30 de setembro de 2015

23 semanas e 2 dias❤️

O meu filho é finalista do Jardim de Infância

E vai ser a primeira pessoa lá de casa a ir de viagem de finalistas!! É incrível, não é? Eu não fui à minha e o pai também não foi à dele e, por isso, as viagens de finalistas são inauguradas lá em casa pelo nosso filho mais velho. Serão 3 dias e 2 noites no fim de Junho e, até lá, pais e filhos vão trabalhar afincadamente para angariar todo o dinheiro necessário para o passeio. O calendário com a venda dos bolos já está feito, já me inscrevi com o bolo de iogurte com smarties que é sempre um sucesso, e também na segunda-feira começamos também a dar 1 Euro semanal para o mealheiro da viagem. As rifas também já estão a ser preparadas, com a fantástica ajuda do Parque Rural do Tambor*, que aceitou o meu cravanço:-)) e se juntou a esta festa! Vai ser um ano muito dinâmico onde mães, pais, avós, tias e primos se vão juntar para tornar este último ano do Jardim de Infância, ainda mais inesquecível!


*Depois conto os pormenores

A questão da sesta

Na Ipss dos meus filhos todos os meninos dormem a sesta atá à sala dos 5 anos, a sala dos finalistas do Jardim de Infância, onde está o meu filho mais velho. Em todas as outras salas está contemplado o tempo de descanso para a sesta. Estava a ler agora este artigo do DN e eu, na minha simples opinião de mãe, concordo em absoluto. A sesta é fundamental para o descanso dos miúdos, para terem um momento em que desligam, para os ajudar no crescimento. Na escola dos meus filhos, quando já têm 4 e 5 anos, os que não têm sono ficam a descansar ou vão para junto da educadora, para a mesa de trabalho, onde ela adianta trabalhos da escola, à luz de um pequenino candeeiro, enquanto os seus pequeninos descansam. O meu filho mais velho já não faz sesta há mais de um ano, ao fim de semana e nas férias, mas na escola fez até Julho e não lhe fez mal nenhum. Muito pelo contrário. Dormir é fundamental para as crianças. Ele dormia a sesta e dormia bem à noite, uma média de 10 horas. Claro que agora, sem sesta, adormece mais depressa, tal é o cansaço. E já tem quase 6 anos. Imaginem os mais pequeninos. Para o ano o mais velho vai para o 1º ciclo do ensino público (depois escreverei um post sobre este assunto) e eu ainda ponderei inscrever o Afonso para entrar logo para o jardim de infância, mas depois esta questão da sesta fez-nos por de lado esta opção, porque saberíamos que ele ia deixar de dormir a sesta aos 3 anos e meio, o que eu acho uma violência.

Diário de uma grávida#50

Fico sempre ansiosa quando a Francisca se mantém quieta e não me dá os seus pensamentos. Sei que às 23 semanas ainda não é problemático não a sentir mexer a toda a hora, mas tranquiliza-me. São 10h15 e hoje ainda não a tinha sentido. Estava a ficar inquieta. Felizmente enquanto estava a escrever este post a Francisca deu ares da sua graça, como que a dizer: estou aqui, mãe, estou bem! E eu fico muito mais descansada.

Explicar as eleições ao meu filho mais velho

No carro, a caminho da creche, explicava ao meu filho que no domingo iam haver eleições, que domingo, era o dia em que todos os portugueses iam votam para escolher quem é que será o nosso primeiro ministro, ou seja, para escolher quem nós queremos que tome conta do nosso país, quem é que nós queremos que "mande" em nós, por assim dizer. E responde ele: o meu pai! Eu quero votar no meu pai! (Não é uma delícia, ele lá acha que o pai "manda" bem lá em casa). Expliquei que não podia ser o pai, que tinha de ser um político que se tivesse candidatado para esse trabalho. E falei-lhe dos principais nomes, até porque alguns iam surgindo à nossa frente nos cartazes. A certa altura, mencionei Jerónimo de Sousa e diz o meu filho: É o pai do Jerónimo Stilton???

29 de setembro de 2015

O meu pequenote❤️

Eu tento organizar-me para estar completamente disponível para os meus filhos assim que os vou buscar à escola, mas às vezes falta uma compra de última hora no supermercado, trocar alguma coisa, ir resolver um assunto à loja do cidadão, ir pintar as unhas quando não arranjei outra hora... O mais velho pergunta logo se pode ir para casa brincar e ver bonecos. Nem sempre é possível ir primeiro pô-lo a casa, mas quando dá costumo perguntar ao pequenino se ele também quer ficar em casa com o mano e com a S., a nossa empregada que eles adoram, mas ele diz logo: a mãe! E lá vamos os dois, com ele todo contente por ir passear sozinho comigo. Adora!! É o meu pequenino companheiro❤️ e ainda acha que o melhor programa é estar com a mãe!! É de aproveitar porque rapidamente somos trocadas pelos Lego e pelo Cartoon Network!!

Adeus angioma! Já foste!!

Era horrível, mas hoje já foi à vida! Fiquei tão contente. É incrível como esta coisa horrível apareceu em poucas semanas. A minha dermatologista, mais uma vez, foi um amor e de uma atenção (ainda mais redobrada por eu estar grávida) e fizemos a micro-cirugia em menos de nada. Agora vou eu mudando os pensos em casa e dia 9 vou retirar os pontos. E quando parar de dar de mamar e voltar a ter o meu plafond da multicare tenho tantos mais sinais para tirar. Mas nenhum era chato e inomodativo como este, que ainda por cima resolveu rebentar e sangrar! Já foste, sinal. Por uma questão de protocolo foi para fazer biopsia, mas a doutora disse que podia estar descansada que era benigno e inofensivo. Mesmo como se quer.


28 de setembro de 2015

Negociatas no jardim de infância

O meu filho mais velho é louco por Lego, principalmente todos os que tenham a ver com os super heróis da Marvel e ninjas! O importante é terem espadas, armas e super poderes. Há lá mais uns na sala dele que também adoram estes Lego e, então, montaram um negócio de mercado negro paralelo. Leva uns bonecos, dá outros, traz em troca e às vezes nem traz nada, apenas o saco vazio... Oh, mãe, mas o não sei quantos gostava do meu boneco e prometeu-me um Hulk. Já o proibímos de dar e receber brinquedos. Pode emprestar, pode trazer emprestado, mas no dia seguinte, o mais tardar, trocam e cada um fica com o que é seu. Nos aniversários oferecem um presente, no dia a dia emprestam!  É que já houve zangas e tristezas, porque afinal o boneco prometido não chegou nunca ou porque o arrependimento chegou mais tarde e aquele era um dos bonecos preferidos... Vou ver com a educadora e com a auxiliar da sala porque acho que devemos travar estas negociatas. Acho muito bem que emprestem, que partilhem, que levem os Lego e façam as brincadeiras todas, com os bonecos que mais adoram, mas nada de dar e de se desfazerem dos seus brinquedos. Eu e o meu marido, pelo menos, pensamos assim. 

Consulta de cirurgia pediátrica

O pediatra do Afonso tinha referido na última consulta, no início do mês, que o Afonso teria de ser submetido a uma cirurgia por causa da pele da pilinha, que é muito fechada e que faz com que o xixi saia desordenado como uma mangueira de rega automática! Escolhemos um excelente cirurgião, o que nos pareceu mais adequado e experiente neste tipo de cirurgias e qual não foi o nosso alívio quando ele hoje nos disse que o Afonso não precisa de cirurgia. A pele está muito apertada - o que faz a direcção daqueles xixis não serem tão controlados - mas acontece, e não há mal nenhum. Com o tempo e com a testosterona a pele vai acabar por alargar e soltar. Nada de puxar nem de intervir com o processo da natureza. O risco de infecção, ao contrário do que nos tinha sido dito, é pequeno porque a pele é tão apertada que não entra nada. Claro que se houver alguma alteração para o procurarmos, mas se não existir nenhuma infecção ou outro problema o mais pprovável é aos 6 anos, mais coisa menos coisa, com o aumento da testosterona a pilinha ficar como deve ser. Ele diz que há uma grande ânsia dos pediatras que assim que se deparam com este tipo de pilinhas, em que a pele está muito apertada, sugerem logo a cirurgia, mas este cirurgião, muito experiente ao nível da Estefânia, é da opinião que é preciso calma e deixar a natureza seguir o curso dela, que se não interferirmos muito em casos como o do Afonso a coisa vai ao sítio sozinha. Para já, é para fazer o que fizemos até aqui. Ou seja, nada!!! Não mexer, não puxar, nada. Se observarmos algo diferente para o contactarmos, caso contrário está tudo bem e é deixá-lo crescer. Já se sabe que cada cabeça sua setença, mas ficámos muito satisfeitos com a opinião deste especialista. Claro que seria uma operação simples, mas era uma operação com anestesia geral. E se não é necessária, passamos! Foram óptimas notícias!

Sem fraldas# dia 76

Desde este post aqui, há 5 dias, que não houve mais acidentes. Pomo-lo a fazer xixi antes de irmos dormir e acordo com ele às 7h15 a chamar por mim para fazer xixi. O melhor de tudo, é que eu só me levantava às 7h30 e agora acordo 15 minutos mais cedo e a manhã corre ainda melhor, saímos de casa mais cedo e eles estão na escolinha antes das 9h. O desfralde está feito. Podem acontecer acidentes, claro que sim, os acidentes fazem parte do percurso, mas ele já controla toda a noite e chega a estar 7 horas sem fazer xixi.

23 semanas de Francisca❤️

Adoro sentir os pontapés que a minha filha me dá, mas o pai está todo triste porque ainda não a consegue sentir... E às vezes eu estou a sentir tão bem, ele coloca a mão sobre a barriga e não sente... E fica um bocadinho triste, mas tenho a certeza que mais semana menos semana vai sentir.

Ementa Semanal

2ª feira
Jantar: Frango assado com alho, massa de pimentão, alho, azeite e ervas aromáticas, acompanha com salada verde e batatas gratinadas no forno.

3ª feira
Jantar: Filetes de pescada no forno com puré de batata e salada
Canja (feita com as asas do frango que foi usado na segunda e que seguiram directamente para uma canja, a sopa mais apreciada pelos meus filhos)

4ªfeira
Jantar: Menu infantil para as crianças, que os pais vão jantar fora! Esparguete com ovo mexido, fiambre e ervilhas

 5ªfeira
Jantar: Lasanha com salada

6ªfeira
Jantar: O meu filho mais velho quis escolher o jantar, usando o cartão do nosso Jogo das Estrelas. E o que é que ele escolheu? Nuggets com batatas fritas! E hoje também vai usar o cartão "vale convidar um amigo para dormir cá em casa". É um dois em um. Para minorar o mal  que a ementa escolhida faz as batatas fritas vão ser chips de batata doce feitas em casa.

Sábado
Jantar: (Temos amigos para jantar) Arroz de pato com salada + pão recheado com chouriço + mousse de chocolate feita na Bimby. Para mim, o segredo da mousse é o chocolate e desde que experimentei o chocolate negro para culinária da Lindt, com 70% de cacau, a mousse ficou ainda mais maravilhosa. É muito mais caro, mas dias não são dias e vale o preço.

Domingo
A decidir consoante as sobras e o programa do fim de semana

Nota: Não coloco aqui as receitas das sopas, a não ser que experimente alguma receita especial. Mas é feita sopa duas ou três vezes por semana, consoante a necessidade.

27 de setembro de 2015

O negócio das festas de aniversário

À medida que vou às festas de anos infantis, e com dois filhos, oito sobrinhos e filhos de amigos, posso dizer que já começo a ficar especialista na matéria e é impressionante a falta de qualidade que a maioria dos espaços e serviços apresentam. Eu tinha vergonha não só de apresentar um serviço daqueles, se fosse o meu negócio, como se fosse mãe de ter uma festa com tão pouca qualidade. Hoje foi flagrante. Na Marina do Parque das Nações assisti à festa mais pindérica que me lembro. Era tudo deprimente. A comida pouca é muito, muito má, os insufláveis ao sol, com quarenta graus, não foram uma opção até ao final da tarde, as animadoras que supostamente iam fazer um show do Frozen só me faziam lembrar aqueles travestis decandenetes com umas perucas horríveis e um ar decrépito a dançar sem música, porque a miserável aparelhagem não funcionou. O escpaço interior, onde teve de decorrer a festa, era mínimo. Cá fora, os insufláveis no parque ele estacionamento da Marina permitiam que as crianças andassem ali livremente podendo andar pelo parque de estacionento ou cair ao rio, porque as monitoras não conseguiam controlar a segurança, inexistente. Eram os pais e tios que estavam a policiar e a garantir que não desaparecia nenhuma criança. Enfim, mirserável e caríssimo. Uma vergonha. Não sei como é que estes sítios se aguentam. Ou são as pessoas que aceitam tudo porque não se querem chatear, ou não sei... Mas hoje entre família e amigos éramos mais de uma dezena de adultos completamente chocados com a fraquíssima qualidade de tudo!!! Os pais estavam super envergonhados pela miséria de festa... A sorte é que as crianças querem é brincar e as duas primas aniversariantes estavam contentes. Felizmente tenho tido muita sorte nos espaços onde fiz as festas de anos do mais velho, que para o mais pequeno ainda não aluguei espaço. Porque tenho visto com cada porcaria, mas como o de hoje acho que nunca tinha visto...

26 de setembro de 2015

A todas as mães que estão a organizar o baptizado dos vossos filhos

A celebração do baptismo pode ser igualmente bonita e pessoal, com leituras e cânticos escolhidos por nós, mesmo sem ter missa completa. É uma questão da cerimónia ficar um pouco mais curta para poupar o bebé que está a ser batizado e todas as crianças que participam da festa. É a modesta opinião de quem já baptizou dois filhos e já esteve em muitos baptizados de sobrinhos e de filhos de amigos, e há cerimónias que são uma verdadeira tortura, principalmente para os mais velhos e para as crianças. Hoje, por exemplo, estive numa cerimónia muito bonita, numa igreja linda e tudo maravilhoso. Mas estava muito calor, a cerimónia começou meia hora atrasada e depois demorou uma hora e meia. Conclusão: duas horas dentro de uma igreja com crianças. A bebé que foi baptizada, e que chegou antes da hora como é normal, quando começou a missa já ela estava a chorar, impaciente, cansada e cheia de calor. Os meus filhos e outros miúdos tiveram de ir lá para fora brincar com os pais, porque há um tempo limite que eles aguentam... Até porque o momento do baptismo e o mais aguardado por eles, nunca mais chegava. Claro que há pessoas que fazem questão de que haja missa completa, mas eu fiz sempre sem missa e foram ambas cerimónias lindas, muito personalizadas e que não massacraram as crianças presentes, principalmente os bebés do dia.

25 de setembro de 2015

Há sexta-feira ao final da tarde são permitidas as novas tecnologias

O filho mais velho está delirante com o jogo da Lego do Jurassic Park e aproveita o fim de semana para jogar um bocadinho, a única altura em que pode jogar, e mesmo assim com horas muito limitadas e controladas. Mas à sexta feira é o dia em que ele mais está desejoso de jogar e sai da escola sem pedir para ficar mais um bocadinho a brincar no pátio ou na rua.


O mais pequeno também começa a despertar para as novas tecnologias e já gosta de fazer os seus joguinhos no iPad. 


Tudo com conta, peso e medida e com regras e horários muito definidos.


Fim de tarde de filho único

O irmão queria jogar PlayStation porque hoje é sexta-feira. O pequenote queria ir ao parque. E lá fomos. Mas pelo caminho pediu-me para irmos ao Jesus. O que ele gosta de entrar na igreja e ficar ali a olhar para o altar e para as imagens. Benze-se à maneira dele e antes de sair atira beijinhos ao Jesus. 


Quando achou que já chegava disse-me: parque. E lá fomos nós.




Tão bom❤️ aproveitar os fins de tarde com sol e calor antes do frio e dos dias curtos chegarem. 





O meu angioma

E eis que o meu sinal, de que aqui falei, resolveu rebentar e começar a sangrar sem parar! Lá fui novamente à dermatologista e uma vez que o sinal, de seu nome angioma, decidiu rebentar agora tem que sair. O sinal é do mais simples que há, daqueles que se tiram em 10 minutos, mas eu estou grávida e as coisas deixam de ser assim tão simples. Mas após reflexão (minha com a dermatologista, minha comigo própria e minha com a minha obstectra - também tentei reflectir com o maridão, mas ele está em reuniões e não pode atender) vou tirar com pequena cirurgia, que é 100% seguro para a minha bebé. Há um tipo de laser que também é, aparentemente, completamente seguro na gravidez, mas há alguns médicos que preferem não fazer... A minha dermatologista não gosta da cicatriz que vai ficar numa zona tão exposta, porque eu faço muitos cloides e é capaz de ficar uma marca feia, pois a pele nesta zona é sensível. Mas eu sou optimista e acho que não vai ficar assim tão mal. Ela vai dar o melhor e eu vou ter imenso cuidado. Ficará uma marca, sim, como tantas outras que tenho no corpo. Se calhar, aos 18 anos era o fim do mundo. Hoje em dia, aos 37, é uma marca de uma situação que vivi num momemto em que estou em pleno estado de graça à espera da minha filha. Tenho estrias das gravidezes, tenho marcas de alguns sinais que tirei, tenho uma mini a cicatriz da minha primeira cirurgia à endometriose, tenho uma pequena cicatriz no pé direito de um acidente de carro... Tenho várias etapas tatuadas em forma de pequenas cicatrizes no meu corpo e sei a que momento da minha vida se referem. E vivo bem com elas. Se por acaso ficar com uma cicatriz gigante e muito feia, o que eu duvido porque há 2 anos tirei um sinal com esta médica na maminha e nem se nota a cicatriz, e se eu não me sentir bem com ela logo penso numa forma de resolver o assunto. Mas já depois de ter a minha filhota nos braços. Para já, avançamos para a micro cirurgia já para a semana. Sem medos e confiante que é a melhor opção, a que não deixa a mínima dúvida. Porque a segurança da Francisca está em primeiro lugar. E há coisas que eu não gosto de arriscar, mesmo quando a margem é mínima ou praticamente inexistente.

24 de setembro de 2015

A Francisca diz olá!!

Olhem lá a minha princesa a dizer adeus!!! Até parece que está de óculos escuros, a miúda!!

Viagem de Finalistas do Jardim de Infância

As mães já se mobilizaram e já está em marcha um plano para angariação de fundos para a viagem, como expliquei aqui que iríamos fazer. Hoje estava a falar ao meu filho mais velho das rifas que todos os meninos iam vender para dar um magnífico prémio (que a seu tempo revelarei), quando ele me pergunta, um bocadinho aflito: oh, mãe, se eu não vender o meu bloco de rifas todo não vou à viagem? Expliquei que claro que vai, vão todos! Mas que quanto mais dinheiro conseguirmos com as rifas, com as vendas de bolos e outras actividades menos dinheiro os pais têm que gastar. E assim, eles aprendem que é preciso trabalhar para conseguir o que queremos e que não é fácil ganhar dinheiro. Acho que devemos de pequeno educá-los financeiramente e mostrar-lhes o valor do trabalho e que as coisas não caem do céu. É preciso ensinar os nossos filhos a dar valor às coisas e tenho a certeza que o facto de "trabalharam", de colaborarem e de participarem activamente durante 9 meses (de Outubro a Junho) para a viagem deles, a vai tornar ainda mais especial. O valor que vão dar à viagem é certamente diferente com este envolvimento deles do que se fosse cada pai a passar um cheque na secretaria com o valor certo, sem que os miúdos não tivessem qualquer participação. E ainda bem que na escola dos meus filhos este tipo de acções é valorizado. Eu comentava com uma colega estas coisas que íamos fazer e de toda a mobilização das famílias em torno da viagem e ouço como resposta: que seca! Na escola dos meus filhos são todos ricos e ninguém precisa de andar a fazer essas coisas. E eu pensei, coitados dos miúdos, vão perder metade do divertimento que vai ser preparar a viagem ao longo do ano. É pena que haja quem não perceba que não se trata de ser rico ou pobre, acredito que 95% dos pais da sala do meu filho não teriam o menor problema em pagar o valor total da viagem, mas perdia-se uma excelente oportunidade para os formar e para os educar, a brincar e a fazer bolos! Há lá maneira mais divertida!!!!

Ecografia Morfológica e Ecocardiograma Fetal

Fiz hoje estes dois exames e a Francisca besnica passou com distinção nos dois! Está tudo bem, tem as peças todas no sítio, adora chuchar no dedo e dar pontapés. É um amor, a minha princesa. E enquanto fazia a ecografia e o doutor Amadeu contava os dedos das mãos e dos pés eu perguntava para dentro a mim própria: como é que vai ser ser mãe de uma menina? Maravilhoso, certamente, só que mais cor de rosa e com lacinhos à mistura! Tão bom! E ouvir que está tudo bem com os nossos filhos é a melhor coisa do mundo.

Péssimo exemplo dos adultos!

Incomoda-me quando vejo pais, mães, avós e adultos em geral atravessar a estrada com o sinal vermelho para os peões ou fora das passadeiras, levando as crianças pela mão! Que exemplo horrível! Toda a gente sabe que os miúdos fazem o que vêem fazer e não o que lhes dizemos para fazer. Então quando dizemos uma coisa e fazemos outra está tudo estragado! Eu também passava nós vermelhos e dava corridinhas para atravessar, mas desde que fui mãe e ando com os meus filhos que nunca, mas nunca mais o fiz. Nem com eles nem quando estou sem eles. Foi um comportamento que mudou e ainda bem. Mais cedo ou mais tarde os nossos filhos vão andar sozinhos na rua, vão atravessar estradas e é importante que tenham interiorizado bem as regras de segurança para evitar acidentes.

23 de setembro de 2015

Reunião de pais do meu filho mais velho!!

O tempo voa mesmo e o meu filho mais velho já é finalista do Jardim de Infância!! E hoje na reunião, entre outras coisas, falámos da viagem de finalistas que farão em Junho e das actividades que iremos desenvolver ao longo do ano para angariar o dinheiro necessário para a viagem. Há 15 anos que nesta instituição fazem a viagem de finalistas e é sempre um ponto alto, que dura três dias e duas noites!! As mães que lá estavam e que têm filhos mais velhos, que já passaram por esta viagem, dizem que a felicidade deles é tanta que é uma experiência que nunca mais vão esquecer. São três dias inteiros de brincadeira com os amigos, a educadora e as auxiliares que os acompanharam ao longo destes seis anos, numa relação quase de família que os marcará para sempre!

Ser Criança


"Ser criança é acreditar que tudo é possível.

É ser inesquecivelmente feliz com muito pouco

É se tornar gigante diante de gigantescos pequenos obstáculos

Ser criança é fazer amigos antes mesmo de saber o nome deles.

É conseguir perdoar muito mais fácil do que brigar.

Ser criança é ter o dia mais feliz da vida, todos os dias.

Ser criança é o que a gente nunca deveria deixar de ser."


Gilberto dos Reis

Todos temos uma manta para oferecer!

Não vale ficar indiferente! Vamos trocar uma manta por um sorriso. 

E quando o fizerem envolvam os vossos filhos. Peçam ajuda para escolherem a manta e expliquem o objectivo desta missão, que é ajudar quem mais precisa a ter um inverno mais quente. É importante envolvermos as crianças nestas accções de ajuda ao próximo, pois só assim eles percebem certos valores da vida.


Sem fraldas# dia 71

Ontem, quando deitei o mais pequenino disse-lhe: Não faças xixi na cama, Afonso. Quando tiveres vontade, acordas, chamas pela mãe, chamas alto e dizes xixi e a mãe vem cá e leva-te ao bacio. Está bem? E ele disse: sim!

Antes de me deitar, por volta das 23h, pu-lo a fazer xixi, mas jurei que foi a última vez. Nem foi tirá-lo da cama de grades e sentá-lo no bacio, no chão, foi depois de estar de cócoras com ele no chão, levantar-me e levantá-lo a ele... Aos 6 meses de gravidez, e apesar de não me sentir pesada, já há movimentos que me custam. E este foi um deles. Mas adiante. Ele fez um grande xixi. Quando o pai se foi deitar, por volta da uma da manhã, voltou a pô-lo a fazer xixi e mais um xixi.

Eram 5 da manhã quando ouço chamar. Chego ao quarto e pergunto logo: já fizeste? e ele diz: não. Levei-o à casa de banho e fez um grande xixi. Fazemos isto tudo às escuras apenas com a luz de presença do corredor acesa. Quando o ponho no chão vejo-o a correr para o meu quarto. Perguntei para onde ia. E ele disse: à mãe! E deixei-o ir. Deitou-se entre mim e o pai, sem xixi's nem pijamas molhados.

Umas horas depois, ouço: mãe, posso ir à casa de banho?, vindo do lado de fora da cama. Ainda demorei a perceber que era o mais velho. Claro que podes, filho. Isso nem se pergunta. E lá foi. E depois diz-me, quando regressa. Ainda é de noite. Posso ficar aqui um minuto. Cheguei-me para o lado. 

E acordei abraçada pelos meus dois filhos. E bendigo a cama grande que comprámos!

Dois filhos, dois bolos!

O meu filho mais velho andava a pedir bolo para levar para a escola. Decidi que hoje era um bom dia. Nada como celebrar a chegada do Outono com um bolo. Além disso, hoje a educadora dele, que está de licença para ter a bebé dela dentro de dias, vai lá lanchar com eles, para depois termos reunião de pais, e achei que era uma boa ocasião para haver um bolo de até já à educadora antiga e de olá à nova. Comprei corante verde, a cor da sala dele, e fizemos um bolo de iogurte com marmoreado verde!



O bolo mais claro, mas que é exactamente igual ao outro, excepto no corante, é o bolo de iogurte que o pequeno levou para partilhar com os amigos, só porque sim e porque é guloso e porque se o mano levava um bolo ele também queria. Cada um fez o respectivo bolo comigo ontem, depois da escola, com a ajuda da Bimby.


E hoje foi só cobrir de smarties e estar atenta aos "assaltos"... Estava a ver que os bolos não chegavam inteiros à escola. Fiz as receitas do bolo de iogurte do livro base da Bimby sem a parte da casca de limão.

22 de setembro de 2015

Conversas entre manos!








Eu arrumei os ténis de corrida, mas continuo a correr mesmo barriguda

É verdade. Os dias parecem-me curtos para tudo o que tenho e quero fazer. Entre o trabalho, as reuniões de escola de início de ano lectivo, as ecografias da Francisca, análises à grávida, consultas de rotina com os meus filhos - e umas não tão de rotina como a que vamos ter na semana que vem com o cirurgião pediátrico, como contei aqui - sinto que apesar de ter deixado as corridas quando descobri que estava grávida continuo a correr o dia todo. Os dias são uma loucura, uma agitação! Eu adoro este frenesim. Ontem estava numa situação em que me foi perguntado como é que eu fazia, agora que tinha de me proteger um bocadinho e tinha algumas limitações... E eu ri-me. Tenho a sorte de estar a ter uma gravidez abençoada (na do Afonso estive em repouso os primeiros 4 meses e meio) e de me sentir cheia de energia. E faço tudo o que fazia antes de estar grávida. E tenho dois filhos cheios de power que precisam de mim. E eu preciso de correr para chegar a tudo e a todos. Felizmente tenho ajuda em casa e não tenho que me preocupar com o trabalho doméstico, basta-me geri-lo e fazer as compras do supermercado. Sempre sonhei ter uma casa grande e uma vida agitada e bem preenchida. E tenho. E tenho a família com que sempre sonhei. E gosto do meu trabalho e de conciliar tudo. Mas depois de tudo feito e miúdos a dormir, sento-me no sofá para ver uma série com o meu marido, que dos filmes já desisti há muito porque demoro duas semanas para os ver, e nem uma série consigo ver, de tão cansada que estou. Mas depois ferro no sono e acordo novamente cheia de energia para mais um dia!

O pão e os refugiados

Doem na alma. São rostos de tristeza e de desespero. Rostos de fome e de miséria. Rostos de quem perdeu tudo. Os rostos das crianças e dos bebés marcam-me mais. Fazem-me doer a alma e perguntar como é que isto é possível. Hoje de manhã o meu filho mais velho começou a embirrar com o pão do pequeno almoço. O pai tinha ido comprar pãezinhos de mafra quentes, daqueles que nos fazem suspirar, mas o miúdo queria arrufadas com açúcar. E diz: este pão é uma porcaria! E eu senti uma revolta por dentro. Como é que este miúdo se atreve a dizer que pão quente acabadinho de sair do forno de lenha é uma porcaria?! Já ontem foi para a cama sem jantar, porque chegou à hora em que demos o jantar por terminado e ele continuava a dizer que a sopa era horrível. (São todas, aos olhos do meu filho). E eu hoje, acabadinha de ver imagens de miséria dos refugiados nas notícias das 7 da manhã, olhei-o bem nos olhos e disse-lhe, mais uma vez, que não lhe admitia que falasse assim da comida, quando há tanta gente, e tanta criança a sofrer e a morrer de fome! E falei-lhe dos refugiados que estão a fugir do país dele que está em guerra, de terem partido com a roupa do corpo, de terem fome, frio, de andarem a fugir em comboios e camiões sobre-lotados sem saberem quando voltarão a ter uma casa. Disse-lhe que havia imagens horríveis que nos chegavam pela televisão, imagens que nos faziam chorar e que não lhas mostrava porque ele só tem 5 anos e ia ficar um mês sem dormir. Mas mandei-o comer o pão e agradecer o pão quente, a casa, a família, a roupa, os ténis confortáveis, a cama cheirosa e a sorte de viver num país em paz. E ele comeu o pão. 

Sem fraldas# dia 70

De há uma semana passada que temos tido xixi's todas as noites. Vamos pô-lo a fazer xixi antes de nos deitarmos, por volta da meia noite, e de manhã acordamos com ele a chamar e a dizer xixi, já todo molhado. Hoje a meio da noite quando o mais velho me pediu ajuda para encontrar a almofada caída no chão, ainda fui ver o Afonso e ele estava seco. Estive para o ir por a fazer xixi, mas já me custa tirá-lo do fundo da cama de grades a dormir. É um esforço grande. Não o tirei, tapei-o e esperei que ele aguentasse até de manhã. Não aguentou. Pelo menos de dia e nas sestas já não há acidentes, esperemos que os xixi's da noite seja apenas uma fase, porque ele até se estava a aguentar muito bem.

As vencedoras do passatempo "Receitas para todos os dias"


Este passatempo foi um verdadeiro sucesso! Tive muitas, muitas participações e não foi fácil escolher as felizes contempladas. Muitos parabéns às três vencedoras (a Patrícia Viegas, a Sílvia Santos e a Ana Ferreira), muito obrigada a todas as participantes e muito obrigada à editora Esfera dos Livros por mais esta parceria! 

21 de setembro de 2015

22 semanas de Francisca❤️

E eu sinto-me bem é com energia. Corro o dia todo, ando sempre a mil, mas aguento-me bem. Só quando páro, depois de os deitar e de organizar o dia seguinte, é que me sinto exausta! Às nova 22h são antigas 5 da manhã!!




Hoje tivemos uma tarde diferente


Fotografia tirada pelo meu filho mais velho, enquanto aguardávamos a descida para o estúdio.

E foi uma animação!! Os meus filhos adoraram a experiência (de ir à televisão) e ainda estão excitadissimos com tudo o que viveram! E crianças num estúdio de TV em directo é um grande risco... Felizmente tirando um copo partido correu tudo bem. O mais velho diz que falou pouco e que quer lá voltar, mas o que eles gostaram mesmo foi de aparecer na televisão.

Ementa Semanal

2ª feira
Jantar: Rolinhos de porco com queijo, fiambre e manjericão, adaptados daqui. Acompanha com arroz e salada.(Era para ser o jantar de ontem, mas como fomos jantar ao jantar familiar de domingo com uns amigos maravilhosos saltou para aqui)
Vamos experimentar uma sopa nova de couve-flor e alho francês, daqui.

3ª feira
Jantar: Rolo de carne (com sopa de cebola) com beringela e courgete assadas no forno com azeite e ervas.

4ªfeira
Jantar: Arroz de peixe

 5ªfeira
Jantar: Almôndegas com puré de batata


6ªfeira
Jantar: Lulas guisadas com batatinhas

Sábado
Baptizado

Domingo
Almoço: Esparguete com courgete e queijo creme, daqui.
Jantar: Ovos na caneca (receita que o Maridão trouxe da casa materna. Cozer um ovo de modo a que ainda fique bastante líquido. Numa caneca partir uma fatia de pão torrado, partir uma fatia de fiambre e juntar um pouco de manteiga. Abrir uma tampinha no ovo e com uma colher de café retirar o ovo e juntar na caneca ao pão e ao fiambre. Envolver bem e deliciar-se. Faço sempre dois ovos por pessoa.)

O meu filho mais velho e o seu desejo de encher a casa com irmãos

Hoje de manhã à chegada à escola está o pai de uma amiga da sala a descarregar a filharada toda. Ao todo, são 7 filhos, sendo que o mais novo tem 2 meses e a mais velha 11 anos....
O meu filho: gostava de ter um carro como o pai da C. para podermos ter muitos mais manos.
(Nós já temos um monovolume de 7 lugares, mas o outro pai tem uma carrinha de 9 pessoas)
Eu: Oh, filho, mas depois da Francisca a mãe e o pai não vão ter mais filhos.
Filho: (Desapontado) Ficamos só três irmãos?
Eu: Sim.

Filho: Não, mãe!! Se nós nos portarmos muito, muito bem e se tu e o pai namorarem muito podemos ter mais manos. Boa???

20 de setembro de 2015

O primeiro Cartão do Jogo das Estrelas levou-nos ao Fun Factory da Lego

Lembram-se do nosso Jogo das Estrelas que instituímos cá em casa há 3 semanas? O primeiro cartão que calhou ao meu filho, que na altura até ficou desiludido porque não era o que ele queria, foi o "Pode escolher o programa do dia". Hoje de manhã, perguntou-me: Posso usar o meu cartão do Jogo das Estrelas? Eu disse que sim. Ele pediu para irmos ao Fun Factory da Lego, convidando um amigo da escola, que tal como ele adora Lego. Eu disse que sim e liguei à mãe do amigo dele. Tudo combinado e lá fomos para o Dolce Vita Tejo, na Amadora. E foi um sucesso! Os miúdos adoraram! Estiveram lá uma hora, o tempo máximo permitido, e divertiram-se à grande. O pequeno Afonso também pôde brincar na zona do Lego Duplo com a companhia do pai. A mãe aproveitou e foi espreitar umas lojas!! Os miúdos adoraram o espaço, brincaram imenso e passaram uma hora super divertidos! A entrada é gratuita e o espaço está muito bem organizado com monitores atentos e simpáticos. É um bom programa dos 1 aos 12 anos, sendo que dos 1 aos 4  anos têm que ficar na zona dos Duplo com a companhia de um adulto responsável.

18 de setembro de 2015

Uma excelente notícia e colo de madrinha ❤️

Hoje tive dois momentos muito bons. Tinha consulta de dermatologia para ver o sinalão vermelho que me nasceu na zona do decote. E após análise da médica o sinal é completamente benigno e poderei tirá-lo depois da Francisca nascer. Este e muitos que me têm nascido com as gravidezes. Feliz com a boa notícia fui visitar a minha grande amiga e futura comadre e consolei-me com o meu afilhado queriducho ao colo!! Tão bom. 2 meses de gente bem redondinho e querido. Até dormiu enroscado no meu colo❤️ Coisa boa da madrinha babada!!

O saco de passeio dos filhos

O saco de passeio do primeiro filho pesa 5x o peso da criança! Leva lá dentro 4 mudas de roupa impecavelmente dobradas e engomadas, fralda de pano, chucha esterilizada, água termal para limpar o rabinho, compressas, fraldas descartáveis, uma mantinha, um casaquinho, um biberão esterilizado com água fervida, um brinquedo e tudo o que esta mãe achar que o seu filho vai precisar. O saco de passeio do segundo filho está muito mais leve que o primeiro e leva lá dentro uma muda de roupa, fralda de pano, chucha, toalhitas, fraldas descartáveis... Isto nos primeiros dias, mas assim que as coisas acabam a mãe deixa de repôr. Até porque não é prático andar com os dois filhos, mais o saco do bebé e a carteira da mãe. Vai daí, e como a mãe usa sempre carteiras enormes, antes de sair de casa com o bebé a mãe atira para dentro da carteira uma fralda descartável e uma pseudo muda de roupa para desenrascar uma emergência!

Claro que estou a brincar e a ser um bocadinho exagerada, mas é um bocadinho assim e à medida que vamos ficando mais desenrascadas e mais desempoeiradas nisto da maternidade começamos a simplificar e a descomplicar.

Apesar de pouco ter usado o saco de passeio com o Afonso, ele ficou bastante usado pelos manos, e agora vou procurar um saco novo para a Francisca. E cor-de-rosa!

17 de setembro de 2015

Para as mães de primeira viagem!!

Atenção. Não comprem tudo o que vos impingirem. Uma mãe de primeira viagem é um alvo fácil. Está feliz, radiante com a ideia de ser mãe e quer faezr tudo certo e não quer que nada falte ao seu filho. E as marcas sabem isso. E as lojas também. E vai daí tentam impingir muito mais do que aquilo que mãe e filho necessitam. Tenham calma, leiam, pesquisem, falem com amigas que já tiveram filhos. Não atravanquem a casa de coisas e não gastem o orçamento familiar todo em gadgets para o bebé. E mesmo que depis sintam falta vão sempre a tempo de ir comprando, aos poucos. Conheço bem o excitamento do primeiro filho, como queremos comprar tudo e ter tudo pronto... como se isso antecipasse a chegada do nosso bebé. mas não antecipa. A natureza está muito bem feita e dá-nos 9 meses para preparar o ninho e preparar a chegada do nosso bebé. E antes de comprarem este mundo e o outro vejam se não têm quem vos empreste a banheira, a cadeira da papa,  o sling, o marsúpio, a cama de grades, a espreguiçadeira, o isofix para o carro... São coisas que podem servir vários primos e filhos de amigos, e que desde que bem estimados estão bons para serem usados por várias crianças. Quem recebe poupa (e o jeitão que vai dar para vacinas fora do PNV, fraldas, cremes, pediatra e afins...), quem empresta agradece (porque liberta espaço!!!) e quem pediu emprestado fica feliz na hora de devolver e libertar espaço! E invistam num bom ovo, carrinho e cadeira para o carro, um bom colchão para o berço e para a cama de grades e coisas verdadeiramente importantes e que implicam segurança e bem estar.

Os nossos fins de tarde

Adoro ter a sorte e a possibilidade de os ir buscar à escola todos os dias, e é tão bom quando pudemos ir um bocadinho ao parque. Hoje tivemos um final de tarde mesmo bom.


O meu filho mais velho que adora médicos, hospitais e afins...

... tem pavor de vacinas. Ainda não eram 7 da manhã quando o ouço sussurrar-me ao ouvido: mãe, é hoje que vou levar a vacina? Acho que lhe respondi que não e virei-me para o outro lado para aproveitar os últimos minutos na cama. Quando me levantei e cheguei à sala, mal me vê, pergunta logo: mãe, não é hoje que vou levar a vacina, pois não? Lá o tranquilizei com um beijo, um bom dia e um não, é só amanhã. Amanhã é dia de Bexsero. A última dose.

Pensar a creche

Fui pesquisar mais sobre a Gabriela Portugal porque ontem, na reunião da creche do meu filho, me identifiquei com todas as citações desta investigadora que a educadora nos apresentou. 


E encontrei esta entrevista, que na minha opinião vale a pena ler. Na íntegra, aqui.

Reunião da Creche

Gosto imenso da escola onde andam os meus filhos. Primeiro, porque eles adoram lá andar e se sentem felizes e depois porque me identifico com os valores e com a maneira como o dia a dia é vivido por todos os que fazem parte da vivência da escola. Adoro as educadoras dos meus dois filhos e sei que eles estão bem entregues e que nós (família) e a escola funcionamos em sintonia de modo a nos complementarmos e darmos o melhor de nós.Ontem, a reunião do mais novo, foi muito interessante. E enquanto a educadora nos apresentava as rotinas do grupo, acompanhadas por um bolo caseiro feito por ela, apresentou algumas citações da investigadora na área da infância,Gabriela Portugal, que diz: "na creche o principal não são as actividades planeadas, ainda que muito adequadas, mas as rotinas diárias e os tempos de actividades livres." É através das rotinas diárias, em que eles são chamados a ser cada vez mais autónomos, e nas brincadeiras que fazem que eles aprendem. Como ela nos explicava, enquanto eles arrumam os brinquedos, não estão só a aprender a arrumar, mas estão a desenvolver o raciocínio matemático, de forma natural ao arrumarem os carros grandes com os carros grandes, os pequenos com os pequenos, as peças dos legos todas juntas e as motas noutra caixa. Claro que depois têm as actividades de pintura, leitura, trabalhos manuais e música que são orientadas, mas a educadora diz que estão sempre muito atentos ao interesse da criança, pois só assim elas se interessam. Depois, juntámos-nos em grupos e fizemos um pequeno jogo de troca de experiências, a propósito das frases mais ditas pelos meninos e meninas da sala como o É Meu, Não Consigo, Não. Foi muito interessante e há de facto grande cumplicidade com a educadora e auxiliares e entre os próprios pais, que na maioria já se conhecem há alguns anos, por terem filhos noutras salas, e houve também uma recepção calorosa aos pais caloiros. Ouço mães a praguejarem contra as reuniões e falam com ar de seca, mas ou sou eu que tenho muita sorte com as educadoras e grupos de pais que me têm calhado, ou sou eu que gosto mesmo desta coisa de ser mãe e tudo o que diz respeito aos meus filhos, me interessa. E depois há sempre umas fotografias partilhadas que a educadora tirou durante o dia, uma história engraçada que ela conta... É um momento de partilha e de troca de informação e de ideias com as pessoas que tanto tempo passam com os nossos filhos na creche. E ainda trouxemos um miminho que a educadora ofereceu a todos os pais, celebrando o início de mais um ano lectivo. 

16 de setembro de 2015

De ❤️ E barriga cheia!

A minha avó estava feliz e, como sempre, era a mais bonita e a mais elegante da festa! O meu filho mais pequeno, que ao início por causa dos cabelos brancos tinha medo da bivó agora é uma loucura é só quer a bivó quando ela está por perto. E eu fico tão feliz por eles terem a oportunidade de conhecer esta senhora tão especial. E eu sou uma privilegiada por aos 37 anos, grávida do terceiro filho, ainda ter a minha avó para me apaparicar. Sempre passei grandes temporadas em casa dos meus avós, os meus pais viajavam muito, e eu adorava estar com eles. Com o meu querido, avô, então, nem se fala, que éramos a luz um do outro e ele deixava-me fazer tudo e eu era a princesa. A minha avó era e é a matriarca da família e é uma inspiração para todos os que a conhecem. E eu só peço que Deus lhe continue a dar saúde e tudo de bom o que lhe tem dado até hoje para que possamos ter a sua companhia e a sua sabedoria por mais uns bons anos. Foi uma festa linda e a minha avó só não estava mais feliz, apesar de o disfarçar com uma sabedoria única,  porque há quase 3 anos, quando o meu avô morreu, houve uma luz que se apagou nela para sempre. Continua a ser uma força, a ter alegria de viver e a olhar sempre com um sorriso para o futuro, mas ao fim de quase 70 anos de casados, num amor, amizade e companheirismo até ao último segundo, como eu nunca vi, houve um vazio que se instalou numa parte do seu coração e que nenhum filho, neto ou bisneto pode preencher porque era o lugar do querido avô Zé... Que hoje está no céu a olhar por nós.❤️

Devemos obrigar as crianças a comer? Eu digo que não!

E vários especialistas, também. 


Muito aqui desabafei porque o meu filho mais velho não queria comer, não tinha (e ainda não tem muita) fome, nem percentil. O pediatra desvalorizava: é dele. Não come porque não tem fome. Não façam teatros. Os miúdos ganham sempre as guerras à mesa. Desesperei. A minha mãe não ajudava à festa e dizia que o miúdo ia morrer à fome. E quando ficava com ele enfiava-lhe comida pela boca a baixo à frente da televisão ou com bonecos, e sentia o dever cumprido por o ter alimentado. Depois de eu desesperar e desesperar resolvi aceitar a opinião do pediatra. Não morreu à fome e sempre foi magro, mas muito saudável e cheio de energia. É da raça dele. É magro, esguio e come pouco. Não é que ele seja esquisito, ele precisa é de muito pouco alimento. Com o segundo, quando quis começar a imitar o mano a não comer, adoptei uma postura muito diferente. Não queres comer, não faz mal, não comes. E não comia, mas também não lhe dava mais nada. E o miúdo ficava com fome, porque ele apenas não comia para imitar o irmão, que de facto continua um pisco e nunca come nada. Mas este não, é comilão e bom garfo. Por isso, por ele e sem dramas deixou-se de teatros e passou a comer, porque percebeu que se não o fizesse ia para a cama com fome. 


A correria dos meus dias...

Tenho a sensação que ando sempre a correr, que me desmultiplico para conseguir chegar a tudo e a todos. Hoje vamos jantar a casa da minha avó para festejarmos o seu aniversário, mas antes ainda tenho de ir fazer umas fotografias que lhe vou oferecer, ir à reunião de pais da sala do mais novo, ir apanhar o mais velho ao futebol (a minha mãe despeja-o lá e vai a correr para ajudar a minha avó com o jantar), ir levantar um vestido que encomendei numa estreia online e que já está à espera de ser levantado, embrulhar os presentes para a bivó, dar banho às crianças, vesti-las e enfrentar o trânsito para atravessar meia cidade... com chuva! Só espero que o panorama nas estradas esteja melhor que hoje de manhã!

Parabéns, querida avó!

93 anos!!!
(foto pininterest)
Muitos parabéns, querida avó!!! Muitos e bons anos como estes 93, em que continua maravilhosa, atenta, preocupada, linda e a melhor avó e bivó do mundo. Lá nos encontramos para festejar e para a abraçar!

Passatempo "Receitas Para Todos os Dias"!!!

Estou mesmo feliz e entusiasmada com este passatempo!!


Quem por aqui passa sabe que as receitas da Joana Roque são uma inspiração gastronómica cá de casa. Recorro imenso ao blog da Joana e aos livros para escolher as receitas cá de casa e para organizar as ementas semanais. Gosto dos ingredientes simples e do dia a dia que a Joana usa, da maneira como os alimentos são cozinhados e, acima de tudo, gosto da variedade e do facto de serem receitas que saem sempre bem. Além disso, a Joana tem imenso jeito para apresentar as coisas que faz e adoro a maneira como organiza a economia doméstica e como prepara o Natal e todos os eventos com cabazes lindos e receitas maravilhosas. Gosto mesmo da Joana, sem a conhecer... E acho-a uma inspiração. 

É, por isso, com grande alegria que anuncio que este blog em parceria com a Esfera dos Livros tem para oferecer 3 exemplares do livro "Receitas para todos os dias, com oferta de agenda de cozinha"! Não é maravilhoso? 

Para ganharem um dos três livros que temos para oferecer basta serem seguidoras deste blog, fazerem um like na página do FB do blog e da Editora Esfera dos Livros e enviarem um email (vidasdanossavida@gmail.com) a explicarem porque é que merecem receber este livro. As 3 respostas mais giras são as vencedoras. Têm até ao final do dia de sábado, 19 de Setembro, para participarem.

E o mais engraçado é a coincidência de lançar este passatempo no dia em que a minha querida avó Eduarda faz 93 anos, e a minha querida avó foi uma das pessoas, juntamente com a minha mãe, que me transmitiu, além de outras coisas, o gosto pela cozinha e pelo amor de cozinhar. Ainda hoje, com 93 anos cozinha como ninguém!

Participem e boa sorte. Obrigada à Joana pelas receitas maravilhosas e um beijinho de parabéns pela chegada do António, o segundo filho da Joana, e obrigada à Esfera dos Livros por mais esta parceria.

A "cozinhar" um passatempo delicioso!

Fiquem atentas!

Noite quase em claro

O pequenino acordou às duas da manhã para fazer xixi, deu-lhe a espertina e quis ir para a minha cama. Foi. E ficou a falar, a dar festinhas e a pedir desenhos animados até perto das 5 da manhã... Depois ferrámos o dois no sono e para acordar é que foram elas, e para animar ainda mais uma manhã já de si difícil a segunda circular estava cortada. Felizmente fugi a tempo e depois de muitas voltas e percursos alternativos chegámos todos ao destino.

15 de setembro de 2015

A música preferida do meu filho Afonso

Dança e canta a ouvir o "Pica do 7"!! É um sucesso e está sempre a pedir para ouvir o seti! Hoje foi a música que escolheu antes de ir dormir.








Acredito que é o fã mais novo do António Zambujo!! (O irmão também adora, mas ainda estava a olhar para o prato do arroz...)

Sessão de cinema e de pipocas no jardim de infância


Este milho, que o meu filho levou ontem para a escola vai ser hoje transformado em pipocas, numa sessão extra de cinema para os meninos da sala dele! Estavam todos tão entusiasmados. Eu que pensava que o milho ia servir para colagens e trabalhos manuais, afinal, parece que vai ter um final bem mais guloso!

14 de setembro de 2015

Diário de uma grávida#49

Depois de ter tirado a aliança no verão, desesperada por a sentir apertada e ainda mais desesperada porque das anteriores gravidezes fui com a aliança até ao bloco de partos, hoje ela voltou para o lugar dela! Já tinha saudades.



Diário de uma grávida#48

Há dias em que mal sinto a Francisca, mas hoje à tarde estou a senti-la particularmente bem! Tão bom. Ainda por cima, nos últimos dias o meu filho mais velho tem perguntado várias vezes se sinto os pontapés da mana. Eu respondia que nem por isso e ele ficava desapontado: Oh, mas já está tão grande a barriga... Hoje ao final do dia vou poder dizer-lhe que a mana deu muitos pontapés!

Ainda do nosso fim de semana... e da liberdade do campo

Ontem à noite, no mimo da história da noite, já depois da história e enquanto fazíamos o balanço do fim de semana. Filho mais velho: oh, mãe, aqui é horrível, saímos de casa e é só estradas e estradas e carros. Lá (no Parque Rural do Tambor) saíamos da caravana e tínhamos o parque e os animais e o campo e podíamos andar sozinhos. E é tão verdade. A liberdade que o campo e a vida numa quinta permitem é fabulosa para as crianças.

Report gastronómico do fim de semana#2

Depois de um sábado e de um domingo de manhã perfeitos no parque Rural do Tambor fomos almoçar à Adega do Avô, em Casais da Ameixoeira, Cartaxo, e aqui, hulálá, que maravilha de restaurante! A comida era abosluitamenrte deliciosa com entradas de fazer água na boca. Broa e pão caseiro, enchidos divinais, azeitonas deliciosamente temperadas, peixinhos da horta perfeitos, grão com bacalhau e tudo cozinhado de maneira espectacular. O prato principal foi cabrito assado no forno com ervilhas estufadas, couves e batatas assadas de comer e chorar por mais. Já a rebolarmos comemos umas farófias do céu e uma mousse de chocolate. As doses eram tão grandes, que trouxemos o jantar:-) Tão bom! Foi um almoço maravilhoso e merece uma nova visita, até porque o espaço exterior é fantástico para as crianças com póneis, vacas, cavalos, baloiços... Vale bem a viagem.

Report gastronómico do fim de semana#1

Ainda em Lisboa, antes de partirmos de fim de semana, fomos experimentar uma pizzaria nova em Lisboa. Chama-se Luzzo e fica na Rua de Santa Marta. Fomos com um casal amigo e com os nossos filhos. Adorei o espaço e a simpatia dos empregados, e o facto de ter uma casinha para as crianças brincarem e da nossa mesa estar mesmo lá ao lado, no pátio. Em relação à comida deixou um bocadinho a desejar. As pizzas não eram más, mas não eram nada de especial, a sopa de cogumelos também não era deliciosa e as entradas estavam assim assim. É pena porque adorámos o espaço, perfeito para irmos em família e com amigos, mas as pizzas, que são a minha tentação, não nos convenceram. mas nada como lá irem provar, porque felizmente não gostamos todos do mesmo!

21 semanas de Francisca❤️

A fotografia é de sábado, no Parque Rural do Tambor.

Ementa Semanal

E hoje, a pedido de algumas famílias partilho o meu quadro em íman onde ao domingo organizo a nossa semana!





2ª feira
Jantar: Esparguete com legumes de verão, daqui.

3ª feira
(Era o que estava programado para sexta, mas como fomos jantar fora saltou para aqui)
Jantar: Entrecosto assado no forno com massa de pimentão, mel e sumo de laranja. Acompanha com arroz e esparregado


4ªfeira
Jantar: Aniversário da minha querida Avó, e vamos festejar com ela e ajudá-la a soprar as 93 velas. E sim, aos 93 anos ainda é a minha avó que faz o jantar (com ajuda da minha mãe para não a sobrecarregar) e é sempre a mais elegante e bem arranjada da festa!

 5ªfeira
Jantar: Arroz de pato com salada verde

6ªfeira
Jantar: Bifes panados com queijo parmesão, acompanha com batatas gartinadas

Sábado
Almoço: Empada de frango, feita com o frango que sobrou de quinta-feira, que foi desfiado e congelado e que vai virar uma enorme e familiar empada
Jantar: Hambúrgueres com molho de natas (uso de soja ou leche desnatado) e cogumelos e com batata cozida

Domingo
Almoço: Empadão de atum com espinafres, daqui.
Jantar: Rolinhos de frango com queijo, fiambre e manjericão, adpatados daqui. (Já experimentei com porco e vou adaptar para frango para ver como fica).

13 de setembro de 2015

Parque Rural do Tambor

Só conhecíamos o Parque Rural do Tambor por fotografia e só tinha uma suspeita que a dona, a tia Mariazinha, era uma simpatia pelos emails trocados para marcarmos o nosso fim de semana. Ontem chegámos para passar o fim de semana e adorámos! Cumpriu e superou as nossas expectativas. Foi perfeito! É um espaço maravilhoso ou, como diria o meu filho mais velho: "ainda bem que viemos para aqui, tem muita paz.". E tem mesmo! E tem tudo para fazer as delícias de miúdos e graúdos. 
A nossa caravana: a Maria Violeta:





A nossa cama, onde dormimos maravilhosamente das 10 da noite às oito da manhã!!


E de manhã, enquanto nós ficámos na ronha até ao maravilhoso pequeno-almoço chegar, os miúdos foram brincar para a rua com o pijama e um casaco. 




Apanharam milho, no labirinto de milho que ficava mesmo em frente à " nossa casa" (e que estupidamente  não fotografei)




E foram imensamente felizes ao ar livre e à solta, gozando de uma liberdade imensa. 

Depois do pequeno almoço fomos aproveitar a manhã, com a companhia do Tizé, que foi incansável.

Os miúdos andaram deliciados de pónei, no Chico Bento!



Deram de comer aos vários animais da quinta






A porca Maria Alice à espera de quando é que chegaria a vez dela!


Brincaram na casinha, mesmo ao lado da nossa caravana


Jogaram com o arco e flecha


Depois do nosso passeio de tractor, conduzido pelo incansável Tizé, foi o nosso jantar delicioso que chegou.




Jantamos ao ar livre, à luz de velas, e ainda assámos marshmallows na fogueira, para encanto dos miúdos. A estadia não é barata, mas vale imenso por toda a experiência, pelo requinte dos pormenores, pelos mimos e pela simpatia do anfitriões que são 5 estrelas e nos fazem sentir em casa. Adorámos!!

Nota: o Afonso adormeceu no Tambor e acordou da sesta, já em casa, na cama dele, e olha para mim, ensonado, ao perceber onde está e diz: "aqui não, na outra casa!". Acho que isto diz tudo. Espreitem o site aqui. Eu já estou a pensar programar uma próxima visita, na primavera, e desta vez com um casal amigo e alugamos as duas caravanas, lado a lado. Obrigada, tia Mariazainha e Tizé, até breve.