30 de junho de 2015

Diário de uma grávida#10

Sempre ouvi dizer que a grande diferença, a grande mudança era quando passávamos de um para dois filhos e que depois disso uma pessoa já estava habituada a desmultiplicar-se e a dividir as atenções, o tempo... Agora que estou grávida do terceiro filho resolveram começar a dizer-me que o grande choque é quando se passa de dois para três!!! Mães de três acusem-se!! 

Fim de tarde❤️






Alteração à ementa semanal!

Atenção! Além do post da ementa semanal estar todo desformatado e eu não conseguir fazer nada com ele vai haver mudanças. Na sexta feira, em vez da tradicional tarte de frango e alho francês vamos ter esta tarte maravilhosa da Mafalda Pinto Leite. Aposto que vai ser um sucesso. Eu já estou aqui a salivar... Deixo-vos com a imagem, absolutamente inspiradora! Bom apetite!


Diário de uma grávida#9

... Ou a dificuldade que ainda existe para conciliar a vida familiar e profissional. Tudo estava encaminhado para eu seguir para um novo projecto, no seguimento do anterior, com a mesma equipa e tudo. Achei por bem contar à minha chefe, também minha amiga há mais de 10 anos, que estava grávida para ela contar com isso e eis que afinal já não vou para esse projecto. A ideia é pouparem-me a um projecto muito exigente que envolve muitas horas de trabalho diário com fins de semana incluídos, mas a verdade é que também não dá jeito nenhum haverem mudanças de pessoas a meio dos projectos. E que há pessoas sem filhos e sem obrigações familiares disponíveis e ansiosas por trocar de lugar comigo.  E eu fiquei triste e magoada. Um bocado à deriva sem saber em que projecto me vão colocar... E sem conseguir esquecer que quando estava grávida em 2012 do meu pequeno A. fui dispensada no dia em que entrei em gravidez de alto risco... Já me foi garantido que não acontecerá o mesmo nesta empresa, mas já não sei em que confiar ou no que acreditar. E às vezes acho que devia ter estado calada. Fazia-me de parva: oh, só descobri aos 3 meses! E já estava no projecto. Mas eu não sou assim. Não faço as coisas pelas costas nem pela calada. Achei que era justo contar a minha situação para a minha chefe de projecto saber com o que contava, para pensar num plano... A ideia, segundo ela me disse, é proteger-me com um projecto menos desgastante, mas eu senti-me posta de lado como se já não tivesse capaz para trabalhar... E era um projecto tão aliciante como o anterior a que dediquei mais de um ano de trabalho. Enfim... Vou acreditar que vai surgir mesmo esse projecto que me realizará profissionalmente ao mesmo tempo que me permite ter uma vida relativamente tranquila e com tempo para os meus filhos e para esta nova gravidez.

Diário de uma grávida#8

É estranho trabalhar numa pequena equipa onde ninguém compreende o gosto e a vontade de ter filhos. Não é não acharem piada às piadas das crianças, é não conseguirem mesmo compreender qual é a graça de ter filhos, qual é a ideia absurda de ter filhos quando se pode gastar muito melhor o dinheiro e o tempo em jantares, viagens, roupa e toda a boa vida que a liberdade de não terem filhos lhes permite! E ainda nem comuniquei que estou novamente grávida... 

Mãe casamenteira, ou talvez não:-)))

Com o início das férias de verão começam a surgir algumas crianças no refeitório da empresa onde trabalho. Primeiro vi duas miúdas amorosas, filhas de um Holandês muito conhecido da nossa televisão, e comentei: o meu filho mais velho ia adorar aquelas miúdas e com esta modalidade de pagar o mês de Agosto na escola deles podem começar a vir com a mãe para o trabalho e ainda arranjam umas namoradas giras pelo caminho. Depois vi surgir uma bonequinha com uns 3 anos e disse: esta estava boa para o meu mais pequenino. Mas depois vi a mãe e disse: nem pensar, que não quero a Diana Chaves lá por casa... Demasiado perigoso e tentador para o meu querido marido:-))) Claro que confio nele mas não podemos facilitar, não é? É que ela é mesmo gira e eu já vos confidenciei aqui hoje que às 10 semanas de gravidez não consigo respirar se apertar as minhas calças de ganga!

Desabafos de uma mãe!

Adoro a IPSS onde os meus filhos andam. Não tenho nada negativo a apontar e sei que eles não poderiam ter melhor acompanhamento, mimo, amor e preparação do que têm ali. É uma instituição muito virada para a família, para a entreajuda, mas que com o novo regulamento da Segurança Social nos trocou as voltas. A escola está fechada em Agosto, mas a partir do ano que vem, por indicação da SS, os pais terão também de pagar esse mês. Tive uma reunião com a directora em que ela explicou que foram a última IPSS do agrupamento a adoptar esta medida, que surgiu há 4 anos, e que não podiam adiar mais... E eu a fazer contas de cabeça, em grande stress... É que em Agosto nós não conseguimos tirar um mês de férias e muitas vezes recorremos a ajuda extra, paga, para nos ajudar. Como é que é possível conciliar mensalidades de Agosto com campos de férias ou ATL's ou babysitters?? E eu a pensar no terceiro filho que tenho a caminho... Se temos de pagar Agosto nem que abrissem metade do mês, apenas com uma sala, para facilitar a vida dos pais, mas a directora disse que não é ossível pois isso implicaria dar férias a meio do ano e terem mais pessoal... Não sei onde vamos parar com tantas medidas que fazem tudo para reduzir ainda mais os números da natalidade em Portugal. É que surgiram novas regras da SS relativamente à entrada das crianças para os berçários das instituições comparticipadas pela SS. O meu filho mais novo, que se tudo correr bem nasce em Janeiro só pode entrar para o berçário em Setembro e não em Maio ou Junho, como antigamente seria possível... E uma criança que nasça por exemplo este Agosto só em Setembro do outro ano, já com 1 ano e 1 mês poderá entrar para escola, uma vez que só as crianças nascidas entre Janeiro e Maio podem entrar em Setembro para o berçário... Enfim... E eu fui informar-me à segurança social sobre o valor que vou receber na licença de maternidade (eu estou a recibos verdes e pago o mínimo porque os cálculos foram feitos com base no ano em que praticamente não trabalhei para estar com o Afonso em casa) e não dá nem para as fraldas e produtos de higiene. É pena que num país tão envelhecido não tenhamos mais apoios que facilitem o dia a dia das famílias que querem ter filhos. Acredito que conseguiremos contornar todas estas questões, mas entristece-me que nada seja feito para apoiar as famílias... 

Diário de uma grávida#7

Qualquer semelhança entre esta barriga de 10 semanas e a minha é pura ilusão óptica!

Cliquem na imagem

 Às 10 semanas de gravidez as minhas calças de ganga não apertam! (Elas apertar até apertam, mas fico toda marcada e com a sensação que estou a esborrachar tudo o que tenho cá dentro. E não me parece nada bem.) Isto promete, promete...

29 de junho de 2015

Isto de educar não é mesmo nada fácil...

... E custa tanto dizer não, não é? Hoje tive uma cena com o meu filho mais velho à porta da escola como há muito tempo não acontecia. Estava ele a brincar com um grande amigo, que tinha saído ao mesmo tempo eu nós, quando a mãe dele diz: anda, F. que a prima está à nossa espera para irmos ao cinema. Claro que o meu filho que adora cinema e programas disse logo que também ia. Agarram-se um ao outro, o meu filho chorava e esperneava que também ia ao cinema... Foi uma cena que foi crescendo à medida que o meu filho ia perdendo o controlo das emoções. E eu com o pequeno ao colo para não correr o risco dele ir para a estrada sozinho, no meio daquela confusão. Eu não perdi a calma e expliquei, mil vezes, que não estava combinado, que era dia de semana, que ontem se tinham deitado tarde e que hoje era preciso deitar cedo porque estamos em semana de praia e não pode haver atrasos matinais, que o pai tinha combinado ir com ele ao cinema no fim de semana, mas nada o demovia. A mãe, nossa vizinha, convidou-o para ir, mas eu não deixei. Não concordo que ele se impinja para programas e, acima de tudo, não cedo a birras e a cenas destas. Claro que me custou imenso vê-lo naquele estado, claro que a certa altura perguntava a mim mesma se o deveria ter deixado ir... Mas pela vida fora existirão sempre programas mais interessantes do que ir para casa tomar banho e jantar. Umas vezes dá para alinhar nesses programas inesperados e ficamos todos contentes, outras vezes nem por isso e é preciso aprender a lidar com a frustração. Não é fácil, não... Mas consegui, sem gritos e sem perder a cabeça. Mas a ficar zangada por tamanha birra. A caminho de casa decidi parar para comprarmos um gelado para adoçarmos a boca e matar o calor. Eram 17h30 e estavam 35 graus. E eu fiquei exausta com aquele braço de ferro.

Ementa Semanal

Apesar da fome que me assiste ando sem grande paciência para receitas, ementas e afins...

Segunda feira 

  • Carne de porco com batatinhas, daqui
Terça feira
  • Massa com beringela, molho de tomate e queijo parmesão
Quarta feira
  • Arroz de peixe com espinafres. Receita aqui.
Quinta feira
  • Panadinhos de frango com coentros e parmesão, daqui.
Sexta feira 
  • Tarte de frango e alho francês com salada
Sábado
  • Hambúrgueres caseiros
Domingo
  • Esparguete nero (que trouxemos de Roma em Novembro) com camarão, tomate cereja e muito alho.

Às vezes apetece emigrar!

Estive a ler este artigo sobre a educação na Finlândia e fiquei tão chateada! Não com os finlandeses, mas connosco, com os nossos governantes, com o nosso ensino antiquado, com o desgaste dos nossos professores, com o mau funcionamento das escolas e com todos os disparates que vêm a ser feitos e que estão a dar cabo do ensino e do futuro dos nosso país. O método de ensino Finlandês não é estático, não é de empinar. 

Li este artigo e tive duas vontades. A primeira foi de chorar, de tristeza, por viver num país que está a destruir o ensino, os professores, os alunos, o gosto por aprender e o futuro... e depois tinha vontade de ter a possibilidade de dar este tipo de ensino, de educação e de vida aos meus filhos! Como é que os nossos governantes não têm vergonha na cara?! Não aprendem com quem sabe? De facto, vivemos num país que não valoriza nem a educação, nem a família nem o futuro. Pagamos tudo (ou quase tudo) e somos muito mal servidos. Os apoios são poucos e os disparates são muitos. O que eu gostava de poder proporcionar aos meus filhos uma escola assim!!!!

E qual é a criança que não gosta de dar pão aos patinhos?


Diário de uma grávida#6

Ao terceiro filho já ouvimos a pergunta: foi sem querer? (Muita gente acha que ninguém no seu juízo perfeito vai ao terceiro filho nos dias que correm!)

28 de junho de 2015

Mãe babada

Hoje foi o concerto de final de ano da escola de música do meu filho mais velho e foi fantástico vê-lo subir ao palco do extraordinário auditório da magnífica Escola de Música de Lisboa para, sozinho, tocar piano enfrentando uma enorme plateia. Foi uma festa linda, com muitas actuações, muitos instrumentos, coro, muitas crianças, algumas delas bem pequeninas, famílias inteiras ali reunidas à volta da música,  e cada vez mais tenho a certeza que é muito importante investir em formação musical. E gosto muito da escola que escolhemos. O pequenino aguentou-se muito bem, na primeira fila, durante mais de 2 horas. E nem a avó nem a bivó faltaram à festa!!

27 de junho de 2015

Diário de uma grávida#5

Nem sou muito de desejos, mas hoje apetecia-me uma tosta numa bela esplanada ao entardecer. Escolhemos o Park e levámos as crianças, já jantadas e felizes com um programa extra! Nunca lá tínhamos ido e adorei o espaço, o serviço, a vista, a música, tudo... Só não tinha tostas. O Maridão comeu um hambúrguer delicioso e eu partilhei um mojito sem álcool com o pequeno. Eles portaram-se lindamente e estiveram entretidos a dançar e a pintar com os lápis de cera. Ficou só a faltar a tosta... Já estava na hora de deitar as crianças e viemos para casa e o querido Maridão foi a um bar aqui perto de casa buscar uma mega tosta para a grávida!! Tão bom. Noite no terraço com tosta e boa conversa a dois... Adoro o verão!!

26 de junho de 2015

A festa da escola

Foi maravilhosa! Preparada com todo o cuidado pelas educadoras e auxiliares e apresentada pelas crianças com tanta alegria e entusiasmo. O mais pequeno e a sua sala cantaram a música preferida deles, o "Pica do 7" do António Zambujo e não tenho palavras para descrever a emoção ao ver aquelas amostras de gente, eles vestidos à revisor e elas com saia de roda, trazendo um eléctrico de cartão feito na sala e a dançar e a cantar... O mais velho cantou e coreografou "O Girassol" e depois mudaram para o Panda Style! Estavam tão giros! Foi uma festa muito gira que, a pedido do mais velho, terminou junto ao rio na nossa pizzaria preferida com esta mãe gulosa a comer pizza de figos e mozzarela!!!!

Amor de mãe❤️

Íamos no carro e diz o mais velho: mãe, estou a rezar.
Eu: está bem, filho.
- Jesus, dá saúde à mãe e ao mano que ela tem na barriga para que cresça e possa nascer, dá saúde ao mano Afonso, ao pai, aos tios, às avós, aos primos e dá bom tempo para a tia I. que (vive nos países baixos) está farta de frio e de chuva. Obrigado, Jesus.

Que ternura tão grande... e ele não é muito de rezas nem de missas. A minha mãe bem vai deitando a semente a ver se pega, e depois de vez em quando ele sai-se com estas. Mas a ternura e o amor com que ele pediu tudo...  ❤️


25 de junho de 2015

Diário de uma grávida#4

É o décimo neto da minha sogra, que é mãe de oito filhos. Ficou muito contente com a notícia, mas disse-nos: não se entusiamem muito mais, que não é fácil! E ficou a confirmação que fechamos a loja com este terceiro filho, que se tudo correr bem como nós tanto desejamos, nasce em Janeiro, o mês do mano mais velho❤️

Coração de pais

A minha mãe e a minha irmã gostavam de alugar uma casa para ir para a praia, em Agosto, uns dias com os meus filhos. E vocês não sabem o stress em que eu e o meu marido estamos. Eles dormem na avó, nos primos, nos tios, mas são casas que nós conhecemos, casas com risco calculado, não são casas de férias, de alugueres rápidos com escadas, varandas... É horrível porque parece que não confiamos na minha mãe e na minha irmã para tomarem conta deles, mas é uma responsabilidade gigante, são os nossos filhos, são dois, dão trabalho, são crianças mexidas, atrevidas e curiosas  e estamos aqui num enorme stress sem saber o que fazer...

Dia de emoções

Hoje é o dia da festa final da escolinha dos meus filhos. E se eu já me emociono sempre muito, grávida então nem se fala. E decidi começar logo o dia com um mimo especial para as educadoras e auxiliares, que encomendei na Martisses. Cada um dos meus filhos ofereceu um pequeno iman personalizado a agradecer o que fazem por eles. Estavam uma ternura e todas gostaram muito, mas houve um momento ainda mais especial. A auxiliar da sala do mais velho não estava no recreio porque estava na sala a acabar uns adereços para a festa. Lá fomos nós. E sabem que mais? Acabámos as duas a chorar abraçadas uma à outra. E quem começou primeiro foi ela, abraçada ao meu filho que também se emocionou. A J. é um doce de mulher. 50 anos e um amor, uma ternura, um brilho no olhar a falar com eles... e depois disse-me: oh, mãe, como eu não pude ter filhos tenho-os a eles como filhos do coração e é a eles que eu amo mais... E diz-se isto a uma grávida cheia de hormonas, e que mesmo quando não está grávida é de lágrima fácil? Agradeci-lhe muito por todo o amor que dá ao meu filho, porque de facto é um privilégio ter pessoas tão meigas e tão queridas na vida dos nossos filhos. A educadora também é um amor, mas a J. já faz mais o papel de avó, que é enchê-los de açúcar e de mimo.

24 de junho de 2015

Eu adoro as desculpas das avós!

A minha mãe apareceu aqui para dar mimos ao neto e para eu conseguir vir para o escritório um bocadinho. A minha mãe está proibida de dar chupa-chupas aos netos, sem pedir autorização primeiro. A minha mãe, ligeiramente envergonhada e sem me olhar nos olhos: posso dar-lhe um chupa-chupa que me deram ontem?

Gostei tanto da desculpa esfarrapada que até autorizei! E estou a ouvir as gargalhadas do meu filho neste momento. Está a receber o chupa-chupa!!!!

Diário de uma grávida#3

Foi-me aconselhado pela minha médica fazer o Harmony Prenatal Test, o mais completo de todos, e que permite, supostamente um melhor rastreio a trissomias e outras anomalias. Dos meus dois filhos não fiz nada disto e combinei a ecografia das 13 semanas com o rastreio bioquímico e um eco cardigrama fetal. Mas dada a minha idade, 37, e o meu historial de abortos a médica acha importante fazer o teste. E depois dela me ter indicado fazer o teste não consigo não o fazer e depois se...? Por isso vou perder o amor ao dinheiro, são 670€ sem comparticipações de espécie alguma e rezar para que esteja tudo bem com o mini baby, que isso é mesmo o mais importante. O meu marido, sempre mais pragmático, dizia: mas se a amniocentese é comparticipada faz antes a amniocentese, que hoje em dia o risco é mínimo, mas existe e mais uma vez seria horrível pensar que tínhamos deitado tudo a perder por causa de 670€... É muito dinheiro, eu sei, mas tira-se de outras coisas menos essenciais para termos a certeza que está tudo bem com o pirolito júnior. A parte boa é que ficamos logo a saber se é um rapaz ou uma rapariga. Para mim é indiferente, nunca tive preferência de sexo e continuo a não ter, mas gosto de saber cedo o sexo dos meus filhos porque acho que ganham mais personalidade, começam a ganhar um rosto, um possível nome... 

Eu e o piolho em casa por causa da amigdalite

  Depois de brincarmos aos comboios deitei-me a ver o Baby Tv e está bom de ver o que aconteceu... adormeci. Não ferrei no sono, mas estive ali entre o dorme e abre o olho a ver se a criança ainda ali estava e estava bem, para logo os fechar a seguir porque não os conseguia ter abertos... Estive mais de uma hora neste estado. Quando vi as horas já era meio dia e meia e agora era o pequeno que estava com sono e já nem o almoço lhe consegui dar... Que vergonha. Mas a culpa é deste sono da gravidez que se apodera de nós no início. Quando ele acordar compenso-o com um bom almoço e muito mimo. A amigdalite, essa, já não dá sinais de vida desde ontem mas mantive-o hoje em casa comigo por precaução... e mimo, claro.

Diário de uma grávida#2

Filho mais velho: eu quero um mano rapaz! 
Eu: mas já tens um mano rapaz.
Filho mais velho: não faz mal. Quero outro. As miúdas são chatas e gostam de bonecas.

23 de junho de 2015

E a vencedora do passatempo "Provo-te" é....

Alexandra Reis! Parabéns à Alexandra que irá receber um exemplar do livro e muito obrigada a todos os que participaram neste passatempo. Recebi muitas frases, textos e poemas lindos e inspiradores sobre o Amor. Não foi uma escolha fácil, mas seleccionei este porque eu também acredito que o verdadeiro e grande amor está na magia e na beleza das pequenas coisas que graças ao amor se tornam grandes! 
É um sentimento maior que versos, estrofes ou poemas
Um sentimento demonstrado através de actos, pequenos gestos, simples detalhes

Um sentimento inexplicável, e incomparável
Um sentimento único, chamado Amor!



Obrigada mais uma vez à editora Marcador, que vai oferecer o livro à vencedora.

O relógio temporizador da cozinha é um super aliado das mães




Uso-o imenso e os meus filhos reconhecem-lhe autoridade. Geralmente uso para marcar o tempo depois de lavarem os dentes e antes de dormir. Os 10 minutos de saltos e pulos em que eles fazem, o que querem antes de se deitarem. Mas hoje teve nova utilização. Tenho o pequeno em casa com amigdalite e queria aproveitar a minha mãe ter vindo para conseguir trabalhar, mas ele só me queria a mim. Depois de uns minutos a tentar que ele quisesse brincar com a avó, sem sucesso, fui buscar o temporizador. E disse-lhe: quando o relógio tocar chamas a mãe e a mãe vem brincar contigo. Até lá a mãe vai trabalhar. E ele disse que sim. Marquei 50 minutos. E vim para o escritório. Ele ficou com a minha mãe a brincar no quarto. Quando o despertador tocou lá veio ele feliz, aos saltos, ter comigo para irmos brincar. E fomos. 

Os meus filhos gostam muito do temporizador. Funciona bem cá em casa.  Usamos mesmo muito e transfere de mim aquele papel chato do: já passaram os 5 minutos combinados, já chega... O relógio toca e eles acham o máximo! Hoje demos-lhe uma nova utilização que funcionou muito bem. Não quer dizer que amanhã funcione, mas hoje deu-me a possibilidade de acabar um trabalho que estava a fazer. 

Diário de uma grávida#1

Estamos felizes! Temos o terceiro filho a caminho. Se somos loucos e malucos como nos dizem, se calhar... Não sabíamos se íamos conseguir esta gravidez, houve alturas em que o mais provável era eu não poder ter mais filhos, por causa da endometriose, mas depois surgiu uma luz ao fundo do túnel e um ok da médica que me operou para este milgare. E quando tudo indicava que seria difícil engravidar chegou  a confirmação da gravidez, que nos deixou felizes e atordoados. E agora todos os medos, receios, alegrias, sonhos e perguntas... E agora? Como é que vai ser quando eles forem 3?? Não sabemos, apenas sei que há cá em casa quatro corações a transbordar de alegria graças ao pequeno coração que já bate dentro de mim!

9 semanas❤️

O amor acontece mais uma vez nesta família e na nossa vida. Eu vivo sempre as gravidezes com cautela, mas intensamente porque adoro estar grávida e porque sinto sempre uma alegria imensa. Alegria maior só a do meu filho mais velho quando lhe contámos. O abraço que me deu, o sorriso nos lábios, o brilho no olhar... O mais pequeno só percebe mais ou menos o que se está a passar e quando lhe perguntam o que é que a mãe tem na barriga primeiro diz macaco, depois cão e só depois diz bebé! As restantes pessoas partilham da nossa felicidade e alegria, mas dizem sempre: que malucos! Que coragem!

22 de junho de 2015

O Bairro do Amor, o filme. Em breve!


É um orgulho fazer parte do bairro do amor e é maravilhoso ver os projectos e as acções ganharem forma com a ajuda de todos os que se envolvem e dão o melhor de si. Em breve apresento-vos o filme do Bairro do Amor, que foi feito exactamente com esse ingrediente secreto, o amor, e a paciência e ajuda de todos os que puderam ajudar. Se ainda não fazem parte deste projecto juntem-se a nós aqui e espreitem o Making of do filme, aqui. Este é um bairro onde apetece mesmo viver principalmente porque a vizinhança é do melhor que há e podemos fazer a diferença!

Boa praia, filho grande!

Hoje o meu filho mais velho começou a praia com a escola. Este dia de verão amanheceu cinzento (a lembrar as duas semanas de praia do ano passado, em que apenas no último dia da colónia o sol espreitou e puderam trocar os fatos de treino quentinhos pelo fato de banho), mas rapidamente o sol apareceu. Ele está tão entusiasmado com estes dias de praia. Que o tempo ajude e eles se divirtam muito, nestes dias em que é preciso madrugar para chegar à escola bem cedinho.

Quem é que é do tempo do Vitinho?

E do tempo do Topo Gigio?


Bons sonhos para vocês, meninos como nós.
Vamos dormir, vamos dormir
Boa noite aos pais, aos irmãos e aos avós.
Vamos dormir, vamos dormir
Bons sonhos para vocês, meninos como nós.
Vamos dormir, vamos dormir
E amanhã veremos a TV como vocês.

20 de junho de 2015

Urban Splash

A ideia era muito gira, mas a organização foi o caos!! Atrasos imensos, só metade da pista a funcionar, esplanadas à torreira do sol sem chapéus se sol... Enfim. A ideia era muito gira, na nossa freguesia, e os miúdos estavam excitadissimos, mas ficou tudo muito aquém das nossas expectativas e muito acima do valor que seria justo ter pago. Mesmo assim, os miúdos encontraram amigos da escola e depois do desespero da espera, o escorrega infantil só abriu às 11h30 em vez das supostas 9h, hora em que abria em exclusivo para as famílias, lá escorregaram e adoraram! Espero sinceramente que amanhã corra melhor e que aprendam com as falhas de hoje para os próximos eventos. Nota positiva: a humildade e educação das pessoas da organização com quem falei e que pediram desculpas e assumiram as falhas.

Sexta-feira à noite!

O calor pedia um gelado e um passeio depois do jantar. Fomos até às Docas e os mais pequenos deliraram com uma mini discoteca só para eles!!

18 de junho de 2015

Passatempo "Provo-te"

 Depois do sucesso do anterior passatempo vou oferecer, em parceria com a Marcador, o livro "Provo-te", de Catarina Beato. Neste livro, "a autora do blog Dias de uma Princesa e do livro Dieta das Princesas fala sobre 12 cidades, 12 receitas e 12 histórias de amor em Provo-te - Quantas Vezes Posso Morrer de Amor?"

Para participar basta serem seguidoras do blog, gostarem da página no Facebook e enviarem um email (para vidasdanossavida@gmail.com) com uma frase alusiva ao amor. Eu escolho a vencedora e publico a frase aqui no blog! Podem participar até ao fim do dia 21 de Junho, próximo domingo. Boa sorte!! E muito obrigada à editora Marcador por esta parceria.

Perímetro Cefálico#2

Na sequência das minhas dúvidas e deste post em relação à cabeça do meu filho Afonso hoje fomos ao médico de família para ele ser observado e eu ter uma segunda opinião. E claro que fiquei mais aliviada quando este se mostrou da mesma opinião do pediatra: vigiar, estar atento, mas para já nada de preocupações. É certo que o miúdo tem a cabeça torta e assimtétrica, é certo que houve alguma estagnação do aumento do perímetro cefálico, mas é ainda mais verdade que o miúdo está óptimo, está bem desenvolvido para a idade e não apresenta questões neurológicas como ver mal, mãos trémulas, dificuldade em realizar movimentos finos ou cair e esbarrar com as coisas mais do que é comum nesta idade. Sentou-o ao colo com lápis e papel para ver se ele fazia círculos e ele fez vários, tortos e de tamanhos diferente, mas círculos fechados. Antes disso, e enquanto conversávamos deu-lhe uns blocos e ele empilhou-os, como é costume. Por isso, para já, é para não stressar. Dentro de 6 meses, tal como tinha dito o pediatra será observado para ver se houve aumento ou não. Mas tudo indica que apesar de continuar com a cabeça torta - era muito mais torta quando nasceu e o pediatra disse que naturalmente até aos dois anos ficaria bem. Não está totalemente redonda, mas quase... - não está a impedir o cérebro de crescer e de se desenvolver. Claro que fiquei mais tranquila e é ir estando atenta, como estamos sempre. E se surgir algum sinal de alerta é para agir. caso contrário, voltará a ser observado depois do Verão.

17 de junho de 2015

Há a dança das cadeiras e depois há a dança das camas...

Deitei-os já perto das 22h30 porque tivemos um aniversário e a seguir fui logo para a cama, que estava estafada e preocupada com um assunto. Acordei à uma da manhã por causa de uma chucha e às 4h30 com o pequeno a chamar. Mal lá cheguei estendeu os braços para se agarrar a mim. Levei-o para a minha cama, continuava a choramingar. Sinto o mais velho vir à nossa casa de banho (faz isso a meio da noite para não acender a luz em frente ao quarto deles) e o mais pequeno dá logo o alerta. Mano! Manoooo! Veio o mano para a nossa cama. O mais pequeno quer conversa, mete-se com o irmão. Ninguém consegue dormir em condições. O pai agarra no pequeno para irem para a cama do grande dormir. O pequeno grita por mim. Eu vou. O mais velho também quer ir, mas eu sou firme num não! Adormeço com o pequeno na cama do grande. Durmo mal. Durmo pouco. Acordo cansada. Saímos de casa atrasados, mas sem grande prejuízo. E só me apetecia cair na cama outra vez. 

16 de junho de 2015

Transformar cama em beliche

Uma pergunta, por favor. Alguém usa esta cama com colchão em baixo e em cima? No Ikea não a apresentam como beliche, mas eu acho que pode ser uma boa solução. O que me dizem?

Pelo menos no pinterest vi estas imagem e acho que pode ser uma solução boa e barata.


                            Esta é a do Ikea!                                E esta é parecida, mas com ar mais caro.

Tão interessante!



15 de junho de 2015

O mais pequeno não está nada virado para o desfralde!

Lá o vamos colocando no bacio e na retrete, perguntamos se quer ir ao bacio, na escolinha já vai fazendo tudo nas mini retretes, mas eu sinto que ele não está nem aí para o desfralde.Vamos continuando com os treinos e continuo decidida a tirar-lhe a fraldas na primeira quinzena de Agosto, mas sem pressas, sem insistências e sem lhe provocar aversão a este assunto. Para mim este é o verão ideal para tirar a fralda e vou fazer tudo nesse sentido, mas sem dramas nem traumas. 

Fim de semana bom!

Fomos aos Santos a Carnide e recomendo mesmo para quem leva crianças! É confuso qb, mas dá para andar e para comer. Os miúdos adoraram. Fomos num pé e viemos noutro, mas deu para sentir o cheiro da festa e das sardinhas! E ainda vimos a marcha que seguia para a Avenida.
No sábado, tinha dito ao meu filho mais velho que ele podia escolher o programa do dia. E ele escolheu o Pavilhão do Conhecimento, e ainda pediu para levar um amigo da escola. E assim foi! E deliraram! Vale mesmo a pena o programa.



Domingo, foi dia de filho pequeno em versão filho único, que o mais velho foi ao teatro com um amigo da escola com direito a almoço e tarde em casa do amigo. E sabem o que eu e o maridão fizemos? Vimos um filme enquanto o pequeno dormia 3 horas de sesta... tão bom! Mas o mais ternurento foi o pequenino sempre a perguntar pelo mano... E foi uma alegria imensa quando o fomos buscar. Tão boooooommmmm!!!

12 de junho de 2015

Ementa Semanal

Segunda feira 

  • Arroz de atum feito com refogado de cebola, cenouras aos cubinhos pequeninos e ervilhas. 
Terça feira
  • Rolo de carne recheado com fiambre e queijo. Acompanha com esparguete e esparregado.
Quarta feira
  • Arroz de peixe com espinafres. Receita aqui.
Quinta feira
  • Almôndegas com esparguete
Sexta feira 
  • Lombinhos de peixe com molho de natas. Receita aqui. Acompanha com puré de batata e cenouras baby cozidas.
Sábado
  • Pizza (massa feita na Bimby e recheio a gosto)
Domingo
  • Carne de vaca à chinês (Bifes em tiras como para o strogonoff. Temperar com molho de soja e deixar marinar. Numa frigideira ou wok fritar os legumes chineses congelados, deixando que amoleçam e fiquem cozinhados. À parte fazer um molho com duas colheres de açúcar de cana e 4 colheres de ketchup. Juntar a carne aos legumes e cozinhar cerca de um minuto. Ir mexendo bem. Juntar o molho de açúcar e ketchup e deixar cozinhar uns  4/5 minutos, mexendo e envolvendo a carne, os legumes e o molho. Juntar 3 colheres de sopa de sementes de sésamo e mexer. Acompanhar com arroz xau xau ou nooddles.




Vamos lá ao bailarico!

Não nos vamos meter em grandes confusões, mas se o São Pedro não estragar a festa ao Santo António vamos com as crianças para o bailarico!

Hoje a noite promete ser mais longa
E os miúdos vão adorar
Vamos bailar na confusão
E o Santo António Festejar!!!!


Fomos no ano passado a Alfama
E este ano vamos repetir, 
Mas vamos ficar perto de casa
No arraial de Carnide!

Mais sugestões de arraiais e bailaricos, aqui.

Esta Sofia Anjos é demais!!!

As tarefas

Cá em casa tentamos que os nossos filhos vão tendo tarefas adequadas à idade. O mais pequeno, no início dos seus dois anos, já coloca a roupa no saco da roupa suja, arruma os sapatos na sapateira, arruma os brinquedos, vai colocar a fralda e a chucha na cama, vai deitar um papel ao eco-ponto. O mais velho, a meio dos seus 5 anos, já se veste sozinho (é a primeira coisa que faz de manhã. Para não acordar o mano deixo a roupa dele preparada na sala para onde ele vai quando acorda e onde se veste antes de ligar a televisão), já vê as horas na box do Meo para depois me dizer a que horas acordou, já sabe fazer torradas e servir-se de leite e de cereais, já faz a cama ao sábado, coloca a roupa suja no saco, ajuda a despejar a máquina da loiça e a cozinhar. Mas o interessante é que não é só em casa que o mais velho tem tarefas. Na escolinha cada menino da sala dele tem tarefas, que são estipuladas à segunda feira e que se mantêm a semana toda. Esta semana o meu mais velho esteve encarregue de contar os meninos da sala para depois transmitir à funcionária do refeitório e "assim ela sabe quantos pratos tem de pôr na mesa". Mas há outras tarefas como servir água aos colegas ou ir à frente do comboio e garantir que vão todos em fila e direitinhos para o refeitório. Além de que todos raspam os pratos, separam os pratos e os talheres e colocam na respectiva bacia. E ao lanche colheres para um lado e pacotes de iogurte para outros. É tão bom saber que na escolinha deles há esta atenção, há a preocupação em fazer deles crianças autónomas que se sentem capazes de ajudar e de partilhar tarefas. Tenho a certeza que tudo isto fará diferença na formação deles e no futuro. E cada vez mais dou graças pela escolinha onde os meus filhos andam. Uma escolinha onde são recebidos com beijos e abraços, uma escolinha onde eles adoram estar, uma escolinha onde todos sabemos quem é quem, onde nos conhecemos pelos nomes, onde famílias e educadoras trabalham de mãos dadas, onde pais, tios e avós participam com actividades e partilhas de experiências, uma escola de afectos, mas que os prepara para o mundo, que lhes ensina os valores da amizade, da partilha, do amor, da educação, da responsabilidade... Uma escolinha onde eles correm, pintam, onde os deixam ser crianças e brincar ao faz de conta... Uma escola onde eles são verdadeiramente felizes e onde ao final do dia, ainda querem todos ficar mais uns minutos a brincar. E isso diz tudo.

"Metas curriculares do 1º ciclo são "atrocidade cometida contra as crianças""

11 de junho de 2015

Uma história diferente na hora de deitar

Hoje na história da noite surgiu a pergunta: mas como é que o Zé não é mesmo meu primo? Se a mãe dele é minha tia! E eu expliquei que a tia A. é tia emprestada, não é como as tias que são irmãs dos pais. E o meu filho mais velho, curioso como sempre, quis saber quem eram os tios emprestados e os primos emprestados. Como é que vieram parar às nossas vidas, como os conhecemos. O pequenino entretanto adormeceu e ali ficámos nós a conversar, a partilhar histórias. Recuei aos tempos da infância, do liceu, das férias de verão, da faculdade, do primeiro trabalho... E ele estava encantado a ouvir e a fazer perguntas. É um miúdo curioso e eu gosto de lhe alimentar a curiosidade. Não tem medo de perguntar e sabe que lhe daremos sempre a melhor resposta. E hoje ficou a saber a história de alguns tios e tias, que estão sempre presentes nas nossas vidas, e que se misturam com os muitos irmãos, irmãs, cunhados, primos e primas que fazem parte do nosso núcleo familiar. Além do quem é quem falámos do bom que é termos tantas pessoas que amamos, que nos conhecem bem e que apesar de não serem da nossa família de sangue, são da família do coração... E que ele os trata por tio e tia (não por snobismo) porque tio é alguém especial, alguém que dá colo, mimo e de quem gostamos muito e é uma forma de dizer que escolhemos essa pessoa para fazer parte da nossa vida e da nossa família escolhida. No meio da conversa o meu filho ficou feliz porque o Zé não é mesmo primo dele. Ficou aliviado: oh, mãe, é que eu não gosto mesmo dele. Faz birras e é mariquinhas. Não sabe jogar à bola nem andar de bicicleta! Ao que eu respondi: mas a mãe dele é muito minha amiga, é madrinha do mano e tudo. E ele não se ficou: a tua amiga pode vir cá a casa, mas diz-lhe que não traga os filhos que nós não gostámos muito deles. Ou traga a bebé que ainda não chateia. Ao que eu expliquei que não era possível. E que éramos muito amigas. E ele disse: ela é tua amiga, mas eu não quero ser amigo deles. E está no seu direito... Temos de ir contornando a situação, esperando que seja uma fase (eles hoje discutiram imenso e pegaram-se o tempo todo que a minha amiga veio cá fazer uma visita) mas não podemos forçar as crianças a gostar de quem não gostam e com quem não têm afinidades. 

Gosto tanto, mas tanto!

A minha comida de eleição e que está sempre no topo dos meus desejos!


De derreter o coração...

Eu: Não esburraches o teu irmão.
Filho mais velho: oh, mãe, mas eu amo tanto tanto o meu mano! Não consigo parar de o abraçar!

Ando ausente...

... a curtir os meus filhos, a trabalhar e a aterrar no sofá sem conseguir manter os olhos abertos até às 11 da noite. Pelo caminho fomos à praia e uns amigos levaram uma tachada de caracóis a nossa casa, que foram devorados pelos meus filhos. Ainda houve tempo para ter um amiguinho do filhote mais velho lá em casa  a jantar.

9 de junho de 2015

"As mães estragam as crianças, SIM!"

E quem é que não perde a compostura e, antes de fingir que deita os olhos para a televisão, enquanto pestaneja, ainda se esparrama na cama e conta histórias e, para se desintoxicar do papel de “chata oficial lá de casa”, sente que aqueles minutos de namoro, antes do sono, são os únicos em que não tem de ser mandona e refilona e tudo o mais que toda a gente espera que só as mães consigam ser e, quando dá conta, adormeceu, mais outra vez, na cama de um dos filhos, e é repreendida (e muito bem...) por esse desvario? As mães, claro.

Gosto sempre do olhar e das palavras do Eduardo de Sá.

As mães “estragam” as crianças, sim! Mas que não haja quem ouse imaginar que as queremos doutro modo. Nós – os filhos, os pais e os avós, todos juntos, adoramos – no fundo – que elas sejam assim!

Cuidado com estas cadeiras!

Nunca gostei de sentar os meus filhos nestas cadeiras. Se os deixo assim no ar acho que vão cair, se coloco uma cadeira de adulto em baixo eles apoiam os pés e a cadeira sai do sítio. Mas noutro dia, num restaurante, era a cadeira que havia para o Afonso. Lá o sentámos à cabeceira, entre mim e o pai. Tudo a correr bem e ele sentadinho a jantar. De repente, um estrondo e o Afosno estatelado no chão aos gritos. Pânico total até vermos que ele estava bem e que não tinha nada. O casal nosso amigo que jantava connosco são os dois médicos e confirmaram que o Afonso estava bem e que não tinha nada partido, apesar de se queixar do braço. O mano mais velho aflito, os empregados preocupados, mas felizmente não passou de um grande susto e ele ficou óptimo em poucos minutos, agora já sentado ao meu colo. A questão era: como é que a cadeira saltou da mesa?

E chegámos à resposta. Segundos antes do Afonso cair o meu marido tinha-se levantado do seu lugar para se ir servir. Por precaução e como tínhamos várias crianças à mesa as figideiras bem quentes tinham ficado numa ponta, longe dos mais pequenos. E o meu marido ao levantar-se empurrou a cadeira dele para dentro, naquele gesto instintivo que fazemos sempre. Foi nesta altura que o Afonso, por baixo da mesa, sentiu a cadeira e apoiou os pés, desiquilibrando as forças da cadeira onde estava penurado e fazendo-a cair para trás! E é assim, numa fracção de segundos que elas acontecem. E deixo aqui o nosso testemunho para se lembrarem dele quando sentarem os vossos filhos pendurados nestas cadeiras. Desta vez o Afonso não se magoou, teve sorte, mas podia ter-se magoado porque eles caem completamente desamparados e a queda ainda é alta.

8 de junho de 2015

Do nosso fim de semana ❤️

Foi tão perfeito, tão perfeito que só posso dar graças por dois dias tão simples, tão maravilhosos e abençoados com os meus 3 amores, uma amiga de sempre e a sua filha e uns amigos novos que conhecemos à volta da piscina e que numa magia conspiradora do universo se tornaram em pessoas que acreditamos que vierem parar à nossa vida para ficar, com os filhos deles e os nossos a brincarem e a partilharem os dias como se tivessem sido criado juntos e nós, os pais, com uma cumplicidade que, erradamente, muitas vezes achamos que só se ganha com os anos. É maravilhoso quando a vida coloca no nosso caminho pessoas fantásticas e com as quais nós identificamos. E com boa conversa e boa disposição estivemos de molho praticamente dois dias...





E aproveitámos o ar puro da natureza para passear pela manhã, enquanto ainda não estava muito calor...






5 de junho de 2015

Vencedora do passatempo "Dieta das Princesas"

Como eu já calculava este passatempo foi um sucesso! A escolha não foi fácil, mas a vencedora foi a Lúcia Brandão com a seguinte participação:


Certo dia acordei cheia de certezas
Precisava mesmo do livro “Dieta das Princesas”
Pois perder peso não era fácil como pensei
Preciso mudar de vida se não à praia não irei
Adoro Verão pois esta estação sempre me deixa feliz
E ser magra e bonita foi o que eu sempre quis
Foi assim que o blog Vidas da Nossa Vida no meu sonho entrou
Achou-me merecedora e com este fantástico livro me presenteou

Muito obrigada a todos os participantes e espero que mesmo sem ganhar o passatempo tenham oportunidade de ler o livro.

Agradeço também à editora Marcador por esta parceria.

3 de junho de 2015

Obrigada pelos mimos, Uriage!

 E, mais uma vez, a Uriage adivinhou que hoje era um dia especial para mim e organizou uma festa, ou melhor dizendo: O Mercado de Verao!


Recebi explicação sobre todos os produtos que estavam expostos no Mercado...

 

Pude experimentar a nova gama de solares, que não conhecia e é maravilhosa e muito apropriada ao dia de Verão que está hoje!
 
E ainda trouxe vários produtos para casa para me mimar a mim e aos meus filhotes! Maravilha...

É tão bom fazer anos, não é?
E agora vou buscar os meus pequeninos à escola!

E cheguei aos 37!

Adoro fazer anos e comecei o dia com os beijos e os abraços dos meus três amores. O filhote mais velho estava radiante. Levei-os à escola e acompanhei o mais velho, e os coleguuinhas dele, que foram passar a manhã ao jardim, ainda a propósito do dia da criança, e lá fui eu no cortejo que até teve honras de escolta policial para controlar o trânsito. Vou mimar de mim na manicure e tratar do jantar de logo. E está um dia lindo, quente e cheio de sol, como eu gosto.