17 de agosto de 2017

Hoje depois do trabalho...

... devia ir ao ginásio fazer as duas aulas que marquei, logo de manhã, cheia de boas intenções...

... Também podia ir fazer o álbum digital de 2016, que ainda não fiz o nosso best of do ano passado... 

... Também era boa ideia dar uma arrumação no armário do quarto dos meus filhos... ver o que serve, o que é para dar...

Mas a ideia de ter a casa, o sofá e a televisão só para mim... Oh, meu Deus! Até estremeço de emoção! É uma coisa tão, mas tão rara, quase única, e demasiado tentadora... 

Podia pensar-se que sem filhos em casa dormia muito bem...

... Mas nem por isso. Farto-me de acordar, sonho com eles, sonho que eles estão na nossa cama... Ai, as saudades! São tantas, tantas!!! Mas ontem à noite falámos com eles e estavam bem e felizes. É tudo o que se quer!

Ontem foi noite de cinema!

Gostámos muito do filme Dunkirk. É um grande filme! Vale a pena ir ver ao cinema. Nem pestanejei um segundo. 


E que bom que foi petiscar e ir ao cinema, enroscada no maridão. Ficou a promessa, por telefone, de contarmos o filme ao pequeno Afonso... 

16 de agosto de 2017

Os “polvinhos” que abraçam prematuros já chegaram a Portugal

Que ternura tão grande.

Clicar na imagem para ler o artigo 

Com os filhos fora...

... A minha cozinha vai estar fechada, estando só a funcionar aos pequenos almoços! 


"Tenho saudades de tu..."

Disse-me hoje o meu filho Afonso, quando falámos de manhã. Eu também estou cheia de saudades dos meus 3 filhos, apesar de só estar sem eles desde ontem antes de jantar... A casa fica vazia, eu sinto um vazio... É uma sensação estranha... Só quero que eles estejam bem, passem uns bons dias e que não haja acidentes... sim, coração de mãe galinha está sempre inquieto... É trabalhar durante o dia, aproveitar os fins de tarde para arrumações e limpezas, aproveitar as noites a dois para namorar e dormir bem e contar os dias para os voltar a abraçar a todos!! 

14 de agosto de 2017

Os filhos continuam de férias...

... E vão passar os próximos dias ao Alentejo no Monte de uma tia. Vão os três, que a minha cunhada é uma super mulher e disse logo que os levava aos três. Nós vamos lá levá-los no feriado e depois regressamos a Lisboa. E eu vou ficar com o coração apertado. A Francisca nunca dormiu longe, sem mim. Sei que estando com os irmãos está bem e sente-se protegida. Também sei que adora esta tia e a Pipoca, a cadela labrador. Mas mesmo assim... Sei que vai correr tudo bem, mas sei que vou ficar à mesma com o coração apertado. Sou mãe galinha, apesar de isso não me impedir de os deixar voar... O final de dia foi para preparar uma mala com roupas frescas e confortáveis, um saco com fatos de banho e outro saco com brinquedos e livros para a hora do calor, que será passada em casa, ao fresco... No resto do tempo vão brincar, tomar banhos de piscina e de chuveiro ao ar livre, andar de bicicleta, brincar com pedrinhas e pauzinhos... aproveitar uns dias tranquilos, ao ritmo do verão alentejano, sem televisão ou gadgets e pouca rede telemóvel... Eu e o pai esperamos recarregar baterias a dois, namorar, jantar fora, ir ao cinema... vamos ver como correm estes dias, em que o meu coração vai estar dividido entre o Alentejo e o Maridão, mesmo aqui ao meu lado. 

CAP

O meu filho mais velho tanto insistiu que no último dia de férias recebeu o que ele mais queria: Um cap! Não gosto, mas ele gosta... E já começa (e de que maneira) a querer impor o gosto dele. "É o meu estilo, mãe", diz-me ele. 

Leitura de férias - "No Teu Deserto"

Ia levar o "O Leitor do Comboio", mas à última da hora o livro que foi parar à mala, para acompanhar o do Ken Follet foi o "No Teu Deserto".



Não lia nada do Miguel Sousa Tavares há uns anos, o último foi "Madrugada Suja", que na altura adorei e devorei em poucos dias, era o Afonso recém-nascido. Também gostei muito de "No Teu Deserto", um livro simples e bonito, que se lê muito bem e de forma agradável. 

Leitura de férias - "O Vale dos Cinco Leões"

Adorei este livro do Ken Follet. Sou fã deste escritor e, mais uma vez, apaixonei-me pelas personagens e pela história. Uma óptima leitura. Recomendo.



Uma experiência nova... Tivemos uma Au Pair inglesa a passar férias connosco!

Contei aqui  que tínhamos uma Au Pair inglesa a passar férias connosco e agora venho contar como correu a experiência. A miúda, de 20 anos, era impecável, mesmo top. Educada, super empenhada no Português, que já falava bastante bem e que melhorou imenso nas 3 semanas que passou connosco, super simpática, prestável e desportista. A ideia principal era ela ajudar-nos com os miúdos na logística da praia... se foi uma grande ajuda? O Afonso e a Francisca não lhe passaram cartão. O Afonso não percebia bem o que ela dizia e a língua foi uma barreira. A Francisca também não se deixou conquistar e só me queria a mim e aos irmãos. A grande ajuda foi no mar com o meu filho mais velho sempre dentro de água com os amigos e os primos e ela sempre com ele e com as pranchas, na hora das carreirinhas. Também jogava futebol à séria e fizeram belos jogos na praia. E era mais um par de olhos, que ficava atenta aos meus filhos rapazes, enquanto iam aos matraquilhos ou estavam com os amigos ou à beira mar a fazer skimming... Foi uma experiência gira e ela teve as férias da vida dela, amou Lisboa, adorou a praia do Algarve, deliciou-se e apaixonou-se pela nossa comida... Em questões de ajuda... Claro que deu jeito, mas eu já tenho tudo tão esquematizado, já estou tão habituada a fazer as coisas, e como o meu marido também teve férias da fisioterapia e estava connosco, não foi assim uma ajuda tão necessária... Mas gostámos da experiência. E nas vezes que eu estava sozinha com ela e com as crianças na praia (também com um sobrinho de 6 anos que ficou uns dias comigo) percebi que se o meu marido não tivesse ido de férias connosco a ajuda dela aí teria sido fundamental porque eu não conseguia tomar banho com todos ao mesmo tempo, até porque o mais velho passava dias inteiros dentro de água... Mas quando ela foi embora, 3 dias antes do fim das nossas férias, também foi bom voltar a ter a casa só para nós... Porque parecendo que não é sempre uma pessoa diferente que está ali, uma pessoa de fora... Mas recomendo a experiência. 

Voltámos de férias!

Foram 15 dias de férias. E foram férias, de facto. Voltei descansada e de cabeça limpa. Li 2 livros! Bebi sangria e jantei fora, mas tive cuidado e não cometi grandes excessos e quando prevaricava, depois compensava, mas ainda assim perdi 400 gramas! Os meus filhos tiveram 15 dias de alegria absoluta, de liberdade, de férias grandes! Os dias começavam às 10h, a Francisca nunca acordou antes disso, e terminavam com eles a irem para a cama nunca antes da meia noite, felizes e estafados! Nunca me levantei a meio da noite, dormimos sempre todos directos, sem filhos a acordar... Esta parte foi a cereja no topo do bolo! Já não sabíamos o que isto era! O tempo esteve perfeito. 


Os dias de praia só terminavam depois das 20h... Ao princípio a Francisca estranhou a praia e a multidão, mas foi-se libertando, habituando e depois era vê-la correr, brincar, tomar banho, fazer gracinhas... 


O meu filho mais velho sempre com a prancha do skimming e nas horas "mortas" sempre a tentar cravar um telemóvel por causa do clash royale. O mano sempre atrás, sempre a querer acompanhar... Brincaram um com o outro, implicaram um com o outro, brincaram com os primos e com os amigos de toldo, os amigos que todos os anos se reencontram no areal... Fomos a Espanha, aos petiscos e ao supermercado, como já e tradição. Houve matraquilhos, carrinhos de choque e a Francisca estreou-se no carrossel. 

As noites eram quentes e pediam rua e passeio.  Os miúdos aguentavam, curtiam os pais e as férias. Os almoços eram sempre em casa e quase sempre (excepto quando tínhamos amigos) li e dormi a sesta, enquanto a Francisca dormia e os manos viam um filme. Tivemos muito cuidado com o sol, mas viemos ainda mais morenos, com ar de férias, com um bronze de dias felizes... Os rapazes e o pai comeram bolas de berlim todos os dias, a Francisca andava de volta deles a cravar trincas. É a mais gulosa dos três! Eu comi uma, que me soube pela vida! E comi um pastel de amêndoa, que também me consolou! Jantámos fora algumas vezes e bebi sangria branca, mesmo boa. Fui ao mercado de Vila Real comprar bom peixe e foi a única vez que não comemos conquilhas, porque a apanha esta interdita. Os dias foram longos e bons, sem stresses de maior. Achava que ia levar os miúdos de férias, que com eles 3 ainda pequenos não íamos conseguir descansar, ter férias, mas estava enganada e foi muito melhor do que eu tinha imaginado, já sem dar de mamar, sem noites em claro, com os rapazes mais crescidos, mais independentes... A Au Pair deu uma pequena ajuda, mas isso fica para o próximo post, que tenho de ir trabalhar!! 

28 de julho de 2017

Até ao nosso regresso!

Estamos de férias!

Sem computador, com o mínimo possível de telemóvel e de gadgets! Vou estar offline por aqui a aproveitar o melhor destas semanas em família, rodeada de filhos e com o marido a tempo inteiro connosco, que a médica permitiu uns dias de descanso da fisioterapia... "fazer praia com três filhos pequenos? Pode ir que eu fico descansada que entre os carregar a eles, os sacos da praia e do supermercado esse braço vai estar bem exercitado! "Prescreveu uns exercícios extra, uns banhos de mar e boas férias!

Entrámos todos oficialmente de férias!!


Até ao nosso regresso! Boas férias a quem vai, bom regresso a quem está a chegar... 

Uma sugestão de leitura para os mais pequenos!

Todos os anos o nosso país é devastado pelas chamas. Este ano tem sido particularmente duro e triste no que diz respeitoaos incêndios. Mais uma vez, assistimos diariamente à coragem dos Bombeiros, que dão tudo por tudo para salvar florestas, casas e povoações. "Bombeiro dos Pés à Cabeça" é o nome do livro infantil lançado pelo Grupo Os Mosqueteiros para ajudar os bombeiros portugueses.

"O lançamento está  integrado numa campanha que tem como objetivo sensibilizar e envolver os mais novos para a prevenção dos incêndios e, em simultâneo, angariar fundos para a compra de equipamentos de proteção individual de combate a incêndios florestais para os nossos bombeiros. Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, lembra que este é já o quarto ano consecutivo em que o grupo apoia os bombeiros nacionais. Desde que a parceria teve início, já foram entregues 1255 fatos completos."
Durante todo o mês de Agosto ao comprar um exemplar do livro da bombeira Rita, apenas por 1,99€ está a contribuir para esta causa fantástica!

27 de julho de 2017

Leituras para as férias!

No último verão não li nada a não ser rótulos de supermercados e gordas do jornal, emprestado na praia. Mas este ano, com a Francisca mais crescida e a dormir no quarto dos irmãos, e com a ajuda da nossa Au Pair na praia, estou confiante que vou conseguir ler alguma coisa. Estes são os livros que vão comigo:


"O Leitor do Comboio"



Não sei se conseguirei ler os dois livros, mas estou confiante e vou levá-los comigo. Antes de ir para o Algarve ainda vou terminar o 4º volume de "A Amiga Genial", que para mim é de leitura obrigatória. O que me prendeu menos foi o primeiro volume, mas ainda bem que continuei, porque do meio do 1º em diante é sempre a melhorar até sermos completamente conquistados. Para quem ainda não leu estes livros da Elena Ferrante são uma óptima escolha para as férias de Verão!

Estou danada com o Fitness Hut!

Transformaram várias aulas de grupo em aulas virtuais, que eu odeio e me recuso a fazer. Questionei por mail o motivo. A resposta é que nos meses de Verão fazem um acerto devido à menor afluência dos sócios. É treta. As aulas que existem estão a abarrotar e as que foram canceladas também estavam. No email que enviei depois, como resposta, perguntei se também faziam acertos nas mensalidades! Porque nós, clientes, somos sempre prejudicados.

Plano de Emagrecimento #Semana 16

Ontem fui à balança e a coisa não foi maravilhosa. Não há dúvida que os excessos, mesmo que pequenos, como uma cerveja uns petiscos, uma fatia de bolo, ficam cá todos! E a verdade é que ao início perdi peso de forma muito visível, cheguei a perder mais de 1kg por semana e todas as semanas perdia 300/ 400/ 600 gramas... Com o passar dos meses a perda de peso tem sido mais lenta, parece que me custa mais privar de um pouco de arroz, de um gelado ou de uma imperial. Ao todos, nestas 16 semanas, perdi 7kg. Ainda tenho aqui 1kg que quero mesmo perder, mas não está fácil... Estou muito contente com os meus resultados, sinto-me muito bem, ganhei formas, perdi imenso volume, estou com bons valores de IMC com 23% de gordura e idade metabólica de 27 anos! Mas ainda quero perder mais 1kg. Agora entrei em fase de manutenção com uma única sessão mensal ou de 2 em 2 meses para avaliação e electroacupunctura. E tenho de ir vigiando o meu peso para não estragar tudo... Se cometo um excesso num dia no outro dia tenho de compensar. É fundamental continuar a beber 1,5 litros de água por dia, manter o exercício e dormir bem, quanto menos stress, menos ataques de fome e de ansiedade!

26 de julho de 2017

Dia dos Avós!!!

Tenho a sorte de ainda ter a melhor avó do mundo comigo, linda e cheia de vida e de saúde aos 94 anos!! Tive a sorte de ter o melhor avô do mundo, o doce avô Zé, que era louco por mim e eu louca por ele desde bebé até à sua morte há 4 anos! Tenho as melhores memórias do mundo dos mimos, da groselha, das histórias, do colo, e mais tarde das notas às escondidas "para a gasolina". Lembro-me de ficar grandes temporadas em casa dos meus avós e de chorar para ir para casa. Eu adorava estar com eles. Tinha as regras, as palavras sábias e as orações com a minha avó e os mimos máximos, a roçar a asneira, com o meu avô. A minha avó ainda hoje é uma cozinheira de mão cheia e criou-me o vício de me coçar as costas... Ainda o tenho e o meu filho Afonso também o tem. O meu avô ligava-me todos os dias e era sempre quem me avusava da mudança da hora. Os meus queridos avós, um exemplo de amor, de tudo. Grandes referências na minha vida! Os meus filhos não tiveram a sorte e o privilégio que eu tive e ainda tenho porque não têm com nenhuma avó (os avôs já partiram) uma relação tão forte, uma vivência tão marcante, tão cheia, tão especial como eu tive com estes meus avós maternos. Têm duas avós que os adoram, uma mais presente fisicamente que ajuda sempre que precisamos, mas nenhuma desperta nos netos este sentimento de loucura que eu tenho pelos meus avós. Têm outras relações que eu não tive, como muitos tios maravilhosos e presentes e primos da mesma idade e com quem vivem em grande cumplicidade, umas ausências compensam as outras. É mesmo assim a vida!

Férias, casas partilhadas e afins!

Em Agosto reservamos sempre duas semanas de férias na casa do Algarve que era dos meus sogros. Apesar da casa não ser pequena não dá para irem todos os irmãos, cunhados e sobrinhos ao mesmo tempo e ficou decidido que haveria um calendário para que cada família marcasse e gozasse as suas férias em paz. E tem corrido tudo muito bem, cada um de nós tem tido a casa sempre para si e para os seus, sem grande reboliço... Na Páscoa, fins de semana e outras alturas costumamos "misturar-nos" mais, mas no verão geralmente íamos separados. A questão é que os primos direitos também querem estar juntos nas férias... E então, este anos, vamos partilhar uma das semanas com uma das minhas cunhadas e o filho dela, o sobrinho M. de 6 anos, o primo do coração dos meus filhos... Mas nem sempre é o ideal de férias, confesso... Ritmos diferentes que têm de ser ajustados, opiniões diferentes... Eu sou mais rígida com as horas de exposição ao sol, com as rotinas, sou sou super organizada com as refeições, gosto de ter tudo controlado, da casa arrumada, do jantar na mesa a horas...  Damo-nos muito bem, passamos imensos fins de semana juntos, gosto imenso desta irmã do meu marido e do marido dela, que é o cunhado mais fixe e divertido, mas às vezes uma semana inteira de férias em conjunto não é fácil... Mas a alegria dos meus filhos por estarem com o primo, o convívio entre eles, a brincadeira e a construção de memórias afectivas conjuntas tem de ser mais importante do que alguma comichice da minha parte... E família é mesmo isto, temos de nos adaptar, saber conviver com as nossas diferenças... se bem que às vezes é mais fácil quando estamos todos em casas separadas... é nestas coisas que acho que estou a ficar velha...:-)) Uma das cunhadas da minha sogra, que é nossa vizinha de verão, conta, com graça o tormento que eram os Verões dela quando a antiga casa de férias lá no Algarve era partilhada com a minha sogra e os 7 filhos dela... Eram os dois casais, mais 10 crianças... E esta tia do meu marido vinha de uma família alemã, só dois irmãos, e muita rigidez, e viu-se no meio de uma família Algarvia e espanhola, onde a porta da rua estava sempre aberta, onde os que lá viviam mais os sobrinhos das casas do lado entravam e saíam, numa liberdade de um Algarve que já não existe... Ela conta, hoje a rir, que às vezes quando ia levar o jantar para a mesa, já tinham comido tudo... entre a corrida da cozinha para o pátio da casa, ligado a casa de outros tios, iam levando croquetes ou o que fosse à passagem... Por isso, nem me posso queixar muito! Esta tia diz com graça que quando terminava o mês de Agosto e regressava ao seu trabalho, era o dia mais feliz do Verão... E vocês como fazem? Preferem o vosso espaço ou gostam do rebuliço?

Já quer comer sozinha!

Está uma crescida a minha filha e só quer comer sozinha. E consegue, entorna um bocado, suja-se muito, mas come tudo. Ontem ao jantar comeu a sopa, depois o prato (perna de peru cortada aos pedaços, puré de batata e courgete e bróculos cozidos) e por fim a fruta, cerejas descaroçadas pela mãe! Está mesmo uma menina crescida!

25 de julho de 2017

Uma experiência nova... Temos uma Au Pair inglesa a passar férias connosco!

Em Portugal não é muito comum, mas em Inglaterra, França ou Bélgica é muito frequente as famílias terem uma Au Pair para ajudar com as crianças, em determinado período, que pode ser mais longo ou menor. A nossa Au Pair é inglesa, está a estudar Português numa universidade Inglesa, e quer vir fazer o 3º ano à Faculdade de Letras de Lisboa. Pelo meio, vem cá passar este verão 3 semanas a nossa casa para conhecer melhor Lisboa (e o Algarve, como bónus), aperfeiçoar o Português, ajudar com as crianças nas férias e falar em inglês com os nossos filhos mais velhos... Não é nenhuma modernice, que as minhas cunhadas que já passaram a barreira dos 50, fizeram muitos meses como Au Pair, quando tinham 20 anos e pouco dinheiro para viajar. E era uma maneira de juntaram o útil ao agradável. Nós alinhámos, pensámos que era uma situação em que todos sairíamos a ganhar e diz quem já teve esta experiência, que é muito rica para as crianças que convivem directamente com uma pessoa do outro país, aprendem coisas sobre esse país, familiarizam-se com uma outra língua... E nós temos mais umas mãos extra para irmos com as crianças a banhos... Até porque alguma parte das férias estarei sozinha com os 3 por causa da fisioterapia do meu marido. E foi também por isso que quando esta oportunidade surgiu, achávamos que era uma boa e decidimos tornar-nos numa família anfitriã! É mais uma experiência. E todas as experiências trazem coisas positivas à nossa vida e à educação dos miúdos. A nossa aventura começou ontem... Depois conto-vos tudo! Ontem, quando a recebi, disse-lhe logo: agora é como se fosses da família, é como se fosse mais uma sobrinha, mas de pele muito clara e com sotaque very british!

Au pair

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Uma Au pair (plural: au pairs) é uma ajudante vinda de um país estrangeiro e que trabalha e vive como se fosse parte da família hospedeira. (...) au pair é recebida em um país de língua estrangeira por uma família com crianças, onde recebe moradia, uma bolsa de estudos (geralmente do idioma local). Tem como responsabilidade o cuidado com a(s) criança(s) da família anfitriã e ajuda com parte dos trabalhos domésticos da casa. A prática usual é que a au pair faça suas refeições com a família na maior parte do tempo e participe das atividades habituais, como passeios e viagens. 

23 de julho de 2017

Fim de tarde com casa cheia!

Duas amigas do Afonso, dois amigos do Alexandre e muita brincadeira! Foi assim o nosso final de tarde com casa cheia! Portaram-se todos muito bem, tirando a Francisca de vez em quando decidir dar uns apertões ou uns puxões de cabelo! Está mesmo malandra a nossa Patanisca.

Brincadeiras com água!

Num domingo com calor nada como um escorrega de água em casa do primo do coração!

E até eu desci no escorrega para refrescar!! Muito fixe!

22 de julho de 2017

Dia bom entre amigos... amigos dos filhos e novos amigos dos pais!

Hoje tivemos um almoço e à tarde um aniversário. O giro é que ambos estes novos amigos nos chegaram através dos nossos filhos. Ao almoço fomos convidados para ir a casa de um amigo do Afonso, com quem nos começámos a dar este ano, mas com quem tem havido uma empatia crescente, uma conversa muito boa e uma afinidade gira. E é bom fazer amigos novos aos 40 anos. É bom conhecer pessoas com as quais nos identificamos. Foi um óptimo almoço em óptima companhia (obrigada C. e V. por nos terem recebido tão bem e nos terem feito sentir em casa logo na primeira visita). Claro que no fim já os miúdos implicavam e desatinavam com sono e cansaço, mas nós teríamos ficado toda a tarde na conversa. De lá seguimos directos para o aniversário do R. irmão mais novo de um grande amigo da creche do meu filho Alexandre. Eu e a mãe dele tornámo-nos amigas e os nossos filhos não perderam o contacto nem a amizade e continuam presentes na vida um do outro, apesar de terem seguido para escolas diferentes. Fazemos imensos programas, já passámos fins de semana juntos e dias soltos nas férias. E  nós, as mães, somos companheiras de ginásio! E lá nos vamos desafiando uma à outra e deitando conversa fora, que sabe tão bem! Os amigos chegam à nossa vida de diversas formas, estes chegaram-nos pelas mãos dos nossos filhos. 

21 de julho de 2017

Ementa semanal a pensar nas férias!

Quando vou para o Algarve gosto sempre de levar comidas pré cozinhadas que me facilitem a vida nas férias. Como não gosto de comparar comida congelada já feita, como com crianças em Agosto é quase um inferno ir jantar fora, como não tenho empregada nas férias e como a ideia é também conseguir descansar um bocadinho... Sim, um bocadinho, porque que quem vai verdadeiramente de férias são os meus filhos! Mas para tentar facilitar as refeições para a semana planeei um menu para fazer já em sobras e levar. 

Segunda feira
Bacalhau à Brás - Vou cozinhar/ refogar logo duas embalagens de bacalhau congelado desfiado, uso uma porção para o jantar e o restante congelo em caixas individuais e depois é decidir qual é o prato e o bacalhau já está pronto: ex: bacalhau no forno com puré e espinafres; lasanha de bacalhau...

Terça feira
Almôndegas - Além das almôndegas para o jantar, fazem-se mais e depois levo duas doses embaladas individualmente. Depois é só descongelar, cozer esparguete e já está!

Quarta feira
Lasanha de atum - fazemos duas. Uma vai logo para o congelador. Uma salada feita na hora e está feito!

Quinta feira
Arroz de pato - Um pato dá sempre para dois pirex. Um  é para o jantar e o outro para congelar. Só falta a salada.

Sexta feira 
Esparguete à bolonhesa e  - comprei dois quilos de carne picada que vai ser cozinhada e colocada em caixas, já preparada. Depois é inventar: empadão, lasanha, cannelonis, com wraps e feijão, com arroz... 

Levo mais ou menos metade das refeições já pré preparadas. Lá compramos peixe e carne para grelhar, vamos uma o outra noite jantar fora... É importante simplificar, mas sem descurar os cuidados que gostamos de ter com a alimentação. Levo também sopa congelada, em unidoses,  um frango, assado em casa, e desfiado que é só juntar legumes e uma massa e já está!

20 de julho de 2017

O meu filho mais velho foi ao primeiro velório

Partiu ontem a querida M. mãe do meu querido compadre Pedro e avó da querida madrinha da Francisca... Não era avó dos meus filhos, mas eles tratavam-na por avó. Já tinha passado os 90 anos e partiu em paz... Esteve muito bem até há pouco tempo, altura em que ainda estivemos com ela nos seus "banquetes" de domingo, como lhe chamou ontem o meu filho grande. Os "banquetes" de domingo não eram mais do que simples lanches ajantarados onde a M. reunia os 5 filhos, noras, genros, netos, netas, maridos das netas... E nós, apesar de não sermos família de sangue, estávamos muitas vezes nesses "banquetes" de domingo. A M. gostava muito de nós, adorava os meus filhos, que lhe invadiam a casa com rebuliço, e eles retribuíam sempre a ternura. A M. nunca obrigou a dar beijinhos à chegada, que é algo que atormenta o meu filho Afonso, mas era certo que à saída recebia sempre beijos e abraços... Ontem soubemos que tinha partido em paz. Quando contámos ao Alexandre que íamos ao velório ele quis logo ir. "É a mãe do meu padrinho. Eu quero ir." Mais tarde, perguntou: "Nunca mais vamos ter os banquetes de domingo?" Todos se comoveram com a ternura do meu filho e já estão prometidos "banquetes" de domingo em memória da M. Foi a sua primeira ida a um velório. Não queria que ele entrasse na capela mortuária, mas ele fez questão. A M. estava tapada e por isso deixámos que ele fosse. Estava curioso com tudo, como é natural. Emocionou-se com as minhas lágrimas. Distribuiu abraços bons a quem estava triste. E o meu querido compadre gostou de o sentir lá, de o abraçar, e de saber que o seu afilhado guardará na memória a sua querida Mãe e os "banquetes" de domingo. Porque enquanto a memória da M. perdurar nos mais pequenos, a M. ficará sempre connosco. 

19 de julho de 2017

Amor em Berlim na RTP2

Comecei a ver a série Amor em Berlim e apesar da dureza da língua alemã estou a gostar bastante. Os episódios são curtos e a história está bem contada. É uma série simples, mas que cativa. A mim, pelo menos, cativou. Não é uma série comercial americana, mas acho que vale a pena. 



Consulta de ortopedia a dobrar!

O Afonso anda sempre a correr e mete os pés um bocadinho para dentro. Várias pessoas chamaram-me a atenção para isso. O Alexandre tem os joelhos um pouco salientes. Nunca liguei e achei que era por ser muito magro. Até porque ficou mais notório quando ele deu um pulo de crescimento neste inverno. Mas chamaram-me a atenção para isso. Nada como esclarecer todas as dúvidas. Marquei para um ortopedista pediátrico, o mesmo que tinha visto a anca Francisca depois de ela ter nascido pélvica, e de quem tinha gostado bastante. Vim de lá muito tranquila. Faz parte do desenvolvimento das crianças, faz parte do crescimento... Até aos 12 anos eles estão em formação. Pediu para serem vistos novamente daqui a 3 anos, salvo alguma situação de urgência antes. E para não nos preocuparmos. Antigamente, há muitos anos, a medicina ainda não tinha percebido esta evolução do crescimento e atormentavam as crianças com botas ortopédicas e operações, mas hoje em dia, segundo o médico, já se percebeu que os pés ligeiramente para dentro fazem parte da evolução do crescimento e da rotação da perna das crianças... Claro que depois há umas crianças que continuam a por os pés para dentro e têm de ser corrigidas, mas a grande maioria vai ao sítio... Nada como ouvirmos que está tudo bem com os nossos filhos!

3 da manhã e 3 filhos acordados! Foi uma noite difícil!

A Patanisca acordou a chorar às 2h30 da manhã. Fui lá e ajudei-a adormecer na cama dela, mas isso implica choro. O mais velho acordou mordido pelas melgas. Não conseguia dormir. O do meio acordou com o choro da mana. Não conseguia dormir. Meteram-se os dois na minha cama. Depois era eu que não conseguia dormir. A Francisca voltou a chorar. Foi lá o pai e depois fugiu para a cama do Afonso. Depois a Francisca voltou a acordar, queria conversa. Eram quase 5 da manhã. 

18 de julho de 2017

Cama nova!

O filho Afonso não gostava de dormir numa cama de gaveta. Eu vi este beliche, super baixinho e barato e decidimos comprar. Vendi a cama deles de gaveta e fizemos-lhes uma surpresa. E foi a loucura! Estão os dois felizes! O mais velho em cima, o mano em baixo! E a altura máxima do beliche é 130.5 cm, o que faz com que seja simples fazer a cama e em caso de acidente a queda é menor que nos beliches tradicionais... Mas claro que todas as recomendações foram dadas para que não haja nem corridas nem saltos. E a mana está proibida de ir lá para cima.

Imagem Ikea

Voltei a mudar a imagem do blog

Não estava contente com a imagem do blog e voltei a mudar, voltando a ficar parecida com a imagem inicial, mais simples... 

16 de julho de 2017

2 anos do meu afilhado!!❤️

Fez anos na sexta feira, mas estava doentinho e só hoje comemorámos!! Foi um almoço bom com a família da minha grande amiga C. Somos amigas há 26 anos!!! E gosto sempre de estar com ela. E foi um enorme orgulho ser escolhida para madrinha. Nestes almoços e festas de família gosto sempre de rever a mãe e o padrasto dela, que tão presentes estiveram na nossa adolescência! Éramos quase vizinhas e eram quase sempre eles que nos iam buscar nas saídas à noite. Passámos muitos e bons tempos em casa uma da outra, férias juntas... Um à vontade muito grande para chegar, jantar, ficar a dormir... E hoje em dia, quase com 40 anos, já temos maridos, filhos, ela tem também enteados, somos comadres e amigas! Muitas foram as pessoas que, por motivos vários, entraram e saíram da minha vida, mas houve quem tivesse ficado de pedra e cal. A C. foi uma delas. E foi muito bom festejar hoje com ela o segundo aniversário do meu querido afilhado!! Muita saúde é o que eu peço para mim e para todos os que amo. Sim, pode ser clichê, mas eu desde que fui mãe ganhei medo de morrer, perdi uma certa leveza, uma boa dose de descontração... Tornei-me mais responsável e provavelmente mais chata! É a vida:)))

Uma casa aberta!

Gosto que a nossa casa tenha a porta sempre aberta para a família e os amigos. Gosto que os meus filhos saibam que os amigos deles são sempre bem-vindos cá em casa. Hoje, o meu filho Afonso recebeu cá em casa o seu primeiro amigo da escolinha. Eram 7 da manhã quando se aproximou da minha cama e perguntou: é hoje que o P. vem cá a casa? E ficou feliz quando eu confirmei que sim, era hoje. Há dois dias que não pensava noutra coisa!! Brincaram bem e sem nenhuma briga. Só a pequena Francisca é que se deve ter sentido excluída e de vez em quando uma festinha terminava numa arranhadela ou puxão de cabelo ao amigo do mano. Apesar destes incidentes o Afonso e o seu amigo estavam muito contentes a brincar... E nós os pais aproveitámos para conversar, para nos conhecermos um pouco melhor... Foi um fim de tarde bem bom. É giro quando através dos filhos surgem pessoas com as quais simpatizamos. Na vida, há sempre espaço para novas pessoas, novos conhecimentos, novas histórias. Ficamos sempre mais ricos! 

14 de julho de 2017

Um miminho da Avent para a Francisca!

Ontem, no dia em que fazia 18 meses, a Francisca recebeu um pack das novas chuchas Avent ultra soft, com tecnologia FlexiFit... 

Os meus filhos usam sempre estas chuchas (e nunca aumento de tamanho para eles ficarem sempre com chuchas pequeninas...) e ontem quando recebi este miminho gostei logo imenso da nova embalagem, que ia servir para guardar as chuchas... Mas depois, olhando com mais atenção, percebi que a embalagem também serve para esterilizar as chuchas no micro ondas. Que ideia fantástica! 

13 de julho de 2017

18 meses da minha Francisca!! 💗

A minha terceira filha, a minha primeira menina, o coração a transbordar do peito, o início de mais uma aventura... Antes dela nascer referia-me à bebé quase sempre como a Kika, depois de nascer é sempre Francisca, ou Patanisca ou até chouriça! Por agora, não é uma menina angelical e suave... tem dois irmãos rapazes que ela adora e faz tudo para correr atrás deles! É uma despachada e sabe o que quer. Brinca mais com carrinhos do que com bonecas, adora dançar a ouvir música, é super gulosa... Já teve uma fase em que era um doce de menina, sempre a rir, mas agora já gosta de fazer cara feia... Gosta de bolachas de água e sal e já provou gelados, chocolates e batatas fritas! E no outro dia, para a calar na auto-estrada, quando ela gritava só por gritar numa birra absurda, numa viagem de 3 horas, calei-a com um chupa chupa. Quando eu e o pai não estamos na hora de deitar aninha-se na cama dos irmãos para adormecer com eles... É a princesa lá de casa. A peça que veio completar o nosso puzzle de 5 💗! 

12 de julho de 2017

O meu filho mais velho... e o seu estilo! e os meus nervos!!!

O meu filho mais velho vê um anúncio do Renato Sanches na televisão e fica embasbacado... Oh, mãe, olha só o estilo do Renato Sanches!!


E eu estremeço... Com este meu filho tenho posto em prática, de forma constante e diária, a velha máxima "os gostos não se discutem". Mas tem sido um esforço... Entre os cabelos dos cromos da bola, os fatos de treino à Tufão, os Cap's na cabeça e o Funky do Kevinho...

Isto num filho de uma mãe que gosta de ver os filhos em pandant... Ou melhor, gostava, neste momento já fico feliz quando a escolha é uns simples calções de ganga e uma t-shirt. Claro que a roupa sou eu que compro, mas entre as calças de fato de treino para o desporto, os ténis de futsal e boné para o lado ele arranja maneira de destruir qualquer imagem de bom gosto... e ainda me diz: oh, mãe, já viste o meu estilo! É tão vaidoso e tão cromo!! A última vez, no cabeleireiro, pedia ele à Inês, que o conhece desde que nasceu: Fazes-me umas riscas no cabelo?? Ela olha para mim e diz: não sei fazer isso, desculpa... 

Lista partilhada pelo pediatra dos meus filhos!

Lista de TPC dada aos alunos pelo professor Duarte M. da Silva, para as férias de Verão:


"1 - Tenta, pelo menos uma vez, ver o nascer e o pôr do sol. Pede ajuda aos teus pais para cumprir esta tarefa. Observa o sol por momentos em silêncio, fecha os olhos e respira... Lembra-te do que mais gostas na vida, agradece e fica feliz por isso. 

2 - Tenta usar as palavras aprendidas este ano. Quantas mais coisas souberes dizer, mais coisas podes imaginar.

3 - Lê. O que puderes. O que quiseres. Pede conselhos a quem saibas que também lê. Aos teus pais ou até a um amigo ou amiga que também tenha livros e, quem sabe, até trocam de livros. Começa pelo que mais gostas. Cada um de nós gosta de coisas
diferentes. Uns mais de fantasia, outros de aventura, outros até de contos assustadores, etc... Mergulha num livro e deixa-te levar nessa viagem, ao teu tempo.

4 - Evita as coisas e situações que não são positivas. Procura situações desafiadoras e a boa companhia dos amigos que te entendem e gostam de ti pelo que és.

5 - Tenta, se puderes e quiseres, escrever um diário. Não tem que ser um diário a sério, podes tu fazer um ao teu gosto. Um simples caderno serve. Tenta escrever por palavras o que quiseres em cada dia. Há dias em que não vai apetecer escrever e podes simplesmente colar um desenho, um recorte de jornal ou até um bilhete de cinema, por exemplo. O que apetecer.

6 - Faz desporto. Dança sem vergonha. Num sítio próprio para dançar ou mesmo em casa. O verão passa a dançar e mais vale dançarmos também.

7 - Se encontrares uma pessoa que te encante, diz-lhe com toda a sinceridade, aproveita os bons momentos da vida.

8 - Lembra-te das nossas aulas e do que fomos aprendendo ao longo do tempo.

9 - Sê alegre e brilhante como o sol e indomável e forte como o mar!

10 - Não digas palavras feias/rudes e sê sempre educado e amável.

11 - Vê filmes bons. Tenta ver alguns estrangeiros (de preferência em inglês, para começares a praticar). Se gostaste muito, revê. Volta a ver algum que tenhas gostado muito muito e já não vês há algum tempo.

12 - Sonha muito. Organiza os teus pensamentos e procura saber o que precisas fazer para conseguires concretizar os teus sonhos.

13 - Sê bom. Dá o melhor de ti mesmo nas mais pequenas coisas.

14 - Aproveita ao máximo e diverte-te. Diverte-te muiiiito!"

Adoro! E vou imprimir para dar ao meu filho mais velho para ler!

O meu filho mais velho descobriu o segredo para este verão!

Filho mais velho: Oh, mãe, sabias que quando me peso de pé tenho 21kg e sentado tenho 17,7kg!! Por isso, meninas! Toca a pesar sentadinhas! Ainda é uma diferença!!

11 de julho de 2017

Consulta e vacina dos 18 meses!

Ontem o pai estreou-se a ir ao centro de saúde para a vacina e para a consulta dos 18 meses da Francisca. Ela porta-se sempre lindamente, mas como é sempre uma menina da mamã o meu marido estava com medo de não a conseguir tranquilizar na hora da vacina. Mas claro que conseguiu, correu tudo bem e ela foi vacinada e fez a consulta de rotina. A Francisca cresceu em altura, em desenvolvimento e aumentou de peso. Já ultrapassou o percentil 3 e já chegou aos 9kg com 77,7 cm! Ia com o nariz raspado, porque caiu no fim de semana lá na quinta, quando tentava subir uma escada de granito, e o Dr. disse que gostava de ver crianças que não estão super protegidas em redomas, mas que andam no campo a brincar, a explorar, a aprender a cair e a levantarem-se... Faz parte da aprendizagem e da vida. Claro que com muita supervisão e cuidado, até porque esta fase é uma idade muito perigosa, em que eles se penduram, querem ver tudo, puxam toalhas, abrem gavetas, fecham portas... tudo o mais que se lembrarem... Já anda lindamente e agora é só explorar e correr mundo! Todos os olhos são poucos, como se diz, ao mesmo tempo que temos de os deixamos explorar e brincar... E esta miúda é uma despachada, ou não fosse miúda e a terceira, sempre a querer imitar os irmãos, sempre a correr atrás deles, destemida e sem noção nenhuma dos perigos, como é óbvio! 

10 de julho de 2017

Segunda feira difícil...

Chegar a Lisboa perto da uma da manhã. Filhos todos de pijama para irem directos para a cama. Madame Patanisca acorda. Chora, quer leite, quer colo... Um cansaço que se apodera de mim que sofro por antecipação. De manhã cedo tenho de preparar mochilas para a praia e para a piscina onde o mais velho vai passar o dia com a colónia de férias da Junta de Freguesia. Consigo adormecer já passa das duas da manhã. Acordo às 6 e meia e dói-me o corpo todo. Preparo mochilas, lanches e pequenos almoços e e acordamos as crianças. Saímos de casa antes das 8 porque eles têm de seguir cedo e porque eu tenho uma reunião às 9. A minha reunião só termina às 14. Não consigo pensar com clareza. Só me apetece dormir. Já não posso fazer estas loucuras, o meu corpo e a minha cabeça não aguentam...  Devíamos ter saído mais cedo, mas a ideia era jantar cedinho e fazermo-nos à estrada com eles todos a dormir. Só que nas arrumações, fechar a casa e ir ao restaurante (já a caminho) atrasámos-nos... E ainda tínhamos 3 horas de viagem pela frente... A parte boa foi que eles dormiram toda a viagem e que chegámos bem a casa. A parte má é que me dói o corpo todo. A parte boa é que faço planos para assim que os deitar, lá para as 21, deitar-me também... sonho com a minha cama. 

Do nosso fim de semana💓

O tempo estava óptimo, as cores e os cheios da natureza foram o pano de fundo para um fim de semana maravilhoso! Foi mesmo, mesmo bom! Os miúdos andaram à solta, numa liberdade que só ali conhecem. Andaram de tractor, subiram às árvores para apanhar fruta e fizeram corridas no meio da vinha. Apanharam gafanhotos, descobriram formigueiros e esfolaram joelhos. Tomaram banhos de piscina andaram de bicicleta. A Patanisca andava feliz e contente atrás dos irmãos e do primo. Chegavam ao fim do dia, imundos e exaustos e felizes!  E nós também. Almoçámos ao ar livre, bebemos cervejas e vinho branco geladinho e aproveitámos a boa companhia... Só não deu para descansar muito porque as conversas prolongavam-se à noite no telheiro depois de deitarmos a criançada, mas a alvorada deles era cedo e às 7 da manhã já estavam todos metidos na nossa cama! 

7 de julho de 2017

Hoje é sexta feira!

E é dia de fazer as malas e ir para o campo! A parte mais chata é fazer e desfazer malas para cinco. A parte boa é que vamos passear, vamos estar dois dias fora, no meio da natureza.


Os miúdos vão andar em total liberdade, com a Serra da Estrela como pano de fundo. Vão correr, tomar banho de mangueira, apanhar fruta directamente das árvores, jogar à bola, andar de bicicleta, tomar banho no tanque da roupa... Vamos com mais cunhados e o primo preferido dos meus filhos. Só o Afonso fica com o sobrolho franzido a olhar a olhar para as fotografias dos meus bisavós, trisavós e outros familiares de ar austero que pontuam as fotografias e retratos das paredes da casa... que ele chama da "casa dos mortos da neve"... Era a casa do meu pai. A quinta onde ele gostava de se refugiar, onde passava grande parte do ano. Foi a quinta onde casei, num dos dias mais felizes da minha vida... Onde o meu pai me levou ao "altar" debaixo do caramachão cheio de rosas... O meu pai tinha pena que eu não gostasse do campo como ele gostava e dizia-me: quando fores mais velha e tiveres os teus filhos vais gostar de vir para cá. E é verdade. Aos poucos, tenho-lhe tomado o gosto... e os meus filhos adoram. Desta vez não teremos neve, que o tempo anda maluco mas não tanto, mas espero que tenhamos um bom fim de semana, em família, longe do stress e da correria do dia a dia.

Conversas de miúdos!

Estávamos a ver umas imagens maravilhosas de canyoning na Ilha da Madeira, onde os participantes desciam por umas ravinas/cascatas incríveis, pendurados por cordas e arnês...


E diz o Afonso: oh, mãe, eles não podem ter vontade de fazer xixi quando estão a descer ali!! E eu só pensava que eu borrava-me toda pelas pernas abaixo de me visse naquela aventura!! Mas de facto deve ser uma experiência única!! Há pessoas que fazem da vida uma aventura cheia de adrenalina, spots mágicos e desafios incríveis!! 

6 de julho de 2017

Manos❤️

Hoje o filho grande dorme num acampamento do programa Praia/Campo da Junta de Freguesia. Na hora de deitar o mano choraminga: quero o meu mano... não quero dormir sem o meu mano... Bulham, lutam, refilam um com o outro, disputam atenções e brinquedos, mas são inseparáveis e quando um não está o outro sofre com a ausência. Faz parte. E as saudades são uma coisa boa, que fazem parte da vida. Mas é bom saber que sentem a falta um do outro. 

5 de julho de 2017

Não sou de comentar ou tecer juízos de valor...

Mas quando olhei pela primeira vez para a fotografia de Ronaldo com os gémeos senti uma pena enorme destes bebés, tão pequeninos, e afastados da mãe mal nasceram. Só pensava que nem os gatos são desmamados tão pequenos. Só me ocorria a palavra coitadinhos... Porque eles nasceram de uma mãe, foram gerados 9 meses por uma mãe a quem conhecem a voz, o cheiro... 


Se calhar sou velha de pensamento, se calhar sou retrógrada, mas faz-me confusão esta forma de parentalidade... Não ponho em causa o amor do pai, não julgo esta opção, mas quando olhei para esta fotografia, que é suposto ser uma coisa boa, eu tive pena dos bebés, privados do colo da mãe... 

4 de julho de 2017

A ternura do meu Afonso❤️

Estava eu a contar a história da noite, onde entrava uma fada e diz o meu querido e doce filho Afonso: quando a fada dos dentes veio trazer um presente ao mano eu senti que ela me deu uma festinha... Que ternura! Que amor! Fiquei logo toda derretida... a ingenuidade, o querer ser especial... Até a voz do filho grande tentar quebrar a magia: a fada dos dentes não existe! Isso é mentira! E eu a tentar que o Afonso não ouvisse, o mais velho a insistir que só estava a dizer a verdade! E eu a não querer que a magia acabe... que ele cresça demasiado depressa! Mas com irmãos mais velhos não é fácil impedir que eles saibam coisas antes do tempo, que aprendam disparates antes do tempo... O meu filho Afonso é uma esponja do irmão, bebe das suas palavras e dos seus gestos. E o mais velho adora ensinar tudo o que é disparates!! E eu só quero que ele tenha 4 anos... é que já sabe ganha coisa... não há pressa. Têm tempo! 


Ontem... Do nosso final de tarde❤️

Uma tarde quente de verão a pedir rua. 


A Francisca brinca às escondidas e à apanhada com a madrinha. E trepa ao escorrega como vê os irmãos fazer. Os rapazes não dispensam as maluquices com o pai. O filho grande encontra amigos da escola no parque. E mesmo com 9 horas de Praia/Campo em cima ainda há muita energia para correr, brincar, saltar!! A energia das crianças saudáveis não tem fim. Atrasámos os banhos e os jantares, mas aproveitámos ao máximo o final de tarde.


3 de julho de 2017

Do nosso fim de semana!


O Monte da tia e a liberdade de brincar ao ar livre até ao cair da noite, a sopa de tomate e todas as delícias da melhor cozinha alentejana, a alegria de ter a cadela Pipoca ali à mão, tomar banho na barragem do Maranhão, ir conhecer o Fluviário de Mora... 
Dois dias cheios de coisas mesmo boas!

Praia / Campo

Lá seguiu hoje o meu filho grande, acompanhado pelo pai, para mais uma aventura, mais uma etapa na vida dele... Duas semanas cheias de programas, cheias de Actividades, novos amigos, amigos antigos... Que se divirta muito e regresse sempre são e salvo, que este coração de mãe fica sempre apertadinho... O meu marido goza comigo, chama-me piegas e galinha... Mas eu acho que faz parte... Deixo-o ir, deixo-o voar, não lhe passo os meus medos nem os meus receios, mas não deixo de os ter... São muitas viagens de autocarro, piscinas, praia... Para mim, a parte do acampamento, ele vai dormir duas noites fora, é super tranquilo, o que mais me aperta são mesmo as viagens, a praia, o mar... Mas confio na organização da junta de freguesia e peço a todos os Santos que acompanhem os meus filhos nas suas aventuras!

30 de junho de 2017

Vai lá tu desactivar a bomba, disse-me a minha cunhada quando entrei em casa!

Eu e o maridão fomos jantar fora, num date mesmo bom, num jantar óptimo n'O Talho. Há muito tempo que não tínhamos um jantar tão bom a todos níveis. Chegámos a casa e diz a minha cunhada, que tinha ficado de serviço: tens a tua filha a dormir com o mais velho, que ela gritava comigo e soluçava é só queria o irmão. O Alexandre explicou à tia todos os rituais do leite e do colo, mas a Francisca não foi em conversas e sentiu-se enganada. Não quis leite nem colo da tia e adormeceu abraçada ao mano grande, a soluçar... agora é suposto eu ir mudá-la para a cama dela, mas até eu tenho medo de activar a bomba! A minha vontade é deixá-la a dormir com o mano. E como o colchão dele está no chão (vendi as camas dos rapazes e ainda não tive tempo de ir comprar o beliche) nem há o perigo dela cair da cama... 

São Pedro trocou-nos as voltas!

São Pedro tem andado toda a semana a brincar com o tempo... E o Afonsinho lá tem ido para a praia uns dias com sol, outros nem por isso... O filhote mais velho tem ido para a CAF (Componente de Apoio à Família) da escola, mas eu tinha-lhe prometido que organizava a semana de trabalho para ter a sexta livre e irmos à praia ou à piscina. Consegui acabar o meu trabalho dentro do tempo. Mas está frio, céu cinzento, vento... e já choveu. Vamos ter de mudar o programa! Mas o importante é que a minha tarde hoje é dele!

Achávamos que as noites bem dormidas já estavam no papo!

Nem tinha deitado foguetes nem dito nada para não agoirar, mas a verdade é que há várias semanas que a Francisca dormia a noite toda, primeiro no quarto dos manos e depois, as primeiras noites no novo quarto dela. Adormecia sempre ao meu colo a beber o leite, mas depois ficava a noite toda... De vez em quando choramingava, mas resolvia e dormia. Mas nas últimas duas noites não. Acordou, quis colo, leite (coisa que não acontecia há muitas semanas, acho eu, que às vezes o tempo é algo estranho e pouco linear devido ao cansaço dos dias) e mais colo... E lá andei com ela entre as 4 e as 5 e meia da manhã... Ai, filha do meu coração, já mostraste que sabes dormir toda a noite. Sê uma crescida. A mãe precisa de dormir aquelas horas de seguida... e tu também! Mas o que me dá ânimo é saber que é uma fase e que ela consegue e sabe dormir sozinha, mesmo com a manha e o mau hábito de adormecer ao colo... 

Hoje vamos jantar fora!

Pelo menos, é esse o nosso plano. A cunhada mais velha já está convocada, e como sempre super disponível e pronta para ficar com os 3 sobrinhos. E eu e o maridão vamos jantar fora e namorar um bocado. Tem sido um ano cansativo, mal dormido, com o meu marido de baixa desde 9 de Fevereiro, dia em que teve o acidente... E entre fisioterapias, os miúdos, a dúvida sobre a recuperação total do movimento do braço, a possibilidade de ainda haver cirurgia, a impossibilidade dele jogar Padel como tanto gosta e precisa, a dúvida se irá ou não para o Algarve de férias connosco por causa da fisioterapia... Tem sido muita coisa, muito trabalho e pouco namoro... E é preciso namorar, é preciso não nos esquecermos um do outro, lembrarmo-nos que antes de sermos 5 éramos 2, e que é a dois, e lado a lado, que queremos continuar esta viagem. Por isso, hoje, vamos comer, beber e celebrar a vida e o nosso amor. Pelo menos, é esse o plano...

29 de junho de 2017

Os biológicos que afinal não o são!

Este artigo da Visão, que ainda não tive oportunidade de ler todo, diz que  "muito do que julgamos ser bio, afinal, talvez não seja - e que consumir produtos biológicos não garante que evitamos pesticidas." E que ainda que "O laboratório que realizou as análises para a VISÃO encontrou 23 pesticidas sintéticos distintos, todos proibidos por lei na agricultura bio." Eu gostava de saber que produtos foram estes, de que produtores... Devíamos saber! Já encomendei cabazes biológicos, de diversas origens e quintas, mas  a meio da semana faltavam-me frutas e legumes, ou não vinha tudo o que eu queria, ou vinham coisas que não gostávamos... e depois descobri um pequeno mercadinho na minha rua, uma banca explorada por uma família, que tem frutas e legumes maravilhosos. Não são biológicos, mas são nacionais, da época e super saborosos. E é lá que vou ao sábado e durante a semana, sempre que preciso, já que fica no quarteirão entre a minha casa e a escola do mais velho... e lá é tudo bom. Os meus filhos não são grande coisa para comer sopa, mas saladas e fruta é outra conversa! Às vezes tenho de os proibir de comer mais fruta porque a certa altura é um exagero... Ontem o Afonso, depois de jantar, despachou 3 nectarinas e queria comer mais... Gostava mesmo era de ter uma horta e de a saber trabalhar para saber o que comemos. Mas como não é possível vou fazendo as escolhas que acho mais saudáveis para mim e para a minha família... E gostava mesmo de saber que produtores supostamnete biológicos é que andam a enganar o consumidor!

Amor de mãe também é...

... receber o email de confirmação do Benfica com o novo sócio, o pequeno Afonso, e ficar feliz só de imaginar a felicidade dele quando receber o cartão, o cachecol e começar a treinar na escolinha de futebol! Mesmo a mãe sendo Sportinguista, não por amor ao clube, mas por amor ao avô Zé... E é também por amor aos meus filhos que vibro com as alegrias benfiquistas deles! 

Já tenho um filho inscrito no 2º ano do ensino básico!

Que crescido que ele está! Aprovado a tudo com Muito Bons. E pronto para seguir viagem para o 2º ano... E ontem, enquanto apagávamos os manuais (enquanto apagava os manuais ia vendo a evolução do trabalho, da caligrafia, do grau de dificuldade dos exercícios) eu disse-lhe: tanta coisa que aprendeste, filho. E ele diz: e  também me diverti muito! Que bom! Que o divertimento, a alegria, a aprendizagem e o conhecimento andem sempre de mãos dadas! 

Ainda sobre os manuais escolares!

Consegui apagar o de matemática, o meu filho grande apagou o de Estudo do Meio e o de Português ficou a menos de meio... O meu marido está a entregá-los agora, na escola, à professora, na reunião de final de ano. Isto já depois de termos lido esta notícia... Manuais no lixo?! Espero bem que não... E que este primeiro ano sirva para se perceber o que está errado, como melhorar nos próximos anos, começando logo pela escolha dos manuais, o uso de novas tecnologias sempre que possível... O princípio da reciclagem é óptimo, é só fazer ajustes e corrigir o que está mal. Esperando que não haja livros a acabar no lixo...

28 de junho de 2017

Das coisas simples e mesmo boas❤️

Os meus filhos adormecerem todos, tranquilamente, embalados por uma  história minha, e eu, depois da cozinha arrumada e lancheiras preparadas (minha e do mais velho) tomo um enorme e relaxante duche quente, ponho creme hidratante, visto o pijama, meto-me na cama e agarro-me ao meu livro. São pequenas coisas, tão simples, mas que dão conforto e uma enorme sensação de bem estar. Boa noite!

Sobre a devolução dos manuais escolares do 1º ano do ensino básico Parte 2

O meu filho mais velho, no início deste ano lectivo, teve direito aos manuais escolares gratuitos. Na altura foi-nos explicado que estes teriam de ser entregues, em bom estado, no final do ano lectivo. Mas que eram para ser usados e manuseados. O meu filho usou-os, escreveu sempre a lápis e não têm uma folha rasgada, amachucada. Estão impecáveis. Mas estão usados. Ele trabalhou neles, a professora corrigiu tudo. Sempre a lápis. Ou a lápis de cor, se o exercício assim o exigia. Ou colando os autocolantes que eram pedidos. Agora, no final do ano, recebi informação que tínhamos de apagar os manuais... Ou seja, têm de ser entregues todos apagados... Pois, só assim, teremos direito aos manuais do 2º ano. Eu comecei a apagar, a apagar... e é uma tarefa sem fim. São 3 manuais todos escritos... Podia dizer. não quero saber. Não apago e não entrego. Pago os manuais e pronto. Mas não queria fazer isso. Acredito na medida da gratuitidade dos manuais escolares, acredito na reciclagem, no estimar os manuais para servirem a outras crianças... Mas os manuais têm de ser pensados nesse sentido. Os manuais não devem ser para escrever, para isso existem livros de fichas. Os manuais não devem ter exercícios a lápis de cor. Os manuais não devem ser para colar autocolantes. 



Claro que os manuais devem ser atractivos, mas se são para ser reutilizados, como eu acho que devem, têm de ser pensados para isso. Eu vou apagar o que conseguir, que não vou tirar férias para o fazer e vou entregá-los. E espero ter direito aos livros os 2º ano, porque o que me foi dito na escola foi uma coisa, este artigo diz outra... E vou escrever um email à direcção do agrupamento a manifestar a minha opinião sobre este assunto.

27 de junho de 2017

Descriminação

Antes de me ir deitar vou ao quarto dos rapazes e beijoco-os, aconchego a roupa, rapai-os... Da Francisca nem me aproximo, agora nem vou ao quarto dela, para não a acordar... não vá ela despertar e depois está a noite estragada! 

Sobre a devolução dos manuais escolares do 1º ano do ensino básico

Passei a minha hora e meia do serão a apagar o livro de matemática que tem de ser devolvido até 5ª feira. Dói-me o dedo polegar. Só cheguei à página 50. Amanhã escrevo um post mais completo sobre este assuntos, que agora tenho de ir dormir. 

26 de junho de 2017

Coração de mãe apertado...

... Não pelo filhote que foi para a praia, feliz e contente, apesar do tempo frio, mas pelo filhote grande que não queria ir para o CAF da escola... Chorava, chorava... Eu adorava poder proporcionar-lhe 3 meses de férias como alguns coleguinhas vão ter, mas nem tudo é como gostávamos... e entre uns dias no CAF da escola em que vai ter actividades várias e torneios desportivos, Praia/Campo da Junta de Freguesia, praia connosco nas nossas semanas de férias, Alentejo com uma tia, semana numa escola de vela e um campo de férias com o mano Afonso acho que até vai ter um óptimo verão! Pelo menos, organizámos tudo para lhe proporcionar uns dias bons recheados com coisas que ele gosta... E na sexta feira, como é o dia em que geralmente não venho ao escritório, vou organizar o meu trabalho para ir dar um mergulho com ele à praia ou à piscina. 

25 de junho de 2017

A Francisca já dormiu no seu quartinho!

Para grande desgosto dos manos, que acham que ela é pequenina e deve estar com eles, a Francisca foi ontem dormir pela prineira vez no seu quarto. Aproveitando que tinha cá um sobrinho a dormir e 4 ao molho já me parecia confusão a mais mudámo-la! E correu bem. E hoje comprei-lhe um miminho que a vai deliciar...
Já tinha havido um carrinho de bebé cá em casa, mas tinha-se partido todo. Ela ainda não o viu...

O kit da praia já está comprado!


Agora só falta São Pedro colaborar! O meu Afonso está tão entusiasmado por ir para a praia com os amigos da escola... e agora o tempo piorou! há 2 anos o mais velho apanhou péssimo tempo. Tinha de ir de calças de fato de treino e camisola... Como iam logo bem cedo, antes das 9, estava sempre nublado e a choviscar...

O mais velho acabou as aulas...

... E nas próximas semanas vai estar entre as actividades do CAF (Componente de Apoio a Família) e a Praia Campo da Junta de Freguesia e umas vezes tem praia, noutros dias actividades radicais, noutros passeios ao campo, piscina... e é preciso adequar a roupa e o calçado. Vou afixar tudo no frigorífico para não me baralhar toda!

Devia ter tirado o curso de gestão...

... Para gerir a agenda desta famílias. Entre actividades curriculares e extra curriculares, passeios, festas, aniversários... Estes últimos 7 dias foram alucinantes. Tivemos a festa da escola do mais velho, o sarau do CAF do mais velho,  o concerto de piano do mais velho, 3 festas de aniversário, 1 arraial e um sobrinho a dormir cá em casa! Felizmente as festas da escola dos mais pequeninos já tinham sido... Escusado será dizer que me baralhei com ascores das t-shirts das festas do mais velho, mas também não veio mal ao mundo...

23 de junho de 2017

E o meu filho mais velho acaba hoje o seu 1º ano!!

E já passou um ano lectivo! Se por um lado parece que foi ontem que o levei à escola nova pela 1ª vez, por outro já estamos tão familiarizados, já temos tantos amigos e conhecidos, já aconteceu tanta coisa, aprendeu tanto, cresceu mais ainda... que tenho a sensação que passou mais tempo. Ele saiu-se muito bem com Muito Bom em todos os testes e a todas as disciplinas à excepção de expressões plásticas onde herdou a veia da mãe... um bocadinho melhor, até, e só teve Bom. Foi um ano que começou com alguma dificuldade em estar sentado e quieto e calado... Mas conseguiu fazer essa aprendizagem e crescer nesse sentido... Foi um ano de grandes descobertas e conquistas. Saiu da redoma da escolinha onde andava desde o berçário e caiu no mundo dos grandes! Adorou. Integrou-se muito bem. Fez muitos amigos. Muitas amigas. Aprendeu tudo o que era para aprender na sala de aula e todas as asneiras (e palavrões que eu dispensava que ele aprendesse) no recreio... Cresceu. Ganhou mundo. Novas responsabilidades. Hoje, em jeito de festa, foi toda a escola passar o dia numa quinta a uma hora de distância de Lisboa... E lá estávamos os 4 galinhas (manos, pai e mãe) a dizer adeus à criançada e a beijocar o nosso filho! Tantos meninos, tantas camionetas! E o coração da mãe a ganhar calo... Como já aqui disse tantas vezes temos de os deixar voar... ganhar asas e conquistar o mundo, mas isso não quer dizer que não fiquemos sempre com o coração apertadinho. A professora ontem deu uma caneta a cada menino, para que eles não se esqueçam dela no 2º ano... O meu filho estava emocionado ao dizer que a professora se emocionou quando ontem, oficialmente, se despediu deles... E eu chorei. (Tenho lágrima fácil e choro sempre nas despedidas. Herdei isto do meu querido avô Zé, que sempre que se despedia de nós nas férias ficava a chorar, a chorar...) Que sentido faz que uma professora contratada não volte a ficar no ano seguinte quando a própria deseja ficar, quando a escola gostou do trabalho dela, quando os pais e alunos gostaram da professora e quando o lugar continua por preencher?! Espero sinceramente que as voltas do concurso voltem a colocar a professora C. na vida do meu filho no próximo ano porque gostei muito dela a todos os níveis. Desde a forma de ensinar, à maneira como os tratou, como abordou diversas questões e curiosidades da idade, a forma como sempre comunicou com os pais. Não tenho nada a apontar. E vou escrever um email à direcção da escola a dar a minha boa opinião sobre a professora, elogiando o trabalho dela. E é altura de desejar boas férias, apesar das nossas ainda estarem distantes, e serem semanas de actividades e de lhes preencher o tempo. Mais uma nova etapa que se avizinha... Novos voos e novas descobertas. Praia, campo e piscinas com a Junta de Freguesia. Oh, coração de mãe, aguenta aí!! 

20 de junho de 2017

Praia com a escola

Hoje madruguei para conseguir inscrever o meu filhote do meio na colónia de praia do jardim de infância. As vagas são limitadas e eu tinha-o avisado que hoje tínhamos de ir cedinho. Ainda estava eu a vestir-me quando ele apareceu e disse: vou-me vestir e estou pronto! Está desejoso desta nova aventura. Nos anos anteriores via o mano ir e este ano já é ele que vai. E está tão, mas tão contente... Vamos ter de madrugar bem cedo todos os dias e espero que apanhem bom tempo. E eu só desejo que ele brinque muito, se divirta, apanhe bons ares e regresse são e salvo... Sim, que este coração de mão fica sempre pequenino quando os vejo entrar no autocarro... E este ano vou ter dois filhos nestas andanças... um com a escolinha e outro com a Junta de Freguesia... e aqui a aventura vai ser ainda maior e o aperto do coração desta mãe é  proporcional... Mas temos de os deixar ganhar asas e voar...E são são tão felizes nestas suas conquistas! E eu fico a acenar junto à janela do autocarro, vendo aqueles sorrisos felizes, e abraço-os bem apertadinhos quando os recebo ao final do dia💗

19 de junho de 2017

No meio de tanta desgraça...

... já não podia ver mais notícias, já não aguentava mais as imagens de desgraça e de destruição, sentia-me em choque, com um nó na garganta, impotente perante tanto horror, e atirei-me de cabeça ao livro que estava a ler. Acabei o 3º volume da saga de A Amiga Genial, História de Quem Vai e de Quem Fica, e lancei-me ao 4º volume, mais uma vez, completamente rendida à história e à escrita.

Os bons livros têm a capacidade de nos fazer viajar, esquecer... e ontem à noite a leitura ajudou-me a desligar do horror que se passava no nosso país, depois de um fim de semana agarrada às notícias, perplexa pelas imagens, paralisada pela dor... 

Cáritas recebe hoje (segunda feira) para entregar amanhã. Pode doar roupa, cobertores e atoalhados

Cáritas recebe hoje para entregar amanhã. Pode doar roupa, cobertores e atoalhados. A notícia aqui.

Em choque...

Estou em choque desde sábado com as notícias. Eu e todos. Já tudo foi dito e escrito. Não há palavras. Um bombeiro dizia ontem que encontraram cadáveres de mães com os filhos ao colo, abraçadas a eles, tentando protegê-los, consolando-os... Que tragédia, que dor... Ontem o fogo chegou perto da terra dos meus avós, perto da Sertã... Nos verões da minha infância, passados no campo, perto da Sertã com os meus avós maternos, ou no distrito da Guarda, na terra paterna, e em Agosto havia sempre incêndios... Lembro-me de ver os clarões vermelhos à noite, ao longe, lembro-me de ouvir o sino da aldeia a rebate, lembro-me de ter medo... Lembro-me de uma vez, com a ajuda dos bombeiros, passarmos por uma estrada rodeados pelo fogo... Mas não me lembro de uma tragédia desta dimensão, porque nunca aconteceu. Tenho o coração apertado. 

16 de junho de 2017

Fui dar um mergulho antes de começar a trabalhar

Já nem sabia qual era a sensação de ir para a praia com uma única cesta levando apenas a toalha, água, dinheiro, telemóvel, chaves e protector solar! 


Os meus filhos adoram nuggets!

Os meus rapazes adoram nuggets de frango, mas eu evito ao máximo comprar comida pré feita e congelada e desde que li um artigo nojento sobre o MacDonald's, mesmo sem saber se é verdade a 100% ou não, evito ao máximo levá-los lá... Por isso fiquei radiante quando descobri esta receita do blogue Na Cadeira da Papa. Resolvi experimentar e só vos posso dizer que foi um sucesso testado e aprovado pelos 5 cá de casa mais uns sobrinhos! Adaptei a receita e fiz 5 peitos de frango. E voaram todos. Ficaram mesmo, mesmo bons! 

14 de junho de 2017

Estou completamente rendida ao 3º volume de A Amiga Genial

Confesso que demorei a pegar no 1º volume, talvez por falta de tempo para leitura, por ler aos bochechos e nos intervalos na natação, mas a verdade é que me custou a ler, apesar de gostar, de nunca o pôr de lado... O 2º volume já me conquistou mais, já o li de enfiada, mais entusiasmada e envolvida com as personagens, mas este 3º volume está a tirar-me o fôlego e a roubar-me horas de sono porque à noite quando me deito não consigo para de ler...


Espero que o 4º volume seja igualmente envolvente e cativante!

Mãe galinha...

Hoje tenho jantar de amigas e parecia tonta, logo de manhã, a deixar recados e recomendações ao meu marido, principalmente por causa da pequenina, que só me quer a mim na hora de ir para a cama... Decidimos que é melhor não ir a casa ao final do dia, porque iria destabilizar na hora de sair, sendo assim, saio do trabalho vou ao ginásio, vou à acupunctura e sigo para o jantar... Só preciso de desligar e confiar que vai correr tudo bem em casa na minha ausência. E aproveitar o final de tarde e a noite sem filhos.

Um nó na garganta

Que notícia tão triste ao acordar. Há muitos mortos. E há crianças, crianças portuguesas feridas.

Na noite de 12 de Junho lá fomos aos Santos bailar...

... com as crianças atrás, como era de esperar!
Fomos a um arraial muito mau. Péssimo, mesmo! Mas era perto de casa e combinámos com uns amigos que iam lá com os filhos pequenos. Era tudo mau, mas deu para o convívio, os miúdos dançaram e jogaram à bola e a Francisca voltou a deliciar-se com caracóis! Sim... porque era a única coisa que se aproveitava, mas eu prevenida dei de jantar  à malta antes de sairmos de casa... Só pelo sim, pelo não, porque já sei que nestes dias é tudo confuso... Foram jantados e os caracóis e a bifana que comeram foi bónus! Mas, assim, eu já não ia com a preocupação de os alimentar como deve ser. Faço isto muitas vezes. Dou-lhes o jantar muito cedo e digo para se despacharem que tenho uma surpresa e vamos sair. É uma maravilha o entusiasmo com que comem. Agora ainda falta o arraial da nossa paróquia nno dia 24! Esse sim, um arraial fantástico e imperdível! 

12 de junho de 2017

E hoje apetecia-me ir outra vez para os Santos Populares!


Tenho 3 hipóteses: OU vamos com os miúdos e é giro, mas não dá para grandes festas, temos de ter mil cuidados redobrados e tenho de levar a Francisca no Marsúpio e os outros dois pela mão... OU cravo a minha mãe para ficar com eles e vou namorar com o meu marido, que era o que me apetecia mesmo... OU meto os miúdos na cama e fico em casa, sossegada, que a noite passada foi péssima com a Francisca que não nos deixou dormir nada de jeito... Querem apostar o que vai acontecer?