha que a aula é para correr e atirar as bolas e já disse que não gosta daquela ginástica. Parece que já pensam em castigá-lo e impedi-lo de ir à ginástica. "Não faz mal, mãe. Fico a dormir a sesta". A educadora diz que é falta de pai. Não, o meu marido não saiu de casa nem foi trabalhar para fora, mas sai de casa às 8 e chega às 20h. Claro que quando está, está e "o pai é mais divertido que tu, mãe" e é um super pai. Acho que este comportamento pode ser para chamar a atenção. Em vez de manifestar os ciúmes batendo no irmão porta-se mal para chamar a atenção. Parece-me possível. Já falámos com ele, mas não está a resultar. E a verdade é que o pai chega tarde durante a semana e eu estou desde que chegamos da creche por volta das 5 e meia até às 7 de volta do Afonso com o jantar e o banho do pequenino. E ele fica sozinho. Eu vou-o chamando e perguntando se está tudo ok e se precisa de alguma coisa, ele traz o ipad para junto de nós e às vezes até janta com o mano, mas eu também sinto que o fim de tarde para ele é um momento um bocadinho mais solitário. Mas ele gosta de ver bonecos ou filmes e de jogar no Ipad... Mas também sei que gostava que eu estivesse a partilhar esses momentos com ele... É uma gestão complicada... Faço o meu melhor, mas nem sempre fico satisfeita com o resultado e pelo meio há muitas asneiradas (pintar a cara, pintar-se todo, fazer recortes que não deve...) que, provavelmente, são chamadas de atenção...

Uma nova perspectiva sobre o Hospital dos Lusíadas!

Além da terapeuta Paula ser excelente e o meu filho estar muito melhor, que é o importante, há um apontamento digno de nota que me andava a passar ao lado. As pessoas que eu costumava encontrar antigamente no Bairro Alto, no Lux ou na faculdade ou mais antigamente ainda na kapital encontrei estes dias na urgência de pediatria e nas massagens respiratórias do Hospital dos Lusíadas... Andava mesmo a leste! Eu bem dizia que nunca mais tinha visto ninguém. Está explicado! (E o pior é que há pessoas que já tenho de fazer um esforço monstro para as localizar... Como dizia uma amiga: estás a falar de coisas que aconteceram há 20 anos!!! Credo!!!) Por isso, se querem rever antigos amigos ou conhecidos e ver como estão hoje em dia os Lusíadas é melhor que o Facebook!

6 meses de Afonso!! Parabéns, meu lindo!

Há 6 meses a nossa família ficou mais completa e a nossa vida ganhou um novo grande amor. Têm sido 6 meses maravilhosos. Este filho é abençoado. É um bebé doce e cheio de mel. É um bebé de sorriso pronto. É um comilão e um anjinho a dormir. Adora o mano e está sempre feliz. Raramente chora e adora palrar. Dá umas gargalhadas maravilhosas, tem cócegas e adora quando fazemos macacadas e o atiramos ao ar. O mano diz-lhe muitas vezes que o adora e chama-lhe besnico e coisinha boa. Prefere a sopa à papa e adora fruta, maças e pêras. Agora, com a entrada nos seis meses, vai começar a comer carninha na sopa e três vezes por semana o leite do lanche vai ser substituído por iogurte com fruta e bolacha Maria... Que delícia! Está mesmo bom este filho. Tão desejado e tão amado. Tão sereno. Tão querido. Obrigada, meu Deus, por mais este milagre da vida que é ter um bebé lindo e saudável. 

22 de outubro de 2013

A noite hoje foi sem chucha!!

Não pediu. Não se lembrou. Custou a adormecer, mas não falou na chucha. Não sei se foi por estar cá o primo crescido favorito ou se foi puro esquecimento. Força filho!! Coragem!!

"A tia está com olheiras!"

Foi isto que o meu querido sobrinho, no alto dos seus 13 anos, me disse hoje ao jantar. É verdade. Muitas olheiras. Faz amanhã seis meses que não durmo uma noite seguida. Já nem custa não dormir ou estar de vigília à noite, ou dar leite, mudar fraldas ou ajudar o mais velho a adormecer, mas a verdade é que acordo sempre cansada. Com energia e a correr, mas sempre com a sensação de que dormia mais 32 horas seguidas. Por isso, as olheiras. Não mata, mas moí como diz o ditado.

A primeira sessão de massagem respiratória

A mim partiu-me a alma ver o meu filho a ser torturado, mesmo sabendo que era para o bem dele. O meu pequenino, depois de ser apertado e "strufegado" olhou para mim, com aquele enormes olhos pretos, e implorou que o salvasse. A terapeuta, de quem gostei imenso, assim que acabou a sessão  tentou aninhá-lo no colo para o reconfortar, mas ele arqueou o corpo e afastou-a com as mãos, muito sentido com ela. Só no meu colo e com o meu abraço apertado ele ficou bem. Coitadinho do meu bombocas. Amanhã temos a segunda sessão e ainda fica a faltar outra. Mas é para o bem dele. E eu gostava muito que ele ficasse bom só com a cinesioterapia para evitarmos o atrovents e ventilans... É que ele é muito pequenino, só faz amanhã 6 meses... Que rico presente te estamos a dar, meu bebé. Um bebé tão doce e tão querido... 

Obrigada!!!

Obrigada por todos os comentários e emails que recebi a desejar as melhoras do Afonso!! Muito obrigada. Todas nós sabemos bem o que custa ver um filho doente, bebé então nem se fala!

Massagem Respiratória

E daqui a pouco vou com o meu bebé à massagem respiratória. Ele está bem melhor desde que ontem fez os aerossóis e foi aspirado no Hospital dos Lusíadas e espero que depois da sessão de hoje fique ainda melhor. Sei que vai custar (a mim e a ele), que aquilo é um bocadinho violento, mas é para ficar bom. E depois da tareia tem o colo e o mimo da mãe para o reconfortar. O pior vai ser a fome. Quando ele acordar vai estar cheio de fome, mas só lhe posso dar o leite depois da massagem para evitar que vomite tudo.

Horário de Inverno

Se há coisa que me deprime é o horário de Inverno. Todas as informações, aqui.

Mais um bebé a caminho...

Não é meu, que ainda é cedo para irmos ao terceiro, mas é de uma grande e querida amiga. Vamos a ver se é desta que lhe sai a rapariga que ela tanto quer. Dizem que à terceira é de vez. Vamos ver, mas o importante mesmo é que venha com muita saúde.

Venda de Natal "Ajuda de Mãe"

Parece que ainda ontem andava de havaianas a caminho da praia, mas a verdade é que caminhamos para o Natal. Ainda falta, é certo. Mas e bom começar a tratar com antecedência dos presentinhos e cabazes para não deixar tudo para a última hora. A "Ajuda de Mãe" já está a pensar no Natal e precisa da ajuda de todos nós para poder ajudar os bebés e as mães que a ela recorrem. Por isso, aqui fica a sugestão.
Venda de Natal da Ajuda de Mãe
FELIZ NATAL 2013

 

Ao fazer as suas compras de Natal na loja da Ajuda de Mãe
está a ajudar mães e bebés que
a nós recorrem diariamente



Temos várias sugestões e produtos
para tornar o seu Natal mais especial.


  Abre dia 25 de Outubro de 2013  

Campo de Ourique: Rua Ferreira Borges, n.º 183 B
Horário: de segunda a sábado das 10h às 19h
Aberto aos sábados no mesmo horário

Vale tudo para sair da cama...

Para eu conseguir acabar um guião, aproveitando que o baby está a conseguir dormir, hoje o pai deitou o mais velho. E é sempre uma macacada e vale tudo para sair da cama. É a água, agora mais um xixi, agora mais um beijinho, e um adoro-te... e a criatividade vai aumentando e as desculpas vão ficando mais engraçadas e esfarrapadas... e hoje, depois de esgotadas as opções básicas e diárias, foi assim: oh, mãe! Temos de lavar os pés. Tenho o dedo grande do pé malcheiroso. Oh, filho! Isso é impossivel que eu dei-te uma bela banhoca. E depois de cheirar o dedo e confirmar a limpeza lá o enfiei na cama... E ele ganhou mais um minuto e mais umas beijocas da mãe!

21 de outubro de 2013

O meu bebé está doente...

O meu bebé ou o "bola de berlim pequenino" como lhe chama a educadora (que se mete com o meu filho mais velho por causa da sua fama de devorador de bolas de berlim na praia) está doente. Passou uma noite terrível cheio de pieira e expectoração. Acordámos várias vezes a meio da noite em sobressalto com ele a engasgar-se. De manhã ele estava bem melhor. Hesitei, mas como estava melhor e não tinha tido febre acabei por deixá-lo na creche porque tinha um guião urgente para acabar. E como a creche é aqui ao lado em dois minutos ia para lá. Mas passei a manhã com o coração apertado. Liguei para a educadora que me disse que ele estava com bastante farfalheira e muito murcho. Agarrei em mim e fui buscá-lo. Just in case, fui com ele à urgência do hospital dos Lusíadas, porque o pediatra estava com o telemóvel desligado (coisa que nunca me tinha acontecido). Gostei imenso do atendimento, do espaço colorido e arranjado, do enfermeiro da triagem e da médica que o viu. Ainda bem que lá fui hoje para, disse a médica, evitar que piore e se transforme em brinquiolite. Fez logo ali aerossóis e foi aspirado. Nunca tinham aspirado um filho meu e é horrível. Eu só o segurei com força e olhei para o lado, seguindo a sugestão do enfermeiro. Um tubinho pelo nariz e aspira... um tubinho pela boca e aspira... Coitadinho do meu boneco. Abracei-o com força depois da tortura e ele deixou-se ficar aninhado ao meu colo. Amanhã é dia de massagem respiratória e eu só quero que o meu bebé querido fique bom depressa e que consiga dormir melhor esta noite.

20 de outubro de 2013

Os terríveis 2 anos

Fala-se muito nos terríveis 2 anos, mas os 3 quase a chegar aos 4 não estão fáceis. O meu filho anda mesmo a testar os limites. Muito desobediente e refilão. Uma mãe tem de ter muita paciência e respirar fundo muitas vezes. É fundamental ser firme ou, então, estamos feitos e eles acham que mandam. Prevejo muitos castigos. 

19 de outubro de 2013

O retrocesso da chucha

Duas semanas e uma noite depois de ter cortado a chucha à tesourada voltou a pedir a chucha. Estava inconsolável para dormir a sesta com o dedo indicador enfiado na boca. Chorava sem parar a pedir a chucha e eu e o pai decidimos dar-lhe uma chucha que tinha sobrado. Não sei se fizemos bem ou mal, mas angústia dele era tal que resolvemos dar-lhe a chucha. E foi imediato. Acalmou, meteu-se na cama e adormeceu profundamente. Custou-nos tomar esta decisão, ele tinha sido tão corajoso nas últimas semanas... Vamos ver o que acontece logo à noite. 

Jantar de amigas

Hoje fui jantar com uma querida amiga. Fomos para as tapas para Alfama e soube muito bem. O jantar estava bom, a companhia óptima e o vinho maravilhoso... Estou é muito fraquinha... Nem dois copos e já estava quase a cantar o fado. Entre a ultima gravidez não evolutiva, mais a gravidez do Afonso e dar de mamar já não bebia álcool há quase 2 anos!! Como o tempo passa!! Mas depois parei, águinha fresca e fiquei fina! Até amanhã!

O Panda e Os Caricas

O Panda e Os Caricas hoje foram à escola dos meus filhos. O pequenino não deu por nada, mas o mais velho adorou receber a visita do Panda na sala. E até tiveram direito a uma fotografia de grupo. O delírio!
Mãe: e deste um abracinho ao Panda?
Filho: não, mãe. Dei-lhe um abraço!

18 de outubro de 2013

Olhem para nós, tão lindos!!

Estou feliz com a nova imagem e com o novo logótipo do blog. Está amoroso e apesar da Orquídea não me conhecer pessoalmente criou uma imagem que tem mesmo a minha cara e a cara deste blog. Muito obrigada, do fundo do coração. E espero que por quem aqui passa também goste desta nova imagem. É impossível não gostar, não é?

17 de outubro de 2013

"Mãe, vamos para Madrid!"

Hoje no carro.
Filho mais velho: mãe, temos de ir a Madrid.
Mãe: mas o tio Diogo já não mora em Madrid.
Filho: não faz mal. Vamos só nós. A nossa família. Vamos os quatro. É que o mano ainda não foi a Madrid e tem de ir.
Mãe: e se fossemos a outro sítio?
Filho: podemos ir à neve. Eu tenho muitas moedas guardadas!!

Nota: eu já ouvi falar em neve, mas acho que é só para a turma do bolinha e acho que tu, filho, não estás incluído. Nem tu nem eu!

Obrigada Orquídea

Eu pedi e uma simpática orquídea branca quer ajudar a dar uma cara nova ao blog. Conheçam-na aqui. O pior é que eu não faço ideia do que é que quero para a imagem do blog! Não te estou a facilitar muito a vida, pois não?

As bolachas e as promessas

Prometi e cumpri e levei-lhe as bolachas. E depois foi a vez dele prometer que amanhã se ia portar bem na escola. Está mesmo numa fase de testar limites. Desobedece em casa e na escola. E está a ver até onde estica a corda. E não só se porta mal e desobedece como chama os coleguinhas para alinharem com ele. E como é um sociável, líder que todos os miúdos adoram, ainda por cima o mais velho da classe, tem seguidores. Para a asneira o meu filho tem de ter audiência e quem lhe ache graça. sem público e fãs não actua! E hoje tinha uma educadora que com a sua calma zen me deu bem a entender que ele anda a passar das marcas. Amanhã o beyblade fica em casa só em jeito de reflexão.

Em busca das bolachas...

Estas bolachas que aqui vos mostram são, na nossa casa, intituladas por bolachas do Kiko, pois quando o meu mais velho era pequeno e andava na ginástica com o amigo Kiko, este levava sempre estas bolachas. Acabou a ginástica, mas as bolachas mantiveram o nome. As bolachas são deliciosas e eu compro-as sempre que as encontro, visto que são mais dificeis de encontrar que sei lá o quê.. E costumava mandar estas bolachas para a natação no ano passado para pai e filho comerem depois da aula. Ora que na terça feira, dia de natação com a escola, o meu filho me diz que não lhe mandei as bolachas do Kiko. Prometi que hoje, dia de natação, teria as bolachas do Kiko. Já corri vários supermercados e nada. Sempre comprei no Jumbo do Alegro, mas agora fica mesmo fora de mão. Vou num instante ao Continente do Colombo e rezar a todos os santos para que eles vendam estas bolachas. E ser mãe também é isto... Fui!

"O monstro das 7 léguas"

Mas a mim fz-me muita confusão ler esta história ao meu filho... Na versão do livro cá de casa é assim: Começa pela fome tremenda dos 7 irmãos, depois eles saem de casa sozinhos à procura de dinheiro e depois o monstro come as filhas, pensando que são os sete manos, eles regressam a casa com dinheiro e felizes... O meu filho mais velho adora, mas eu não... E ele já perguntou? Como é que eles foram sozinhos se são pequeninos? E o monstro come as 7 filhas toda para a barriga? Pois... E no outro dia deparei-me com a história do "Polgarzinho" e tive de aldrabar na parte em que "o pai deixa os filhos na floresta porque não tem o que lhes dar de comer... " Estes livros eram meus, mas eu vou dar-lhes um sumiço. Acham exagero?

Designers desta blogosfera...

Não há por aí nenhum que queira fazer um lifting giro aqui ao meu blogue? Se algum talentoso ou talentosa quiser dar uma ajuda, mande-me um email. Eu agradeço muito! Obrigada!

"Como é que...?"

Nesta semana inaugurámos uma fase nova na aprendizagem do meu filho e a pergunta "Como é que...?" tem surgido a toda a hora e a todo o instante. Como é que conseguiram fazer as paredes? Como é que conseguiram fazer a mochila? Como é que conseguiram fazer a porta? Como é que  conseguiram fazer o vidro? Como é que conseguiram fazer a cama? Como é que conseguiram fazer a garagem? Como é que conseguiram fazer o elevador? Como é que conseguiram fazer o botão da garagem?... E por aí adiante. Eu lá vou explicando o melhor que sei de modo a que ele entenda. Tem sido uma primeira abordagem às profissões e à escola dos crescidos onde os adultos vão para aprender a fazer o trabalho deles. Isto de ser mãe é tramado e nem sempre sabemos explicar bem as coisas. Vou ver se arranjo um livro que me ajude a explicar tudo isto ao meu filho, um curioso, que quer saber tudo e a quem eu gosto sempre de dar uma resposta para o incentivar a perguntar sempre mais.

O drama do almoço de hoje

Hoje o meu filho vai ter grandes dificuldades em almoçar. O menú do Jardim de Infância para hoje é caldo verde (se ele odeia sopas batidas, caldo verde é o seu maior pesadelo) e bacalhau com grão! Vou preparar um lanche reforçado para quando o for buscar, que prevejo um almoço muito difícil. Mas faz parte e é uma das vantagens dos almoços da escola, é que eles têm de comer tudo mesmo aquilo que não gostam nada!

Actividades escolares

Ontem foi a estreia da natação com a escola.
Mãe: gostaste?
Filho: não.
Mãe: (super admirada que ele sempre adorou natação) porque não?
Filho: (indignado) a aula foi só um minuto e devia ter sido 4 minutos. Foi muita curta. (Mãe soube depois que o menino mais novo da sala dele com o nervoso da piscina fez cocó o que implicou uma evacuação das crianças e o cancelamento das aulas do resto da tarde).

E hoje... Primeira aula de ginastica na escola.
Mãe: gostaste?
Filho: portamo-nos todos mal!! Todos, mãe! E o professor queria conversar para nos conhecer, mas nós queríamos correr!!

Ainda sobre o adeus à chucha e olá às noites mal dormidas

O meu filho mais velho continua com imensas dificuldades em dormir e em voltar a adormecer quando acorda a meio da noite e está muito mais birrento. Sinto mesmo que tem alturas em que se descontrola. E sei que era nessas alturas que a chucha era uma rolha calmante milagrosa. Na sexta feira faz 2 semanas que ele cortou as chuchas, mas ainda sofre pela sua ausência. Ele não se apercebe que sente falta da chucha, mas eu sim... E na agitação para dormir e descontrolo de birras sou eu que me lembro da chucha!! 

16 de outubro de 2013

O pai

O meu filho mais velho cortou os rebordos de uma fotografia do meu sogro. Eu expliquei que era uma fotografia do avô Alexandre, o pai do pai, e que ele não podia estragá-lá, até porque o avô já está no céu, já não pode tirar fotografias e o pai tem muitas saudades do pai dele, que já cá não está ara conversarem, para o abraçar... E ele diz: ainda bem que o pai já é pai. Assim pode-me abraçar a mim... E apesar de ninguém ocupar o lugar dos nossos pais, que já partiram, os filhos preenchem o nosso coração de tal maneira que o dia do pai, apesar da saudade que sentimos dos nossos, se transforma num disse alegria por termos filhos para abraçar e amar.

Três mães!!

Eu, a minha mãe, a minha avó e o meu filho mais velho à mesa. Do nada, ele diz: que estranho! Três mães todas juntas!! E como é que eu sei qual é a minha??
Eu: a tua mãe sou eu! Sabes bem! Tiveste dentro da minha barriga.
Filho: eu sei. Estava a brincar. Mas três mães é mesmo esquisito!! 

15 de outubro de 2013

Pormenores do Baptizado

A vela e os marcadores de livro que oferecemos como lembrança do baptizado do nosso querido Afonso.

Mãe à beira de um ataque de nervos

A manhã de segunda feira de loucos. Tudo pronto para sair, já atrasados para a escola. Porta da rua aberta. Afonso no hall do prédio. E onde estão as chaves de casa? Jurava que as tinha usado para entrar em casa no sábado ( mas depois veio a constatar-se que não tinha e que estavam dentro o carro). Volta a entrar com as crianças. Mano mais velho a melgar o pequeno e a baixar-lhe a capota do carrinho e uma mãe a correr pela casa. Mexo e remexo em tudo. Ligo ao maridão que me diz que há umas chaves extra para o elevador e garagem. Lá vamos já com 30m de atraso. Mais novo no carro. Mais velho encontra chupa colado na cadeira, ainda restos da festa de baptizado do mano. Quer o chupa. Grita. Começa uma birra. Vou meter o carrinho do Afonso no carro, mas o meu marido encostou tanto que não consigo abrir a mala. Praguejo! Chego o carro à frente. Filho mais velho continua aos gritos por causa do chupa. Meto o carrinho na mala. Meto-me dentro do carro. As luzes da garagem apagam, mas eu não quero saber e meto prego a fundo. O meu filho mais velho grita cada vez mais. Eu só quero sair dali e vou em frente e não faço a curva. Esmurrei o lado direito quase todo do carro. E o meu filho mais velho parou de chorar e só queria ver a amolgadela. Chegamos finalmente à creche comigo com uma cara de sei lá o quê, mas parecia que tinha corrido 10 maratonas... e o meu filho diz logo: "Eu queria o meu chupa, a mãe não sabia das chaves e até batemos com o carro e tudo!"... O dia passou... Ao chegarmos a casa: "Oh, mãe! Boa! Desta vez não bateste com carro!" E é isto... E em vez de comprar o Iphone que tanto desejo e cuja compra tenho adiado porque é muito dinheiro, vou arranjar o carro!

A amizade na infância

É giro ver as amizades do meu filho que ainda nem tem 4 anos. Tem grandes amigos do coração na escolinha, onde está desde os 9 meses. O seu grande amigo, o Afonso, saiu da escola no final do ano lectivo passado, mas o meu filho continua a falar imenso dele, já falaram ao telefone e o meu filho até lhe comprou um presente para lhe enviar com um postal. O outro, quando recebeu delirou de orgulho por ter recebido uma carta do amigo! São tão queridos... Ontem, quando ele estava a ver um livro de primeiras orações que a minha avó lhe deu no dia do baptizado do mano, havia uma oração pelos amigos. E ele começou a inumerar os seus amigos e a certa altura diz: e o meu amigo Afonso, que já não está na minha escola, mas eu gosto muito dele! E eu achei uma ternura muito grande... Vou agora combinar com a mãe dele para ele vir cá a nossa casa. Sim, porque o meu filho já recebe amiguinhos em casa. No domingo, veio cá um amigo da sala da creche com a irmã pequenina que é apaixonada pelo meu filho. E foi muito divertido e brincaram muito. Gosto de fomentar as amizades dos meus filhos e as portas de nossa casa estarão sempre abertas para os receber.

Natação com a escolinha

O meu filho mais velho está tão crescido que já vai com a turminha da escola à natação. É o meu mais velho do meu coração! Vai começar a sua primeira aula dentro de 15m. E eu confesso que adorava ver. Espero que ele se porta bem, obedeça, aprenda e se divirta. Ele adora piscinas, água e natação. No ano passado ia com o pai, exactamente para a mesma piscina para onde vai agora com a escola. Por isso, domina o sítio e com sorte até conhece o professor. Vamos ver o que é que ele conta quando o for buscar. Acho que deve adorar!

13 de outubro de 2013

O perigo dos medicamentos e das crianças

Ontem apanhei um grande susto com o meu filho mais velho. Ele adora tomar remédios e nunca tivemos problemas nenhuns em dar xaropes, comprimidos e mais recentemente agora comprimidos em versão para mastigar ou chupar, que são os preferidos dele. Se por um lado é bom ter uma criança que não faz fitas para tomar remédios por outro é demasiado perigoso. E ontem apanhámos um valente susto. Depois de o deitar mil vezes, vejam o post anterior, ouvi a porta do armário da minha casa de banho a bater. Saltei de imediato e corri para lá e lá estava ele. Perguntei-lhe o que tinha tomado e ele abriu o armário e apontou para a caixa do Sungulair, remédio para as alergias e asma. O pai levou-o dali e eu fui ler o que dizia a embalagem para fazer em caso de sobredosagem. Mandava ligar para o médico e eu liguei de imediato para o pediatra, mas ele tinha o telemóvel desligado e liguei para a saúde 24, que depois me pôs em contacto com um médico dos venenos e intoxicações. Felizmente a dose ingerira não exigia cuidados nem preocupações e eu não ganhei para o susto. Já escondi a caixa dos remédios e temos de quadruplicar os cuidados e não deixar nada à vista. Tolerância zero para não haver um acidente grave. Vou comprar uma caixa que ele não consiga abrir e continuar com ela bem escondida. E vocês, têm os remédios bem escondidos e trancados?

Ainda sobre deixar a chucha

O meu campeão nunca mais falou da chucha. Nunca mais a pediu e sei que para ele o fim da chucha é um assunto encerrado. Mas não consegue dormir bem à noite, está horas para adormecer ( deito-o por volta das 9 e pouco e não adormece antes das11) e acorda imensas vezes a meio da noite, sem saber o que quer, mas a pedir companhia para dormir.  Nunca tinha acontecido. Sempre o deitámos, uma história de livro, outra de boca contada por mim, beijinhos da mãe e do pai e ele lá ficava e adormecia depressa. Agora não está a ser assim. Esperamos que seja uma fase que passe rápido, pois ele anda cansado de mais de uma semana a dormir mal. Ele nem tem noção de que esta dificuldade em dormir está relacionada com o fim da chucha, mas está, coitadinho do meu super campeão.

12 de outubro de 2013

Um baptizado perfeito

Uma celebração linda, linda com um padre tão fantástico que se todos os padres fossem assim a Igreja teria muitos mais jovens e famílias. O Afonso não chorou quando foi baptizado com a água benta e o Padre Alberto ainda acedeu ao pedido do meu filho mais velho e também o benzeu com a água. E pegou-lhe ao colo quando eu, o meu marido e os padrinhos segurávamos a vela, para também ele ajudar sempre o irmão a encontrar uma luz, um caminho. Falou da importância do casal, do tempo para namorar e pediu a todos para nos ajudarem, ficarem com os nossos filhos e libertarem-nos para termos tempo só para nós, que é quando ele já percebeu que os casais são mais ternos. E se os casais estiverem bem e felizes a base familiar é sólida e tudo é possível. Um padre mesmo formidável, que estava feliz por ter ali quase 30 crianças e que as deixou à vontade. Foi mesmo uma linda celebração, com textos escolhidos por nós e uma oração escrita por mim. A festa a seguir também foi óptima. Os adultos almoçaram e duas babysitter tomaram conta das crianças que tiveram direito a pinhata de doces, pinturas faciais, piscina de bolas, escorregas e modelagem de balões. E o querido Afonso, de colo em colo, dormitou um pouco, mas de resto sempre acordado e a encantar toda a gente com o seu sorriso. É mesmo um bebé com mel e especial. E o dia foi muito bom. E o tempo cinzento foi muito agradável e estivemos todos muito bem! E damos graças pelo dia de hoje! 

11 de outubro de 2013

A preparar as orações para o baptizado do Afonso

E com um enorme nó na garganta e lágrimas nos olhos. O meu pai, o meu avô e o meu sogro não deveriam estar na Oração dos Fiéis, mas aqui, connosco, a ver os netos e bisnetos a crescer, a levá-los ao parque e à floresta a caçar gambuzinos! Que saudades. O meu sogro já não conheceu nenhum dos 10 netos, mas o meu pai ainda conheceu o primeiro neto, o meu primeiro filho, e esteve com ele no dia do baptizado assim como o meu avô. Em 3 anos e meio desapareceram os dois. Estou triste. E é nestas alturas que quero mesmo acreditar que o céu existe mesmo e que eles estão lá em cima a jogar bridge e à conversa a ver os meus filhos crescerem e a protegerem-nos...

E amanhã baptizamos o Afonso

E o São Pedro podia ser mais amigo e guardar as nuvens e o frio só para Domingo. Vestido novo sem mangas e sandálias sem meias são a minha toilette para amanhã num almoço num espaço com um jardim lindo que merece ser aproveitado. Vamos ver se São Pedro é nosso amigo e manda as nuvens para outras paragens!

Cansaço pós parto

Mesmo tendo o filho mais doce, querido e menos chorão do mundo a verdade é que há quase 6 meses que não durmo uma noite seguida. Ele já não come a meio da noite, pelo menos não o tem feito, mas acorda quando perde a chucha e eu acordo ao mínimo barulhinho. Vou mudá-lo para o quarto dele e do mano para ver se começo a conseguir descansar de noite, que estou a atingir um limite de cansaço que me faz andar zombie, pedrada, esquecida e até perigosa para conduzir. Já para não falar que quero dizer pijama e digo bibe, quero chamar para a mesa e mando-o para cama e afins... Isto de uma pessoa não dormir uma noite seguida faz estragos e muitos. E eu preciso urgentemente de ter o meu Tico e Teco a funcionar.

10 de outubro de 2013

O fim da amamentação

A amamentação do Afonso chegou ao fim. Acabou o leite e ele quer é papas, sopa e fruta! E olha para a nossa comida com vontade de comer tudo. É um comilão, o meu bombocas. Com o fim da amamentação aconteceu uma coisa... Eu não fumo há meses, não tive vontade de fumar enquanto amamentava nem me lembrava que os cigarros existiam, mas desde que a minha fonte secou foi como se o meu cérebro se tivesse voltado a lembrar de fumar! Bolas!

9 de outubro de 2013

Aniversário do Lux

"Oh, mãe! Estás com olhos de vampira!!" Foi assim que o meu mais velho me deu os bons dias! A cara de sono não engana, mas a festa de ontem foi gira, gira e eu  o meu maridão namorámos como há muito não o fazíamos. Só foi pena não poder dançar e namorar até de manhã... Mas valeu muito a pena uma noite a dois no meio de uma multidão gira! E hoje a manhã de trabalho começa com um café. Há mais de 6 meses que não bebo um. Espero que seja suficiente para me arrebitar!

8 de outubro de 2013

O date dos pais

Tu e o pai vão a uma festa namorar? Sim, filho, vamos!!! E também vamos jantar fora sem filhos, coisa que não fazemos há mais de 6 meses. Eu adoro andar com as crias sempre atrás, mas eu e o meu marido estamos mesmo a precisar de estar sozinhos sem filhos, de namorar, de não ir só a festas das princesas e do homem aranha, de jantar num sitio giro, na moda, de nos rirmos, de conversarmos e de nos olharmos nos olhos e de ouvir música fixe! Em relação à música até não me posso queixar que o nosso mais velho prefere as nossas músicas à da carochinha e tem dançado animadamente ao som do convite que recebemos hoje para o Lux. Mas estou mesmo a precisar de namorar com o meu marido. Na loucura do nascimento do Afonso, mudança de casa, a loucura do trabalho do meu marido que anda a sair de casa antes das oito da manhã e nunca regressa antes das 9 ( ontem e hoje não viu os filhos, desgraçado). Vamos é à festa nas horas dos patós, como diz o meu marido. Longe vão os tempos em que "fechávamos" o lux ao início da manhã e ainda íamos tomar o pequeno-almoço ou seguíamos para a praia... Parece que foi noutra encarnação! Hoje se nos aguentarmos até à uma ou duas da manhã é uma sorte! Mas vamos!! Agora resta escolher onde vamos jantar. Sugestões?? 

7 de outubro de 2013

Os timmings dos filhos

O adeus à chucha do meu filho mais velho veio mesmo confirmar a minha crença de que as crianças têm os seus timmings e que se os compreendermos e respeitarmos tudo correrá bem. O meu filho que era a criança mais louca pelas suas chuchas, que dizia com todas as letras "eu gosto tanto, mas tanto das minhas chuchas, mãe" quando eu perguntava se ele as queria deitar fora, que olhou para a árvore das chuchas na Quinta Pedagógica e depois, olhou-me nos olhos e disse: "eu não consigo. Outro dia."

Deixou as chuchas na Sexta-Feira e nunca mais falou nisso. Está radiante com os bayblades que recebeu (sim, porque o XPTO do DinoFroz partiu-se logo e ele foi com o pai comprar outro. Felizmente tinha o talão do DinoFroz e já consegui que me devolvessem o dinheiro porque parece que aquilo parte-se mesmo tudo) e feliz e orgulho com ele próprio por ter largado a chucha. Fui criticada por ele estar a chegar aos 4 anos e ainda dormir de chucha, mas eu e o meu marido achámos que íamos esperar mais um bocadinho e que o click dele decidir dar esse passo iria acontecer, sem dramas, sem traumas, sem gritos. E aconteceu. E estamos todos muito felizes e orgulhosos do nosso filho. E felizes porque respeitámos o timming dele.

4 de outubro de 2013

O difícil adeus à chucha

O meu filho mais velho sempre quis ser crescido. Aí de quem o chame de bebé que responde logo com um já tenho 3 anos! Deixou a fralda num só dia antes dos dois anos e meio, não usa babetes há séculos, usa garfo e faca e pratos como os nossos. Desenrascado como tudo, mas tinha um grande amor de bebé: a chucha. Ou melhor, as chuchas. Eram 3 no passado, mas ultimamente só duas. Um vício, um conforto. Na creche há um ano que já não usava nem tinha, mas para dormir em casa continuava a não querer deixar: eu gosto tanto das minhas chuchas, mãe. Tentou duas vezes sem sucesso e eu não insisti. Ia falando no assunto, mas sem criar grande pressão. Até porque há 5 meses e meio nasceu o mano e achei que não era boa altura. Mas estava prometido um beyblade, mas ele dizia sempre: outro dia, mãe. Mas hoje de manhã decidi nova táctica e disse-lhe que lhe ia comprar um beyblade, que ia ficar em casa para ele ver até deitar a chucha fora.  Disse logo que sim e que já era crescido. Quando o fui buscar perguntou se tinha comprado o beyblade e ficou num excitamento. Em casa viu a embalagem e pode tocar. E não era um beyblade qualquer. Era um beyblade dos dinofroz, um desenhos animados que ele adora! Uma loucura! Combinámos que depois da primeira noite sem chucha receberia o beyblade, mas teria de deitar fora as chuchas. Vou cortá-las com a minha tesoura. E assim fez, dando um grito de guerra: eu tenho bravura!!! Disse que ia ter saudades das chuchas, mas deitou-as fora já decapitadas. Isto foi há 2 horas. E 2 horas foi o que ele demorou a adormecer. Um nervoso. O coração a bater depressa. Saltava da cama e ia à casa de banho. Dava pinotes na cama. Chamava por mim. Pedia mimo, dizendo que já era crescido... Uma dualidade, coitadinho. Quer e sabe que já é um menino grande, mas ainda é pequenino. Ajudei-o a acalmar. E reparei no dedo indicador na boca. E uma onda enorme de amor encheu-me um peito. Hoje é uma noite difícil para ele. É uma noite de teste. É uma noite de mudança, de uma mudança que ele quer que aconteça. Mas é uma noite difícil e de ansiedade. E agora vou lá ver se ele já dorme e dar-lhe mais um beijo. Porque como ele disse, o meu filho tem bravura!! E foi um acto de bravura destruir uma coisa tão preciosa. Espero do fundo do coração que ele ultrapasse rapidamente esta fase e olhe para a chucha como algo do passado. Boa noite, filho lindo do meu coração.

2 de outubro de 2013

O meu mais velho e o mais novo

O meu filho mais velho hoje comeu duas pêras antes do jantar, jantou tudo o que lhe pus no prato e rematou com mais uma pêra. Este meu filho é aquela criança que nunca tem fome, que não engorda, que mal come e que mal tem percentil de peso. Fora isso, tem uma saúde de ferro e é espectacular, mas é um horror para comer. Em quase 4 anos de vida nunca tinha comido tão bem ao jantar. 

Já o mais novo... Dá gosto vê-lo comer. Mais um bocadinho e pesa o mesmo que o irmão. Hoje provou pêra cozida e lambeu-se com um prazer que dava gosto. Despacha um prato de sopa ou de papa e ainda come uma peça de fruta ralada ou cozida. E com jeitinho ainda mama a seguir. Está tão lindo o meu gorducho! "Oh, mãe, o mano é um bocadinho gordo." Mas não está gordo. Está com o tamanho e peso certo. É lindo, maravilhoso e o bebé mais doce e fácil do mundo. E para quem tem um filho mais velho que é um inferno para comer  é uma benção dos céus ter um bebé com uma boca santa. Jantou às 19h30, mamou um bocadinho só para aconchegar antes de dormir, à meia noite bebe um biberão e de madrugada ainda mama! E é vê-lo crescer!

Bolo de Baptizado

Alguém tem alguma sugestão de um bom sitio onde eu possa encomendar o bolo do baptizado do Afonso. Quero um bolo bonito e simples. Sugestões? Em Lisboa. Obrigada 

1 de outubro de 2013

Baptizado do Afonso

Só faltava a minha roupa, mas ontem consegui comprar o vestido. É giro e gostei de me ver. Agora resta saber se vai fazer sol ou chover para escolher os sapatos ideais.


Mango