31 de julho de 2016

2 semanas sem chucha!!

É incrível como faz amanhã 2 semanas que o Afonso largou a chucha e nunca mais falou no assunto!!!  Ele ficou tão entusiasmado por ir para o jardim de infância, que é no mesmo sítio, e por saber que ia ter facaà refeição na escola e, melhor que tudo, que vai passar a ir de autocarro à natação com os amigos que nunca mais quis saber da chucha!! Ele era tão dependente, andava sempre com a chucha desde que a irmã tinha nascido e de um dia para o outro é como se nunca tivesse usado chucha!! Fantástico!! Nem uma recaída! E o mais engraçado é que não sinto que lhe faça falta, nunca mais pediu e não o sinto mais nervoso ou ansioso. Foi mesmo bom!! Era a altura dele e seguiu em frente sem chucha e feliz da vida!! Está tão crescido. 

Viemos a banhos!!!!

 As crianças estão felizes e estão de férias! Nós estamos felizes e entre um mergulho, um gelado, umas conquilhas e um pé na areia vamos curtindo estes dias, que são muito bons mas não são férias... Pelo menos o conceito tradicional de férias que inclui descanso, dormir mais, deitar na areia ao sol a ouvir o mar... Mas agora que estamos só com os nossos filhos, os três sobrinhos extras ( dois de 5 e uma de 7)já se foram embora, parece que estamos a conseguir alguma paz e sossego! É que isto com mais 3 crianças, mesmo com as mães deles por cá, foram dias de dose extra!! O barulho, as discussões, os risos, os gritos começavam logo às 7 da manhã... Só a minha Francisca continuava a dormir alheia a tudo e a todos até perto das 10 da manhã!! Mas agora estamos sozinhos, apenas com uma sobrinha emprestada de 15 anos que veio curtir a afilhada Francisca e dar uma mão. 


Coisas que me ajudam a curtir estas semanas de férias em família:
- não stressar com as horas de praia! Nunca consigo chegar antes das 11 ( e é só atravessar a rua), mas não faz mal. Fico com a Francisca até ao meio dia e o pai fica com os rapazes mais um bocado. Pelo caminho, ainda na areia a Francisca adormece no marsúpio - NUNCA LEVO CARRINHOS PARA A PRAIA - e deito-a quando chego a casa. Preparo o nosso almoço e o almoço da Francisca. Ficamos por casa até às 17h, hora em que regressamos à praia e ficamos até estar bom!! Hoje passava das 20h quando saímos de lá!  
- este ano optámos pelo carrinho de compras do Ikea para levar as tralhas para a praia e é fantástico. Comprámos também uma geleira fantástica e grande lá no Ikea e duas placas para levar água, que se congelam e depois funcionam como garrafas e temos água fresca sempre! E como são do formato das placas de gelo são fantásticas para todas as geleiras e lancheiras.
- os brinquedos de praia vão no primeiro dia e regressam no último. Ficam sempre na barraca do banheiro, como é tradição aqui da praia. Só a prancha de Skimming do meu filho mais velho - presente por ter ido para o 1º ano do 1º ciclo - vem e volta, carregada por ele, porque ele tem medo que lhe roubem. Nunca se ouviu falar de roubos, mas a prancha é apetecível e se ele quer levar e trazer todos os dias, não me oponho. Também não a carrego. Os meus filhos sabem que tudo o que querem levar extra são eles que carregam, que eu e o pai já vamos bastante carregados. A cadeira de praia fica ou amarrada na nossa palhota ou no banheiro.
- no carrinho de compras vão as toalhas, uma muda de roupa para cada filho, protectores solares, telemóveis,  algumas moedas, chaves... Na geleira vai água fresca ( que é ao mesmo tempo os blocos de congelação) e fruta para a manhã, e à tarde além da água e da fruta vai também o lanche, que são iogurtes, queijinhos babybel, umas bolachas...
- trouxe todas as sopas da Francisca congeladas em unidoses, bem identificadas e diversificadas. É só descongelar, ferver no tacho, um fio de azeite em cru e já está!! 
- trouxe muita comida feita em casa e congelada para nós. Não trago os pratos feitos, que ocupam imenso espaço, mas trago: carne bolonhesa que depois servirá para lasanha, para comer com esparguete, empadão... Trouxe frango assado desfiado, molho de tomate caseiro, bacalhau refogado com cebola ... Tudo em mini caixas de alumínio para uma refeição e facilita imenso . Apesar de ter algumas bases semelhantes, depois o resultado final é diferente e poupo imenso tempo de cozinha!
- ainda não consegui ver nenhuma serie das que trouxemos no disco para ver na televisão, mas agora que estamos só os 5+1 acredito que vamos conseguir. Gosto de ver uma série à noite, enroscada no meu marido, mas como aqui a vida nocturna das crianças é muito animada - com os primos que não estão na mesma casa e com os amigos dos anos anteriores - há sempre passeio, carrosséis, jogo de futebol na pracinha... Quando eles vão dormir, nós arrumamos a cozinha, preparamos as coisas para o dia seguinte e já estão prontos para ir dormir. Mas hoje baldei-me porque a Francisca está a ressacar de tanta noitada é tanta borga e meti-a na cama às 21h... Anda tão contente, a minha Patanisca, já molhou os pés na praia e na piscina e esta deslumbrada a olhar para todo o lado. Adora estar à beira mar, ao meu colo, a ver tudo. Muito atenta, olho bem aberto e grande sorriso!! 
- as férias são mesmo para cortar com a rotina! Almoçamos tarde, jantamos ainda mais tarde e eles deitam-se tardisismo... Tudo o oposto dos outros 11 meses do ano, em que às 19h30 estamos à mesa e às 21h se apagam as luzes! Quando vejo que os miúdos estão a quebrar vão para a cama mais cedo ou dormem uma sesta na hora do calor, que estamos sempre em casa. E quem está muito podre adormece sempre quando começa o filme infantil da tarde. O meu marido abasteceu um disco externo com dezenas de filmes para eles e para nós. Eles têm visto um por dia, nós nem um...!!

Aproveitem as vossas férias, baixem as expectativas que vai se tudo idílico, e gozem os vossos filhos!! Férias com muitos filhos pequenos são fisicamente cansativas, mas os sorrisos deles, aqueles beijinhos salgados, a alegria deles, a liberdade de os ver a correr à beira mar, a alegria de nos terem só para eles... É maravilhoso!! ❤️

24 de julho de 2016

O meu filho Afonso

Por ter sido o segundo é o bebé da casa durante 2 anos e meio houve sempre uma tendência para o achar mais bebé, mas a verdade é que por ter um irmão mais velho, por ter um exemplo e um ídolo acaba por estar a fazer as coisas mais cedo do que o irmão fez! Não há dúvida que eles ficam mais despachados e desempoeirados! Acabei de o deixar em casa de uma amiga da escola para passar a manhã a brincar e almoçar. E no regresso a casa, sozinha no carro, dei por a pensar que o irmão só foi a casa de um amigo já perto dos 5 anos! É engraçada esta dinâmica familiar, o desbravar terreno dos mais velhos que inspiram os mais novos que não querem ficar para trás e se esforçam para fazer tudo o que os irmãos fazem! Olho para o meu Afonso e ele está tão crescido, mas na verdade só tem 3 aninhos... Estava tão feliz hoje quando o deixei na amiga. Geralmente é o mano que tem vários programas por fim de semana e hoje era ele!! E não ia de mãos a abanar. Ontem fizemos juntos um salame de chocolate, receita perfeita para fazer com as crianças, e ele estava radiante por estar a fazer um programa só comigo! É preciso dar exclusividade a cada um dos nossos filhos, porque na verdade cada um deles é único e merece mimo e atenção individual. Quando a Francisca nasceu o Afonso retrocedeu bastante, não tanto ao nível de ciúmes, mas comportamental: teve vários episódios de xixi na cama, quando já tinha largado as fraldas no verão passado, vinha para a nossa cama a meio da noite, queria a chucha a toda hora... Desvalorizámos sempre, nunca ralhámos por fazer xixi, dissemos sempre: não faz mal. Demos mimo e colo. E, de repente, de há uns dois meses para cá deu um salto brutal de desenvolvimento cognitivo ao nível da linguagem, voltou a dormir a noite toda sem acidentes, ficou muito mais sociável, deixou a chucha e também o óó... É como se ele tivesse tido necessidade de dar um passo atrás para agora conseguir dar dois para a frente! Bastou respeitar o tempo dele, as necessidades dele e com amor e colo tudo se resolveu! Houve uns dias mais complicados, em que eu o sentia angustiado e nervoso, desajustado, muito mau leve, sem saber gerir as suas emoções, em que ainda pensei levá-lo ao pediatra, mas depois pensei: vou-lhe dar tempo, colo, mimo, programas de filho único e vamos ver até quando dura esta fase e se se resolve por si... E assim fizemos. E hoje em dia está uma criança feliz, divertida, encantadora, crescida e super equilibrada na vivência entre os irmãos, connosco e na escola! E nada me deixe de coração mais cheio e feliz do que sentir os meus filhos bem.

21 de julho de 2016

E estamos na 4ª noite sem chucha!

Hoje para dormir nem sequer a pediu. À tarde, quando fez birra para sair do banho, chorou que queria a chucha. Eu disse-lhe: já não usas chucha! Ele choramingou: uso, uso. Eu disse-lhe que não e que até tinha mais um carrinho para depois lhe dar... Mudámos de assunto e ele esqueceu a chucha. Demora mais tempo a adormecer, mas isso faz parte. Um dia (na escola a sala dele da creche continua toda a dormir a sesta sem chucha!!) e uma noite de cada vez, mas estou optimista! Até porque estamos quase a ir de férias e acho que ele vai esquecer a chucha rapidamente. Se não acontecer isso e se houver um retrocesso e carências logo se vê. Para já, pensamento positivo e uns carrinhos extra:-))) que fazem parte daqueles presentes de aniversário que ele abre, esquece na loucura da festa, e eu depois escondo para dar em alturas especiais e que fazem um brilharete! 

A nossa princesa!

É a minha companheira de todos os dias. Deixamos os piratas na escola de manhã e depois o dia é nosso, até os irmos buscar e ela ser bem apertada e lambuzada pelos manos. E é tão fácil cuidar dela. A licença de maternidade do meu filho mais velha foi duríssima, com muitas lágrimas, muitas mesmo, desespero, cólicas, inexperiência... E foi curta, 3 meses, não me permitindo gozar depois quando tudo estabiliza e melhora. Do meu segundo filho, filho da primavera e do sol, não repeti alguns dos erros e ansiedades que tinha cometido da primeira vez e desfrutei imenso. Talvez por eu estar mais tranquila, mais preparada para o início correu tudo às mil maravilhas e estive quase um ano a tempo inteiro com ele. Com a Francisca, tirando o primeiro mês mais duro tem sido muito tranquilo, muito pacífico... A Francisca entrou na nossa vida e é como sempre cá estivesse estado, encaixámos rotinas, numas adaptou-se ela a nós, noutras adaptámo-nos nós a ela (acho que este é um dos segredos) e tudo tem sido natural e harmonioso. Quase aos 6 meses e meio e ainda mama, sendo já a recordista nesta questão! Sinto-me mesmo abençoada. Só é pena os quilos a mais que ainda aqui estão a estragar a fotografia. Mas já marquei uma consulta de nutrição para depois de vir de férias entrar nos eixos. E por falar em peso, olhando para a foto, tirada hoje quando vínhamos do pão, ninguém diz que é uma bebé de baixo peso sem percentil... Está tão boa! É uma bebé tão doce, tão risonha, tão tranquila... Tem cócegas, imensas cócegas, e dá umas gargalhadas maravilhosas. Ontem quando o pai chegou a casa e ela o viu, deu-lhe o maior sorriso que eu já tinha visto! Este é mesmo um lado cor-de-rosa da maternidade. E esta é a nossa princesa! 

Há miúdos cheios de sorte!

O meu filho é um deles, e passou um dia magnífico hoje na praia com um grande amigo e a família do amigo, que tem 3 filhos pequenos e, mesmo assim, ainda cabe mais um! Sei bem como é porque cá em casa é igual e há sempre lugar para mais um primo, um amigo da escola... 


Permitir que os nossos filhos saiam da nossa zona de conforto, deixá-los ir para casa de familiares e de amigos da escola é permitir-lhes novas vivências, novos rituais, outras dinâmicas, outros paladares à mesa e eu penso que é muito importante para o crescimento e para a formação deles. E depois quando chegam a casa, mesmo que seja um dia depois, é enchê-los de beijos e abraços e ficar de coração cheio porque temos novamente os pintainhos todos connosco... 

Terceira noite sem chucha

Foi a terceira noite do Afonso sem chucha. Adormecer foi difícil até porque não tinha o mano com ele. Adormeceu já perto das 23, mas pouco passava da meia noite quando somos acordados com o choro aflitivo dele. Tinha vomitado a cama toda. O marido trouxe-o para a nossa cama. Queria a chucha, mas lá adormeceu sem ela. Passado nem uma hora acordo eu com ele a vomitar ao meu lado. (Ontem houve reunião de pais da sala dele e a educadora tem sempre uns bolinhos para nós. Os pais quase não comeram, mas no final, o meu filho quando chegou e viu os bolos... Tanto foi que nem lhe dei de jantar...) Chorava, aflito. Fiz as camas de lavado e ele adormeceu na cama do mano. A Francisca entretanto acordou com os gritos do Afonso. Mamou. E adormecemos todos até de manhã. O Afonso acordou feliz e contente, como se não se tivesse passado nada. Pedi dieta para o almoço dele na creche e é esperar que não seja nenhuma virose maluca, que já estamos em contagem decrescente para as férias!

E o WhatsApp matinal chegou...

... com as fotos do meu filhote com o amigo na praia! Está tão contente que parece que quer ir novamente dormir a casa do amigo, mas essa combinação já não é válida que hoje é dia de regressar à base e contar as aventuras da primeira noite fora em casa de um amigo da escola!

Deixar os filhos voar...

Temos que deixar os nossos filhos irem ganhado asas para voarem. Não os podemos prender debaixo das nossas saias nem os podemos fechar numa redoma, protegendo-os de todos os perigos. Temos de os deixar ganhar asas para irem começando a voar. Voos mais pequeninos que se vão tornando maiores. Mas não é fácil deixar os nosso filhos saírem debaixo das nossas asas e da nossa protecção. Ontem o meu filho mais velho saiu da escola com os pais de um amigo da sala dele para um programa de dois dias: depois da escola  foram ter uma aula de bodyboard, depois dormiu em casa do amigo e hoje vai passar o dia na praia com o amigo, os irmãos do amigo e os pais. Eu conheço o pais, dou-me bem com a mãe dele, confio nela e eu e o meu marido deixámo-lo ir. Ele foi super entusiasmado e radiante e ontem à noite recebi fotografias dele super divertido. O whatsApp é maravilhoso e permite esta partilha permanente de fotos. O problema é que depois no habituamos a este relato permanente e como hoje ainda não tive notícias e não consegui falar com a mãe do amigo dele estou um bocadinho em versão mãe galinha cheia de nervos...  

19 de julho de 2016

As sopas da Francisca também vão de férias!

Não gosto que a minha filha coma a mesma sopa todos os dias e não me apetece ir de férias e ter de fazer sopas. Férias com três crianças pequenas já não é propriamente a coisa mais descansada do mundo, por isso, o que puder ir fazendo aqui em casa, onde tenho ajuda e os miúdos ainda estão na escola, perfeito. Peguei em todos os ingredientes que a Francisca pode comer na sopa até aos 7 meses, excepto a cebola que provocou gases aos meus 2 filhos e não vou dar já, e fiz algumas combinações. Todos os dias faço uma pequena panela de sopa, que dá 6 porções, e guardo uma para o almoço e congelo as restantes. Assim a Francisca varia os sabores e os legumes e eu vou passar quase 3 semanas descansada sem pensar em sopas. É só descongelar e aquecer até ferver, em lume brando, num tachinho. 
Os boiões da Avent, que já originaram 2 posts aqui no blog são perfeitos para isto. Nesta fase, a Francisca come a dose dos frascos pequenos. Eles dão para escrever, mas eu prefiro colar etiquetas com os ingredientes. Para já, está a correr muito bem a aceitação da sopa. Delicia-se mais com a papa, mas também come bastante bem a sopa e a fruta. 

O meu pinga amor!


Filho grande: Mãe, ajudas-me a escrever Adoro-te num cartão para as minhas 3 namoradas?
Eu: Ajudo, filho, mas devias só ter uma namorada. 
Filho grande: Tenho de namorar com elas todas para depois escolher com qual vou casar.
Eu: (Contendo o riso) Ai é? 
Filho grande: Sim. E como somos crianças não faz mal. E elas não se importam e hoje até dei beijinhos na boca de todas! Ajudas-me a escrever os cartões e eu faço os corações?

e diz o piolho pequeno, a ri malandro: eu também quero para a minha Isabel!


Primeiro dia e noite sem chucha! Parabéns, filho querido!

O Afonso está há mais de 24 horas sem chucha! Não gosto de cantar vitória cedo demais, até porque para o filhote mais velho deixar a chuchar foi um drama de vários meses... Mas a verdade é que ontem foi tudo muito mais pacífico do que eu estava à espera. De manhã, quando foi fazer o seu xixi, bocejou ensonado e lá foi a chucha para a sanita. Da sanita para o lixo e a conversa do: o Afonso já não precisa de chucha! E ele concordou. Eu disse que lhe oferecíamos um presente e ele adorou a ideia. Foi para a creche e avisámos a educadora e auxiliares que já não havia chucha em casa. E ontem, à sesta, elas convenceram todos os meninos que eram grandes, iam mudar para a sala dos grandes depois das férias e que não podiam levar a chucha. E dormiram todos sem chucha. À noite, recebeu um presente - um cavalinho e a tratadora da Playmobil e adorou. Ainda pediu a chucha uma vez, mas depois lá adormeceu com mimo extra do pai e dormiu a noite toda - eu confesso que esperava que ele acordasse a chorar e a suplicar pela chucha -. De manhã seguiu para a escola com o presente novo, muito orgulhoso do seu feito. Vamos ver como corre. O Afonso sempre foi super agarrado à chucha. Punha a chucha mal saía da sala da creche e não a tirava mais... Uma das imagens de marca dele era ele a sair de casa de chucha, arrastando a sua fralda de pano. Estou muito orgulhosa dele e sei que largar a chucha vai ser super benéfico para a saúde oral e para a dicção, visto que muitas vezes nem tirava a chucha para falar. 

18 de julho de 2016

Lavagem Auto Ikea

Porque gosto de dizer bem, venho louvar a Lavagem Auto do Ikea de Alfragide. Hoje de manhã deixei lá uma monovulme que mais parecia um estábulo, misturado com areia, terra, pó e afins e quando fui recolher, 2 horas depois, parecia que estava a recolhê-lo no Stand novo, a brilhar e a cheirar a perfume. O único inconveniente é que a lavagem fica cara. Não é preço da lavagem em si, que vale o que paguei usando o cartão Ikea Family, são as 2 horas de espera em que uma pessoa vai dar uma voltinha ao Ikea... Não só ganhei um carro limpo e novo, como lençóis novos, copos novos... 

Aos senhores da Avent!! parte 2

Não gostei da resposta da linha de Apoio ao cliente. Já não se vendem essas tampas, compre caixas novas já com as respectivas tampas!!! Obrigadinha, isso foi o que eu já me vi forçada a fazer! Mas tenho 10 caixas sem tampa a que gostava de dar uso! Odeio esta lógica do comprar tudo novo. As caixas estão novas, eram vendidas sem tampas, que eram vendidas a parte. Quem comprou não percebeu que estava a comprar caixas sem tampas e agora tenho 10 caixas sem tampas. Estou irritada. Sei que é uma coisa pequenina e sem importância, mas irritei-me. 

17 de julho de 2016

A Francisca estreou-se no baloiço!

O dia de hoje estava muito quente, mas esperámos pelo fim do dia e fomos ao parque, quase até ao cair da noite, na companhia do primo M. que também estava connosco. Estava tão bom, tão fresco no meio de tanta árvore e de tanta natureza. A Francisca estava tão divertida a olhar para os manos e para o primo nos baloiços que a sentei lá. E foi a gargalhada total. E os manos estavam felizes ao ver a Patanisca no baloiço, principalmente o Afonso que assistiu em primeira mão à grande estreia. Foi um fim de tarde mesmo perfeito.




Aos senhores da Avent!!

Compreendo que façam restyling da marca, mas por favor mantenham a opção de quem tem as caixa antigas, ainda por cima havia embalagens vendidas sem tampas, poder comprar as tampas antigas avulso. Eu tenho 10 caixas que sem tampa não me servem de nada... e ando feita tonta a tentar comprar tampas. 

Francisca, filha!!! Quem te deu café??

Esta noite a minha filha não quer dormir. Deitei-a às 21h30, adormeceu, acordou passado meia hora e abriu o olho para a vida! Ri, palra... Já lhe dei de mamar 10 vezes para a acalmar, já dei colo, já a beijoquei, já falei mais sério: agora é para dormir!!! E ela ri!! Meti-a no carrinho e pedi ao Maridão para ir dar uma volta ao quarteirão com ela. Está uma noite magnífica e achei que um passeio lhe podia saber bem e chamar o sono. Vou agarrar aqui no meu livro e tentar ler alguma coisa! Boa noite.

16 de julho de 2016

Às vezes sinto-me engolida...

... Queria que os dias tivessem pelo menos mais 3 horas comigo acordada e em bom estado para que depois de fazer tudo da casa e das crianças eu ainda tivesse muita energia para ver um filme, para ler sem adormecer na segunda página, para ficar a deitar conversa fora com o maridão a aproveitar as noites quentes que chegaram e o silêncio de termos os 3 filhos a dormir... É que tantas vezes, demasiadas vezes, depois de tudo tratado (sem contar com o dar de mamar à noite) tudo o que eu quero é meter-me na cama e dormir... dormir, dormir... 

Uma casa aberta aos amigos!

Sempre adorei receber amigos em casa e adoro ter a casa cheia de gente: amigos, família... e agora também os amigos dos meus filhos. Para já, só do filho grande, mas quero mesmo que eles sintam que os amigos são bem recebidos cá em casa, que há sempre lugar para mais um jantar ou dormir. Já cá vieram amigos passar a tarde, lanchar, jantar ou dormir.  No outro dia, sentindo a tristeza e a nostalgia do filhote com a aproximação do final do ano, a mudança de escola e a separação dos amigos de sempre, perguntei se ele queria convidar alguns amigos para vir jantar cá a casa. Disse que sim, feliz, e convidou 4 amigos, que ficaram igualmente felizes. Um deles todos os dias, sempre que me via de manhã e de tarde na escola, dizia: já estou pronto! À última da hora, só puderam vir três. Dois vieram no meu carro, directos da escola e um veio cá ter, porque mora na rua ao lado. Foi uma festa! Confesso que me tinha dado jeito o botão de volume, mas já se sabe que quanto mais felizes e excitados, mais barulho fazem! Brincaram com os Lego, jogaram Playstation, viram um filme... Quando as mães e irmãos mais novos vieram buscá-los a brincadeira continuou enquanto nós bebíamos café no terraço. Estava uma noite boa para conversar, mas por volta das 22h30 tivemos de dar o programa por terminado porque começava a haver algum sono à mistura e não queríamos estragar a noite. Houve pequenas birras, algumas lágrimas da equipa derrotada no jogo de futebol da Playstation, mas tudo dentro do muito razoável, do normal. São crianças. E estiveram felizes. Hoje de manhã o meu filho já os queria convidar outra vez! É bom que eles tragam sempre os amigos cá a casa, agora e no futuro, é bom que os amigos dos nossos filhos gostem de nós e se sintam bem cá em casa. Aqui a regra é: são todos bem vindos, mas não tolero meninos mal criados. O grupinho de ontem era muito querido, gosto muito de todos e são meninos que eu gostava que continuassem a fazer parte da vida do meu filho e da nossa, até porque gosto das respectivas mães e damo-nos bem. Como os três continuam a ter vários irmãos na escola, um dos bebés até vai ser colega da Francisca, penso que vai ser fácil e natural mantermos a amizade.  

14 de julho de 2016

Parabéns, afilhado mais querido!!

Um aninho já passou e tu estás cada vez mais querido, mais fofo e simpático! Hoje vou-te comer com beijos nessas bochechas boas e vou-te cantar os parabéns, desejando-te tudo de bom que há no mundo! Que sejas sempre muito feliz, rodeado do amor dos teus pais, manos, avós, padrinhos e amigos! Eu espero ver-te crescer saudável e alegre!


Urgência Pediátrica do Hospital de São Francisco Xavier

Hoje voltámos ao hospital para a Francisca ser reavaliada e a médica (muito querida e meiga com a Francisca) disse o que eu suspeitava: a Francisca melhorou imenso!! Auscultou-a e apesar de ainda ter algumas secreções, não são preocupantes. A minha Patanisca continua sem febre e está outra vez bem disposta e feliz! Já dormiu bem de noite e está a tolerar bem o antibiótico. De acordo com a médica, as primeiras 48h é que são críticas, ainda mais num bebé tão pequenino, mas se a evolução foi positiva até agora é para acreditar que daqui em diante é sempre a melhorar! Que alívio. No fim dos 10 dias de antibiótico terá de ser observada só para garantir que ficou mesmo bem para irmos de férias tranquilos.

13 de julho de 2016

O meu filhote mais velho...

... Está muito triste por o ano lectivo estar a terminar e ele se ir separar dos amigos que tem há 6 anos, desde que entrou para o berçário. Já chorámos os dois a ver vídeos e fotografias da festa de finalistas e já lhe disse que vai poder continuar a ver os amigos, até porque eu também fiquei com uma ligação de amizade a algumas mães que não queria perder. No outro dia tive um aperto ao vê-lo em lágrimas, a soluçar, a dizer que gostava tanto de ir para a escola para onde vão quase todos os colegas da escola. Senti-me mal por não ter escolhido essa escola do agrupamento como 1ª opção, sabendo que iam quase todos os amigos para lá. Emocionalmente teria escolhido essa escola, mas racionalmente tive de escolher a escola que nos é mais favorável: fica a 1 minuto a pé de casa, é no nosso bairro o que faz com que ele depois tenha os amigos aqui na rua e ruas à volta, é a mais moderna do agrupamento, é considerada muito boa em termos de ensino(tão boa ou melhor que a outra que os amiguinhos escolheram) e facilita a nossa logística do dia a dia. Foi uma opção. Mas não lhe contei toda a verdade: disse que os pais inscreviam nas escolas do agrupamento (área de residência), mas que depois não éramos nós que decidíamos onde os filhos entravam... É apenas meia verdade porque se eu tivesse escolhido a outra escola, ele entrava sem problemas visto ser de 4 de Janeiro. Custa-me saber que podia ter permitido que ele continuasse com os amigos, mas que eu e o pai decidimos em função de outros critérios... E eu sei que ele é top a fazer amizades. Ainda no outro dia fomos ao parque depois da escola, o parque é ao lado da escola nova, e estava um rapaz com uma bola. Os meus filhos quiseram jogar com ele e conversa puxa conversa e o rapaz anda lá na escola e vai para o 1º ano, podendo ficar da turma dele... Mas ele só fala dos seus amigos queridos. Pediu-me para fazer um "jantar de despedida" para os amigos e convidei 4 para cá virem jantar. Vai ser uma despedida triste, eu sei, e até calha bem irmos uns dias antes de férias para não ser a despedida do último dia... Ele está muito emocionado e triste e eu também sofro com ele, mas tenho a certeza que ele se vai adaptar bem à escola nova, vai fazer novos amigos, irá reencontrar os amigos de sempre mais tarde, no agrupamento, e em actividades de férias da junta de freguesia, que reúne os meninos das 3 escolas do 1º ciclo e eu tudo farei para que eles continuem a vir cá a casa, a combinar programas e a fazer parte da vida do meu filho e da nossa.. 

A Francisca faz hoje 6 meses!

E está ligeiramente melhor em relação a ontem. Só conseguiu dormir à noite no ovo do carrinho por causa da posição, mas já não faz febre desde as 4 da manhã. Começou hoje com a sopa, mas comeu pouquinho. Nem metade daquela pratada que eu lhe fiz. Mas comeu umas 10 colheres e sem caretas. Diria que gostou, apesar da tosse ter atrapalhado. Primeira sopa: batata, cenoura e feijão verde, e no fim, depois de feita e batida um fio de azeite em cru. Um creme bem consistente e cremoso.


É a princesa desta casa. No outro dia, dizia o meu marido ao olhar para ela, no seu vestido cor-de-rosa: faltava mesmo uma menina cá em casa! E a nossa vida encheu-se ainda de mais amor há 6 meses e eu atrevo-me a dizer que é a bebé mais beijocada e adorada pelos seus manos! 

Para mais tarde recordar

10 de Julho de 2016

4 dos 10 primos sentados na primeira fila (mesa de apoio) a assistirem ao jogo da selecção!! 
A noite em que fomos Campeões Europeus!

12 de julho de 2016

Hoje era dia de corrida... E eu corri....

... De casa para o Centro de saúde, de lá para o hospital (porque o nosso médico de família não ficou confortável com a auscultação e achou que a minha filhota devia ser vista por um pediatra. No hospital foi observada por uma médica, foi aspirada e fez um Raio X, que não estava limpo... Está a antibiótico e tem que lá voltar dentro de 48 horas para ser reavaliada), do hospital seguimos para casa para eu almoçar (eram 17h), de casa para a farmácia, da farmácia para a escola para ir buscar o Afonso, e depois para casa novamente! E assim se passou o dia. A Francisca está muito atacada, cheia de febre que baixa com o ben-u-ron, cheia de tosse e chorosa. Muito mimo, muito colo, muito soro e esperar que fique boa depressa. Nota máxima para o nosso centro de saúde, que é sempre 5 estrelas a todos os níveis e nota máxima também para o hospital onde foi vista. É muito bom quando os serviços públicos funcionam, quando somos bem tratatos e nos sentimos em boas mãos. Agora é esperar que fiquem todos bem cá em casa! O filhote grande já teve alta, resta o Maridão e a patanisca!! 

Da consulta de desenvolvimento dos 6 meses

Ontem foi dia de pediatra para a consulta de desenvolvimento dos 6 meses e a Francisca está fantástica a todos os níveis, excepto no peso. Já fugiu muito do percentil 3 e está numa zona crítica, segundo o médico. 5,800kg é muito pouco peso para um bebé de 6 meses, que devia pesar entre 7,500kg e 9kg... Mesmo com o argumento de que todos os meus filhos têm baixo peso (que os 7 irmãos do meu marido eram todos escanzelados até à adolescência), o pediatra ficou pouco tranquilo com o peso da Francisca, apesar de em todos os outros aspectos comportamentais e físicos ela estar óptima. Para já, vamos introduzir a sopa ao almoço, assim como frutas calóricas como mangas e papaias, pêra, banana e maçã (estes três já tínhamos introduzido)  e tenho de controlar o peso dela até irmos de férias… Ao jantar mantém a papa Nutriben. Claro que fiquei alarmada com o que disse o pediatra e hoje vou falar com o médico de família quando lá for para ela ser observada por causa da nasofaringite. Sei que cada bebé é um bebé e quem olha para a Francisca diz que ela está redondinha e com refegos…É pequenina, sim, mas muito proporcional... Mas agora vai entrar na engorda. Em termos de interacção está um espectáculo, super comunicativa, risonha e atenta a tudo, segura-se muito bem, tem força de pescoço e abdominal, e todo o desenvolvimento cognitivo está fantástico... Vamos ver como evolui a questão do peso nas próximas semanas. Sem querer comparar com os irmãos, mas comparando, é a mais pequenina e magrinha dos 3, mas não está muito longe do perfil do mano mais velho, que ainda hoje é um lingrinhas, que nunca teve percentil em bebé, e ela é muito parecida com ele fisicamente.

Maldita virose!!

A Francisca piorou esta noite, fez febre e está super congestionada e ranhosa. Não conseguia dormir por causa da tosse e da expectoração e não conseguia mamar por causa do nariz entupido. Consegui adormecê-la ao colo, mas estava muito incomodada, coitadinha... Custa tanto ver um filho doente, então um bebé é de partir o coração. O filhote mais velho ainda fez febre ontem ao fim do dia, mas hoje está melhor, mas o Maridão chegou ontem à casa a arder em febre! Vou levar todos ao médico de família para serem observados. Até porque a Francisca continua com febre e está muito chorosa e queixosa, como se tivesse dores...

11 de julho de 2016

Febre de verão

Depois de dois dias de piscina, sol, muita correria, muita futebolada entre primos, calor de dia e vento e frio à noite o mais velho está com febre. Não é nada de especial, mas de 12h em 12h faz 38º de febre. A patanisca pequena está ranhosa e com tosse, e um bocadinho chorosa... Coitadinha. Que não evolua para nada mais complicada, mas já foi vista pelo pediatra (fizemos hoje a consulta dos 6 meses) e é só mesmo uma constipação de verão, como explicou o pediatra.

Fui a única portuguesa que não viu o golo da vitória...

... Mas ouvi-o, e bem! Passo a explicar: Estávamos em casa de uns cunhados, o meu filho mais velho louco de alegria com os primos, tudo a querer o golo que teimava em não chegar. O jogo chegou ao fim dos 90 minutos e eu tinha um Afonso perdido de sono depois de um fim de semana inteiro de piscina e brincadeira e uma Francisca a ficar ranhosa e chorona. Agarrei neles e vim para casa, enquanto o pai e o filhote grande ficavam para continuar a ver o jogo, dizendo sempre: vamos ganhar! Mal entrámos no carro, diz o Afonso: Mãe, posso dormir? E dormiu. Trouxe-o ao colo a empurrar o carrinho, e quando o estou a despir para o meter na cama a casa estremece! É golo! Fico feliz e sorrio. Beijo o meu filho e deito-o na cama. A gritaria era imensa, mas o Afonso dormia. Fui dar de mamar à Francisca e vestir-lhe o babygrow. E a gritaria explode. As buzinas começam. E eu percebi. Portugal ganhou. Segredo ao ouvido da Francisca: somos Campeões! Deito-a no berço e fui para a sala ver tudo na televisão e esperar pelo meu marido e filho grande, que demoraram porque ainda festejaram, os primos jogaram à bola no jardim, assaram mais uma picanha... Mas chegaram a casa felizes: oh, mãe! É um dia especial! Somos campeões da Europa. 

8 de julho de 2016

Os pais!

Querem rir um bocadinho? Espreitem estas imagens deliciosas! De facto, pais e mães são muito diferentes e é muito bom e vantajoso quando as crianças podem usufruir da presença, dos ensinamentos e do convívio com os dois! Eu adoro o Kiwi!!! 

Frases que me irritam mesmo!

"A tua filha está muito ligada a ti", isto dito num de tom de crítica! Então, mas ela devia estar ligada a quem? "Quando sai de perto de ti chora", não é 100% verdade, e fica lindamente junto dos irmãos, do pai ou da S., que nos ajuda cá em casa, mas claro que se lhe pegam ao colo e a levam para fora de uma zona de conforto, onde não reconhece nada nem ninguém chora. E é normal que assim seja. A minha filha está quase a fazer 6 meses, é uma bebé super risonha, bem disposta e que desde sempre anda para todo o lado comigo, sempre a distribuir sorrisos... Se está muito ligada a mim, ainda bem. Que eu também estou muito ligada a ela. Têm sido meses maravilhosos. Tenho aproveitado cada segundo para a mimar, beijocar, para falar com ela, para brincarmos... Nos primeiros meses comia e dormia, mas agora já interage, vê tudo, muito atenta, muito direita... E é um privilégio passar todo o dia com ela, acompanhar cada descoberta, cada conquista... 

"Grande Coisa"

O meu filho Afonso andava sempre a falar no livro do Billy, que é um menino que nunca está satisfeito e eu pedi à educadora dele para nos emprestar para eu ficar a conhecer a história e poder lê-la a ele e ao mano. Ontem à tarde trouxemos o Billy e o livro foi lido mais de meia dúzia de vezes. O livro é muito giro, as ilustrações também e o meu filho Afonso é perdido de amores pelo Billy! 





De acordo com a revista Pais & Filhos "Mães rígidas, filhos bem-sucedidos" Segundo o artigo "os investigadores acompanharam, durante seis anos, a vida de 15.500 meninas. Aquelas, cujas mães tinham estabelecido padrões elevados na educação das filhas, tinham maiores hipóteses de frequentar a universidade e ganhar salários mais altos. De acordo com o estudo, as mesmas meninas analisadas eram menos propensas a engravidar na adolescência. Manter a ordem e criar regras em casa parece algo difícil e pouco popular, mas parece compensar." Eu acredito que temos de ser exigentes, mas de forma equilibrada e adequada. Acima de tudo, cá em casa,  esforçamo-nos por não fazer pelos nossos filhos o que eles sabem, podem e devem fazer sozinhos, pois só assim ganham autonomia. Nem sempre é facil e temos uma eterna "batalha" com a minha mãe, que acha que fazer pelos netos é sinal de amor... Já lhe explicámos que não, que é errado, que é prejudicial querer dar a comida à boca a uma criança de 3 anos ou ajudar o de 6 a vestir-se, é preferível que a toalha da mesa fique suja e que ele demore mais tempo a vestir-se, mas que façam as coisas sozinhos. Agora é o mais velho (6 anos e meio) que não quer tomar duche sozinho, mas não lhe damos alternativa, mesmo que demore, faça depropósito para perder tempo, molhe a casa de banho... Até ser um dado adquirido que toma banho sozinho e isto passe a ser tão automático como lavar os dentes sozinho há sempre uma voz de mimo e de choro... "não consigo, preciso de ajuda..." Mas é importante não desistirmos, não desistirmos dele porque ele é capaz!



Devemos mesmo olhar o mundo pelos olhos das crianças!


Que mundo triste este onde vivemos... onde uma criança não é sempre uma criança...


6 de julho de 2016

Uma tábua de passar a ferro aos olhos do meu filho Afonso!

Ontem estava a minha querida S. a arrumar a tábua de passar a ferro, segurava-a ao lado do corpo e o Afonso olha para ela e exclama: "gande pracha! vais à praia?" O que nós nos rimos!!

O meu filho mais velho

Estava eu a arrumar em sacos as roupas da Francisca que já não lhe servem e algumas  roupas do Afonso que também já estão pequenas quando me diz o meu filho mais velho: oh, mãe, depois as pessoas (a quem eu ia dar as roupas) devolvem-te, não é? E eu disse que não, que estava mesmo a oferecer as roupas porque já não vamos precisar mais. E diz ele: oh, mãe, vamos, vamos! Nós ainda vamos ter mais um mano. Só mais um. Por favor. Eu quero ter mais um irmão. E eu expliquei-lhe mais uma vez que eu e o pai estamos muito felizes e abençoados com ele e com os manos e que financeiramente já seria mais complicado. Falámos das actividades extra e de tudo o que gostamos de fazer e de lhes proporcionar e que mais um filho já seria uma grande despesa, disse ainda que preciso de tempo para cada um deles, para dar atenção a cada um, dar colo e mimo, e que apesar do nosso carro ter 7 lugares com mais um mano perdíamos parte da bagageira... Não sei se ele ficou convencido, mas quero que ele entenda que não vamos ter mais filhos... No outro dia, com o mesmo assunto, ele dizia: mas às vezes as mães ficam à espera de bebé de surpresa (deve ter ouvido na escola) eu disse que sim, que é verdade, mas que não vai ser o nosso caso. Ele não concordou e daí ontem ter vindo outra vez pedir mais manos... É um amor pelo irmão e uma vontade de ter muitos irmãos, mas à primeira oportunidade andam às lutas... 

A Francisca nos treinos para se sentar sozinha

Para exercitar os músculos e ajudar a Francisca a ganhar postura e força nas costas, para se conseguir sentar sozinha, tenho-a posto sentada no chão, em cima do tapete de actividades da Imaginarium, apoiada na almofada de amamentação. Fica bem aconchegada e não cai, conseguindo manter-se sentada. E vai treinando os movimentos e a coordenação para ir buscar algum brinquedo do próprio tapete. Fica muito confortável e entretida.

E eu estou a aproveitar cada minuto com esta minha patanisca. Sinto-me tão feliz e abençoada. E é um privilégio poder passar o dia todo com ela, ajudando-a a desenvolver-se, brincando com ela, dando-lhe beijos e mimos a todo o momento, mantendo a amamentação em horário livre, apesar dela ter estabelecido as rotinas e comer quase sempre à mesma hora e ter os rirmos muito certos, ritmos criados por ela e não impostos por mim o que faz com que seja tudo muito fácil, muito natural... passam-se dias e dias em que não ouvimos a Francisca chorar nem uma vez... É uma bebé mesmo tranquila e maravilhosa, que continua a adorar mamar antes de dormir... E hoje fez a noite toda de seguida, das 21h30 até às 7h.

O primeiro corte de cabelo da Francisca

Domingo à tarde. Eu a tratar do jantar e o maridão foi tratar da Francisca. Eu nunca mais ouvia o esquentador e fui ver o que se estava a passar para a Francisca ainda não estar a tomar banho. E quando lá cheguei o pai está a cortar a franja à Francisca. Bem precisava. E ficou tão bem!!! Não podia deixar de registar o momento!


Ontem fui Correr Lisboa pela primeira vez!

Ontem fui Correr Lisboa pela primeira vez e foi fantástico. Adorei! Aqui estou eu no meio de pessoas que correm mesmo muito! Fui no grupo dos iniciados onde é suposto correr a 7 minutos por km, mas nem isso consegui... Mas a guia do grupo, a Cátia, foi fantástica (muito obrigada!!) e dividiu o nosso grupo em mais rápidos e mais lentos e conseguiu manter toda a gente junta e incentivou-me para que eu nunca desistisse e acabasse ao mesmo tempo que os restantes. No fim, água!!! que me soube pela vida. Antes da corrida houve aquecimento e no fim alongamentos e palmas! Depois vim a arrastar-me a pé para casa andando mais 1,5km. Mas gostei muito, senti-me bem e para a semana lá estou outra vez, tentando chegar aos 7 minutos por km, que para mim ainda é difícil. 

4 de julho de 2016

Candice Renoir

Sou completamente fã desta série e adoro a protagonista! Top, top, top!! Passa no canal 2. Já vai no episódio 30 e eu ainda não perdi nenhum! É daquelas séries que vou ter saudades quando acabar. Mas já fui ver e, até à data, há pelo menos mais 18 episódios feitos!

Amanhã vou recomeçar a correr!

Preciso do meu tempo de corrida, do meu tempo de reflexão, de sentir o vento na cara e ser só eu, os meus pensamentos e o meu esforço. Vou juntar-me a um grupo de corrida e arrastar uma querida amiga! E espero conseguir recuperar o meu bem estar físico e emocional. Tenho muito peso para perder (quero perder 10Kg para voltar ao meu peso de há 10 anos), mas sei que vou ter de ir com calma e quando deixar de amamentar vou procurar um nutricionista, para já vou correr, queimar calorias, suar e ter um tempinho diário só para mim. Vou amanhã e depois conto tudo.

Domingo bom!

Depois de um sábado menos bom (os rapazes sempre nas guerras e nas lutas e eu sem paciência e sem conseguir dar a volta à coisa com graça e boa disposição) o domingo foi maravilhoso. Fomos os 5, convidados pela empresa do maridão, passear no Sado para, a bordo do Vertigem Azul, vermos golfinhos e desfrutarmos de um magnífico passeio a bordo. Foi perfeito, com  os golfinhos ora bem perto do nosso catamarã ora mais longe a saltarem!

Os miúdos adoraram e a Francisca entre sestas e sorrisos esteve como sempre, a bebé mais tranquila e doce do mundo. O passeio foi bem cedo e a temperatura estava perfeita. Houve tempo e vontade para mergulhos e até o Afonso se aventurou depois de lhe garantirmos que os golfinhos não lhe comiam as pernas! Quando saímos do barco o calor era de loucos, o nosso carro marcava 44º, e a única coisa que apetecia era um gelado bem geladinho. Até a Francisca se consolou com uma colher de gelado de manga (feito apenas com fruta e água) numa das minhas geladarias de eleição!

2 de julho de 2016

Será que o meu filho mais velho se recordará?

Tenho esta pergunta na minha cabeça: Será que o meu filho mais velho se recordará da festa que fizemos ontem de despedida da escola onde ele andou nos últimos 6 anos? Eu sei que nunca esquecerei, nem a festa (oh, meu Deus, foi tão linda com tantas lágrimas das mães...) nem tudo o que ele viveu ali os primeiros 6 anos da sua vida. Sei que as fotografias, os álbuns, os vídeos, os trabalhos religiosamente guardados ajudarão a conservar a memória, e espero que dentro do coração ele leve todo o amor, carinho, brincadeiras e ensinamentos bons que recebeu. A festa de ontem tinha a parte preparada pela educadora e por eles - abriram com uma valsa e dança como nos bailes de finalistas, e depois houve entrega de diplomas e as fitas e eles estavam a rigor, de capa e cartola mais as pastas... - e depois houve o nosso agradecimento com um vídeo best off dos últimos 6 anos, onde começámos logo a choramingar, mas o culminar do choro foi no palco a cantar uma letra adaptada por uma mãe. Eu soluçava... Para não ser tudo tão choramingas imitámos duas actuações dos miúdos, acabando connosco a dançar o panda style como eles fizeram numa festa, vestidos como eles estavam na altura. Houve lancho partilhado e um bolo. E uma festa que reuniu os pais, irmãos e avós dos meninos finalistas. No meio de abraços e lágrimas os nossos filhos receberam um marcador lindo que vinha a acompanhar um estojo que a educadora fez para cada um para a nova etapa...